i ntrodu o psicologia cognitiva n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
I ntrodução à Psicologia Cognitiva PowerPoint Presentation
Download Presentation
I ntrodução à Psicologia Cognitiva

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 35

I ntrodução à Psicologia Cognitiva - PowerPoint PPT Presentation


  • 454 Views
  • Uploaded on

I ntrodução à Psicologia Cognitiva. Prof. Gustavo Gauer Psicologia Experimental III – 2006/2 Universidade Federal de Minas Gerais. Filosofia da mente. Corpo e mente são matérias separadas? Como corpo e mente se relacionam?

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'I ntrodução à Psicologia Cognitiva' - elliot


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
i ntrodu o psicologia cognitiva

Introdução à Psicologia Cognitiva

Prof. Gustavo Gauer

Psicologia Experimental III – 2006/2

Universidade Federal de Minas Gerais

filosofia da mente
Filosofia da mente
  • Corpo e mente são matérias separadas?
  • Como corpo e mente se relacionam?
  • A mente é uma coisa única ou é repartida, composta de elementos distintos?
filosofia da mente1
Mente

Alma

Espírito

Consciência

Psique etc.

Res cogitans (matéria pensante)

Processos psicológicos

Corpo

Sistema nervoso

Bases neurais

Correlatos anatomo-fisiológicos etc.

Res extensa (matéria concreta)

Correlatos anatomo-fisiológicos

Filosofia da mente

René Descartes (1596-1650)

Psicologia Cognitiva (Séc. XX)

mente x corpo em descartes
Mente x corpo em Descartes
  • Cogito: “penso, logo existo” é a única certeza
  • Qual a relação entre Mente e Corpo?
    • Natureza mecânica do corpo (matéria extensa)
    • Natureza metafísica da mente (matéria pensante)
    • Resultado: Dualismo
mente nica ou dividida
Mente única ou dividida?
  • Se existe mente, ela é uma “coisa” única ou se divide em diversas partes?

Platão e Aristóteles

Psicologia das Faculdades (séc. XVIII)

Sistemas cognitivos especializados

Neuropsicologia

Psicologia Cognitiva

Descartes

M. Malpighi (séc. XVII)

J. Flourens (séc. XVIII)

Teoria da Ação em Massa: cérebro uniforme, sem partes especializadas (K. Lashley)

Respostas Históricas

Respostas Contemporâneas

plat o alma tripartida
Platão – Alma Tripartida
  • Razão (+ sentidos)
    • Dirige e ordena
  • Vontade (+ emoções elevadas)
    • Executa e freia os apetites
  • Apetites (emoções inferiores, faculdade sensual)
arist teles psyche em tr s n veis
Aristóteles – Psyche em três níveis
  • Alma vegetativa
    • Alimentação e reprodução
  • Alma sensitiva
    • Percepção e movimento
  • Alma racional
    • Pensamento
psicologia das faculdades
Psicologia das faculdades
  • Filosofia racionalista européia no século XVIII
    • Ch. Wolff
      • “potências para ação” – conhecer, lembrar, querer, sentir
      • divisão básica em cognição (percepção, memória, entendimento e razão) e sentimento/desejo
    • Th. Reid: 43 faculdades (linguagem, cor, cautela, idealismo, esperança...)
    • J. Tetens: faculdades cognitivas, afetivas e conativas
    • I. Kant: conhecimento, sentimento e desejo
faculdades e frenologia
Faculdades e Frenologia
  • Quais os problemas com essas teorias?
  • A psicologia das faculdades é “circular”
    • “eu tenho memória porque eu tenho a capacidade de ter memória”
  • A frenologia era “intuitiva”
    • “se as pessoas inteligentes têm a testa grande, então a inteligência está na testa”
unidade versus divis o da vida mental nos dias de hoje
Unidade versus divisão da vida mental nos dias de hoje
  • A ação dos humanos como sujeitos que conhecem o mundo é unificada: não dá pra “ligar e desligar” a memória, a percepção, etc.
  • Há doenças, lesões e substâncias que prejudicam apenas algumas das capacidades cognitivas, e não outras
  • Há tarefas cognitivas que acionam alguns processos, e não outros
  • Estudos de neuroimagem conseguem registrar que áreas do córtex “acendem” quando determinada tarefa cognitiva é executada
psicologia cognitiva fundamentos
Psicologia cognitiva: Fundamentos
  • Biologia evolutiva
    • Adaptação
    • Estrutura / função
    • Correlatos anatomo-fisiológicos
  • Processamento de informação
    • Símbolos
    • Processos
    • Input / output
  • Contraste com o behaviorismo
    • Entre o estímulo e a resposta, infere-se que haja processos passíveis de serem investigados e explicados
psicologia cognitiva
Psicologia cognitiva
  • Princípios biológicos
    • Seleção natural: evolução e adaptação
    • Resposta ao ambiente
    • Bases fisiológicas
  • Estruturas e funções mudam ao longo da história da espécie
  • Processos psicológicos cumprem funções adaptativas: Habilidades e capacidades para conhecer e lidar com o mundo que nos cerca
comportamentalismo
Comportamentalismo

comportamento

Estímulo

Resposta

Organismo

“Mente”

