CADERNO DE EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM
Download
1 / 71

- PowerPoint PPT Presentation


  • 134 Views
  • Uploaded on

CADERNO DE EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM VERSÃO PRELIMINAR. Conhecimentos básicos que espera-se que o aluno domine ao final de cada série. Definidas a partir os conteúdos básicos das Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual de Ensino. .

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '' - ghalib


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Expectativas de aprendizagem l.jpg

Conhecimentos básicos que espera-se que o aluno domine ao final de cada série.

Definidas a partir os conteúdos básicos das Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual de Ensino.

Expectativas de aprendizagem


Mais um subs dio para o trabalho docente e para o planejamento e acompanhamento das a es da escola l.jpg

Mais um subsídio para o trabalho docente e para o planejamento e acompanhamento das ações da escola.

Expectativas de aprendizagem


Importante destacar l.jpg

a) Não substituem a Proposta Pedagógica Curricular e o Plano de Trabalho Docente.

b) Não é mais um elemento do Plano de Trabalho Docente.

c) Servem como mais um subsídio para o planejamento do professor, apontando o que é fundamental o aluno saber dentro de cada conteúdo básico.

Importante destacar:


Slide5 l.jpg

d) Partem dos conteúdos básicos que estão nas Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual (Parecer CEE/CEB nº 130/10).

e) Por estarem relacionadas aos conteúdos básicos, são mais amplas e, por este motivo, não devem ser entendidas como sinônimo de critério de avaliação, uma vez que este deve ser elaborado pelo professor no Plano de Trabalho Docente, de acordo com o conteúdo específico e com o recorte do conteúdo estabelecido pelo professor.

Importante destacar:


Slide6 l.jpg

O ENSINO DE FÍSICA E AS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual

Profª. Dilza da Silva Almeida

Núcleo Regional de Educação

Londrina-PR


Slide7 l.jpg

AS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE FÍSICA PODEM Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual


Slide8 l.jpg


Slide9 l.jpg


Slide10 l.jpg

“O QUE SE CONSIDERA INDISPENSÁVEL QUE TODOS OS ALUNOS APRENDAM AO LONGO DE SUA ESCOLARIZAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO?”


Slide11 l.jpg

A nova proposta de Diretrizes Nacionais Curriculares para o Ensino Médio (DCNEM 2011) é enfática na necessidade urgente da definição de “expectativas mínimas de aprendizagem”, em nível nacional.


Slide12 l.jpg

Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio Ensino Médio (DCNEM 2011) é enfática na necessidade urgente da definição de “expectativas mínimas de aprendizagem”, em nível nacional.

“Nesse caminho, o ENEM vem ampliando o espectro de atendimento apresentando um crescimento que veio de 156.000 inscritos, em 1998, e alcançou 4,6 milhões, em 2009. À medida que se garantir participação de amostragem expressiva do sistema, incluindo diferentes segmentos escolares, se estará aproximando de uma percepção mais fiel do sistema, na perspectiva do direito dos estudantes. Nesse sentido, deve manter-se alinhado com estas Diretrizes e com as expectativas de aprendizagem a serem elaboradas”. (p.35)


Slide13 l.jpg

Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio Ensino Médio (DCNEM 2011) é enfática na necessidade urgente da definição de “expectativas mínimas de aprendizagem”, em nível nacional.

Dos sistemas de ensino

Art.17

VI – instituir sistemas de avaliação e utilizar os sistemas de avaliação operados pelo Ministério da Educação, a fim de acompanhar resultados, tendo como referência as expectativas de aprendizagem dos conhecimentos e saberes a serem alcançados, a legislação e as normas, estas Diretrizes, e os projetos político-pedagógicos das unidades escolares (p.63).


Slide14 l.jpg

Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio Ensino Médio (DCNEM 2011) é enfática na necessidade urgente da definição de “expectativas mínimas de aprendizagem”, em nível nacional.

Dos sistemas de ensino

Art.20 – “Visando a alcançar unidade nacional, respeitadas as diversidades, o Ministério da Educação, em articulação e colaboração com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, deve elaborar e encaminhar ao Conselho Nacional de Educação, precedida de consulta pública nacional, proposta de expectativas de aprendizagem dos conhecimentos escolares e saberes que devem ser atingidos pelos estudantes em diferentes tempos de organização do curso de Ensino Médio”.


