slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Curso de CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente WPS ENGENHARIA PowerPoint Presentation
Download Presentation
Curso de CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente WPS ENGENHARIA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 102

Curso de CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente WPS ENGENHARIA - PowerPoint PPT Presentation


  • 196 Views
  • Uploaded on

Curso de CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente WPS ENGENHARIA. PRIMEIROS SOCORROS. PRIMEIROS SOCORROS.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Curso de CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente WPS ENGENHARIA' - Mercy


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Curso de CIPA – Comissão Interna de Prevenção de acidente

WPS ENGENHARIA

PRIMEIROS SOCORROS

slide2

PRIMEIROS SOCORROS

DEFINIÇÃO:É o pronto atendimento a partir de um sinistro até a chegada de uma equipe especializada. Não é um atendimento médico, porém representa a diferença entre a vida e a morte.

Provavelmente você já se deparou com situações em que uma interferência rápida e eficiente poderia significar uma vida salva.

Nosso objetivo é trazer a você um instrumento básico, capaz de auxiliá-lo no seu local de trabalho, ou fora dele, a prestar os primeiros atendimentos à uma vítima.

slide3

PRIMEIROS SOCORROS

OBJETIVOS DESTE MÓDULO:

  • Saber como pedir socorro à autoridade competente
  • Avaliar e controlar o risco do local
  • Identificar situações de risco imediato
  • Tomar providências para manter a vida
  • Evitar o agravamento das lesões pré-existentes
slide4

PRIMEIROS SOCORROS

SOCORRISTA

Pessoa que presta os primeiros socorros em casos de acidentes ou males súbitos.

É importante que o socorrista tenha iniciativa e certa liderança ao atuar junto à vítima.

O atendimento deve estar baseado em uma rápida avaliação das necessidades que indicam ao socorrista suas prioridades.

slide5

PRIMEIROS SOCORROS

  • COMPROMISSO DO SOCORRISTA:
  • Manter-se atualizado em técnica e conhecimento.
  • Ser honesto e autêntico com a vítima.
  • Ter uma atitude ética e responsável com as vítimas.
  • Aprender a ouvir, integrar e liderar as equipes.
slide6

PRIMEIROS SOCORROS

HORA DE OURO (HORA CRÍTICA)

slide7

PRIMEIROS SOCORROS

  • SEGURANÇA E PROTEÇÃO PESSOAL
  • O socorrista estará sob risco em qualquer socorro. O contato com sangue, saliva e outros fluídos corpóreos serão sempre uma ameaça para se contrair doenças infecciosas. Por outro lado, deixar o material usado no socorro exposto no local, torna-o um novo foco de infecção para outras pessoas.
  • Procure usar luvas, máscaras, proteção ocular e aventais ou gandolas. Ao término do socorro, entregue o material usado à equipe especializada para que seja feito descarte correto.
slide8

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA
  • Avaliação orientada para o cuidado:É a avaliação realizada pelo socorrista, no local da emergência, até a chegada da equipe especializada.

1 - Pedido de Socorro.

2 - Avaliação do Local.

3 - Avaliação do Acidente:

    • Avaliação da Vítima.
    • Exame Físico Detalhado.
    • Continuidade da Avaliação.
    • Comunicação ou Relatório.
slide9

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA
  • 1 – Pedido de Socorro:É a primeira ação do socorrista na chegada a emergência, pedir socorro é a garantia de chegada do socorro especializado, da remoção da vítima dentro da hora crítica e por conseguinte do aumento de sobrevida da vítima.

Informações no pedido de socorro:

    • Tipo de acidente.
    • Local exato do acidente.
    • A quem pedir.
    • Como pedir.
    • Quanto tempo e o número de vítimas envolvidas.
slide10

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA
  • 2 – Avaliação do local:Ao chegar ao acidente devemos observar o local para que possamos evitar que novos acidentes venham ocorrer devido ao local em que nos encontramos oferecer risco a vítima , ao socorrista e aos curiosos.

Técnicas para diminuição do risco do local:

    • Balizamento - manter distante o risco de invasão na área de socorro.
    • Sinalização - manter aviso para uma área de acesso restrito ou impedido.
    • Avaliação do Local.
slide11

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA

Técnicas para diminuição do risco do local (Continuação)

  • Exemplos de locais e situações:

- Vias de tráfego intenso.

- Curvas com zonas cegas.

- Áreas sujeitas a vazamento de produtos químicos.

- Áreas de energia elétrica.