“Psique”

“Consciência”

“Caixa-preta”

Não é acessível empiricamente

psicologia cognitiva1
Psicologia Cognitiva

Estímulo

“input”

“ambiente”

Resposta

“output”

“habilidade”

Organismo

“Mente”

“Psique”

“Consciência”

Cognição

Existem processos subjacentes à aquisição do conhecimento,

e eles podem ser estudados

cogni o e conhecimento
Cognição e conhecimento
  • Cognição = capacidade de conhecer o mundo
    • Do latim cognitio, cognoscere: conhecer; tornar-se familiar com algo
    • “Mundo” inclui toda a realidade: física, biológica, psicológica, social, cultural...
  • Conhecer o mundo = perceber, lembrar, pensar, decidir, comunicar, gostar (e desgostar), querer...
  • Sofisticação variável: das plantas a Einstein
biologia evolutiva
Biologia Evolutiva
  • Charles Darwin
  • Evolução (surgimento, seleção, manutenção e extinção) de estruturas anatômicas depende da vantagem adaptativa que elas acarretam para o animal
  • Sistema Nervoso Central (SNC) e as capacidades psicológicas (cognitivas) evoluem
  • Estrutura e função
    • Um não existe sem o outro: cada estrutura biológica cumpre uma função adaptativa
  • Sistema
    • É um todo organizado: pode ser um organismo (vários subsistemas e órgãos), uma população (vários indivíduos), uma mente (vários processos), um dos processos psicológicos que caracterizam essa mente
modelos cognitivos
Modelos cognitivos
  • Modelos cognitivos servem à explicação dos fenômenos mentais
  • Modelos representam processos, e podem ser mais ou menos específicos e precisos
    • Ex: modelo da memória em 3 armazenamentos (Atkinson & Schiffrin, 1968):

Memória

Sensorial

Memória de

Curto Prazo (MCP)

Memória de

Longo Prazo (MLP)

processamento de informa o
Processamento de informação
  • Metáfora computacional para a mente
  • Mente é como um computador, uma máquina de processar símbolos
  • Símbolos são informações que representam aspectos do mundo
  • Os símbolos passam por diversos processos: são transformados, comparados, armazenados, recuperados, comunicados, etc.
  • Os processos ocorrem na forma de algoritmos
slide21

Sensação

Percepção

Memória sensorial

(MS)

Prestei atenção

à informação?

Informação se perde

após uma fração de segundo,

ou poucos segundos

Não

Repetição de manutenção

Sim

Memória de

curto prazo (MCP)

Recuperação

Informação se perde

após cerca de

15 segundos

Informação é

Mantida na MCP

por mais tempo

Como a informação

é processada?

Nenhum processamento

Processamento superficial

Processamento profundo

Se a informação for

necessária mais tarde, é

transferida para a MCP

Codificação

Repetição reflexiva

Memória de

longo prazo (MLP)

tarefas cognitivas
Tarefas cognitivas
  • Uma tarefa é uma ordem que se dá a um sujeito para que ele realize uma certa operação diante de certos estímulos
  • Também podem ser chamadas de “paradigmas”
  • A seguir, veremos uma tarefa clássica de estudo da atenção
paradigma de stroop
Paradigma de Stroop:

azul roxo azul verdevermelho amarelo

verdevermelhoroxoazulvermelho amarelo

Procure dizer os nomes de cada uma das cores dos retângulos acima

paradigma de stroop1
Paradigma de Stroop:

azul roxo azul verdevermelho amarelo

verdevermelhoroxoazulvermelho amarelo

Procure dizer os nomes de cada uma das cores das letras acima

paradigma de stroop2
Paradigma de Stroop:

azul roxo azul verdevermelho amarelo

verdevermelhoroxoazulvermelho amarelo

Procure dizer os nomes de cada uma das cores das letras acima

paradigma de stroop3
Paradigma de Stroop:

azul roxo azul verdevermelho amarelo

verdevermelhoroxoazulvermelho amarelo

O tempo que se leva para dizer os nomes das cores na última linha de estímulos é significativamente maior que nos outros dois conjuntos