Slide15 l.jpg

ESCOLA ESTADUAL ITINERANTE HERDEIROS DA LUTA Ensino Médio (DCNEM 2011) é enfática na necessidade urgente da definição de “expectativas mínimas de aprendizagem”, em nível nacional.


Slide16 l.jpg

ESCOLA ESTADUAL ITINERANTE HERDEIROS DA LUTA Ensino Médio (DCNEM 2011) é enfática na necessidade urgente da definição de “expectativas mínimas de aprendizagem”, em nível nacional.




Slide20 l.jpg

Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio FRANCIOSI

Dos sistemas de ensino

Art. 21- “O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) deve, progressivamente, compor o Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB)”.

Art. 22- “ Estas Diretrizes devem nortear a elaboração da proposta de expectativas de aprendizagem, a formação de professores, os investimentos materiais didáticos e os sistemas e exames nacionais de avaliação”.


Slide21 l.jpg

QUAIS SÃO AS EXPECTATIVAS MÍNIMAS DE APRENDIZAGEM NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?


Slide22 l.jpg

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE FÍSICA NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

As Expectativas de Aprendizagem da disciplina de Física leva em conta o quadro teórico presente na Física Clássica, os quais são propostos pelas “Diretrizes Orientadoras da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino – Física, através dos conteúdos estruturantes: Movimento, Termodinâmica e Eletromagnetismo.


Slide23 l.jpg

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE FÍSICA NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?


Slide24 l.jpg

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE FÍSICA NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

O ensino de Física com enfoque matemático deve ser evitado, pois está em desacordo com o que é proposto pela DCE/Física e também não contribui para a formação da identidade dessa disciplina.


Slide25 l.jpg

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE FÍSICA NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

OBRIGADA PELA

ATENÇÃO!

dilza@seed.pr.gov.br


Geografia l.jpg
GEOGRAFIA NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?


Conte do estruturante l.jpg
Conteúdo Estruturante NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

  • Dimensão Socioambiental do Espaço geográfico.


Conte do b sico l.jpg
Conteúdo Básico NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

  • A formação, localização,exploração e utilização dos recursos naturais.


Conte do espec fico l.jpg
Conteúdo Específico NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

  • A preservação da mata ciliar na Bacia Hidrográfica do rio Iguaçu.


Justificativa l.jpg
Justificativa NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

  • A importância em preservar e reconstituir a mata ciliar evitando os problemas relacionados ao assoreamento dos rios da bacia hidrográfica do rio Iguaçu.


Encaminhamentos metodol gicos l.jpg
Encaminhamentos Metodológicos NECESSÁRIAS AO FINAL DO ENSINO MÉDIO NA DISCIPLINA DE FÍSICA?

  • Construção de um simulador que represente o vale de um rio, no qual de um lado apresente cobertura vegetal (Mata Ciliar) e o outro lado da margem desprovido de vegetação. Com o auxílio de um regador simular a chuva, assim, o aluno terá a possibilidade de observar os efeitos da chuva sobre o solo.


Slide32 l.jpg


Expectativas de aprendizagem33 l.jpg
Expectativas de Aprendizagem contribuindo para o processo de assoreamento do rio.

  • Entenda o processo de transformação de recursos naturais em fontes de energia.

  • Compreenda os problemas socioambientais relacionados ao aproveitamento e à escassez dos recursos naturais.


O ensino religioso na escola p blica l.jpg
O ENSINO RELIGIOSO contribuindo para o processo de assoreamento do rio.NA ESCOLA PÚBLICA


Hist rico l.jpg
Histórico contribuindo para o processo de assoreamento do rio.


Slide36 l.jpg


O que nos diz a lei 9475 97 altera o do art 33 da ldb n 9394 96 l.jpg
O que nos diz a Lei ? (9475/97) contribuindo para o processo de assoreamento do rio.(Alteração do art. 33 da LDB nº 9394/96)

  • O Ensino Religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo.


Proselitismo l.jpg
Proselitismo: contribuindo para o processo de assoreamento do rio.

  • Atitudes que visam converter uma ou várias pessoas a uma determinada religião

  • Propaganda religiosa

  • Atitude de enaltecer uma religião e criticar outra.

  • (SEED, 2010 Orientações Pedagógicas para os Anos Iniciais


Delibera o 01 06 cee l.jpg
Deliberação 01/06 – CEE contribuindo para o processo de assoreamento do rio.