- Áreas de desmoronamentos.

slide12

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA
  • 3 – Avaliação do acidente:Ao chegar ao acidente devemos observar o local para que possamos evitar que novos acidentes venham ocorrer devido ao local em que nos encontramos oferecer risco a vítima, ao socorrista e aos curiosos.
  • Após conseguirmos garantir a segurança do local para trabalho, podemos então avaliar e atuar sobre o acidente.
  • Devemos observar o tipo de acidente, como aconteceu ou está acontecendo e quais riscos ainda permanecem no local.
slide13

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA

Técnicas para diminuição dos riscos em acidentes:

  • Isolamento: manter afastado do acidente toda e qualquer pessoa.
  • Prevenção:evitar que novos acidentes ocorram por falta de precauções, com vazamentos descargas elétricas, desmoronamentos ou tiros.
slide14

PRIMEIROS SOCORROS

  • TRIAGEM COM UMA VÍTIMA

Técnicas para diminuição dos riscos em acidentes (continuação):

  • Avaliação do Acidente:

Exemplos de acidentes e avaliações:

      • - Explosão em área industrial.
      • - Choque de carro em poste de iluminação.
      • - Colisão entre dois veículos.
      • - Atropelamento.
      • - Queda de andaime.
      • - Mal súbito em ambiente fechado.
slide15

PRIMEIROS SOCORROS

  • AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS E SINAIS DE APOIO

SINAIS VITAIS:

  • São evidências que devem ser encontradas em todo ser humano e que através de sua avaliação podemos estabelecer parâmetros de normalidade ou anormalidade.

Os mais importantes para nós serão:

    • Respiração.
    • Pulso.
    • Temperatura.
slide16

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS

Respiração:

  • Uma vez que a respiração pare, o coração também parará de bater pouco tempo depois.
  • Após quatro ou seis minutos começarão os danos irreversíveis as células do cérebro.
  • Após dez minutos , as células do cérebro começam a morrer....

Frequência Respiratória

Bebês 25 a 50 mrpm

Crianças 15 a 30 mrpm

Adolescentes e Adultos 12 a 20 mrpm

slide17

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS

Encontrando uma respiração normal:

  • Veja os movimentos respiratórios - Observe a simetria da expansão e contração do tórax e a ausência de esforço para executar esses movimentos.
  • Ouça o ar - Entrando e saindo do nariz e da boca. Os sons devem ser sem roncos, não estar ofegante ou outros sinais incomuns.
  • Sinta o ar - Entrando e saindo do nariz e da boca.
slide18

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS

Pulso:

...expansão rítmica de uma artéria que é causada pela ejeção de sangue do ventrículo cardíaco esquerdo. Pode ser sentido onde uma artéria estiver mais próxima da superfície...

...quando o coração pára, a pessoa ficará inconsciente e sua respiração parará cerca de 30 segundos após...

Frequência Cardíaca

Recém-nascidos 85 a 205 bpm

Infantes 100 a 190 bpm

Crianças (2 a 10 anos) 60 a 140 bpm

Adultos 60 a 100 bpm

Dados da American Heart Association

PALS 1994

slide19

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS

Encontrando um Pulso normal:

  • Pulso Carotídeo.
  • Pulso Radial.
  • Pulso Femural.

Classifique o pulso em:

  • Frequência: normal, rápido ou lento.
  • Ritmo: regular ou irregular.
  • Força: cheio ou fraco.
slide20

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS

Temperatura Relativa da Pele:

... verifique a temperatura da pele na região frontal do paciente usando o dorso da mão.

Sinais encontrados:

  • Pele fria e úmida - Choque, hemorragia.
  • Pele fria e seca - Exposição ao frio.
  • Pele fria e suor pegajoso - Choque, ataque cardíaco e ansiedade.
  • Quente e seca - Febre alta e exposição ao calor.
  • Quente e úmida – Infecção.
slide21

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS DE APOIO

Sinais de Apoio:

  • São sinais encontrados no paciente que nos auxiliam na avaliação do quadro de estado geral, mas que não devem ser analisados de forma exclusiva.

Como sinais de apoio temos:

    • as convulsões.
    • Paralisia.
    • perda de sensibilidade.
    • níveis de consciência.
    • diâmetro das pupilas.
    • cor da pele.
slide22

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS DE APOIO

Convulsões:

  • Aparecem praticamente em todo tipo de lesão cerebral.

Paralisia e perda de sensibilidade:

    • Unilateral - lesão cerebral ou local.
    • Bilateral - lesão medular.
slide23

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS DE APOIO

  • Dilatadas ou Midríase
    • Falta de oxigênio no cérebro, choque, parada cardíaca, sangramento ou medicamento.
  • Contraídas ou Miose
    • Lesão no SNC e medicamentos ou drogas derivados de opiáceos.
  • Assimétricas ou Anisocoria
    • Trauma craniano ou AVE.
slide24

PRIMEIROS SOCORROS

AVALIAÇÃO DE SINAIS DE APOIO

Cor da Pele:

  • Cor azulada ou cianótica - Sinal de insuficiência respiratória, presença de gás carbônico no organismo.
  • Pálida - Possível sangramento ou obstrução dos vasos sanguíneos para a área pálida.
slide25

PRIMEIROS SOCORROS

  • AVALIAÇÃO:
  • alteração ou ausência de respiração.
  • hemorragias externas.
  • deformidades de partes do corpo.
  • coloração diferente da pele.
  • presença de suor intenso.
  • inquietação.
  • expressão de dor.
slide26

