g nesis cap 3 12 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
GÊNESIS CAP. 3 - 12 PowerPoint Presentation
Download Presentation
GÊNESIS CAP. 3 - 12

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 39

GÊNESIS CAP. 3 - 12 - PowerPoint PPT Presentation


  • 209 Views
  • Uploaded on

GÊNESIS CAP. 3 - 12. COMEÇO DO PECADO NO MUNDO. I – O capítulo 3 de Gênesis revela como os humanos tornaram-se pecadores e corromperam a ordem criada mediante a desobediência deliberada . . II - Elementos envolvidos no processo de sedução do homem A serpente Árvore do Conhecimento

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'GÊNESIS CAP. 3 - 12' - julio


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
come o do pecado no mundo
COMEÇO DO PECADO NO MUNDO

I – O capítulo 3 de Gênesis revela como os humanos tornaram-se pecadores e corromperam a ordem criada mediante a desobediência deliberada.

slide3

II -Elementos envolvidos no processo de sedução do homem

  • A serpente
  • Árvore do Conhecimento
  • A mulher e o homem.
slide4

III -A punição

1- Para a serpente (réptil): seria maldita entre todos os animais; andaria sobre o ventre; alimentar-se-ia do pó; seria inimiga da mulher e de sua descendência. A queda imporia uma maldição sobre todos os seres vivos, pois as coisas não continuariam em sua condição ideal.

slide5

2 - Para a mulher: todo o período de gestação seria acompanhado de dores; no momento do parto sofreria dores intensas; o desejo dela seria para o marido e ele a governaria. Esse desejo é de natureza sexual, um “anseio natural pelo casamento”, sem importar as dores que isso lhe traga; assim, a mulher desejará o sexo mas, sofrerá na hora do parto.

slide6

3- Para o homem:

  • proveria seu sustento com fadigas e aflições, pois sua plantação seria invadida por espinhos e abrolhos;
  • ele foi a razão da maldição de toda a Terra (Rm 8:19-21);
slide7

perdeu o direito à vida eterna (na esfera física) e conheceu a morte espiritual (Rm 5:12-17);

  • foi lançado fora do jardim do Éden (Gn 3:23-24).
come o das revela es sobre a reden o da humanidade
COMEÇO DAS REVELAÇÕES SOBRE A REDENÇÃO DA HUMANIDADE

I - Na maldição proferida para a serpente, há a seguinte afirmação: Porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar (Gn 3:14-15).

1) A maldição tem a ver com Satanás — que tinha agido por trás da serpente: ele receberia um golpe esmagador e seu poder seria anulado.

slide9

a) Rastejar sobre o ventre e comer pó.

  • No Antigo Oriente os povos conquistados ficavam prostrados, com o rosto em terra , defronte dos monarcas vitoriosos.
  • Ambas as expressões “rastejar e comer pó”, falam sobre a derrota que o descendente da mulher traria sobre Satanás.
slide10

II – Porque a queda do primeiro homem contaminou toda a humanidade?

1) Rm 3.23

2) Hb 7.9,

3) II Cor 5.14

a entrada do pecado na cria o perfeita
A ENTRADA DO PECADO NA CRIAÇÃO PERFEITA

I – A queda explica como os homens se tornaram pecadores e corromperam a ordem criada mediante a desobediência deliberada

1) Alteração no relacionamento homem x Deus (3.7-8)

2)A unidade do casal se desfaz (3.12)

3) O primeiro homicídio (4:8-24)

slide12

4) Canção da espada de Lameque (4.23ss)

  • Uma vingança sangrenta e exagerada, tornou-se causa de vanglória.

5) O capítulo 4.17-24, não tem como propósito simplesmente apresentar os descendentes de Caim, mas a natureza da vida deles.

slide13

II - O nascimento de sete - Sete substitui a Abel

  • Com a morte de Abel, a civilização ímpia espalhara-se por meio dos descendentes de Caim.
  • Sete restauraria o culto a Jeová. No hebraico, esse nome significa “compensação” ou “broto”.
slide14

3) Características da linhagem de Sete:

  • Devoção para com Deus (à semelhança de Abel ― Gn 4:25);
  • Consagração a Deus (Gn 4:26);
slide15

Comunhão com Deus (Gn 5:22);

  • Testemunho de Deus (Hb 11:5);
  • serviço a Deus (5:29);
  • graça recebida de Deus (6:8)
slide16

III – A corrupção do gênero humano (6:1-12)

1)O transbordamento da ira divina foi o casamento dos filhos de Deus com as filhas dos homens. Deus determinou acabar com toda a descendência de Caim, “os perversos”, e iniciar uma nova civilização partindo de Noé que era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus (Gn 6:9).

slide18

2) O mundo anti-diluviano tornou-se agressivo e sofredor. (6.11-13)

3) Lameque parecer ter visto em Noé uma nova esperança: é registrado o desejo de seu coração em ver a situação mudada

  • Gn 5:29
  • Gn 8.21
  • Gn 9.1-7
slide19

4) Noé e sua família foram os únicos que não se corromperam (Gn 6:8-9).