  • ART. 4º

  • § 1º – O aluno, ou seu responsável, deverá manifestar sua opção em participar das aulas de ensino religioso.

  • § 2º – O aluno, uma vez inscrito, so poderá se desligar por manifestação formal, sua ou do responsável.


Slide41 l.jpg

  • ART. 5º – contribuindo para o processo de assoreamento do rio. “O estabelecimento deverá providenciar atividades pedagógicas adequadas, sob a orientação de professores habilitados, aos alunos que não optarem pela participação às aulas de ensino religioso.”

  • Como proceder???


Instru o 13 06 seed l.jpg
Instrução 13/06 SEED contribuindo para o processo de assoreamento do rio.

“A disciplina de Ensino Religioso não constituirá objeto de reprovação e não terá registro de nota ou conceito nos documentos escolares.”

Como avaliar???


Slide43 l.jpg


Postura do professor l.jpg
POSTURA DO PROFESSOR disciplina não exime o professor de implementar práticas avaliativas que permitam acompanhar o processo de apropriação do conhecimento pelo aluno, tendo como objeto de estudo o Sagrado.”


Slide45 l.jpg

  • Objeto de FÉ X Objeto de ESTUDO disciplina não exime o professor de implementar práticas avaliativas que permitam acompanhar o processo de apropriação do conhecimento pelo aluno, tendo como objeto de estudo o Sagrado.”

  • Linguagem científica e não religiosa

  • “Despir-se” da sua cultura para entrar em outra

  • “Nestas Diretrizes, repudia-se quaisquer juízos de valor sobre esta ou aquela prática religiosa.” (P.66)


Cuidado l.jpg
Cuidado!!! disciplina não exime o professor de implementar práticas avaliativas que permitam acompanhar o processo de apropriação do conhecimento pelo aluno, tendo como objeto de estudo o Sagrado.”

  • Não levar os alunos a vivenciarem práticas de fé, ou estimulá-los para que tenham qualquer crença religiosa, pois a disciplina é ofertada para aqueles que possuemou não uma religião.


Slide47 l.jpg


Diretrizes curriculares estaduais 2008 l.jpg
Diretrizes Curriculares Estaduais impõe um modo adequado de agir e pensar, de forma heterônoma e excludente, ela impede o exercício da autonomia e da criação de novos valores.” (DCE p.46)2008



Slide50 l.jpg


Expectativas de aprendizagem51 l.jpg
EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM RELIGIOSO?

  • São conhecimentos básicos que espera-se que o aluno domine ao final de cada ano.

  • Auxiliam o professor de Ciências e pedagogo a perceber a integração conceitual, a inter-relação e a interdisciplinaridade para a compreensão dos conteúdos da disciplina.


Importante que no plano de trabalho docente as expectativas permitam observar l.jpg
É importante que no plano de trabalho docente as expectativas permitam observar:

  • O objeto de estudo da disciplina;

  • Os conteúdos básicos a cada ano;

  • A concepção teórica;

  • O trabalho com os cinco conteúdos estruturantes em todos os anos;

  • As relações conceituais, interdisciplinares e contextuais;

  • Valorizar os conhecimentos científicos das Ciências;


Slide53 l.jpg


Slide54 l.jpg

  • Conheça a história da ciência, a respeito das teorias geocêntrica e heliocêntrica;

  • Compreenda os movimentos de rotação e translação dos planetas constituintes do sistema solar.


  • Slide55 l.jpg

    • Referência expectativas permitam observar:

    • PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação Básica. Curitiba:SEED/DEB – PR, 2008.


    Visando uma melhor organiza o pedag gica a seed prop e para o ano de 2012 l.jpg

    Visando uma melhor organização pedagógica a SEED propõe para o ano de 2012.

    HORA ATIVIDADE CONCENTRADA


    Objetivos hora atividade concentrada por disciplina l.jpg

    Possibilitar aos professores das disciplinas de áreas afins, um momento semanal de discussão sobre os encaminhamentos teórico-metodológicos que embasam a prática pedagógica;

    Possibilitar aos pedagogos maior integração e organização pedagógica junto aos professores;

    Objetivos Hora atividade concentrada por disciplina


    Objetivos hora atividade concentrada por disciplina58 l.jpg

    Possibilitar a análise discussão e implementação do PPP observando as Diretrizes Curriculares Estaduais Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual.