PRIMEIROS SOCORROS

  • PALPAÇÃO: A palpação do corpo da vítima pode indicar a presença ou ausência de:
  • batimentos cardíacos.
  • fraturas.
  • umidade da pele.
  • alteração da temperatura ( alta ou baixa ).
  • esfriamento das mãos e pés.
slide27

PRIMEIROS SOCORROS

  • DIÁLOGO: O diálogo com a vítima permite ao socorrista avaliar:
  • nível de consciência.
  • sensação e localização da dor.
  • incapacidade de mover o corpo ou parte dele.
  • perda da sensibilidade em alguma parte do corpo.
slide28

PRIMEIROS SOCORROS

  • AÇÕES DO SOCORRISTA:
  • desobstrução das vias aéreas.
  • restabelecimento da respiração e dos batimentos cardíacos.
  • prevenção do estado de choque.
  • preparação da vítima para remoção segura.
  • providências para transporte e tratamento médico.
slide29

PRIMEIROS SOCORROS

  • REGRAS GERAIS PARA ATENDIMENTO:
  • manter a vítima deitada, só removê-la do local em alguns casos;
  • verificar os sinais vitais do acidentado: pulso, respiração e pupilas;
  • dar prioridade ao atendimento da parada cárdio-respiratória;
  • manter vias aéreas superiores livres;
  • investigar a existência de hemorragias, queimaduras, ferimentos, fraturas, envenenamentos;
  • observar o nível de consciência;
  • em caso de amputação, recolher a parte seccionada, envolvendo-a em pano limpo;
  • afrouxar roupas e cintos;
  • agir com calma e segurança;
  • afastar os curiosos;
  • não medicar a vítima sem prescrição médica.
slide30

PRIMEIROS SOCORROS

  • CAIXA DE PRIMEIROS SOCORROS:
  • localização de fácil acesso;
  • não deve ser trancada;
  • deve ser manuseada por pessoa treinada;
  • os medicamentos devem ser vistoriados e substituído se necessário;
  • deve ser mantida limpa e organizada.
slide31

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

SITUAÇÕES QUE LEVAM À PARADA CARDIO-RESPIRATÓRIA

  • Infarto do Miocárdio;
  • Choques Elétricos;
  • Acidentes Graves;
  • Afogamentos;
  • Asfixia;
  • Intoxicações Medicamentosas;
  • Intoxicações por Agentes Químicos: monóxido de carbono, etc.
slide32

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

  • PARADA RESPIRATÓRIA:

É a ausência de movimentos respiratórios no corpo humano, alguns

Pontos devem ser observados:

  • inconsciência.
  • peito imóvel.
  • ausência de saída de ar pelas vias aéreas.
  • unhas e lábios azulados.
slide33

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

  • DESOBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS:
  • Verifique a existência de algum objeto obstruindo a passagem do ar.
  • Eleve o queixo e pressione a testa para baixo.
  • RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL:
  • Feche as narinas da vítima com o polegar e o indicador
  • Inspire profundamente, coloque sua boca sobre a boca da vítima e sopre sem deixar escapar o ar
slide34

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

  • PARADA CARDÍACA:
  • É a ausência de batimentos cardíacos onde não se percebe os pulsos da vítima.
  • As pulsações indicam o ritmo e a força com que o coração envia sangue ao corpo.
  • inconsciência.
  • ausência de pulsação(femural/carotídeo).
  • ausência de batimento cardíaco.
slide35

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

RESSUSCITAÇÃO CÁRDIO PULMONAR:

Com a pessoa no chão em posição horizontal, coloque uma mão sobre a outra e pressione o osso vertical do peito.

slide36

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

TEMPO ESSENCIAL

4 minutos : lesão cerebral improvável

6 minutos : lesão cerebral possível

10 minutos: lesão cerebral muito provável

slide37

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

  • MASSAGEM CARDÍACA
  • Colocar a vítima deitada de costas em superfície rígida;
  • Apoiar a metade inferior da palma da mão no terço inferior do osso esterno e colocar a outra por cima, os dedos e o restante da palma da mão não devem encostar no tórax da vítima;
  • Esticar os braços e comprimir o tórax da vítima;
  • Fazer compressões curtas e fortes ( cerca de 60 por minuto);
  • Intercalar com a massagem cardíaca, a respiração, com um ritmo de 5 compressões para cada respiração.
slide38

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

RESPIRAÇÃO BOCA-A-BOCA

  • Retirar da boca da vitima dentadura, resto de alimentos, limpando a boca com um pano limpo;
  • Levantar a nuca da vítima com uma das mãos, inclinando a cabeça para trás e a ponta do queixo voltada para cima;
  • Tampar as narinas da vítima com o polegar e o indicador e abrir completamente a boca da vitima;
  • Encher bem os pulmões e colocar a boca sobre a da vítima, sem deixar nenhuma abertura, assoprando com força até perceber que o tórax da vitima está se elevando;
  • Afastar a boca e destampar as narinas da vítima deixando que os pulmões se esvaziem naturalmente e enquanto isso inspire novamente;
  • Iniciar novamente a operação intercalando com a massagem cardíaca.
slide39

PRIMEIROS SOCORROS

PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA:

MANOBRAS DE RESSUSCITAÇÃO:

UM SOCORRISTA: 02 respirações artificiais e 15 compressões cardíacas.

