FABIANA KÖMMLING SEIXAS (fabianak@ufpel.br) - PowerPoint PPT Presentation

fabiana k mmling seixas fabianak@ufpel edu br n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
FABIANA KÖMMLING SEIXAS (fabianak@ufpel.br) PowerPoint Presentation
Download Presentation
FABIANA KÖMMLING SEIXAS (fabianak@ufpel.br)

play fullscreen
1 / 88
FABIANA KÖMMLING SEIXAS (fabianak@ufpel.br)
144 Views
Download Presentation
anthony-sullivan
Download Presentation

FABIANA KÖMMLING SEIXAS (fabianak@ufpel.br)

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. FABIANA KÖMMLING SEIXAS (fabianak@ufpel.edu.br)

  2. BIOSSEGURANÇA • Definição • Histórico • O Laboratório de ensino e pesquisa e seus riscos • Análise dos Riscos • Simbologia • Boas Práticas • EPIs • EPCs ABORDAGENS...

  3. Boas práticas em laboratórios de saúde BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO Conjunto de normas e procedimentos de segurança que visam minimizar os acidentes em laboratório.

  4. BOAS PRÁTICAS • Lavar as mãos antes e após a jornada • Não comer ou preparar alimentos • Não fazer higiene bucal, maquiagem, roer unhas... • Trabalhe com seriedade • Descarte adequado para material biológico

  5. BOAS PRÁTICAS: ÁREA FÍSICA • Ambiente amplo • Paredes, teto e chão de materiais de fácil limpeza e antiderrapante • Iluminação, Água e voltagem dos aparelhos • Bancadas fixas, impermeáveis e resistentes • Mobília de fácil limpeza • Pias com infraestrutura • Portas fechadas e/ou do tipo “vai e vem” • Objetos pessoais, alimentação e estocagem em áreas próprias • Autoclave em local próprio • Piso anti-derrapante, impermeável, resistente a produtos químicos e de fácil limpeza. • Refeitório ou copa: situar-se fora da área técnica de trabalho • Ventilação: Manutenção dos filtros dos condicionadores de ar e capelas.

  6. BOAS PRÁTICAS: ÁREA FÍSICA

  7. BOAS PRÁTICAS: ÁREA FÍSICA LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA LABORATÓRIO DE ENSINO

  8. BOAS PRÁTICAS: ÁREA FÍSICA

  9. Não cheirar nem provar qualquer produto químico.

  10. BOAS PRÁTICAS Não trabalhar no mesmo horário que o pessoal da limpeza

  11. BOAS PRÁTICAS

  12. BOAS PRÁTICAS: UNIFORMES

  13. BOAS PRÁTICAS: UNIFORMES

  14. BOAS PRÁTICAS: CABELOS E ROSTO

  15. BOAS PRÁTICAS: CABELOS

  16. BOAS PRÁTICAS: ADEREÇOS

  17. BOAS PRÁTICAS: CALÇADOS

  18. BOAS PRÁTICAS: ALIMENTOS

  19. BOAS PRÁTICAS: CIGARRO

  20. BOAS PRÁTICAS: PRAGAS

  21. BOAS PRÁTICAS: ANIMAIS E PLANTAS

  22. BOAS PRÁTICAS: PIPETAS

  23. AGULHAS BOAS PRÁTICAS

  24. BOAS PRÁTICAS: ATENÇÃO

  25. VIDRARIA BOAS PRÁTICAS

  26. BOAS PRÁTICAS Descartar apropriadamente o material utilizado. Ao transportar materiais líquidos ou semilíquidos, acondicioná-los em recipiente fechado.

  27. Boas práticas em laboratórios de saúde Cuidar com correntes de ar na manipulação de reagentes - pesagem. Organizar protocolo antes das tarefas. Cuidado ao retirar materiais de dentro da centrífuga. Evitar trabalhar sozinho.

  28. Boas práticas em laboratórios de saúde Não atender o telefone ou abrir portas usando luvas descartáveis. Não lavar ou desinfetar luvas cirúrgicas ou luvas de exame para reutilização. Não utilizar “T” nas tomadas elétricas Quando for trabalhar, manter a bancada livre de cadernos, livros ou qualquer material que não faça parte da tarefa.

  29. Boas práticas em laboratórios de saúde Lei de “murphy”

  30. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs) EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs)

  31. BIOSSEGURANÇA • Equipamentos de proteção individual (EPIs) • Equipamentos de proteção coletiva (EPCs) ABORDAGENS...

  32. Barreiras de contenção Todo tipo de equipamento que se coloca entre o pesquisador e seu material de pesquisa, com a finalidade de protegê-lo contra possíveis riscos biológicos, químicos e físicos.

  33. Barreiras de contenção primária - Equipamentos de proteção individual (EPI) - Equipamentos de proteção coletiva (EPC) Barreiras de contenção secundária Barreiras de contenção BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO - Desenho e estrutura física dos laboratórios

  34. Equipamentos de proteção individual Portaria 3214-NR6 (08/06/78) “Todo dispositivo de uso individual, de fabricação nacional ou estrangeira, destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador”. Distribuição gratuita.

  35. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Luvas; Pro-pé (botas); Jaleco; Óculos; Protetor auditivo;

  36. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - Protetor facial; - Cremes para a pele; - Pêra de borracha; - Máscara com filtro; • Protetor respiratório; • Capacetes de segurança.

  37. JALECOS AVENTAIS PVC AVENTAIS KEVLER

  38. EPIs (LUVAS) ÁLCOOL POLIVINÍLICO (PVA) NEOPRENE LÁTEX Cloreto de Polivinila PVC LUVAS DE MALHA DE AÇO LUVA DE KVELAR

  39. EPIs (LUVAS)

  40. Neoprene E E B NR E NR E E E NR NR PVC NR NR NR NR NR NR E E B NR NR PVA NR NR NR E NR E NR NR B B E Borracha Butadieno NR B NR NR E B E E NR NR B Substância Acetaldeído Ác. Acético Acetona Benzeno Butanol Clorofórmio Formaldeído HCl Fenol Tolueno Xileno Borracha natural E E E NR E NR E B E NR NR LUVAS E: Excelente; B: Bom; NR: Não recomendada

  41. EPIs PROTETOR MECÂNICO PARA PARTICULAS SUSPENSAS NO AR

  42. MÁSCARA COM FILTRO • FILTROS PARA PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA BRANCO- gases e ácidos Amarelo- vapores orgânicos e gases ácidos Verde- amônia Marrom- vapores orgânicos, gases ácidos e amônia Vermelho- Universal (gases industriais, monóxido de carbono) Branco com listras verdes- vapores de ácido clorídrico Branco com listras amarelas- cloro Azul- monóxido de carbono

  43. EPIs

  44. - PROTETOR FACIAL - ÓCULOS

  45. BIOSSEGURANÇA

  46. EPIs

  47. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Considerações - Tempo de adaptação; - Conforto; - Qualidade (Certificado de Aprovação); - Treinamento.

  48. BIOSSEGURANÇA

  49. BIOSSEGURANÇA SIMBOLOGIA Proteção obrigatória para as mãos Proteção obrigatória para os pés Uso obrigatório de óculos de proteção Uso obrigatório de máscara integral