slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo PowerPoint Presentation
Download Presentation
Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo - PowerPoint PPT Presentation


  • 162 Views
  • Uploaded on

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo. ORIGEM E EVOLUÇÃO DA VIDA. AULA 3: ORIGEM E IMPACTO DO PENSAMENTO EVOLUTIVO I. Vander Calmon Tosta Luiz Fernando Duboc. 1. Origens do Pensamento Evolutivo.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Universidade Federal do Espírito Santo Centro Universitário Norte do Espírito Santo' - loc


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Universidade Federal do Espírito Santo

Centro Universitário Norte do Espírito Santo

ORIGEM E EVOLUÇÃO DA VIDA

AULA 3: ORIGEM E IMPACTO DO PENSAMENTO

EVOLUTIVO I

Vander Calmon Tosta

Luiz Fernando Duboc

slide2

1. Origens do Pensamento Evolutivo

A Teoria da Evolução Biológica, que teve início, principalmente com os estudos do inglês Charles Darwin é a expressão amadurecida de duas correntes de pensamento:

1- O conceito de que o Universo vive em constante mudança, o qual foi substituindo a visão, até então intocável, de que o mesmo era estático, idêntico em sua essência e criação perfeita do Criador.

2- A derrocada das causas finais Aritstotélicas onde todas as coisas ocorrem pela vontade de Deus, no lugar da qual Darwin propõe um Universo regido pelas causas efetuadoras onde a variação não finalista, desprovida de propósito é dirigida por um processo de seleção natural cego e desvinculado.

Charles Darwin: O Homem que mudou o Homem

slide3

1.1 Essencialismo Platônico: O Universo Estático

Segundo Platão os triângulos ou cavalos que vemos no mundo físico são apenas cópias imperfeitas do Triângulo e do Cavalo perfeitos, verdadeiros, que existem no mundo transcendental das idéias. Dentro dessa filosofia essencialista, a variação não tem sentido, apenas as essências importam.

PlatãoΠλάτος

Busto de Platão no Museu do Louvre

slide4

A filosofia essencialista de Platão foi incorporada a teologia cristã e teve um efeito dominante e permanente sobre o pensamento ocidental subsequente.

A teologia cristã adotou uma interpretação quase literal da Bíblia, inluindo a criação especial, direta de todas as coisas como na sua forma atual; incorporou ainda o essencialismo platônico.

As essências eternas e imutáveis, de todas as coisas existem na mente de Deus, mas seria uma imperfeição divina negar a existência material a algo que Ele concebeu. Uma vez que Deus é perfeito, Ele deve ter materializado tudo que existia como sua idéia. Todas as coisas devem ter sido criadas no começo, e nada que Deus considerou apropriado criar poderia se extinguir, porque negar a existência de qualquer coisa em qualquer tempo introduziria imperfeição em Sua criação.

Uma vez que a ordem é claramente superior à desordem, as criações de Deus devem se adequar a um padrão: a Scala Naturae, ou Grande Escala dos Seres. Esta “escada da vida”, percebida na gradação entre a matéria inanimada passando pelas plantas, animais “inferiores” e humanos, até os anjos e outros seres espirituais, deve ser perfeita e não apresentar lacunas; ela deve ser permanente e imutável, e todo o ser deve ter seu papel fixado de acordo com o plano de Deus.

Uma vez que a ordem natural foi criada por um Deus perfeito, aquilo que é natural é bom e este deve ser o melhor dos mundos possíveis. Esta hierarquia natural se estendeu às classes sociais altal e baixas nas sociedades humanas. Aspirar à mudança da ordem social deve ser imoral, e a evolução biológica neste cenário é impensável.

slide5

1.2 Finalismo Aristotélico: O Universo Predestinado

Para Aristóteles existiam quatro perguntas a serem respondidas para se compreender as ações e movimentos universais:

Do que é feito? (causa material)

Quem fez? (causa efetuadora)

O que esta sendo feito? (causa formal)

Para que esta sendo feito? (causa final)

AristótelesBusto de Aristóteles no Museu do Louvre

slide6

A teologia cristã incorporou principalmente a causa final Aristotélica em seu corpo teórico. De tal forma que todas as coisas sempre seriam feitas para a Glória de Deus, ou seja todas as nossas ações devem ser controladas e observadas por Deus que interfere diariamente nestas ações. Tudo que estamos fazendo, o fazemos para compreender as vontades Divinas e alcançar a salvação.

