antiguidade n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ANTIGUIDADE PowerPoint Presentation
Download Presentation
ANTIGUIDADE

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 19

ANTIGUIDADE - PowerPoint PPT Presentation


  • 162 Views
  • Uploaded on

ANTIGUIDADE. Na Antiguidade, o Comércio Internacional pouco existia.Uma das civilizações mais antigas que se conhece é a egípcia. No Egito, o comércio exterior era inexpressivo e as importações e exportações se limitavam apenas a artigos de luxo. ANTIGUIDADE.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'ANTIGUIDADE' - fagan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
antiguidade

ANTIGUIDADE

Na Antiguidade, o Comércio Internacional pouco existia.Uma das civilizações mais antigas que se conhece é a egípcia.

No Egito, o comércio exterior era inexpressivo e as importações e exportações se limitavam apenas a artigos de luxo.

antiguidade1
ANTIGUIDADE
  • Em épocas posteriores surgiu a civilização mesopotâmica. Foi constatado que o comércio da Mesopotâmia era mais intenso do que o Egito. Chegaram a estabelecer postos comerciais fora do país.
  • Já os fenícios foram grandes navegadores, o que permitiu que se tornassem também grandes comerciantes. Instalaram postos de vendas em diversos pontos da Europa.
antiguidade2
ANTIGUIDADE
  • A Grécia Antiga não tinha produção suficiente de alimentos. Isso fez com que ela comprasse esses produtos do exterior e pagasse com azeite e vinho.
  • O Império Romano desenvolveu bastante o Comércio Exterior, mesmo porque Roma dominava o mundo. Negociaram até com países distantes, como China e Índia.
era dos descobrimentos
ERA DOS DESCOBRIMENTOS
  • O Comércio Exterior cresceu como consequência natural da expansão geográfica do mundo.Assim, o caminho para o Oriente passou a ser feito por navios em vez de caravanas .
  • A Europa ficou conhecendo e consumindo produtos até então desconhecidos, como tabaco, milho, batata e tomate.O comércio ficava muito lucrativo.
era dos descobrimentos1
ERA DOS DESCOBRIMENTOS
  • Com uma viagem bem-sucedida, o comerciante ficava milionário; por isso, eles começaram a ganhar um status social mais importante.
  • Nas novas colônias a mão-de-obra era escassa. Houve necessidades de escravizar o negro para suprir essa falta.
  • Ao contrário da Idade Média, os governos centrais tornara-se mais fortes. Aumentou a necessidade de dinheiro, o que fez surgir o mercantilismo
idade m dia feudalismo
IDADE MÉDIA ( FEUDALISMO
  • Na idade Média, a Europa viveu sob o regime feudal.Politicamente significava enfraquecimento do poder central, isto é do rei, e o fortalecimento do poder dos nobres ( duque, conde, etc ).
  • Economicamente, estabelecia uma dependência muito grande entre o nobre ( suserano ) e o povo ( vassalo ).
idade m dia feudalismo1
IDADE MÉDIA ( FEUDALISMO
  • Toda economia era corporativista, isto é, havia as corporações que representavam as classes de trabalhadores. Elas eram muito fechadas e de grande influência.
  • Nessa época, ocorreram as Cruzadas. Elas estimularam o comércio com o Oriente, introduzindo na Europa bens novos e exóticos. Os europeus tornaram-se grandes mercadores.
idade m dia feudalismo2
IDADE MÉDIA ( FEUDALISMO
  • Nesse período, surgiram as primeiras grandes feiras internacionais, reunindo comerciantes de diversos países europeus.
  • Isso obrigou o aparecimento dos trocadores de moedas que, com o tempo, se transformaram nos primeiros banqueiros.
  • A produção era toda artesanal.
mercantilismo
MERCANTILISMO
  • O período mercantilista vai de 1500 a 1750. A Europa já vivia o fim do Feudalismo e da Idade Média.
  • O regime corporativista perdia força e o comerciante individual estava em ascensão.
  • Cerca de 80 a 90% da população européia trabalhavam na agricultura.
  • Os artesãos, ( isto é, alfaiates, carpinteiros, ferreiros) eram os industriais da época; portanto, uma produção de natureza doméstica.
mercantilismo1
MERCANTILISMO
  • Os mercantilistas achavam que a riqueza das nações consistia no estoque de metais preciosos em poder do governo em vez de o povo ter abundância de bens para o consumo. Identificavam a moeda com riqueza.
  • Para Adam Smith, o mercantilismo priorizava o poder e o enriquecimento do Estado sobre o bem-estar do indivíduo.
mercantilismo2
MERCANTILISMO
  • A exportação precisava ser maior do que a importação, para a nação ter benefícios com o comércio exterior.
  • Assim, estimulavam as exportações e desestimulavam as importações, até mesmo quando isso proporcionava prejuízos para o povo.
  • O Estado precisava ser forte, com controle político e econômico.
  • Os países europeus ( Metrópoles ) precisavam ter colônias, porque estas sustentavam as Metrópoles.
mercantilismo3
MERCANTILISMO
  • Por isso, o Brasil foi vítima das invasões holandesas, francesas e inglesas.Precisavam de exército e marinha poderosos para garantir o comércio e proteger as colônias.
  • Foi também a época dos grandes piratas, muitas vezes prestigiados por governos europeus.
  • Os gastos militares tornaram-se muito elevados, o que levou as Metrópoles a criarem o monopólio do comércio com as colônias.
mercantilismo4
MERCANTILISMO
  • O Brasil, por exemplo, só teve seus portos abertos às nações amigas quando D.João VI e sua corte vieram para o Brasil.
  • Os monopólios, eliminando a concorrência, castigavam os consumidores porque os preços poderiam ficar abusivos.
  • Os primeiros navios que entraram no porto do Rio vinham carregados das mais esquisitas mercadorias, tais como pesados cobertores de lã para calefação, patins para gelo etc.
mercantilismo5
MERCANTILISMO
  • O crescimento econômico gerou o aparecimento dos primeiros grandes bancos.
  • Roberto Campos, em artigo publicado em O Estado de S.Paulo, de 20-09-92, assim define o Mercantilismo:

