reformas e inova o tecnol gica no setor el trico brasileiro n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Reformas e inovação tecnológica no setor elétrico brasileiro PowerPoint Presentation
Download Presentation
Reformas e inovação tecnológica no setor elétrico brasileiro

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 17

Reformas e inovação tecnológica no setor elétrico brasileiro - PowerPoint PPT Presentation


  • 116 Views
  • Uploaded on

Reformas e inovação tecnológica no setor elétrico brasileiro. João Lizardo R. H. de Araújo, CEPEL. Paradigma Tradicional. Indústria de suprimento de eletricidade foi construída sobre Fortes economias de integração, densidade e co-ordenação Condições financeiras favoráveis isto levou a

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Reformas e inovação tecnológica no setor elétrico brasileiro' - anstice


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
reformas e inova o tecnol gica no setor el trico brasileiro

Reformas e inovação tecnológica no setor elétrico brasileiro

João Lizardo R. H. de Araújo, CEPEL

paradigma tradicional
Paradigma Tradicional
  • Indústria de suprimento de eletricidade foi construída sobre
    • Fortes economias de integração, densidade e co-ordenação
    • Condições financeiras favoráveis
  • isto levou a
    • Indústria coordenada e verticalmente integrada
    • Decisões centralizadas e cooperação
    • Expansão capaz de atender a demanda em crescimento rápido
    • Tecnologia pouco dinâmica
paradigmas mudaram
Paradigmas mudaram
  • Nos anos recentes, a ISE tem sofrido revoluções em sua estrutura e operação
    • Decisões descentralizadas
    • Pressões competitivas
  • Contextos econômico e financeiro também se alteraram de forma significativa
    • Mas existem grandes diferenças entre países desenvolvidos e em desenvolvimento
aspectos comuns dos novos contextos
Aspectos comuns dos novos contextos
  • Maiores riscos e incertezas
  • Piores condições de financiamento
  • Em conseqüência, caíram os investimentos em relação às receitas
  • Confiabilidade e segurança foram prejudicadas
  • Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento foram particularmente afetadas, por requererem continuidade de longo prazo, apesar de representarem pequena fração dos investimentos
parcela de eletricidade aumentou no consumo de energia
Parcela de eletricidade aumentou no consumo de energia
  • Entre 1970 e 2002, no Brasil
    • Intensidade energética total caiu 12%
    • Intensidade elétrica aumentou 75%!
  • Entre 1970 e 2002, nos EUA
    • Intensidade energética total caiu 47%!
    • Intensidade elétrica permaneceu constante
  • Além disto, a eletricidade permeia todas as atividades e produtos
slide6

… Mas o investimento caiu

(In the USA)

Fonte: EPRI

e a confiabilidade caiu
E a confiabilidade caiu
  • Nos EUA, de 1991-1995 a 1996-2000 (EPRI, 2003)
    • Falhas afetando 50.000 consumidores ou mais cresceram 41%
    • Na média, 15% a mais de consumidores foram afetados
    • Falhas de mais de 100 MW aumentaram 15%
    • Carga média perdida aumentou 34%
contexto para pa ses em desenvolvimento pior
Contexto para países em desenvolvimento é pior
  • Condições financeiras mais desfavoráveis
  • Sistemas imaturos ainda mostram ganhos significativos de coordenação e integração,
  • Também têm menos folga para haver competição efetiva
  • Alto potencial de crescimento da demanda
  • Em conseqüência, sistemas estão mais exigidos e sob piores condições
existe hiato mundial em p d no setor el trico
Existe hiato mundial em P&D no setor elétrico
  • P&D é atividade de longo prazo, com significativos ganhos de rede e cooperação
  • Mudanças de paradigma e contexto afetaram atividades de P&D, quando são mais necessárias:
    • Há novos desafios, que não podem ser enfrentados meramente aumentando investimentos em expansão, duplicação e manutenção de instalações
    • Os problemas são comuns a todas as empresas de eletricidade, que raramente são capazes de desenvolver pesquisas próprias
    • Mas o novo contexto tornou muito mais difícil às empresas cooperarem entre si
  • Paradoxo: necessidade não leva a inovações?!
as empresas el tricas podem ser empres rios schumpeterianos
As empresas elétricas podem ser empresários Schumpeterianos?
  • Em competição monopolística, P&D ajuda na disputa por mercado entre líderes da indústria e competidores
  • Isto pressupõe que empresas individuais
    • tenham escala para fazer P&D
    • e possam apropriar-se dos retornos,
    • que existam oportunidades de expansão e competição efetiva
  • Este seria o motor da inovação
  • Em que medida isto ocorre no setor elétrico?
obst culos p d el trica em ambiente competitivo
Obstáculos à P&D elétrica em ambiente competitivo
  • Empresas elétricas formaram sua cultura num ambiente não competitivo.
  • Sua escala e operações não se transferem facilmente ao teatro global, em contraste com outros setores
  • Instalações de pesquisa são grandes relativas ao tamanho das empresas, e muitos resultados (especialmente em T&D) beneficiam o SISTEMA – não são internalizáveis pela empresa que os faz
    • Exceção: indústria de equipamentos
mais ainda
Mais ainda,
  • O mercado elétrico não tem o dinamismo de telecomunicações e informática, ou o alcance global da indústria do petróleo
  • É pois improvável que a ISE siga trajetórias Schumpeterianas no futuro previsível
  • Ou seja, P&D em EE requer coordenação e cooperação, principalmente com respeito ao sistema
desafios frente
Desafios à frente
  • Confiabilidade e segurança (em suas várias acepções) são cruciais num sistema interdependente, com múltiplos agentes e múltiplas ameaças, no qual falhas têm impactos muito mais graves que no passado, pela crescente importância da eletricidade para a economia e a sociedade
    • Respostas tecnológicas embutem novos riscos : uma “internet de energia” é necessária mas deverá enfrentar potenciais ataques de “hackers”
  • Qualidade do fornecimento de eletricidade deve adequar-se às necessidades de uma economia digital, na qual aparelhos processadores de informação estarão em toda a parte
  • O sistema deve desenvolver e acomodar uma variedade de recursos distribuídos, com características e implicações distintas
  • A indústria deve reduzir os danos ao meio ambiente, visando alcançar uma trajetória tecnológica sustentável
problemas do brasil
Problemas do Brasil
  • Hidreletricidade garante resposta instantânea mas tem problemas de
    • Reservas de energia
    • Segurança de barragens
  • Sistema imaturo requer expansão rápida para dar confiabilidade, mas capital é escasso
  • Desafio: incorporar geração distribuída numa rede com baixa redundância
  • Desigualdade social e regional requer soluções tecnológicas específicas para complementar políticas sócio-econômicas
  • Temos competência técnica, mas falta de apoio coordenado pôs em risco as instituições e instalações de pesquisa existentes
conclus o
Conclusão
  • Temas tecnológicos do setor elétrico requerem cooperação entre empresas, especialmente no que diz respeito ao sistema
  • Dado o contexto competitivo, o Governo deve agir como facilitador e articulador de políticas
  • Esta ação deve levar em conta as estratégias empresariais de empresas elétricas, públicas e privadas
  • Competências e instalações existentes devem ser fortalecidas, numa rede baseada em coordenação e complementaridade
  • Deve utilizar-se a base de conhecimentos disponível, nacional e internacional