slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Curso de Passes tema: tipos de passes PowerPoint Presentation
Download Presentation
Curso de Passes tema: tipos de passes

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 22
aldis

Curso de Passes tema: tipos de passes - PowerPoint PPT Presentation

175 Views
Download Presentation
Curso de Passes tema: tipos de passes
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Curso de Passes tema: tipos de passes

  2. Passes “Ato de passar as mãos repetidamente ante os olhos de uma pessoa para magnetizá-la, ou sobre uma parte doente de uma pessoa para curá-la” (novo dicionário da lingua portuguesa, ed. Nova Fronteira, Aurélio Buarque de Holanda) “Movimentos com as mãos, feitos pelos médiuns passistas, nos indivíduos com desequilíbrios psicossomátios ou apenas desejosos de uma ação fluidica benéfica” (dicionário enciclopédico espiritismo, metápsíquica, parapsicologia – ed. Bels s.a.)

  3. Passes ni “O passe é uma transfusão de energias psíquicas (…) “ (Emmanuel – O consolador, cap V questão 98) “O passe é uma transfusão de energias alterando o campo celular” (Aulus/André Luiz – Nos domínios da Mediunidade – cap XVII)

  4. Citação no Velho Testamento “Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: vai, leva-te sete vezes no jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo. Naamã, porém muito se indignou, e se foi, dizendo: pensava eu que ele sairia a ter comigo, por-se-ia de pé invocaria o nome do senhor seu deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso” (ii reis, cap V, v 10 e 11) “Josué, filho de Num estava cheio do espírito de sabedoria, porquanto Moisés havia posto sobre ele, suas mãos (…)” (Deuteronônimo, cap VIII, v 3)

  5. Citação no Novo Testamento “e Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe dizendo: QUERO, FICA LIMPO! E imediatamente ele ficou limpo de sua lepra” (Mateus, cap. VIII, v 3) “Então Ananias foi e entrando na casa, impôs as mãos sobre ele dizendo: Saulo, irmão, o senhor me enviou, a saber, o próprio Jesus que te apareceu no caminho por onde vinhas, para que recuperes a vista e fiques cheio do espírito santo.” (Atos, cap IX, v 17)

  6. Mecanismo do Passe O passe: transfusão de energias psíquicas e espirituais A transmissão de fluidos terapêuticos, através do passe espírita, representa, como resultado a vontade de três agentes: • O espírito que combina, qualifica e direciona os fluidos (espirituais) • O médium que oferece seus fluidos (humanos) • O assistido que deseja receber as energias A transmissão de fluido ocorre quando os três agentes (ESPIRITO, MÉDIUM E ASSISTIDO ) estabelecem uma ligação perispiritual entre si.

  7. Mecanismo do Passe VONTADE = AGENTE PRINCIPAL PARA QUE A TRANSFERÊNCIA DE FLUIDOS SE PROCESSE. Requisitos para uma eficiente transmissão de fluidos • Vontade sincera de ajudar o próximo • Boas qualidade morais • Fé (conhecimento e certeza) • Equilíbrio espiritual • Disciplina • Compreensão e respeito aos problemas humanos • Ligação com espíritos bons e curadores • Conhecimento específico do passe

  8. Mecanismo do Passe Requisitos para uma eficiente recepção de fluidos • Desejar receber ajuda espiritual • Ter confiança no tipo de auxílio a ser recebido • Lutar para diminuir pensamentos negativos • Adquirir conhecimento sobre a transmissão dos fluidos • Encarar o passe como ato natural e não como um ritual, um culto, um ato místico e miraculoso

  9. Tipos de Passes • Em “A Gênese”- Capítulo XIV – item 33 • Allan Kardec nos demonstra que a ação magnética pode produzir-se por diversas formas: • Pelo próprio fluido do magnetizador (passista). • Pelos fluidos do espírito (desencarnado). • Pelos fluidos do espírito (desencarnado) combinado com os fluidos do magnetizador (passista)

  10. Classificação dos Passes • A ação magnética pode produzir-se de várias maneiras; assim é que classificamos os passes em: • Espirituais • Magnéticos • Mediúnicos • Mistos

  11. Passes espirituais É uma espécie de magnetização feita pelos bons espíritos, sem intermediários, diretamente no perispírito das pessoas em necessidade. No passe espiritual o necessitado não recebe fluidos magnéticos de médiuns, mas outros mais finos e puros, trazidos dos planos superiores da vida pelos espíritos que vieram assisti-lo.

