conceitos e t cnicas de gest o de estoques n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoques PowerPoint Presentation
Download Presentation
Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoques

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 8
beau-woodard

Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoques - PowerPoint PPT Presentation

77 Views
Download Presentation
Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoques
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Conceitos e Técnicas de Gestão de Estoques Grupo XX 053.08.07

  2. Just In Time “Visa atender a demanda instantaneamente, com qualidade e sem desperdícios. Ele possibilita a produção eficaz em termos de custo, assim como o fornecimento da quantidade necessária de componentes, no momento e em locais corretos, utilizando o mínimo de recursos.” Qualidade: reduz o fluxo de materiais. Velocidade: sem estoque. Confiabilidade: fluxo rápido de produção. Flexibilidade: produção em lotes pequenos, fluxos rápidos e lead time curto. Compromisso: fornecedor x comprador. Sistema de produção ligado a make to order (sob encomenda). O produto é solicitado quando necessário e o material é movimentado para a produção quando necessário.

  3. Fluxo Descontínuo de Materiais Método de empurrar estoque, push. Começa com a previsão de vendas que é a base para os programas de produção, os quais são convertidos para os planos de compra. O fluxo de informação corre no sentido do cliente, por meio do depósito e fábrica, até o fornecedor e ocorre em um fluxo em série. Assim, à medida que a demanda vai ocorrendo, essa informação não é repassada imediatamente para a fábrica e fornecedores. Ela chega a eles periodicamente, com demora, quando os estoques são reabastecidos.Sendo assim, ineficientes em um ambiente de constantes alterações.

  4. Métodos: • Estoque para demanda: Manter os níveis de estoque proporcionais a sua demanda. O pedido de ressuprimento é calculado como a diferença entre o nível projetado de demanda e a quantidade de estoque disponível. Ruim para demandas sazonais, tempo de ressuprimento e incerteza de previsão imprecisos. • 2. Ponto de reposição: Método de estoque mínimo. Balanceamento entre estoque elevado (maior custo de manutenção) e estoque baixo (risco de perda de venda e/ou paradas na produção). Dar início ao processo de ressuprimento com tempo suficiente para não ocorrer falta de material. -Ponto de reposição: Produto entre tempo de ressuprimento e o consumo previsto. -Definição do lote de compra ou de reposição: Lote de compra (Q): quantidade que balanceia os custos de manutenção e de aquisição. Q = D: demanda anual em unidades A: Custo de aquisição por pedido E: Custo de manutenção anual do item em % C: custo do item • 3. Reposição Periódica: Tempo fixo (determinado pela empresa) em que as revisões periódicas do nível de estoque são efetuadas. A política de estoque é revisar o nível de estoque a cada T semanas e pedir um lote igual à diferença entre o estoque atual e o valor máx de estoque.

  5. Curva ABC Baseia-se no raciocínio de Pareto, em que nem todos os itens tem a mesma importância e a atenção deve ser dada para os mais significativos. 20% dos itens em estoque são responsáveis por 80% do valor em estoque.

  6. Balanceamento de Capacidade Considerava-se que se um recurso está ocioso, estamos perdendo dinheiro ou então, investimos mais que o necessário, que utilizandoos recursos ao máximo, estaremos ganhando mais dinheiro. Uma forma de fazer com que os recursos sejam utilizados com alta eficiência é aumentar o nível do estoque em processo. Todos terão o que fazer constantemente. No entanto, altos estoques não são uma boa alternativa de solução e a pressão para reduzir custos acaba forçando a empresa na busca de uma fábrica balanceada, na busca de um aproveitamento otimizado do investimento nos recursos. Uma fábrica com capacidade balanceada não é possível. Ela trabalha desbalanceada e tentativas de ir contra esse fenômeno é que causam grandes problemas. Temos que aceitar que uma fábrica sempre tem um recurso com capacidade menor que os demais. Para tirar o máximo dela, precisamos certificar-nos de que todos os seus recursos tenham uma quantidade mínima de capacidade a mais que o recurso com menos capacidade, para que o fluxo não seja interrompido pela restrição. Essa quantidade a mais é denominada de capacidade protetora.

  7. Fluxo Contínuo de Material Método de puxar estoque, pull. Opedido do cliente é transmitido para a fábrica e não para o depósito. A fábrica produz contra a demanda, em ciclos de produção curtos e rápidos. Ela despacha o produto aos clientes, ou diretamente, ou por meio de estoque regulador, que pode ser apenas de consolidação de carga ou terminais. Ademandado cliente “puxa” o fluxo de material. O estoque de produtos acabados é evitado tanto quanto possível, especialmente estoque de segurança. Um pequeno estoque, porém, pode ser produzido contra a previsão, como estoque regulador para facilitar o transporte e reduzir custos. As relações com os fornecedores passam a se tornar parcerias, relações de longo prazo com poucos fornecedores para cada produto ou serviço são estabelecidos, o que leva a uma cooperação mais próxima entre o cliente e seus fornecedores.

  8. Fluxo Sincrônico de Material A produção e a distribuição se tornam integradas por meio do uso de tecnologia de informação. O fluxo do material é balanceado de uma só vez ao longo do processo de compras/produção/distribuição por um sistema automatizado de gestão de materiais. A demanda real do cliente dá início ao processo, porém o fluxo de material é balanceado e a informação sobre a necessidade de material flui paralelamente, não em série, para todos os envolvidos.