Critérios para avaliação de revestimentos de grãos.
Download
1 / 24

- PowerPoint PPT Presentation


  • 92 Views
  • Uploaded on

Critérios para avaliação de revestimentos de grãos. Novas tecnologias de Produtos e de sistemas de aplicação. Sem Tratamento. Com Tratamento. Reduzir ou eliminar a poeira existente nas matérias primas granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '' - conor


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Critérios para avaliação de revestimentos de grãos.

Novas tecnologias de Produtos e de sistemas de aplicação.

Sem Tratamento

Com Tratamento


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

  • Reduzir ou eliminar a poeira existente nas matérias primas granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • Reduzir ou eliminar o empedramento ( perda de produto e retrabalho )

  • Controlar a liberação de compostos químicos no solo, prolongando a eficiência agronômica da adubação.

  • Agregar micronutrientes na superfície dos grãos, propiciando uma melhor distribuição no solo e conseqüentemente uma melhor eficiência agronômica.

  • Colorir os grãos com valor agregado ( Diferenciação )

  • Controlar a Higroscopicidade nos fertilizantes

Porque revestir um grão de fertilizante


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Critérios para avaliação de revestimentos de grãos granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

O objetivo deste tema é apresentar aos ouvintes, algumas das boas práticas e critérios que devem ser levados em consideração, no processo de avaliação e escolha de aditivos para revestimento de grãos.


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Avaliação e qualificação de fornecedores granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • O revestimento de grão é parte integrante no processo produtivo do Fertilizante e da mistura de NPK ( ultima etapa antes do armazenamento ou distribuição );

  • Deve-se procurar PARCEIROS e não simples fornecedores;

  • Avaliações de acordo com a ISO ou similar, levando em consideração :

    • Analise financeira

    • Tempo de atuação no mercado, no fornecimento de aditivos de revestimento de grãos;

    • Referencias ( de Fornecedores e de Clientes )

    • Visita Técnica ao fabricante para avaliar :

      • Instalações Industriais

      • Capacidade de Produção e de Estocagem

      • Capacidade Logistica de transporte – Tempo de resposta

      • Laboratório – instalações e abrangência

      • Conhecimento Técnico;

      • Força de vendas e pós vendas;


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Analise da recuperação de custo com o revestimento granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

30 %


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Características de um bom revestimento granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • O aditivo uma vez aplicado deve permanecer as superfície do grão

  • O aditivo NÃO deve migrar para o interior do grão

  • Visualmente o grão deve estar totalmente recoberto

  • Evitar excesso de aplicação ( grudar na esteira e nas mãos )

  • O revestimento na forma “ carijó “ deve ser evitado


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Teste de Biodegrabilidade Imediata 301B-OECD, 1997 granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • Procedimento da OECDOrganization for Economic Co-operation and Development

  • É um método respirométrico de avaliação por evolução de CO2

  • O método utiliza uma substância de controle, benzoato de sódio a 20mg de carbono por litro inoculo, a substancia de teste

  • Duração 28 dias, temperatura 20-25C, em solução nutritiva e oxidado por cultura mista de microorganismos provenientes do meio ambiente em meio aquático ;

  • É considerado FACILMENTE BIODEGRADAVEL se a solução teste atingir pelo menos 60% da evolução de CO2 em ate 10 dias contados após o ponto que atingiu 10% ;

  • É considerado BIODEGRADAVEL se a solução teste atingir mais de 20% da evolução de CO2 em até 28 dias.

  • Abaixo deste limite de 20%, o produto é considerado potencialmente NÃO BIODEGRADAVEl.

  • Maiores referencias – Laboratório Bioagri Tel 019-34174700


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Características de um bom aditivo granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • A especificação mínima para se garantir uma boa retenção de pó é de pelo menos 70% ate 90 dias do tratamento;

  • Não deve conter água ou no máximo a 2%;

  • Não deve conter materiais voláteis;

  • Deve apresentar um ponto de fulgor > 150C;

  • Isento de dioxinas e furanos;

  • Presença Metais Pesados abaixo dos limites tolerados

  • Ser biodegradável;

  • Permanecer na superfície do grão e não migrar para o seu interior;


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

IFDC – International Fertilizer Development Center granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

Manual for determining physical properties prepared by Mr David W. Rutland Sep 1986

IFDC-S-122 Dedusting tower.

AM-CC –USA patenteou um sistema mais preciso do que a IFDC.