DOIS SOCORRISTAS: 01 respiração artificial e 05 compressões cardíacas.

slide40

PRIMEIROS SOCORROS

ESTADO DE CHOQUE:

Ocorre pela redução do volume de sangue circulante ou deficiência do sistema cardiovascular.

Grandes perdas de sangue caracterizam a gravidade da situação pela deficiência de circulação e oxigenação de órgãos vitais do corpo.

SINTOMAS:

  • pulso rápido e fraco, difícil de palpar.
  • pele fria e úmida.
  • suor abundante.
  • palidez, lábios e extremidades descoradas.
  • sensação de frio.
  • ansiedade, agitação ou inconsciência.
  • respiração curta, rápida e irregular.
slide41

PRIMEIROS SOCORROS

ESTADO DE CHOQUE

CUIDADOS:

  • se não houver lesão na cabeça, abdome, tórax ou coluna, eleve as pernas da vítima a 20 cm acima do solo para que o sangue oxigene os órgãos vitais.
  • se houver lesão na perna, eleve para reduzir o sangramento, afrouxar as roupas.
  • colocar a vítima em posição lateral em casos de vômito e semi-reclinada se houver dificuldade respiratória.
  • se inconsciente, não oferecer líquidos.
slide42

PRIMEIROS SOCORROS

HEMORRAGIA

É a perda de sangue quando há rompimento de veias ou artérias, provocado por cortes, amputações, esmagamentos, fraturas, etc.

As hemorragias podem ser externas ou internas.

  • lavar com água limpa, não friccionar.
  • comprimir o local do sangramento.
  • envolver com curativo limpo e seco.
  • em caso de amputação, conserve o membro amputado no gelo.
slide43

PRIMEIROS SOCORROS

HEMORRAGIA

Hemorragia Externa

Hemorragia Interna

slide44

PRIMEIROS SOCORROS

HEMORRAGIA

  • Sangue venoso: fluxo contínuo e pouco intenso.
  • Sangue arterial: fluxo em jato e intenso, pode causar a morte em 5 minutos.
slide45

PRIMEIROS SOCORROS

FERIMENTO NO ABDOME

Os ferimentos profundos podem perfurar e provocar a evisceração de órgãos internos.

  • não recolocar as vísceras no lugar.
  • cobrir as partes expostas com panos úmidos.
  • providenciar socorro médico com urgência.
slide46

PRIMEIROS SOCORROS

FERIMENTO NO TÓRAX

Geralmente são graves, principalmente quando atingem a área dos pulmões, podendo provocar pneumotórax ou hemotórax.

  • cobrir o ferimento com panos limpos no momento da expiração.
  • não comprimir o tórax.
  • encaminhar o mais breve ao hospital.
slide47

PRIMEIROS SOCORROS

CORPO ESTRANHO

Nos olhos:

  • não esfregar, irrigar com água limpa.
  • cobrir ambos os olhos e encaminhar a um especialista.

Objeto encravado no corpo:

  • não retirar o objeto, pode provocar hemorragia grave ou lesão de nervos e músculos.
  • fazer curativo volumoso para estabilizar o objeto, encaminhar ao médico.
slide48

PRIMEIROS SOCORROS

FRATURAS

FECHADA: quebra de um osso onde não há rompimento da pele.

ABERTA: ou exposta, quando o osso perfura a pele.

  • dor intensa e deformação do local afetado.
  • incapacidade ou limitação de movimentos.
  • edema e hematoma no local.
  • crepitação (atrito entre os ossos).
slide49

PRIMEIROS SOCORROS

FRATURAS

Fratura Crânio

  • dor local.
  • vômito.
  • inconsciência.
  • parada respiratória.
  • hemorragia (nariz, boca, ouvido).
slide50

PRIMEIROS SOCORROS

FRATURAS

Fratura Coluna

  • dor local.
  • perda da sensibilidade.
  • dormência.
  • perda de movimento.
  • dos membros.
slide51

PRIMEIROS SOCORROS

FRATURAS

Fratura Costela

  • dor e dificuldade respiratória.
  • sensação de falta de ar.
slide52

PRIMEIROS SOCORROS

FRATURAS

Fratura Pélvica

  • dor local.
  • dificuldade ou impossibilidade de permanecer em pé.
slide53

PRIMEIROS SOCORROS

CHOQUE ELÉTRICO

  • resista ao impulso de correr até seu colega.
  • avalie a segurança do local.
  • desligue a corrente elétrica.
  • se houver parada cárdio-respiratória, posicione horizontalmente a vítima e inicie a massagem cardíaca e respiração artificial.
  • proteja as queimaduras com curativo limpo.
slide54

