anatomia do sistema linf tico l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Anatomia do Sistema Linfático PowerPoint Presentation
Download Presentation
Anatomia do Sistema Linfático

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

Anatomia do Sistema Linfático - PowerPoint PPT Presentation


  • 1836 Views
  • Uploaded on

Anatomia do Sistema Linfático. Profª. Ana Carla Vieira dos Santos. Generalidades . O sistema linfático forma uma meia circulação na qual se inicia no TC e desemboca pouco antes do coração, nas veias. O padrão da respiração como a contração muscular impelem o fluxo linfático.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Anatomia do Sistema Linfático' - Audrey


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
anatomia do sistema linf tico

Anatomia do Sistema Linfático

Profª. Ana Carla Vieira dos Santos

generalidades
Generalidades
  • O sistema linfático forma uma meia circulação na qual se inicia no TC e desemboca pouco antes do coração, nas veias.
  • O padrão da respiração como a contração muscular impelem o fluxo linfático.
  • O tecido conjuntivo ou interticial, ou ainda intermediário e/ou tecido frouxo de sustentação.
generalidades3
Generalidades
  • O sistema de vasos linfáticos é um escoamento paralelo para as veias, com a corrente direcionada também ao coração.
  • Vasos linfáticos ou coletores linfáticos

dinamarquês Thomas Bartholin (1616 – 1680), publicado em 1653.

generalidades4
Generalidades
  • Linfáticos iniciais (produção da linfa)
  • Vasos linfáticos (transportam a linfa)
n o possui linf ticos iniciais
Não Possui Linfáticos Iniciais
  • Todos os epetélios (glândulas e epiderme);
  • TCD;
  • Medula espinhal;
  • Cérebro;
  • Sistema reticuloendotelial (baço, medula óssea e o tecido linfático);
  • Cartilagem, corpo vítreo, unhas e cristalino (s/ vasos sanguíneos)
subdivis es dos vasos linf ticos di metro
Subdivisões dos Vasos Linfáticos - Diâmetro
  • Linfático inicial - cerca de 1/20 mm
  • Pré-coletores – cerca de 1/5 a 1/10 mm
  • Coletores – cerca de ½ mm
  • Ducto linfático – cerca de 2 a 4 mm
visibilidade dos vasos
Visibilidade dos Vasos
  • Somente em condições especiais, tipo:
  • Linfagite (risco vermelho sob a pele);
  • Cirurgia abdominal quando cheia de linfa (tendo antes uma refeição hipercalórica);
  • O ducto é visível em uma cirurgia torácica se repleto de linfa.
linf ticos iniciais
Linfáticos Iniciais
  • Pequenos tubos em forma de dedo ou como malha de redes capilares frágeis ligados uns aos outros, cuja extensão é de aproximadamente 0,5 mm;
  • Não apresentam válvulas e com isso podem fluir em diferentes direções;
  • Núcleo celular das células endoteliais é de 0,8 a 1,4 Mm
slide9
Suas paredes são finas – 0,1 a 0,2 Mm;
  • No seu interior temos enormes oscilações de calibre;
  • São em parte cobertos por uma fina membrana basal;
  • Em torno dos linfáticos iniciais temos uma rede fibrilar (filamentos ou fibras de ancoragem) que permite a fixação no tecido circundante impedindo que estes venham a se colabar devido fragilidade.
slide10
Quando a pressão do tecido interticial está baixa, essas fendas intercelulares ou portas linfáticas estão fechadas.
  • Quando da forma contrária as portas linfáticas estão abertas, por meio da tração dos filamentos de ancoragem.
  • O nº. dos linfáticos iniciais é maior na pele e mucosa (microrganismos)
  • A quantidade das fendas intercelulares na cerrada rede linfática é estimada em 5 a 10.000/mm3
pr coletores
Pré-Coletores
  • Os linfáticos iniciais desembocam nestes pré-coletores;
  • Diâmetro de 50 a 200 Mm e espessura da parede de 1,5 a 2 Mm;
  • Aprofundam-se verticalmente e desembocam nos coletores;
  • São envoltos por uma rede fibrilas conjuntiva de formato anelar e uma membrana contínua com fibras elásticas esporádicas, células musculares e válvulas;
coletores
Coletores
  • Os pré-coletores desembocam nos coletores;
  • Diâmetro de 300 a 600 Mm;
  • Os coletores seguem em linha reta e possuem seus próprios vasos sanguíneos;
  • São mais ricos em válvulas que as veias;
linfangion
Linfangion
  • Um segmento de vasos linfáticos entre dois pares de válvulas que podem chegar a um comprimento de 3 a 15 mm.
  • A distância entre as válvulas aumenta em direção ao centro, e a maior é no ducto torácico, com 4 a 8 cm.
  • Em média um adulto tem de 10.000 a 15.000 linfangions.
camadas
Camadas
  • Parede dos coletores e dos ducto:
  • Íntima = camada interna = camada endotelial
  • Média = camada intermediária = camada muscular
  • Adventícia = camada externa = camada de sustentação
slide18
Membros:
  • Coletores superficiais (epifascial = extrafascial)
  • Coletores profundos (subfascial = intrafascial)
  • Tronco: coletores cutâneos e os coletores linfáticos.
slide19
MMSS e MMII é mais desenvolvido o sistema linfático superficial que o profundo.
  • Vasos linfáticos perfurantes = vasos comunicantes do fluxo linfático da subfáscia para a epifáscia, ou seja, de dentro para fora.
troncos linf ticos
Troncos Linfáticos
  • Ducto torácico
  • Ducto linfático direito
ducto tor cico
Ducto Torácico
  • Em um adulto tem o diâmetro de 2 a 4 mm, aproximadamente 40 cm de comprimento e possui em média de 5 a 10 pares de válvulas.
ducto tor cico22
Inicia-se ventralmente a L2 pela confluência dos troncos lombares D e E e dos troncos intestinais;