Analise da quantidade de pó existente no fertilizante


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Tempo de um teste granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • Degradação

    • Cura de pilha

    • Pontes salinas

    • Evaporação de aditivo

    • Migração do aditivo


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Acompanhamento de um teste granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

  • Condições do caminhão e dos equipamentos a serem usados no teste

  • Condição técnica do pessoal responsável pelo teste;

  • Certificado de análise do produto;

  • Nunca misturar produtos dentro de um mesmo tanque;

  • Avaliar o sistema de bombeamento, filtragem e de aplicação recomendado pelo fornecedor;

  • Toda a cadeia de produção deve ser acompanhada depois da aplicação do aditivo

    • Comportamento na armazenagem ( pelo menos 90 dias ), colher amostras de 15 em 15 dias e testar na torre de poeira;

    • Comportamento no carregamento após armazenagem, colher amostra e testar;

    • Comportamento no misturador, colher amostra e testar;

    • Comportamento na adubadeira colher amostra e testar;


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Novas tecnologias de produtos e de sistemas de aplicação granuladas e nas misturas de NPKs ( impacto ambiental e de exposição ocupacional )

O objetivo deste tema é proporcionar aos ouvintes a informação sobre novas tecnologias em revestimento de grãos e recomendações sobre sistemas de aplicação.


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Além de colorir o grão proporcionando uma vantagem competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento

Colorindo grãos com valor agregado

Na cor verde

Na cor azul

Na cor vermelha

Na dosagem de 2 a 3 Kg/Ton, viabilizando o custo final do fertilizante


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Aplicação de aditivo em empoadores competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento

Tipo Tambor rotativo

Na saída do resfriador

Tipo pás rotativas


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Aplicação de aditivo em tambor rotativo competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento

Tambor com palhetas

Tambor sem palhetas


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Aplicação de aditivo na queda da esteira competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Aplicação de aditivo na esteira competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Aspectos Importantes para uma boa aplicação competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento

  • Sempre utilizar um bico de aplicação e nunca aplicar aditivo na parede do empoador, formação de “ tar balls” ;

  • Posicionar o bico de aplicação de forma a garantir que o aditivo seja aplicado apenas no fertilizantes e na maior área possível;

  • O tempo de residência do fertilizante no interior do empoador deve ser maior ou igual a 30 segundos, quanto maior o tempo, melhor a uniformidade do revestimento; ( instalação de paredes para reter o fluxo e aumentar o tempo de residencia podem ajudar, mas cuidado com o aumento de carga “ amperagem no motor principal “ );

  • Dependendo do tipo de projeto, poderá ser necessário a utilização de mais de um bico de aplicação. Um calculo quanto a capacidade de dosagem do bico versus a dosagem requerida é que definirá o numero de bicos necessários;

  • O sistema de bombeamento deve garantir que a pressão no bico seja no mínimo de 3Kg/Cm2;

  • Observar a temperatura de aplicação recomendada pelo fabricante;


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Tipos de bicos de aplicação competitiva de diferenciação, os grãos poderão ser tratados para o controle de poeira e de empedramento

. Air atomizing nozzles

. Flat Spray nozzle

. Full cone nozzle

. Hallow cone nozzle


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Bico tipo leque, com ângulo de abertura de 80 graus Calibrado para 3.9 Litros / Minuto para 3 Kg de Pressão – Agua

Para outros produtos deve-se levar em consideração a densidade para a calibração do bico

Calibração dos bicos de aplicação

Cronometrar

Pesar vazio

Pesar cheio

Encher o máximo

Resultado = Kg/Min


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Características técnicas que influenciam no revestimento Calibrado para 3.9 Litros / Minuto para 3 Kg de Pressão – Agua

Rugosidade da Superfície x consumo de aditivo

  • Agua Livre < 2%

  • Acidez livre <2%

  • Temperatura na entrada do empoador <50C

  • Dureza do grão> 2Kg

  • Tempo de cura na pilha


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Características técnicas que influenciam no revestimento Calibrado para 3.9 Litros / Minuto para 3 Kg de Pressão – Agua

Umidade e Temperatura na pilha de fertilizantes

Registro de temperatura e umidade de 15 em 15 minutos


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Novas tecnologias de Produtos de revestimento de grãos Calibrado para 3.9 Litros / Minuto para 3 Kg de Pressão – Agua

  • Aditivos para de liberação controlada de compostos químicos e nutrientes;

  • Colorir grãos para diferenciação ;

  • Micro nutrientes agregados na superfície dos grãos melhorando a eficiência agronômica (distribuição homogenia de micronutrientes por m2 ) ;

  • Controlar a Higroscopicidade nos fertilizantes;


Crit rios para avalia o de revestimentos de gr os

Agradecimentos e Contato Calibrado para 3.9 Litros / Minuto para 3 Kg de Pressão – Agua

  • Gostaria de agradecer a todos que colaboraram na preparação desta apresentação

  • Contato

  • Alexandre Louro

  • alouro@ambl.com.br

  • 021 - 81571835

FIM