PRIMEIROS SOCORROS

CHOQUE ELÉTRICO - QUEIMADURAS

slide55

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS

  • Funções da Pele: barreira contra patógenos, auxilia na regulação da temperatura, percebe dor, toque, controla a temperatura e serve de barreira mecânica.
  • Fonte de Queimaduras: calor, química, elétrica e radiação.
  • Classificação da Queimadura quanto à profundidade do tecido queimado e a resposta da pele: primeiro, segundo e terceiro grau.
slide56

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS

São divididas em três categorias:

  • 1º GRAU: lesão superficial, vermelhidão, dor local.
  • 2º GRAU: lesão mais profunda, formação de bolhas, desprendimento da pele.
  • 3º GRAU: lesão de todas as camadas da pele, comprometimento de tecidos profundos até o osso.
slide57

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS

1o e 2o Graus

Cálculo da Superfície Corporal Queimada

3o Grau

slide58

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS

Cuidados:

  • se houver fogo, abafar com cobertor.
  • lavar a área queimada com água fria e cobrir com curativo limpo e úmido.
  • elevar o membro afetado acima do nível do coração.
  • oferecer líquidos se estiver consciente.
  • encaminhar ao serviço especializado.
  • O risco de vida é maior nas queimaduras acima de 15% da área corporal.
slide59

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS

  • Cuidados na Queimadura Térmica:
  • Remova a fonte de calor com água ou pano.
  • Resfrie a área queimada imediatamente com água fria corrente por alguns minutos.
  • Retire, se possível, anéis e objetos como colares e brincos.
  • Proteja a área queimada.
  • Mantenha o paciente aquecido.
  • Nunca use pasta de dente, manteiga, óleos, pomadas ou produtos de qualquer tipo.
  • Não fure bolhas.
slide60

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS

Cuidados nas Queimaduras por Produtos Químicos:

  • Proteja-se do produto químico usando proteção individual como luvas, botas e óculos.
  • Remova as roupas com produto químico se possível.
  • Lave por pelo menos 15 minutos o local com água em abundância porém sem jatos fortes.
  • Se possível identifique o agente químico.
slide61

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS QUÍMICAS

Um produto químico, em contato com a pele, provoca queimaduras e age lentamente nas camadas da pele.

  • enxaguar a pele com água fria e corrente em abundância, não molhar nos casos de soda cáustica em pó.
  • remover os tecidos atingidos pela substância química.
  • encaminhar ao serviço especializado.
slide62

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS ELÉTRICAS

  • A lesão é causada pela passagem de corrente pelo corpo.
  • A extensão da queimadura irá do ponto de entrada ao ponto de saída da corrente.
  • Contato elétrico causa disfunção no controle do tecido muscular.
  • Choque elétrico pode causar mal funcionamento dos músculos respiratórios e do sistema elétrico do coração.
slide63

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURAS ELÉTRICAS

Cuidados nas Queimaduras por Elétricas:

  • Desligue a fonte de energia antes de qualquer coisa.
  • Mantenha os sinais vitais observando a necessidade de ressuscitação.
  • Retire as roupas queimadas, brincos e anéis.
  • Verifique os pontos de entrada e saída da corrente.
  • Cuide das queimaduras com curativo seco ou panos limpos.
  • Verifique sempre os sinais vitais.
slide64

PRIMEIROS SOCORROS

INSOLAÇÃO

Exposição excessiva ao sol ou calor provocando tonturas, dor de cabeça, pulso rápido, pele úmida e desmaio.

  • remover a vítima para um ambiente arejado.
  • retirar as roupas em excesso.
  • deitar a vítima e elevar as pernas acima do nível do tronco e cabeça.
  • oferecer líquidos, se consciente.
  • Em ambientes abafados deve-se ingerir muito líquido e alimentos com sal.
slide65

PRIMEIROS SOCORROS

EXPOSIÇÃO AO CALOR EXCESSIVO

  • Pele úmida, pálida e fria.
  • Cãibras nas pernas e abdome.
  • Esgotamento, vertigem, fraqueza e perda da consciência.
  • Pulso fraco e respiração rápida e superficial.
  • Sudorese intensa.
  • Busque um local fresco e afrouxe ou remova as roupas em excesso.
  • Forneça água se o paciente estiver consciente.
  • Posicione o paciente consciente com suas costas e membros elevados. Se inconsciente sobre o lado esquerdo.
slide66

PRIMEIROS SOCORROS

EXPOSIÇÃO AO CALOR EXCESSIVO

  • Pele quente e seca ou úmida.
  • Respiração profunda, seguida por respiração superficial.
  • Pulso rápido e forte, seguido por pulso rápido e fraco.
  • Fraqueza e perda da consciência.
  • Transpiração escassa ou ausente.
  • Pupilas dilatadas.
  • Resfrie o paciente.
  • Remova-o para um local fresco e retire as roupas em excesso.
  • Bolsas de gelo devem ser colocadas: nas axilas, punhos, tornozelos, virilhas e pescoço do paciente.
  • Se necessário, imergir o paciente em uma banheira (Não faça isso sem solicitação do médico).
  • Monitore os sinais vitais.
slide67

PRIMEIROS SOCORROS

EXPOSIÇÃO AO FRIO EXCESSIVO

Hipotermia moderada - calafrios, entorpecimento, sonolência, respiração e pulsos rápidos no início, articulação e músculos rígidos.

