concord ncia nominal l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Concordância Nominal PowerPoint Presentation
Download Presentation
Concordância Nominal

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 11

Concordância Nominal - PowerPoint PPT Presentation


  • 387 Views
  • Uploaded on

Concordância Nominal. Profª.: Célia Trindade de Araújo e Silva. Concordância Nominal. Regra Geral. O artigo, o pronome , o numeral e o adjetivo devem concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se referem.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Concordância Nominal' - daniel_millan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
concord ncia nominal

Concordância Nominal

Profª.: Célia Trindade de Araújo e Silva

concord ncia nominal2
Concordância Nominal

Regra Geral

O artigo, o pronome, o numeral e oadjetivodevem concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se referem.

Ex.: Os nossos dois brinquedos preferidos estão quebrados.

pronome

(masc.pl.)

substantivo

(masc.pl.)

artigo

(masc.pl.)

adjetivo

(masc.pl.)

numeral

(masc.pl.)

Observe que o artigo os, o pronome nossos, o numeral dois e o adjetivo preferidos referem-se ao substantivo (masculino/plural) brinquedos. Por isso é que eles estão todos no masculino plural.

casos especiais de concord ncia nominal
Casos especiais de Concordância Nominal

I. Adjetivo referente a vários substantivos:

1. Quando o adjetivo vier depois de dois ou mais substantivos do mesmo gênero, há duas possibilidades de concordância:

 O adjetivo assume o gênero do substantivo e vai para o plural, ou concorda em gênero e número com o mais próximo.

Ex.: O governador recebeu ministro e secretário espanhol.

concordou apenas com o mais próximo

Ex.: O governador recebeu ministro e secretário espanhóis.

masculino/plural

slide4

2. Quando o adjetivo vier posposto a dois ou mais substantivos de gêneros diferentes, também há duas possibilidades de concordância:

 O adjetivo vai para o masculino plural ou concorda em gênero e número com o substantivo mais próximo.

Ex.: Ele apresentou argumento e razão justos.

masculino/plural

Ex.: Ele apresentou argumento e razão justa.

concordou com o substantivo mais próximo

Ex.: Ele apresentou razão e argumento justo.

concordou com o substantivo mais próximo.

slide5

3. Quando o adjetivo vier anteposto a dois ou mais substantivos, concordará com o mais próximo, se funcionar como adjunto adnominal; entretanto se funcionar como predicativo, haverá duas possibilidades: poderá ir para o plural ou concordar com o mais próximo.

substantivo

adjetivo

substantivo

Ex.: Nunca vi tamanho desrespeito e ingratidão.

adjunto adnominal

Ex.: Permaneceu fechada a porta e o portão.

predicativo do sujeito (concorda com o mais próximo)

Ex.: Permaneceram fechados a porta e o portão.

predicativo do sujeito (masculino plural)

slide6

II.Dois ou mais adjetivos referentes a um substantivo determinado por artigo:

Admitem duas possibilidades:

a) O substantivo fica no singular e põe-se o artigo também antes do segundo adjetivo.

Ex.: Meu professor ensina a língua inglesa e a francesa.

b) O substantivo fica no plural e omite-se o artigo antes do segundo adjetivo:

Ex.: Meu professor ensina as línguas inglesa e francesa.

casos particulares de concord ncia nominal
Casos particulares de Concordância Nominal

1. As palavras menos, alerta e pseudo são advérbios e ficam invariáveis.

Ex.: Os soldados estavam alerta.

Há menos pessoas do que prevíamos.

2. As expressões é proibido, é necessário, é bom, é preciso quando se referem a palavras desacompanhadas de determinantes, tomadas, portanto, em sua generalidade, ficam invariáveis.

Ex.: É proibido entrada.

Cerveja é bom.

Coragem é necessário.

Porém, se a palavra estiver acompanhada de determinante, com ela devem concordar.

Ex.: É proibidaa entrada.

A cerveja é boa.

A coragem é necessária.

slide8

3. As palavras bastante, meio, pouco, muito, caro, barato

a) Quando têm valor de adjetivo, concordam com o substantivo.

Ex.: Serviu-nos meia porção de arroz.

Conversamos bastantes vezes a esse respeito.

Os automóveis estão caros.

As frutas estão baratas.

Já é meio-dia e meia.

b) Quando têm valor de advérbio ficam invariáveis.

Ex.: Maria está meio aborrecida.

Os alunos são bastante estudiosos.

Esses automóveis custam caro.

As laranjas custam barato.

Estamos muito cansadas.

slide9

4. Os adjetivos anexo, obrigado, incluso, mesmo, próprio, só, leso, quite concordam com o substantivo a que se referem.

Ex.: Seguem anexos os documentos da partilha de bens.

A carta segue anexa.

Os documentos estão inclusos.

Ela mesma redigiu a carta.

Eles estão sós.

Estou quite com você.

Muito obrigada – disse ela.

Observação:

Os advérbios só (equivalente a somente), menos e alerta e as expressões em anexo e a sós são invariáveis.

Ex.: Elas só esperam uma nova oportunidade.

Leia a carta e veja as fotografias em anexo.

As meninas ficaram a sós no quarto.

slide10

Dicas:

1. Quando a palavra só equivaler a sozinho ela será adjetivo e, portanto, concordará com o substantivo.

2. Quando a palavra só equivaler a somente ela será advérbio e ficará invariável.

3. Quando a palavra bastante equivaler a muitos/ muitas ela será adjetivo e, portanto, concordará com o substantivo.

4. A palavra meio equivalente a metade é adjetivo e concorda com o substantivo.

5. A palavra meio equivalendo a um pouco é advérbio e não varia.

refer ncias bibliogr ficas
Referências bibliográficas

FERREIRA, Mauro. Aprender e praticar gramática : teoria, sínteses das unidades, atividades práticas, exercícios de vestibulares: 2º Grau. São Paulo: FTD, 1992. p. 343-352.

SARMENTO, Leila L. Gramática em texto. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2000. p.470-475.

CEREJA, William Roberto & MAGALHÃES, Tereza C. Gramática Reflexiva. São Paulo: Atual, 1999. p. 334-336.

MAIA, João D. Português: Série Novo Ensino Médio. São Paulo: Editora Ática, 2003.

CIPRO NETO, Pasquale & INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Scipione, 1997.

GIACOMOZZI, Gilio & VALÉRIO, Gildete & FENGA, Cláudia R. Estudos de Gramática. São Paulo: FTD, 1999.