  12. Passes magnéticos É o tipo de passe onde o passista doa apenas os seus fluidos, utilizando a força magnética existente no próprio corpo. Suas qualidades variam segundo a condição moral do passista, sua capacidade de doação fluídica e seu desejo ardente e sincero de ajudar o próximo. No passe magnético, geralmente se recebe assistência espiritual, isso acontece porque os espíritos superiores sempre ajudam aqueles que desejam ajudar, independente da crença que o passista ou magnetizador possa ter. “… muito embora uma pessoa desejosa de fazer o bem não acredite em Deus, Deus acredita nela” (Kardec, Allan – livro dos Médiuns , questão 176)

  13. Passes mediúnicos e mistos No passe mediúnico o médium serve de veículo para os fluidos que os espíritos derramam sobre eles. Nesse passe, o médium fica em estado de transe e trabalha mediunizado, o que é totalmente desaconselhavel, pela perda parcial da vigilância necessária à boa condição dos trabalhos. No passe misto, quando os espíritos combinam seus fluidos com os do passista, dando-lhes características especiais. São, normalmente, os mais usados nas casas espíritas.

  14. Formas de aplicação • As obras de André Luiz (psicografia de Francisco Cândido Xavier) e Manoel Philomeno de Miranda (psicografia de Divaldo P. Franco) são ricas em conteúdo sobre as formas de aplicação do passe. • Passe rotatório/circular (André Luiz – Missionários da Luz – cap. 19) • Passe de dispersão (Andre Luiz – Ação e Reação – cap. 3 e Manoel P. de Miranda – Grilhões partidos – cap. 15) • Passe longitudinal (André Luiz – Missionários da Luz – cap. 19) • Passe de sopro: Insuflação – quente e frio (André Luiz – Os Mensageiros – cap. 19)

  15. Classificação • Imposição de mãos • Longitudinais • Transversais • Rotatórios • Perpendiculares • Passes de sopro

  16. Imposição de mãos É sempre um concentrador de fluidos. Pode ser dado com uma ou com as duas mãos direcionada (s) sobre o centro de força coronário do assistido. As mãos não devem tocar a pessoa. Devem estar sem concentração de força e sem contração muscular. No caso da imposição simples (com apenas uma mão), a outra mão deve ficar estendida ao lado do corpo.

  17. Classificação dos Passes Longitudinais Movimentam os fluidos. São feitos ao longo do corpo, da cabeça aos pés e de cima para baixo, com as mãos abertas e os braços estendidos, normalmente sem nenhuma contração, com pequenas pausas em cada centro de força. Transversais Dispersam os fluidos. São aplicados estendendo-se as palmas para baixo e vai-se abrindo rápidamente os braços no sentido horizontal, depois volta-se os mesmos, com bastante energia à posição original. A atuação deve ser feita nos centros de força coronário, cardíaco, gástrico, genésico e também nos pés.

  18. Classificação dos Passes Rotatórios ou Circulares Concentram os fluidos. São executados com as palmas das mãos girando suavemente da direita para a esquerda e vice-versa. São conhecidos como fricções sem contato. Perpendiculares Dispersam os fluidos. São aplicados com o assistido em pé. Estende-se as mãos sobre a cabeça da pessoa, descendo-as rápidamente pela frente e pelas costas, ficando o passista de lado para o assistido.

  19. Classificação dos Passes Sopro ou insuflação Esta modalidade requer do passista cuidados especiais e rigorosos. É um passe rigorosamente curativo ou dispersivo, conforme a intenção de sua aplicação. É aplicado com a boca mais ou menos aberta, sobre as partes afetadas, insuflando ali o ar, vigorosamente. Para que seja eficiente, é necessário que o passista aspire o ar em grande quantidade, dilatando o tórax para os sopros frios, ou dilatando o estômago para os sopros quentes. O passista deve ter boa capacidade respiratória, hálito saudável, estômago livre de emanações pesadas, mente limpa e retidão moral.

  20. Classificação em relação às casas espíritas • Individuais • Coletivos • Padronizados • À distância • Em domicílio

  21. Auto-passe Assim como o homem pode através dos seus fluidos influenciar o seu semelhrante, presente ou à distância, pode também igualmente agir sobre si mesmo. O auto-passe requer concentração para poder colocar-se na condição de receptor. A seguir, é necessária a meditação e a prece fervorosa. Segundo André Luiz, no livro “Nos Domínios da Mediunidade”, a oração é prodigioso banho de forças, tal a vigorosa corrente mental que atrai. A prece vigorosa, associada à fé na ajuda espiritual, acelera as nossas vibraçoes e facilita a ligação com os benfeitores. As energias espirituais somadas às nossas, retornam sobre nós trazendo-nos fluidos renovadores.

  22. O passe aliado à prece A prece tem de estar indispensávelmente aliada ao passe, para que se produza bons resultados. Segundo o espírito Batuíra “o passe deve ser aplicado à luz da oração seguindo Jesus”. “O passe na dignidade da prece, foi sempre auxílio divino às necessidades humanas. Basta lembrar que o Evangelho apresenta Jesus aos pés dos sofredores, impondo-lhes as mãos”.