O papel das ciências naturais, dentro desse ponto de vista, foi o de catalogar os elos da Grande Escala dos Seres e descobrir sua ordenação, de tal modo que a sapiência de Deus pudesse ser revelada e reconhecida. A “Teologia Natural”, como descrita por John Ray em “The Wisdom of God Manifested in the works of Creation” (1691) considerava as adaptações dos organismos vivos como evidência da benevolência do Criador. A obra de Lineu (Sistema Naturae 1735; Species Plantarum 1753) profundamente influente sobre a classificação biológica foi igualmente concebida ad majorem Dei glorian, “para a maior gloria de Deus”

Carl von Linné,

1707-1778

slide7

1.3 Mudança de Paradigmas: A Idéia de Evolução antes de Darwin

As idéias de Laplace marcam o início do Universo dinâmico.

Laplace passou a maior parte de sua vida trabalhando na astronomia matemática que culminou em sua obra-prima sobre a prova da estabilidade dinâmica do sistema solar, com a suposição de que ele consistia de um conjunto de corpos rígidos movendo-se no vácuo.

Buffon foi o primeiro naturalista a sugerir de forma metódica que os organismos vivos podiam se modificar com o passar do tempo.

O trabalho de Buffon influenciaria sobremaneira tanto as idéias de Lammarck quanto de Darwin.

Pierre Simon,

1749-1827

Marquis de Laplace

Georges-Louis Leclerc, 1707-1788

Conde de Buffon

slide8

Por volta de 1788, James Hutton desenvolveu o princípio do Uniformitarismo, o qual sustentava que os mesmos processos são responsáveis por eventos geológicos passados e atuais. Isto implicava que a Terra era muito antiga, nas palavras de Hutton: “ sem vestígio de um começo... sem perspectiva de um fim.”

James Hutton, 1726-1797

Charles Lyell entre 1830 e 1833 publicou seu multi-volume "Principles of Geology (Princípios de Geologia)”. O subtítulo do trabalho era "An Attempt to Explain the Former Changes of the Earth's Surface by Reference to Causes now in Operation" ("Uma Tentativa em Explicar as Mudanças Formadoras da Superfície da Terra por Referência a Causas agora em Operação"), e isso explicava o impacto de Lyell na ciência. Ele foi o maior advogado da idéia então controversa do Uniformitarianismo, de que a terra foi moldada praticamente inteiramente por forças lentas agindo por um longo período de tempo, contrastando com o catastrofismo, uma idéia que postulava que a maior parte das modificações eram abruptas, pela idade da Terra inferida através da cronologia da bíblia.

Charles Darwin foi um amigo próximo, e Lyell foi um dos primeiros cientistas proeminentes a apoiar "The Origin of Species (A Origem das Espécies)"

Sir Charles Lyell,

1797-1875

slide10

A Infância em Shrewsbury

A casa dos Darwin em Shrewsbury

Darwin e sua irmã

Pintura materna em 1817

slide11

A Infância em Shrewsbury

“Nada poderia ser pior para o desenvolvimento de minha mente do que a escola do Dr. Butler”

Darwin

St. Chad's Church

slide12

Darwin vai a universidade

Christ's College, Cambridge University

Edinburgh University

slide13

... e da universidade para o mundo

Porto de Devon , Plymouth

Uncle Josiah "Jos" Wedgwood II

Em 27 de Dezembro de 1831 o Beagle alça o mar a partir do Porto de Plymouth sob o comando do comandante FitzRoy , com Darwin como naturalista oficial

slide14

... e da universidade para o mundo

Robert FitzRoy (1805 -1865)

Comandante do Beagle

slide16

Noronha encantou Darwin

Poucas horas que lhe lembraram toda a teoria de Charles Lyell

slide17

Darwin conhece o país do Carnaval

Purgatório da Beleza e do Caos

Salvador retratado

pelo capitão FitzRoy

slide18

C. Darwin to R. W. Darwin.

Bahia, or San Salvador, Brazils [February 8, 1832].