  • Mantenha o paciente seco, use calor ( humano ou artificial) para elevar a temperatura.
  • Se consciente, dê-lhe líquidos quentes. NUNCA BEBIDA ALCÓOLICA.
  • Monitore os sinais vitais.

Hipotermia severa - inconsciência, respiração lenta ou parada respiratória, pulso lento ou parada cardíaca, rigidez muscular.

  • Não reaqueça o paciente. Envolva-o em mantas.
  • Monitore os sinais vitais.
slide68

PRIMEIROS SOCORROS

QUEIMADURA PELO FRIO

  • Início lento com entorpecimento, formigamento e ardor.
  • Profunda - pele branca como cera, ou manchas com bolhas e cinza amarelado ou azulado.
  • Remova o paciente do frio e aqueça a área afetada delicadamente
  • Não faça massagem na área afetada.
  • No caso de queimaduras profundas pode-se usar água morna desde que se tenha como mantê-la nesta temperatura até o transporte chegar.
slide69

PRIMEIROS SOCORROS

INALAÇÃO DE GASES TÓXICOS

Sintomas:

  • dor de cabeça, sonolência, enjôo.
  • mudança da cor da pele.

Cuidados:

  • avalie a segurança do local.
  • proteja-se com respirador (máscara).
  • remova a vítima para um local arejado.
  • inicie a respiração de socorro.
slide70

PRIMEIROS SOCORROS

INGESTÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS

Vítima com odor tóxico, mudança da cor da pele, sensação de ardência na garganta, perturbação mental.

  • provocar o vômito com água morna, com sal ou sabão, passar o dedo na garganta da vítima.
  • se a ingestão foi pequena e a vítima estiver consciente, dar leite para diminuir a concentração do produto.
  • não provocar vômito se convulsões, inconsciente ou ingestão de soda cáustica, gasolina, ácidos, cal, amônia, alvejantes.
slide71

PRIMEIROS SOCORROS

INGESTÃO MEDICAMENTOSA

Sintomas:

  • azia, náuseas, vômitos, diarréia.
  • suor, palidez, dificuldade respiratória.
  • inconsciência, parada cárdio-respiratória.

Cuidados:

  • provocar o vômito.
  • dar água para diminuir a concentração do produto.
  • encaminhar ao médico junto com a embalagem.
slide72

PRIMEIROS SOCORROS

CONVULSÕES

Contratura involuntária da musculatura provocando movimentos desordenados.

  • colocar a vítima em local confortável.
  • introduzir um pano entre os dentes para evitar mordida da língua.
  • afrouxar as roupas.
  • não segurar a vítima, não dar tapas, deixar a vítima debater-se.
slide73

PRIMEIROS SOCORROS

AFOGAMENTO

  • retirar a vítima da água segurando-a por trás.
  • posicionar a vítima horizontalmente.
  • verificar as vias aéreas e iniciar manobras de ressuscitação se estiver inconsciente.
  • em caso de regurgitação de água, colocar a vítima em posição lateral.
  • providenciar o aquecimento da vítima.
slide74

PRIMEIROS SOCORROS

VÍTIMAS COM DISTÚRBIO DE COMPORTAMENTO

  • CAUSAS:
  • uso de drogas ilícitas;
  • uso de alguns medicamentos;
  • infecções;
  • choque;
  • baixa taxa de glicose;
  • traumatismos da cabeça;
  • distúrbios respiratórios;
  • doença psiquiátrica.
slide75

PRIMEIROS SOCORROS

VÍTIMAS COM DISTÚRBIO DE COMPORTAMENTO

  • 1 - OBSERVAÇÃO:
  • lesões corporais visíveis;
  • ambiente: presença de frascos de medicamentos ou garrafa bebidas;
  • situações com risco de suicídio;
  • risco de lesões corporais a si próprio ou a terceiros;
  • armas em poder da vítima;
  • agitação;
  • violência.
slide76

PRIMEIROS SOCORROS

VÍTIMAS COM DISTÚRBIO DE COMPORTAMENTO

  • 2 - FALA:
  • lenta;
  • rápida;
  • clara;
  • incompreensível;
  • coerente;
  • incoerente.
  • 3 - EMOÇÕES:
  • depressão;
  • euforia;
  • ansiedade;
  • raiva;
  • agitação ;
  • medo.
slide77

