esteriliza o em foco edi o s o paulo hospital santa isabel n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ESTERILIZAÇÃO EM FOCO EDIÇÃO SÃO PAULO HOSPITAL SANTA ISABEL PowerPoint Presentation
Download Presentation
ESTERILIZAÇÃO EM FOCO EDIÇÃO SÃO PAULO HOSPITAL SANTA ISABEL

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 22

ESTERILIZAÇÃO EM FOCO EDIÇÃO SÃO PAULO HOSPITAL SANTA ISABEL - PowerPoint PPT Presentation


  • 114 Views
  • Uploaded on

ESTERILIZAÇÃO EM FOCO EDIÇÃO SÃO PAULO HOSPITAL SANTA ISABEL. 2008. ATUALIZAÇÃO DO SURTO DE MICOBACTÉRIA DE CRESCIMENTO RÁPIDO (MCR) Casos no Estado de São Paulo. Enfa. Débora S. Mello Especializanda em Controle de Infecção Hospitalar HCFMUSP SCCIH/IOT/HCFMUSP. Fonte: www.allposters.com.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'ESTERILIZAÇÃO EM FOCO EDIÇÃO SÃO PAULO HOSPITAL SANTA ISABEL' - hyatt-knight


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
atualiza o do surto de micobact ria de crescimento r pido mcr casos no estado de s o paulo

ATUALIZAÇÃO DO SURTO DE MICOBACTÉRIA DE CRESCIMENTO RÁPIDO (MCR)Casos no Estado de São Paulo

Enfa. Débora S. Mello

Especializanda em Controle de Infecção Hospitalar HCFMUSP

SCCIH/IOT/HCFMUSP

caracter sticas microbiol gicas

Fonte: www.allposters.com

Fonte: Aula Dr. Jorge Luiz Melo Sampaio. IAL

CARACTERÍSTICAS MICROBIOLÓGICAS

Gênero Mycobacterium: conhecidas desde o século XIX.

  • Bacilos aeróbicos, imóveis, não esporulados, não encapsulados.
  • Parede celular: alto teor de lipídeos.
  • Atípicas
  • Micobactérias não-tuberculosas (MNT)
  • Crescimento rápido
    • M. abscessus
    • M. chelonae
    • M. massiliense
    • M. fortuitum

Solo

Água

Ambiente hospitalar

Kanai, KY. Detecção e identificação de micobactérias em corpos de água destinados à captação para abastecimento urbano da cidade de São Carlos-SP. [Dissertação]. Universidade Federal de São Carlo; 2006.

biofilme

Fonte: ANVISA/Sobracil-RJ; 2008

Fonte: UNB

BIOFILME
  • Complexo
  • Estrutura heterogêna
  • Excreção de matriz polimérica adesiva
slide5

TRANSMISSÃO

Videocirurgias (laparoscopias, artroscopias);

Videoescopias como endoscopias do aparelho digestivo e genitourinário;

Broncoscopias ou outros procedimentos que utilizem cânulas e fibras óticas;

Implantes de próteses ou órteses, oftalmológicos, ortopédicos ou cardíacos;

Procedimentos estéticos invasivos, lipoaspiração, cirurgia plástica

Infecções causadas por MCR:epidemiologia, diagnóstico, diretrizes de tratamento e medidas de controle. CCD/COVISA/SP; 2008.

sinais e sintomas cl nicos
SINAIS E SINTOMAS CLÍNICOS
  • Febre
  • Hiperemia
  • Calor local
  • Edema
  • Vesículas
  • Nódulos
  • Fístulas
  • Exsudato
  • Difícil cicatrização

Fonte: ANVISA/Sobracil-RJ; 2008.

Micobacterioses: Recomendações para o Diagnóstico e Tratamento. SES-SP/CCD/CVE/Adolfo Lutz; 2005.

defini o de caso
DEFINIÇÃO DE CASO

Caso suspeito

Caso confirmado

Procedimentos invasivos, e

Sinais referidos como clínica compatível, e

Não apresenta resposta aos antimicrobianos habituais, e

Aguarda resultado laboratorial para MCR.

  • Procedimentos invasivos, e
  • Sinais referidos como clínica compatível (2 ou mais sintomas), e
  • Cultura positiva para MCR; ou
  • Apresenta granuloma, com ou sem necrose caseosa, no estudo anátomo-patológico de peça ressecada.
  • É aquele que apresenta vínculo epidemiológico com casos confirmados de MCR.