MY DEAR FATHER,

March 1st.—Bahia, or San Salvador.

“I arrived at this place on the 28th of February, and am now writing this letter after having in real earnest strolled in the forests of the new world. No person could imagine anything so beautiful as the ancient town of Bahia, it is fairly embosomed in a luxuriant wood of beautiful trees, and situated on a steep bank, and overlooks the calm waters of the great bay of All Saints. The houses are white and lofty, and, from the windows being narrow and long, have a very light and elegant appearance …”.

slide19

"Here I first saw a tropical forest in all its sublime grandeur.…I never experienced such intense delight.“

Darwin

Darwin conhece o país do Carnaval

Purgatório da Beleza e do Caos

“Esse é o primeiro dia de Carnaval (...) as ameaças consistiam em sermos (...) atingidos por bolas de ceras cheias de água e ficarmos molhados com grandes esguichos. Achamos muito difícil mantermos nossa dignidade andando pelas ruas de Salvador e nos recolhemos ao Beagle”.

Darwin

slide24

LANDSEER, Charles 1825-1826

Grafite - desenho do Pão de Açúcar, visto da Lagoa  Rodrigo de Freitas, através da garganta do Humaitá

slide26

As impressões de Darwin da Patagônia

Ludus Naturae?

Os Toxodontes

slide27

As impressões de Darwin da Patagônia

Ludus Naturae?

A Preguiça Gigante

slide28

As impressões de Darwin nas Galápagos

Deus castigou os Ingleses?

slide29

Darwin volta para casa

Falmouth, Porto de Cornwall

Darwin retratado pelo amigo Conrad Martens no ano de 1837

Acompanhado por Malthus

slide30

Charles Lyell e Thomas Malthus indiretamente contribuiram para a biologia de tal maneira que, a biologia não seria a mesma sem esta contribuição. Lyell com os seus estudos que o levaram a formar a teoria Uniformitarista, "a superfície da Terra teria sido sempre alterada de forma gradual, tendo por agentes forças naturais conhecidas, tais como a chuva, a neve, a erosão, a deposição, a sedimentação, o vento etc.“. Thomas Malthus por seu lado, com os artigos e livros relacionados com o crescimento das populações, mostrando uma ligação direta entre os habitantes do nosso planeta e os alimentos restantes.

Estas teorias, que à primeira vista em nada se ligam à Biologia, afetaram diretamente a Teoria da Evolução de Charles Darwin. Lyell e Malthus têm lugar de destaque nas bases da teoria dado que a teoria Uniformitarista, que Darwin aceitou como a mais correta, explicava como o ambiente podia ser modificado. Malthus, com os seus ensaios "econômicos" sobre alimentos restantes e animais existentes (população humana), permitiu a Darwin propor a idéia de seleção natural, pois se a população humana crescia de maneira geométrica, e os recursos naturais e alimentares de maneira apenas aritmética, o mesmo se devia ter passado tempo atrás e se passar hoje com todos os recursos naturais. Esse fato devia se dar de tal forma que a mudança ambiental gera mudança de recursos; e na competição por estes recursos apenas os organismos mais adaptados sobrevivem sendo os demais extintos.

slide31

Darwin mora em Londres até publicar em cinco volumes a obra a qual ele achava ser a principal da sua vida.

slide34

ON THE ORIGIN OF SPECIES.

INTRODUÇÃO

Quando eu estava a bordo do H.M.S. 'Beagle,' como naturalista, fiquei muito impressionado com certos fatos na distribuição dos habitantes da América do Sul e com as relações geológicas dos habitantes presentes com os do passado naquele continente. Estes fatos, me parecia, poderiam lançar alguma luz sobre a origem das espécies, aquele mistério dos mistérios, como foi chamado por um de nossos maiores filósofos.

No meu retorno à casa, ocorreu-me que algo poderia ser feito nesta questão acumulando pacientemente e refletindo sobre todos os tipos de fatos que poderiam possivelmente ter relação com ela.