educa o possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma pedagogia da unidade n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
EDUCAÇÃO: possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma PEDAGOGIA DA UNIDADE PowerPoint Presentation
Download Presentation
EDUCAÇÃO: possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma PEDAGOGIA DA UNIDADE

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 24

EDUCAÇÃO: possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma PEDAGOGIA DA UNIDADE - PowerPoint PPT Presentation


  • 112 Views
  • Uploaded on

EDUCAÇÃO: possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma PEDAGOGIA DA UNIDADE. Samuel de Souza Neto *** PAPEL DA EDUCAÇÃO *** OPORTUNIADES E AMEAÇAS, FORÇAS E FRAQUEZAS DOS PROGRAMAS EDUCACIONAIS.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'EDUCAÇÃO: possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma PEDAGOGIA DA UNIDADE' - ellery


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
educa o possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma pedagogia da unidade
EDUCAÇÃO: possibilidades no desenvolvimento de projetos voltados para uma PEDAGOGIA DA UNIDADE

Samuel de Souza Neto

*** PAPEL DA EDUCAÇÃO

*** OPORTUNIADES E AMEAÇAS, FORÇAS E FRAQUEZAS DOS PROGRAMAS EDUCACIONAIS

Seminário Internacional – EDUCAÇÃO E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS E À VIOLÊNCIA, de 28 a 31 de janeiro de 2010, Fazenda da Esperança - Guaratinguetá-SP

Samuel de Souza Neto - UNESP – Depto de Educação / samuelsn@rc.unesp.br; (19) 8118-4514

slide2

Educação (latim educatio) – ação de criar, alimentação, instrução, educação – nos sugere conhecimento e prática dos hábitos sociais. Porém, é fundamental observar que a palavra “educação” provém de dois verbos de origem latina: educere e educare.

Educere - tirar de dentro, extrair, desvelar aquilo que está no interior da criança, do jovem, do adulto

Educare - nutrir, amamentar, cuidar, amar. Do verbo educare derivaram os substantivos educator (educador) e educatrix (educadora), pois eram aqueles que alimentavam, nutriam, criavam, amavam, significando posteriormente, ou tomando este sentido, preparar, iniciar-se no mundo do conhecimento, desenvolvimento. (INICIAÇÃO)

Obs.: Educere também contém o verbo latino ducere que significa conduzir, levar guiar e o substantivo dux – aquele que conduz, o chefe ou o general

slide3

Educação - pode ser vista como um processo pelo qual uma pessoa ou grupo de pessoas adquirem conhecimentos gerais, científicos, artísticos etc. com o objetivo desenvolver capacidades ou aptidões, trazendo subjacente a ela a cultura ou uma cultura.

O processo de educaçãoé uma constante reelaboração da cultura, poisintervém sobre a natureza humana para ir além dessa mesma natureza e construir na liberdade humana a história do seu próprio ser.

Neste contexto, a cultura refere-se essencialmente ao processo de humanizaçãodo educando para humanizar o mundo.

EDUCAÇÃO – PROCESSO CIVILIZATÓRIO: HUMANIZAÇÃO

esteves 2004 os modelos de educa o na sociedade contempor nea
ESTEVES (2004): Os modelos de educação na sociedade contemporânea

(1) Modelo de Educação como Molde

(2) Modelo de Educação como Ensino

(3) Modelo de Educação centrado na Livre Iniciativa

(4)Modelo de Educação como Iniciação

projeto escola de educadores unesp proex 2004 2010
Projeto ESCOLA DE EDUCADORES(UNESP – PROEX: 2004-2010)

Grupo de Estudo e Pesquisa

Cursos de Capacitação Profissional (180 horas cada um):estudantes, professores, coordenadores, diretores, supervisores...: 538 pessoas(63.000 + 115.000); 38 cidades; 150 instituições; 83 monografias; 18 dados.

  • Módulo 1: A fraternidade como prática pedagógica – sensibilização
  • Módulo 2: A educação para a paz: possibilidades pedagógicas – posicionamento
  • Módulo 3: Escola: construindo espaços de fraternidade – empoderamento e aglutinação
  • Módulo 4: A cidade educadora... – emancipação
projeto corpo e escola unesp n cleo de ensino 2002 2010
Projeto CORPO E ESCOLA(UNESP – Núcleo de Ensino: 2002-2010)
  • 2002:...

- 2006:Perspectivas para umaPedagogia da Unidade

  • 2007: Perspectivas para uma Pedagogia da Unidade e Projetos Interdisciplinares.
  • 2008-2009: Perspectivas para uma Pedagogia da Unidade: produzir a vida do professor, a profissão docente e a escola.
  • 2010: Perspectivas para uma Pedagogia da Unidade: O que os alunos gostariam de aprender e os professores têm dificuldade de entender ou o que os professores gostariam de ensinar e os alunos não tem interesse?
introdu o a uma nova educa o
INTRODUÇÃO A UMA NOVA EDUCAÇÃO

O QUE QUEREMOS?

Mudar o mundo a partir da escola e a escola a partir de cada um de nós.

UTOPIA?

SAMUEL DE SOUZA NETO e Colaboradores - Parceria: UNESP – PROEX e Movimento Humanidade Nova

uma pedagogia para o s culo xxi
Uma pedagogia para o século XXI

1- Estapropostase destina à todos que queiram repensara prática pedagógica numa perspectiva de mudança.

