Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
AVALIA O DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECIS RIOS PowerPoint Presentation
Download Presentation
AVALIA O DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECIS RIOS

AVALIA O DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECIS RIOS

152 Views Download Presentation
Download Presentation

AVALIA O DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECIS RIOS

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    4. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS A busca da previsibilidade (2) Da Antiquidade at os nossos dias o homem busca revelar, interpretar o caos e as incertezas deste mundo para: - poder (retrospectivamente ou prospectivamente) prever o futuro de determinadas situaes ou eventos; - orientar tomadas de decises - substituir o caos e as incertezas deste mundo por outro, dominado pela ordem e a previsibilidade

    5. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS As origens na Antiguidade (1) Grupo Asipu - Mesopotmia, por volta de 3.200 a.C. - Em suas anlises, identificavam as importantes dimenses do problema em questo e as aes alternativas face ao mesmo, coletando dados sobre os possveis resultados de cada alternativa.

    6. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS As origens na Antiguidade (2) Orculo Dlfico - Grcia Antiga - Apolo instalou ali um centro oracular em que transmitia as previses por intermdio da sacerdotisa Ptia. Seus pronunciamentos, quando se referiam ao futuro, eram quase sempre obscuros e ambguos, sendo passveis de interpretaes conforme a convenincia e possuindo, geralmente, inclinao poltica favorvel aristocracia dominante.

    7. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS A laicizao das situaes e eventos perigosos - Revoluo Industrial. - Revoluo Francesa e filosofia iluminista. - Fim das epidemias de pestes. - Converso da cincia e da tecnologia enquanto eixos de poderosas transformaes na sociedade e na natureza. - O homem passa a ser responsvel pela gerao e remediao de seus prprios males.

    8. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS O conceito de risco na atualidade (1) - O conceito de risco na atualidade resulta desse processo de transformaes sociais, polticas, econmicas e culturais, cabendo ao prprio homem a atribuio de desenvolver, atravs de metodologias baseadas na cincia e tecnologia, a capacidade de os interpretar e analisar para melhor os controlar e remediar.

    9. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS O conceito de risco na atualidade (2) Os componentes bsicos so: - potencial de perdas e danos; - incerteza de perdas e danos; - relevncia das perdas e danos. Se expressa como: Risco = Probab. de Danos x Magnitude das Conseqncias Tempo

    10. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Fatores que contribuiram para o surgimento (1): 1) mudana na prpria natureza do risco (principais causas de bito foram deixando de ser atribudas s doenas infecciosas para privilegiar as crnicas degenerativas; mudana nas caractersticas dos acidentes). 2) aumento na mdia de expectativa de vida. 3) desenvolvimento de testes de laboratrio, mtodos epidemiolgicos, modelagens ambientais, simulaes em computadores e avaliao de riscos na engenharia.

    11. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Fatores que contribuiram para o surgimento (2): 4. a ampliao do papel do governo federal na avaliao e no gerenciamento de riscos para a sade, a segurana e meio ambiente; 5. crescimento de grupos de interesses que procuravam participar cada vez mais no gerenciamento social do risco, o que tornou cada vez mais politizadas as atividades de anlise e gerenciamento de riscos

    12. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Objetivo central das avaliaes de riscos (1) Tendncia para prever, planejar e alertar sobre os riscos, em vez de dar respostas ad hoc s crises geradas pelos mesmos. Decises regulamentadoras sobre os mesmos seriam politicamente menos controversas se pudessem ser tecnicamente mais rigorosas e baseadas em firme base "factual", transformando determinadas escolhas sociais, polticas e econmicas em problemas puramente tcnicos e cientficos.

    13. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS OBJETIVO: O gerenciamento de riscos O princpio de que os riscos podem ser controlados atravs de uma gama de opes que podem ser combinadas de diversos modos. Consiste na seleo e implementao das estratgias mais apropriadas, envolvendo a regulamentao, a disponibilidade de tecnologias de controle, a anlise de custos e benefcios, a aceitabilidade de riscos, a anlise de seus impactos nas polticas pblicas e diversos outros fatores sociais e polticos.

    14. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Pressupostos bsicos das Anlises de Riscos (1) Starr, C. (1969) Social Benefit Versus Technological Risk: What Is Our Society Willing to Pay for Safety: comparao de estatsticas e dados objetivos sobre os riscos das tecnologias em questo com os outros riscos da vida quotidiana, seria determinada a aceitabilidade de riscos em funo de seus benefcios para a sociedade.