    Oferecer formação continuada em horário de trabalho, sem prejuízo pedagógico aos alunos.

    Objetivos Hora atividade concentrada por disciplina


    Slide59 l.jpg

    Atividades 2011 observando as Diretrizes Curriculares Estaduais Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual.

    Equipe de Ensino

    Núcleo Regional de Educação de Londrina


    Programa acelera l.jpg

    Alunos da Rede Municipal de Educação, com distorção idade-série que participaram do Programa em 2010;

    170 alunos – 5ª séries;

    67 alunos – 6ª séries.

    Reuniões Salão Nobre Nre – pedagogos e direção (47 escolas).

    Acompanhamento pedagógico às escolas da Rede Estadual que receberam alunos advindos do Programa (Reunião com professores e pedagogos – in locu).

    Programa Acelera


    Oficinas disciplinares da educa o b sica l.jpg

    8 horas de formação destinada aos professores da Rede Estadual, dividido em duas etapas (1º e 2º semestre 2011);

    Participação de 1500 professores.

    Oficinas Disciplinares da Educação Básica


    Slide62 l.jpg

    Reunião de 8 horas com pedagogos iniciantes (60 participantes) na Rede Estadual de Educação: Organização do Trabalho Pedagógico

    Reunião Pedagogos


    Ensino m dio organizado por blocos de disciplinas semestrais l.jpg

    Reunião com todos os professores e pedagogos atuantes nessa oferta (23 escolas);

    Pauta:

    Calendário/Organização do tempo escolar;

    Avaliação/Conselho de Classe;

    Livro Registro de Classe;

    Legislação e procedimentos para transferências;

    Plano de trabalho docente;

    Ensino Médio Organizado por Blocos de Disciplinas Semestrais


    Acompanhamento distor o idade s rie l.jpg

    Junho - Levantamento dos alunos que encontram-se em distorção idade-série de todas as escolas/colégios – AMPARE;

    Outubro – Realização de Reunião para propor encaminhamentos 2011/2012 com as escolas que apresentam índices elevados de distorção idade-série (municípios e Londrina);

    Acompanhamento Distorção Idade-Série


    Adequa o projeto pol tico pedag gico l.jpg

    Reunião com os pedagogos de todas as escolas do NRE de Londrina;

    Pauta: adequação dos documentos escolares (PPP e Regimento Escolar) para implantação simultânea do Ensino Fundamental de 9 anos em 2012.

    Participantes: 140 pedagogos.

    Adequação Projeto Político- Pedagógico


    Slide66 l.jpg

    Sala de Apoio a Aprendizagem (2º semestre); Londrina;

    Análise dos descritores a partir dos resultados da Prova Brasil;

    Participantes: 1 40 pedagogos.

    Reunião Índices Desenvolvimento da Educação Básica


    Programa pde interativo l.jpg

    Reunião e acompanhamento das escolas participantes do PDE Interativo 2011 (11 estabelecimentos de ensino municipais e estaduais);

    Acompanhamento do monitoramento das escolas PDE Escola 2010 (60 escolas municipais e estaduais).

    Programa PDE Interativo


    Acompanhamento pedag gico l.jpg

    Acompanhamento pedagógico junto às escolas e/ou com o setor de Estrutura e Funcionamento e Documentação Escolar in locu, para orientação, autorização, renovação, credenciamento ou reconhecimento para funcionamento dos estabelecimentos de ensino, totalizando 305 visitas técnicas.

    Acompanhamento pedagógico


    Semana pedag gica l.jpg

    Garante a formação e participação de todos os segmentos da escola, com direito a certificação;

    Acompanhar e organizar os trabalhos desenvolvidos na Semana Pedagógica.

    Semana Pedagógica


    Planejamento 2012 forma o continuada l.jpg

    Para todos os profissionais da educação de 16 horas, em duas etapas 1º e 2º semestre – prevista em calendário;

    Para todos os pedagogos supridos na rede estadual em março de 2012, de 8 horas (SEED);

    Para professores de todas as disciplinas (Hora Atividade Concentrada – vagas limitadas);

    Planejamento 2012 – Formação Continuada


    Planejamento 2012 forma o continuada71 l.jpg

    Para todos os pedagogos iniciantes na Rede Estadual de Educação, com duração de 16 horas;

    Para profissionais atuantes nos Programas de Atividade de Complementação Curricular em Contraturno;

    Planejamento 2012 – Formação Continuada