2 – Tem como objetivo valorizar a dimensão afetiva do educador, aomesmo tempo em que sugere, como propósito, que este deveria terum projeto de vida visando a sua emancipação, bem como de quem está a seu redor.

3 – Uma proposta: A Arte de Amar (ou a Educação do Eu em direção ao Outro, podendo se entender a Fraternidade como Pedagogia e/ou mesmo a perspectiva de uma Pedagogia da “Unidade”)

pressupostos pedag gicos chiara lubich
Pressupostos Pedagógicos (Chiara Lubich)

Experiência - parte de sua experiência de vida ..

Educação -Um itinerário que o educando (indivíduo ou comunidade) percorre, com a ajuda do educador ou dos educadores, na direção de um “dever ser” que seja válido para ele e para a humanidade .

Ensino – premissa: crença de «Ensinar tudo a todos», respeitando a regra pedagógica da gradação.

Educador - Emerge a figura de Deus como Amor , o educador por excelência.

Educando - indica o limite sem limites da ação pedagógica.

Competência – a arte de Amar, que se traduz na interdependência entre as pessoas

perspectivas
Perspectivas

NA BUSCA DE UM CAMINHO:

1 - A Espiritualidade da Unidade (significa trabalhar a inteligência espiritual na dimensão de se elaborar projetos de vida)

2 - O Diálogo Operativo (passar da reflexão para a ação, visando a transformação)

3 - A Transdisciplinariedade (tem como primeira etapa a interdisciplinaridade: o diálogo entre as disciplinas para num segundo momento se trabalhar na forma de projetos temáticos)

PROJETOS:

1 - A Pedagogia da “Unidade”

2 - O Jogo do Dado do Amor (A Arte de Amar – Trata-se de uma Etnografia “Pessoal “ e Pesquisa-Ação)

habilidades necess rias
Habilidades Necessárias

Atenção centrada na atividade.

  • Capacidade para ouvir.
  • Acuidade para efetuar observações.
  • Disciplina para efetuar registros.
  • Capacidade para realizar sínteses.
  • Habilidade para colocar-se na perspectiva do outro (facilitar a comunicação e conseguir a colaboração).
  • Paciência e perspicácia para captar os acontecimentos da vida diária.

Exemplo:

slide12

O Jogo do Dado Universal

Regra de Ouro: faça aos outros o que você gostaria que fizessem a você e não faça...

Amar a todos

Amar por primeiro

Ver em cada um

Alguém especial

Amor

Recíproco

Amar o inimigo

Fazer-se um

slide13
Ver em cada um Alguém especial

– indica o “limite sem limites” da responsabilidade que temos em educar ou da ação pedagógica: dar um “bom dia”, um sorriso, ouvir o outro....

Ver

em cada um

Alguém

especial

slide14

RELATO DE EXPERIÊNCIA

Escola Municipal de Limeira (pré-escola e da 1ª a 4ª séries)

Amar por primeiro

  • Tomar a iniciativa;
  • Fazer-se um
  • É colocar-se no lugar dos outros. Faz enxergar melhor as situações;
slide15

Amor recíproco

  • Uma troca, mas não se pode só esperar dos outro; o primeiro passo depende de mim; outro dia foi difícil;
  • Amar a todos
  • Não fazer discriminação;
  • Ver em cada um alguém especial
  • Professor se sente especial pelo carinho que recebe dos alunos.
slide16

As formas de ação no processo reflexivo(Smyth, 1992, Freire, 1970)

  • Descrever – o que faço?
  • Informar – qual a fundamentação teórica para a minha ação?
  • Confrontar – como me tornei assim?
  • Reconstruir – como posso agir de forma diferente?
slide17

Descrever: O que faço?

Quando analisamos todas as reflexões a cerca das ações feitas a partir do jogo do dado, pudemos perceber que muitas delas estavam voltadas para a melhoria do relacionamento entre os pares, em relação à família e em relação aos alunos. Observa-se uma preocupação com o respeito à diversidade e muitos relatos demonstraram uma dificuldade em colocar em prática as reflexões feitas a partir do dado.

Informar: O que significa isto? Qual o significado das minhas ações?

As relações trazem implícitas o princípio da ética e a tentativa de se encaminhar, de buscar o respeito as diferenças pessoais. Dos relatos pode-se inferir a dificuldade em exercitar tal princípio.

slide18

Confrontar: Como me tornei assim? Como cheguei a agir dessa forma?

O nosso agir está pautado basicamente sobre: uma formação baseada na prática e na tentativa erro; experiências bem sucedidas em sala de aula; modelos de práticas pedagógicas.

Reconstruir: Como posso fazer diferente? Buscar o entendimento de sua prática na teoria, valorizando a reflexão sobre a ação, de forma que resulte em uma modificação/transformação da ação e nova reflexão.

slide19

PROJETOS JOSEPHA 2006

SUPERAÇÃOJOVEM

FRATERNIDADE

TIC/SUPERECO

CULTURA DA PAZ

CORREDORES

DE BIODIVERSIDADE

FEIRA DO VERDE

atitudinal

procedimental

conceitual

CRONOGRAMA:

slide22

Cartinhas da fraternidade

PASSEATA PARA ENTREGAR A COMUNIDADE CARTINHAS DA FRATERNIDADE ESCRITAS PELOS ALUNOS

indicativos
INDICATIVOS

FÓRUM MUNDIAL DE EDUCAÇÃO

(PORTO ALEGRE, 2002):

OUTRO MUNDO É POSSÍVEL?

Chiara Lubich:

Sim, pela fraternidade universal.