PRIMEIROS SOCORROS

VÍTIMAS COM DISTÚRBIO DE COMPORTAMENTO

  • 4 - PENSAMENTO:
  • orientação quanto ao tempo, lugar, pessoas;
  • alucinações: ver, sentir, cheirar ou ouvir coisas que não existem;
  • ilusões:interpretar erradamente estímulos existentes.
  • 5 – HISTÓRICO PRÉVIO COM FAMILIARES OU AMIGOS:
  • doenças pré-existentes;
  • uso de medicamentos;
  • internações em hospitais psiquiátricos;
  • alcoolismo e uso de drogas.
slide78

PRIMEIROS SOCORROS

VÍTIMAS COM DISTÚRBIO DE COMPORTAMENTO

  • 6 - CONDUTA:
  • trabalhar sempre em grupo;
  • afastar observadores circunstanciais e obter silêncio;
  • isolar a área;
  • tornar o ambiente seguro;
  • solicitar ajuda se necessário;
  • manter distância segura e evitar contato físico desnecessário;
  • nunca assumir riscos para os quais não foi treinado;
  • verificar se a vítima não possui armas antes de aproximar-se;
  • comunicar-se, mantendo uma postura confiante;
  • falar diretamente com a vítima;
slide79

PRIMEIROS SOCORROS

VÍTIMAS COM DISTÚRBIO DE COMPORTAMENTO

  • 6 - CONDUTA:
  • identificar-se;
  • informar que sua intenção é ajudar;
  • nunca desafiar a vítima (ex. caso de suicídio);
  • assumir uma postura firme sem ameaçar;
  • oferecer suporte emocional e alternativas;
  • responder às perguntas da vítima;
  • respeitar sua dignidade;
  • evitar movimentos rápidos, exceto nas emergências médicas;
  • solicitar auxílio de familiares e amigos da vítima;
  • utilizar contenções sempre que necessário;
  • cuidar de ferimentos assim que possível.
slide80

PRIMEIROS SOCORROS

PICADAS E FERROADAS DE ANIMAIS PEÇONHENTOS

Animais peçonhentos são aqueles que introduzem no organismo humano substâncias tóxicas. Por exemplo, cobras venenosas, aranhas e escorpiões.

Se possível deve-se capturar ou identificar o animal que picou a vítima, mas sem perda de tempo com esse procedimento. Na dúvida, tratar como se o animal fosse peçonhento.

slide81

PRIMEIROS SOCORROS

PICADAS E FERROADAS DE ANIMAIS PEÇONHENTOS

Sinais e sintomas

  • Marcas da picada;
  • Dor, inchaço;
  • Manchas roxas, hemorragia;
  • Febre, náuseas;
  • Sudorese, urina escura;
  • Calafrios, perturbações visuais;
  • Eritema, dor de cabeça;
  • Distúrbios visuais;
  • Queda das pálpebras;
  • Convulsões;
  • Dificuldade respiratória.
slide82

PRIMEIROS SOCORROS

PICADAS E FERROADAS DE ANIMAIS PEÇONHENTOS

Primeiros Socorros - Cobras

  • Manter a vítima deitada. Evite que ela se movimente para não favorecer a absorção de veneno;
  • Se a picada for na perna ou braço, mantenha-os em posição mais baixa que o coração;
  • Lavar a picada com água e sabão;
  • Colocar gelo ou água fria sobre o local;
  • Remover anéis, relógios, prevenindo assim complicações decorrentes do inchaço;
  • Encaminhar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo, para que possa receber o soro em tempo;
  • Não fazer garroteamento ou torniquete;
  • Não cortar ou perfurar o local da picada.
slide83

PRIMEIROS SOCORROS

PICADAS E FERROADAS DE ANIMAIS PEÇONHENTOS

Medidas Preventivas - Cobras

  • Usar botas de cano longo e perneiras;
  • Proteger as mãos com luvas de raspa ou vaqueta;
  • Combater os ratos;
  • Preservar os predadores;
  • Conservar o meio ambiente.
slide84

PRIMEIROS SOCORROS

PICADAS E FERROADAS DE ANIMAIS PEÇONHENTOS

Sinais e sintomas – Escorpiões/Aranhas

  • Dor;
  • Eritema;
  • Inchaço;
  • Febre;
  • Dor de cabeça.

Primeiros Socorros – Escorpiões/Aranhas

  • Os mesmos utilizados nas picadas de cobras;
  • Encaminhar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo, para avaliar a necessidade de soro específico.
slide85

PRIMEIROS SOCORROS

PICADAS E FERROADAS DE INSETOS

Há pessoas alérgicas que sofrem reações graves ou generalizadas, devido a picadas de insetos (abelhas e formigas).

Sinais e sintomas

  • Eritema local que pode se estender pelo corpo todo;
  • Prurido;
  • Dificuldade respiratória (Edema de glote).