Fonte: ANVISA

estado de s o paulo 2004 2005
Estado de São Paulo (2004-2005)

1o surto: 14 casos confirmados por cultura (prótese mamária);

2o surto: 17 casos (redução de gordura localizada);

2006 e 2007: ausência de casos notificados.

Campinas

Investigações:

  • CVE/CCD/SES-SP
  • Vigilâncias Regionais e Municipais
  • Instituto Adolfo Lutz
  • Centro de Vigilância Sanitária

Manual de Prevenção e Controle de Infecções Associadas a Procedimentos Estéticos. DIH/ CVE/ CCD/SES-SP. 2008

informe t cnico anvisa 08 08 2008
INFORME TÉCNICO (ANVISA) – 08/08/2008
  • Doença emergente;
  • Principal hipótese: FALHAS NO REPROCESSAMENTO;
  • M. massiliense: indícios de resistência ao glutaraldeído 2%.
slide16

Hipóteses das causas das infecções

  • Falhas nos processos de limpeza, desinfecção e esterilização dos equipamentos;
  • Contaminação ou resistência aos saneantes;
  • Contaminação de medicamentos;
  • Contaminação da água;
  • “Falhas na técnica cirúrgica”.

Infecções causadas por MCR:epidemiologia, diagnóstico, diretrizes de tratamento e medidas de controle. CCD/COVISA/SP; 2008.

recomenda es da anvisa
RECOMENDAÇÕES DA ANVISA
  • Esterilização de todo artigo crítico;
  • Definição dos artigos médicos que não podem ser reprocessados, RDC nº 156, RE nº 2.605 e RE nº 2.606, de 11 de agosto de 2006;
  • Medida cautelar: Esterilização de artigos críticos com outros métodos disponíveis em substitutição ao glutaraldeído;
  • Obrigatoriedade de notificação pelos serviços de saúde de todo o país;
  • M.abscessus e M.massiliense serão incluídas na Portaria 15/88 do Ministério da Saúde que estabeleceu as normas para o registro de produtos esterilizantes;
  • Investigação da eficácia do glutaraldeído em relação a M.massiliense (Fundação Ezequiel Dias –Funed- Laboratório de Saúde Pública de Minas Gerais).
rdc n o 75 de 23 de outubro de 2008
RDC No 75, DE 23 DE OUTUBRO DE 2008
  • Art. 1o O registro de produtos enquadrados nas categorias Esterilizantes e Desinfetantes Hospitalares para artigos semi-críticos fica condicionado à prestação de laudos de eficácia antimicrobiana frente às micobactérias Mycobacterium abscessus e Mycobacterium massiliense (…);
  • Os laudos devem seguir a metodologia estabelecida pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde- INCQS, da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ;
  • As empresas fabricantes ou importadoras já registradas devem comprovar eficácia em até 360 dias.

Fonte: ANVISA

slide20

DADOS ATUAIS NO ESTADO DE SÃO PAULO

  • Em 2008 – 23 casos em investigação
  • Infecção pós implante de próteses mamárias
    • Campinas: 10 casos
    • Indaiatuba: 2 casos
    • Santos: 1 caso
  • Infecção pós cirurgia endoscópica
    • Assis: 10 casos (9 colecistectomias e 1 artroscopia)
  • Falhas importantes no reprocessamento de instrumentais cirúrgicos

Fonte: Divisão de Infecção Hospitalar/CVE/CCD/SES-SP

notifica o
NOTIFICAÇÃO
  • Secretarias Municipais de Saúde (estado de São Paulo)
  • Município de São Paulo:

Núcleo Municipal de Controle de Infecção Hospitalar da COVISA

Enfa. Vera. Tel: 3350-6673

  • Central de Vigilância/CVE/CCD/SES-SP (24 horas)

Telefone: 0800-555466

INFORMAÇÕES:

  • Divisão de Infecção Hospitalar/CVE/CCD/SES-SP

Telefones: (11) 3066-8759 / 3066-8261

  • www.cve.saude.sp.gov.br
  • www.anvisa.gov.br
slide22
deborasm2008@gmail.com

ccih.iot@hcnet.usp.br

SCCIH/IOT/HCFMUS

Obrigada!