“Uma forma de organização econômica em que o Governo decidia mais ou menos tudo: quem podia produzir, comerciar, exportar ou importar o que , tendo em vista exclusivamente o aumento máximo da riqueza e do poder do Estado.”

liberalismo
LIBERALISMO
  • No fim do século XVIII, a Europa passou por transformações muito grandes.Foi o que se chamou de I Revolução Industrial .
  • As indústrias passaram a trabalhar com máquinas que, para a época, eram muito eficientes.
  • O crescimento da produção industrial estimulou as migrações dos camponeses para as cidades.
  • Esse fato ficou mais agravado porque a agricultura também teve um progresso técnico, o que tornou necessário menos trabalhadores rurais.
liberalismo1
LIBERALISMO
  • Os empresários passaram a ter mais força política.
  • Essa nova conjuntura econômica ficou conhecida como liberalismo, cujos traços marcantes foram:
    • mercado livre;
    • iniciativa individual; e
    • desregulamentação; o que não havia no mercantilismo.
liberalismo2
LIBERALISMO
  • Portanto, era um regime totalmente contra a intervenção do Estado na Economia.
  • Este deveria preocupar-se somente com :

- Preservação da justiça;

- Defesa nacional; e

- Realização de empreendimentos para os quais haveria desinteresse da iniciativa particular.

liberalismo3
LIBERALISMO
  • O objetivo primordial do agente econômico ( comerciante, industrial ou agricultor ) era o lucro .
  • O liberalismo teve sua força em Adam Smith, considerado o fundador da moderna economia.
  • Suas idéias foram publicadas no livro ( Riquezas das nações ) .
liberalismo4
LIBERALISMO
  • Para ele o homem., movido pelo desejo de lucro, passava a produzir mais, o que também trazia benefícios para a comunidade.
  • Dizia Adam Smith : “Ao procurar o seu próprio interesse, o indivíduo promove o interesse da sociedade mais do que se realmente procurasse promovê-lo.”