Esse dado indica que o processamento de um dos aspectos dos estímulos (lingüístico) interfere na habilidade de focalizar a atenção em outro aspecto (a cor das letras – percepção visual)

m todos de investiga o
Métodos de investigação
  • Experimentos em laboratório
  • Análise de tarefas cotidianas
  • Dados:
    • Medição da Performance em tarefas cognitivas (nível comportamental)
    • Correlação entre tarefas e bases neurais (níveis corporais e comportamental)
    • Relatos sobre estados subjetivos (nível fenomenal)
bases biol gicas do comportamento
Bases biológicas do comportamento
  • Evolução
    • Filogênese – história da evolução da espécie
      • Ontogênese – desenvolvimento do indivíduo
    • Motivação adaptativa: sobrevivência e reprodução
  • SNC
    • Características anatômicas – estruturas diferenciadas, com funções diferenciadas
    • Características fisiológicas – funcionamento em resposta à demanda ambiental
    • Interação com sistema endócrino – influência sobre o comportamento
snc estruturas diferenciadas e funcionamento
SNC – estruturas diferenciadas e funcionamento
  • Estrutura (organização) em partes especializadas
    • Tálamo – informação sensorial para o córtex
    • Hipotálamo – fome, sede, frio, articulação c/ sistema endócrino
    • Sistema límbico – motivação, emoção, memória
    • Cerebelo – postura, equilíbrio, movimento
    • Córtex
      • Lobos parietais – informação somatossensorial e motora
      • Lobos frontais – funções associativas, pensamento, self
      • Lobos temporais – registro e armazenagem
      • Lobos occipitais – informação visual
bases biol gicas da aprendizagem
Bases biológicas da aprendizagem
  • Evolução
    • Seleção de organismos capazes de aprender
    • Aprendizagem possibilita adaptação rápida, eficiente, sofisticada, socialmente compartilhada
  • SNC
    • Plasticidade – característica do cérebro que permite que ele responda a mudanças ambientais ou internas do organismo
    • Fisiologia – natureza da condução do sinal nervoso
    • Associação estímulo-resposta <=> modificação de sinapses
recapitulando
Recapitulando...
  • Bases biológicas:
    • Evolução por seleção natural e características de organização e funcionamento do SNC influenciam nosso comportamento e nos permitem aprender com a experiência
  • Comportamento – respostas
    • Evolução – tendências herdadas e adquiridas
    • SNC – estruturas e neurônios
  • Aprendizagem – modificação das respostas
    • Evolução – vantagens da aprendizagem
    • SNC – mecanismo celular da aprendizagem
    • Modelos psicológicos aplicados à biologia: habituação, condicionamento clássico, operante
n veis de evid ncia a damasio 1994 2000
Níveis de Evidência(A. Damasio, 1994; 2000)

Acesso direto (o próprio organismo pode conhecê-los)

  • Fenomenal (auto-relato de estados da consciência)
  • Comportamental (relato do que é observável em si e nos outros)
  • Comunicacional (interação mediada pela linguagem)

Acesso indireto (apenas em outros organismos, e/ou por meio de instrumentos)

  • Anatômico (estrutura corporal)
  • Fisiológico (funcionamento corporal)
  • Neural (organização do SNC)
  • Cognitivo (funcionamento dos processos mentais)
c rebro e fun es mentais m bunge 1985
Cérebro e funções mentais (M. Bunge, 1985)
  • Relação SNC – mente
  • Funções do SNC
    • Controle
      • Dos sistemas internos
      • Do movimento (do sistema motor)
      • Das entradas sensoriais
    • Cognição (conhecimento)
      • Dos acontecimentos externos
      • Da atividade interna que não for cerebral
      • Da própria atividade cerebral
fun es de conhecimento m bunge 1985
Funções de conhecimento(M. Bunge, 1985)
  • Conhecimento do mundo externo
    • Obtido diretamente
      • Estímulos do ambiente captados na forma de sensações
      • Ex: Está quente ou frio na sala? Claro ou escuro?
    • Obtido indiretamente
      • Através de operações do intelecto (raciocínio, imaginação)
      • Ex: Como vai estar a temperatura da sala amanhã? Como seria se a sala tivesse ar-condicionado?
fun es de conhecimento cont m bunge 1985
Funções de conhecimento (cont.)(M. Bunge, 1985)
  • Autoconhecimento
    • Sentimento e emoção
      • A partir de informações que o cérebro recebe do resto do corpo
      • Ex: Sentir medo, raiva, alegria, dor
    • Autoconsciência
      • Conhecimento dos próprios estados da consciência
      • Ex: Neste momento estou acordado; estou pensando sobre “x”