Primeiros Socorros

  • Retirar os ferrões introduzidos pelo inseto sem espremer;
  • Aplicar gelo ou lavar o local da picada com água corrente;
  • Encaminhar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo, para avaliar a necessidade de soro específico.
slide86

PRIMEIROS SOCORROS

IMOBILIZAÇÃO

Faz-se necessário um cuidado especial no sentido de não praticar manobras que possam agravar a lesão da medula; coloca-se o paciente estendido no solo em posição horizontal, com o ventre para cima; o choque também pode ocorrer numa fratura dessas. Obs: Jamais alinhe uma fratura.

slide87

PRIMEIROS SOCORROS

IMOBILIZAÇÃO

  • não recolocar o osso no lugar.
  • manter o membro em posição confortável.
  • imobilizar o membro com talas que devem ultrapassar as articulações acima e abaixo da fratura.
  • na suspeita de fratura de costela, bacia, coluna ou crânio, deitar a vítima em superfície dura e usar colar cervical.
  • puxar a vítima pela direção da cabeça ou pelos pés, nunca pelos lados.
slide88

PRIMEIROS SOCORROS

IMOBILIZAÇÃO

4 - Imobilização do braço dobrado com uma tala e quatro bandagens e uma bandagem de apoio.

3 - Imobilização com braço esticado e na posição encontrada, semi dobrado.

slide89

PRIMEIROS SOCORROS

IMOBILIZAÇÃO

2 - Imobilização do braço esticado com uma tala e quatro bandagens.

1 - Braço imobilizado com apoio de uma bandagem triangular.

slide90

PRIMEIROS SOCORROS

IMOBILIZAÇÃO

Tala e Colar Cervical

slide92

PRIMEIROS SOCORROS

LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL

  • A coluna vertebral é composta de 33 vértebras sobrepostas, localizada do crânio ao cóccix, e no seu interior há a medula espinhal, que realiza a condução dos impulsos nervosos.
  • As lesões da coluna vertebral mal conduzidas podem produzir lesões graves e irreversíveis de medula, com comprometimento neurológico definitivo (tetraplegia ou paraplegia).
  • Todo o cuidado deverá ser tomado com estas vitimas para não surgirem lesões adicionais.
slide93

PRIMEIROS SOCORROS

LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL

Sinais e sintomas

    • Dor local intensa;
    • Diminuição da sensibilidade, formigamento ou dormência em membros inferiores e/ou superiores;
    • Paralisia dos segmentos do corpo, que ocorrem abaixo da lesão;
    • Perda do controle esfincteriano (urina e/ou fezes soltas).
  • Nota:Todas as vitimas inconscientes deverão ser consideradas e tratadas como portadoras de lesões na coluna.
slide94

PRIMEIROS SOCORROS

LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL

Procedimentos adotados:

  • Cuidado especial com a vítima inconsciente;
  • Imobilizar o pescoço antes do transporte, utilizando o colar cervical;
  • Movimentar a vítima em bloco, impedindo particularmente movimentos bruscos do pescoço e do tronco;
  • Colocar em prancha de madeira;
  • Encaminhar para atendimento hospitalar.
slide95

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

  • O transporte de acidentados deve ser feito por equipe especializada em resgate (Corpo de Bombeiros, Anjos do Asfalto, outros).
  • O transporte realizado de forma imprópria poderá agravar as lesões, provocando seqüelas irreversíveis ao acidentado.
  • A vítima somente deverá ser transportada com técnicas e meios próprios, nos casos onde não é possível contar com equipes especializadas em resgate.
slide96

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

Uma Pessoa de Apoio

Passe o seu braço em torno da cintura da vítima e o braço da vítima ao redor de seu pescoço.

slide97

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

Uma Pessoa – Nas Costas

Dê as costas para a vítima, passe os braços dela ao redor de seu pescoço, incline-a para frente e levante-a.

slide98

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

Uma Pessoa – Cadeirinha

Faça a cadeirinha conforme abaixo. Passe os braços da vítima ao redor do seu pescoço e levante a vítima.

slide99

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

Duas Pessoas – Segurando Pelas Extremidades

Uma segura a vítima pelas axilas, enquanto a outra, segura pelas pernas abertas. Ambas devem erguer a vítima simultaneamente.

slide100

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

Três Pessoas

Uma segura a cabeça e costas, a outra, a cintura e a parte superior das coxas. A terceira segura a parte inferior das coxas e pernas. Os movimentos das três pessoas devem ser simultâneos, para impedir deslocamentos da cabeça, coluna, coxas e pernas.

slide101

PRIMEIROS SOCORROS

TRANSPORTE DE ACIDENTADOS

Quatro Pessoas

Semelhante ao de três pessoas. A quarta pessoa imobiliza a cabeça da vítima impedindo qualquer tipo de deslocamento.

slide102

IVANI KRAWCZUK – TÉCNICO/INSTRUTOR EM SEGURANÇA DO TRABALHO

IVAN.KRAW@YAHOO.COM.BR

9186.6531 SEJAM MULTIPLICADORES

COORDENAÇÃO GERAL

ENGENHEIRO DE SEGURANÇA

WELLINGTON PEREIRA DA SILVA

CREABA 19197