    15. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Pressupostos bsicos das Anlises de Riscos (2): A perspectiva utilitarista: Aes racionais dos indivduos, orientadas para se alcanar os melhores resultados. Mercado como prottipo do processo que liga preferncias individuais s escolhas sociais. Racionalidade utilitarista orienta a luta pela prpria sobrevivncia e a busca para a prosperaridade em um mundo dominado por aparente caos.

    16. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Pressupostos bsicos das avaliaes de riscos (3): A concepo elitista de democracia: A limitao da participao dos cidados nas anlises de riscos e nos processos decisrios e baseia-se na idia de que no so capazes de julgar o que melhor para seus prprios interesses. Valores tcnicos e analticos dos especialistas so julgados mais legtimos do que os valores dos cidados leigos (custos, benefcios, entre outros).

    17. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Amplificao social dos riscos

    18. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Dois casos exemplares na dcada de 90 Doena da vaca louca (BSE) Alimentos geneticamente modificados (OGMs)

    19. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Incertezas nas informaes geradas: risco: o comportamento do sistema basicamente bem conhecido e as chances de diferentes resultados podem ser definidas e quantificadas atravs de anlises estruturadas de mecanismos e probabilidades. incerteza: os parmetros importantes do sistema so conhecidos, mas no a distribuio das probabilidades. Estas incertezas so reconhecidas e explicitamente includas nas anlises de riscos.

    20. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Incertezas nas informaes geradas: indeterminncia: a cadeia causal de conhecimento aberta, no sendo conhecidos os parmetros importantes do sistema em questo. ignorncia: por definio, escapa ao reconhecimento. endmica ao conhecimento cientfico, o qual tem de reduzir a estrutura da realidade para que seja possvel analis-la pelos seus prprios mtodos e modelos. Se torna um problema quando tem implicaes nos processos decisrios

    21. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Os tipos de incertezas incertezas tcnicas: relacionadas inexatido dos dados e das anlises, e que podem ser gerenciadas atravs de rotinas padronizadas adequadas desenvolvidas por campos cientficos particulares; incertezas metodolgicas: relacionadas no confiabilidade dos dados e que envolvem aspectos mais complexos e relevantes da informao, como valores e confiabilidade;

    22. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Os tipos de incertezas Incertezas epistemolgicas: relacionadas s margens de ignorncia do prprio conhecimento cientfico, sendo este nvel envolvido quando incertezas irremediveis encontram-se no corao do problema.

    23. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS O reconhecimento das incertezas tem implicaes No somente na escala do conhecemos e do que no conhecemos, mas tambm em mudanas qualitativas nos processos decisrios acerca da definio de estratgias de controle e preveno de riscos e no papel atribudo ao conhecimento tcnico e cientfico em relao tais decises.

    24. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS O reconhecimento das incertezas tem implicaes Nas polticas pblicas de sade, ambientais e tecnolgicas em direo preveno de riscos. A abordagem preventiva requer que as atenes acerca das decises acerca de processos industriais, projetos de produtos e estratgias de pesquisa e desenvolvimento tecnolgico sejam mudadas da ponta final do processo para a ponta inicial do processo.

    25. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Implicaes das incertezas para o gerenciamento de riscos No podemos separar "o que se deseja conhecer acerca de um determinado problema" - o que realizado pelas avaliaes de riscos - do que se deseja fazer acerca desse mesmo problema - o que proposto e realizado no desenvolvimento das estratgias de gerenciamento de riscos. O modo da percepo da realidade e de organizao dos fatos a ela pertinentes tem implicaes, embora nem sempre visveis, nos aspectos do gerenciamento dos riscos.

    26. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS Relacionando avaliao e gerenciamento de riscos

    27. AVALIAO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA OS PROCESSOS DECISRIOS O gerenciamento de riscos como uma questo de governana A mobilizao do poder coletivo das pessoas para tornar a vida no sculo 21 mais democrtica, mais segura, mais sustentvel e com equidade nosso grande desafio. Neste contexto, a proteo sade, a vida e a ao meio ambiente, coloca-se como uma questo de governana, nos nveis global e local, no se restringindo aos governos e as interrelaes governamentais. Somente nesta perspectiva se poder efetivamente gerenciar os riscos relacionados a possibilidade de produo e consumo em larga escala na atualidade.