5) Deus concedeu 120 anos de misericórdia para o arrependimento daquela geração (Gn 6:3), que também foi o tempo para a construção da arca.

slide20

IV – A TÁBUA DAS NAÇÕES – Cap 10

V – A TORRE DE BABEL – Cap 11.1-9

VI – A NARRATIVA DE ABRAÃO

slide22

I – Êxodo é o livro que fala sobre o conhecimento de Deus por meio da experiência pessoal

  • O livro relata o relacionamento entre o Senhor e os israelitas:

a) O encontro de Moisés com Deus na sarça ardente (3.1 – 4.17)

b) À glória do Senhor preenchendo o Tabernáculo. (40.34-38)

slide23

2) Deus se revela não apenas por meio de palavras, mas também por sinais e maravilhas. Deus revela seus atributos mais importantes:

  • Soberania
  • Santidade
  • Seu poder de operar sinais e maravilhas
  • Sua justiça e compaixão
slide24

II – Êxodo continua a história contada em Gênesis, traçando o destino dos filhos de Jacó.

  • O capítulo 12 de Gn introduz a história da família de Abraão, que no final do livro encontra-se no Egito.
  • Êxodo mostra como esta família veio a tornar-se uma grande nação.
slide25

3) Levíticos = desenvolve a legislação que começou a ser dada em Êxodo.

4) Número = da sequência a caminhada que teve seu início em Êxodo.

5) Deuteronômio é um resumo de Êxodo e Números

slide26

II – PROBLEMAS DE ORDEM GEOGRÁFICA E HISTÓRICA

  • Chegada dos jacobitas no Egito.
  • Início da escravidão dos hebreus
  • Período da saída do povo Hebreu do Egito
slide27

1.870 = Chegada dos jacobitas.

1.580 = Expulsão dos hicsos.

1.520 = Início do cativeiro (Totmés I –Ratsepsut).

1.503 = Nascimento de Moisés.

1.440 = a saída.

1.400 = a queda de Jericó.

slide28

III – CHAMADA DE MOISÉS (CAP 3)

  • Moisés encontra Deus em uma sarça ardente. Ao longo de Êxodo, a presença divina será simbolizada muitas vezes pelo fogo e pela nuvem. (13.21-22; 14.24; 24.17)
slide29

2) Ao retirar as sandálias, Moisés reconhece a santidade de Deu; deve-se chegar ao Senhor com cautela. O conceito da santidade divina reaparece várias vezes várias vezes como tema importante em êxodo.

3) Tendo guiado o rebanho de seu sogro através do deserto até Horebe, Moisés mais tarde guiará os israelitas ao mesmo lugar. (3.12; 19.1,2)

4) Moisés resiste ao chamado. (3.11 – 4.17)

slide33

V – Décima praga e a páscoa (cap 11 – 12)

1) Data: 14 de Abide ou Nisã, que corresponde ao mês de abril, seria o dia da Páscoa e o primeiro dia do ano eclesiástico dos judeus. Por sete dias, do 14 a 21, eles não comeriam nada levedado.

slide34

2) Um cordeiro para cada família: Caso uma família fosse pequena deveria juntar-se a uma outra e comer com esta o cordeiro como se fosse uma só família. O cordeiro deveria ser comido assado. Nada podia ser levado para fora de casa e nada podia ser guardado. No caso de sobrar alguma coisa, devia ser queimada. Nenhum osso podia ser quebrado.

slide35

3) Cordeiro sem mácula: De um ano de idade, perfeito fisicamente. Devia ser escolhido no dia 10 do mês e guardado até o dia 14 à tarde, quando seria morto. Não podia ser cozido nem comido cru, mas assado ao fogo. Deviam comê-lo em pé, apressadamente, calçados com alpercatas, vestidos como quem está de viagem.

slide36

4) Pães asmos: Era proibido ter fermento em casa ou comer pão levedado. Esta proibição tomou tal vulto que nos anos subsequentes da história do povo, que, na semana dos pães asmos, era dada busca por todos os cantos da casa, examinandas todas as fendas da parede, para ver se, por descuido, teria ficado qualquer partícula de fermento.

slide37

5) Ervas amargas: O cordeiro ou cabrito, conforme o caso, devia ser comido com ervas amargas. Era o tempero por excelência.

6) O sangue do cordeiro: Morto o animal, fisicamente perfeito, o sangue era aspergido nos umbrais das portas como um sinal de que aquela casa tinha feito expiação pelo pecado, e o anjo da morte passaria adiante.

slide38

VI – Consagração dos primogênitos (cap 13.1,12,13)

VII – Os Dez Mandamentos (cap 20)

VIII – O Tabernáculo (cap 25-40)