ANATOMIA DENTAL DO CANINO INFERIOR DOCENTES: CRISTIANO SEMEDO FLO - PowerPoint PPT Presentation

anatomia dental do canino inferior docentes cristiano semedo floriza tunes n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ANATOMIA DENTAL DO CANINO INFERIOR DOCENTES: CRISTIANO SEMEDO FLO PowerPoint Presentation
Download Presentation
ANATOMIA DENTAL DO CANINO INFERIOR DOCENTES: CRISTIANO SEMEDO FLO

play fullscreen
1 / 16
ANATOMIA DENTAL DO CANINO INFERIOR DOCENTES: CRISTIANO SEMEDO FLO
408 Views
Download Presentation
amanda
Download Presentation

ANATOMIA DENTAL DO CANINO INFERIOR DOCENTES: CRISTIANO SEMEDO FLO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. ANATOMIA DENTAL DO CANINO INFERIORDOCENTES:CRISTIANO SEMEDO FLORIZA TUNES DICENTES: ADEILTON DE JESUS Nº 01 MARIA OCLEILSE Nº 22

  2. Caninos Inferiores Adeilton & Isa

  3. CANINO INFERIOR • Esses dentes apresentam achatamento mésio-distal de suas raízes e, desse modo, o canal é mais largo no sentido vestíbulo-lingual do que no sentido mésio-distal. A área de dentina na região vestibular e lingual do canal radicular é mais permeável que as paredes mesiais e distais.

  4. Faces dos Caninos Inferiores

  5. É de formato pentagonal com fossas muito discretas sentido incisal terço médio é convexa da cervical para incisal e convexa de distal a mesial , e o colo bem convexo da cervical para incisal e nas proximais convexos e bem sinuoso para oclusal ou incisais Vestibular

  6. O canino tem formato pentagonal Forma pentagonal, é bastante alongada.Os diâmetros, que eram muito parecidos no superior, são agora muito diferentes. Esta face apresenta uma acentuada inclinação para lingual. O desgaste da borda incisal, faz-se na oclusão normal, sempre às espessas do esmalte vestibular.A superfície é convexa em ambos os sentidos, com grande inclinação cérvico-incisal.

  7. Face lingual É pouco mais estreita que a vestibular. A fossa lingual é profunda e o cíngulo menos desenvolvido, do que o canino superior possui também leve depressão, cristas marginais pouco marcadas, fossa lingual e sulcos de desenvolvimento separando lóbulos poucos desenvolvidos, . A ausência do buraco cego é regra.

  8. Triangulares e ligeiramente convexas no terço incisal, são escavadas no restante. Quando se observa o canino inferior por uma das faces de contato, nota-se que a borda cervical é mais baixa no lado lingual que no vestibular. A face mesial é ligeiramente inclinada e não muito convexa. A distal é mais inclinada e convexa      PONTO DE CONTATO

  9. Face incisal    Tem o aspecto de letra “v”, com a vértice bastante deslocado para a mesial, porém o que o distingue do canino superior é a grande inclinação, que mais se acentua com o desgaste.

  10. Oclusão: onde se localiza e onde oclui o canino inferior? É o 3º dente no arco inferior, de volume menor que o superior, em oclusão o canino inferior esta localizado do lado mesial do canino superior, no sentido V-L a face V da coroa é muito mais inclinada que a do incisivo lateral inferior, no sentido M-D a coroa é vertical e oclui mesialmente com o incisivo lateral superior e distalmente com o canino superior.

  11. Direção da raiz do canino inferior • Terço cervical: Forma ovalada com base para vestibular e achatamento proximal  • Terço médio: Forma ovalada com base para vestibular e achatamento proximal, porém de menor calibre que o cervical  • Terço apical: Forma circular

  12. CANINO INFERIOR Raiz   Menor e menos volumosa, oferece em relação com os diâmetros transversais da coroa, uma secção ovóide com estreitamento mésio-distal, em alguns casos, não muito freqüentes, leva a uma bifurcação apical • MEDIDAS DO CANINO INFERIOR • COMPRIMENTO TOTAL 25.6 • COMPRIMENTO DA RAIZ 15.3 • ALTURA DA COROA 10.3 • DIMENSÃO M/D DA COROA 6.9 • DIMENSÃO M/D DO COLO 5.2 • DIMENSÃO V/L DA COROA 7.9

  13. Canino Inferior • A raiz do canino inferior é quase sempre única, podendo não raramente se apresentar bífida(partida ao meio, ou em duas direções). Suas dimensões são menores do que a dos caninos superiores e possui achatamento mesio distal,. .

  14. Os caninos inferiores podem se apresentar do seguinte modo: a) uma raiz e um canal; b) uma raiz com dois canais, que podem terminar em um único forame ou em dois forames independentes e c) com duas raízes e dois canais, que podem estar bifurcados na região média ou na região apical ou, ainda, fusionados.

  15. As raizes nem sempre possuem o mesmo formato...

  16. 34ª TURMA DE TPD de 2010 • Da mesma forma, que um díscipulo não pode seguir os passos do seu guia, pois cada um tem uma maneira de ver a vida de conviver com as dificuldades e com as conquistas. Ensinar é mostrar que é possível a si mesmo, pois por mais árdua que seja a luta, por mais distante que um ideal se apresente, por mais difícil que seja a caminhada, existe sempre uma maneira de vencer... O nosso esforço e nossa dedicação, com muita garra amor e paixão pelo que sonhamos, pelo que fazemos e pelo que queremos ser... E nós queremos e seremos futuros técnicos em prótese dentária... Então nos veremos lá! num futuro não muito distante..OBRIGADA A TODOS VOCÊS por assistirem nosso seminário ficamos muito felizes ... • ADEILTON e ISA FUTUROS TPD´S