Download
o capitalismo e a sociedade de consumo n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
O capitalismo e a sociedade de consumo PowerPoint Presentation
Download Presentation
O capitalismo e a sociedade de consumo

O capitalismo e a sociedade de consumo

365 Views Download Presentation
Download Presentation

O capitalismo e a sociedade de consumo

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. O capitalismo e a sociedade de consumo

  2. Sociedade de consumo • As sociedades dos países capitalistas desenvolvidos que usufruem intensamente dos bens e serviços existentes no mundo moderno. • O consumismo contribui para a utilização intensa dos recursos naturais e acelera o ritmo da degradação ambiental.

  3. Propaganda e facilidades de pagamento incentivam o consumismo.

  4. A sociedade de consumo e a degradação ambiental • O modelo de desenvolvimento capitalista, baseado em inovações tecnológicas, na busca do lucro e no aumento dos níveis de consumo, precisa ser substituído por outro, que leve em consideração os limites suportáveis da natureza e da própria vida. Nova Iorque num dia de inverno

  5. O desafio energético e a escassez de petróleo • 37% da energia consumida no planeta vem do petróleo, mas estima-se que as reservas serão suficientes para abastecer por mais 40 anos o planeta. • O petróleo é uma das maiores fontes de poluição do planeta. • No entanto, o alto custo do desenvolvimento de novas tecnologias e o desinteresse político e empresarial não permitiram o uso de fontes alternativas de energia em larga escala.

  6. Fontes alternativas de energia • Energia solar • A luz solar é captada por painéis de células fotovoltaicas, que quando aquecidas geram corrente elétrica e são capazes de transformar em energia 1/3 da luz solar captada pelo painel. Maior solar do mundo – Califórnia EUA

  7. Fontes alternativas de energia • Energia eólica • O vento movimenta as pás que produzem energia elétrica. São instaladas em locais de ventos fortes e contínuos.

  8. Hidrelétricas • A água represada dos rios passam pelas turbinas que acionam os geradores de energia. • É uma fonte de energia não poluente, mas provoca vários impactos ambientais.

  9. Lixo - Biogás • Decomposição da matéria orgânica libera gás metano. • O sistema de extração poderia ser montado em aterros sanitários. • Na Suécia já é utilizado para aquecimento doméstico.

  10. Álcool • Substituto da gasolina. • É derivado da cana-de-açúcar. • Problemas: monocultura canavieira (reduz o plantio de alimentos básicos) e desmatamento.

  11. Consumo e degradação ambiental • A maior parte da poluição gerada no planeta e a exploração de recursos naturais é causada pelo alto consumo dos países desenvolvidos. • Observações: • 2,6 bilhões de pessoas não tem acesso a saneamento básico. • 1,4 bilhão não tem acesso a água potável. • 1,1 bilhão não tem acesso a moradia adequada. • 1 bilhão de crianças subnutridas e analfabetas.

  12. Problemas ambientais globais • Os países desenvolvidos são responsáveis pela maior parte dos problemas ambientais, mas os subdesenvolvidos também contribuem, pois estão ocorrendo várias transformações nas suas paisagens.

  13. Grandes problemas ambientais globais • Efeito estufa • Não é causado pela poluição, mas acompanha a vida do planeta desde os primeiros tempos. • É a ação bloqueadora dos gases da atmosfera sobre o calor refletido na superfície terrestre; provocando a manutenção da temperatura nos níveis que permitem a existência da vida.

  14. Aquecimento global • É a elevação da temperatura no planeta causada pela poluição. • Consequências: 1.Derretimento das massas de gelo; 2.Elevação do nível de oceanos; 3. Alagamento e desaparecimento de cidades e regiões litorâneas; • Muitos cientistas consideram que o aumento dos furacões, das ondas de calor e da temperatura na superfície dos oceanos são causados pelo aquecimento global.

  15. Diminuição da camada de ozônio O ozônio é um gás que existe em grande quantidade na estratosfera e filtra os raios ultravioletas do sol, cujo excesso é nocivo a todas as formas de vida existentes na terra. Esses raios podem causar câncer de pele e doenças oculares (cataratas), queimaduras, envelhecimento precoce e imunodeficiência. Também afeta a fauna e a flora.

  16. Chuva ácida • Combinação da água das chuvas, neblina, geada ou neve carregadas de ácidos nítrico e sulfúrico. • Esses ácidos resultam, principalmente, da queima de combustíveis fósseis e da poluição gerada pelas indústrias e veículos automotores. • Provoca a morte de peixes, corrói edifícios e prejudicam florestas e lavouras.

  17. Desmatamento • Causas: Implantação de hidrelétricas, Exploração madeireira Mineração Pastagens, etc • Consequência direta: Perda da biodiversidade

  18. Escassez de recursos hídricos http://www.ebah.com.br/content/ABAAAATl0AJ/resumo-palestra-sobre-meio-ambiente

  19. A necessidade de água triplicou a partir de 1950. Motivos: • O crescimento da população • O aumento da necessidade de água para as atividades econômicas • O desperdício e a poluição http://driptechbrazil.wordpress.com/

  20. Consumo, meio ambiente e a questão demográfica Desde o fim do século XVIII, estudiosos começaram a se preocupar com o crescimento da população mundial e a degradação ambiental. Veja algumas teorias: Malthusiana “Afirmo que a capacidade de crescimento da população é infinitamente maior que a capacidade da Terra de produzir alimentos para o homem”.

  21. Erros de Malthus • Não considerou o desenvolvimento tecnológico • O crescimento demográfico apresenta níveis diferentes, alcançando inclusive a desaceleração. • Malthus defendia a abstinência sexual para controlar o crescimento demográfico.

  22. Neomalthusiana • Foi criada no século XX para justificar a situação de pobreza dos subdesenvolvidos. • Superpopulação.

  23. Marxista ou Reformista “ O crescimento demográfico é consequência da pobreza”. • Ecomalthusiana É uma ramificação do neomalthusianismo. “ O rápido crescimento demográfico se traduziria em pressão sobre os recursos naturais – em especial nos ecossistemas tropicais e equatoriais – e em sério risco para o futuro. O controle da natalidade seria uma forma de preservar o patrimônio ambiental para as novas gerações.”