Cisterna do quilo;

Ascende a região retroperitoneal para a cranial e na cavidade abdominal pode-se tornar parcialmente entrelaçado como plexo linfático;

Ele transpõe o diafragma no hiato aórtico (abertura do canal aórtico) e segue para cima pelo mediastino posterior, em frente à CV;

Na altura de T4 se curva ligeiramente para a E da CV;

Ducto Torácico
slide23
Sai dorsalmente através da abertura torácica segui adiante em forma de arco na zona da fossa supraclavicular E sobre a cúpula pleural e desemboca por cima e por trás na confluência venosa (ângulo venoso = veias jugular interna e subclávia).
  • Antes desta desembocadura temos a formação da cisterna terminal. Fig. 1.12
ducto tor cico24
Ducto Torácico
  • Desembocam:
  • Vasos linfáticos dos MMII, dos órgãos pélvicos e abdominais, da parte superior do HTE e da parte esquerda torácica dorsal.
  • Na confluência venosa E desembocam: vasos linfáticos do MSE (tronco subclávio esquerdo), como a metade E da cabeça e pescoço (tronco jugular E).
  • Tronco broncomediastino E (linfa da parte superior E do pulmão).
ducto linf tico direito
Ducto Linfático Direito
  • Aproximadamente 1 cm de comprimento e 1 mm de espessura.
  • Desemboca a confluência venosa subclávia direita.
  • Confluência dos vasos linfáticos do MSD (tronco subclávio D), lado D da cabeça e do pescoço (tronco jugular D), lado D da região torácica e dorsal, bem como o tronco broncomediastino D.
  • Transporta 20% da linfa do fígado.
pertencem ao sl
Pertencem ao SL
  • Linfonodos;
  • Timo;
  • Medula;
  • Baço;
  • Anel linfático da faringe;
  • Tonsilas palatina e faríngea;
  • Peyer-Plaques do intestino delgado;
  • Tecido linfático do apêndice.
linfonodos
Linfonodos
  • Vasos linfáticos aferentes (linfa para o linfonodo);
  • Vasos linfáticos eferentes (linfa pra fora do linfonodo);
  • 500 a 600 linfonodos em todo o corpo;

100 a 150 na raiz do intestino

100 no pescoço

linfonodos28
Linfonodos
  • Com a idade quase que não são diminuídos, mas podem estar menores e com acúmulo de gordura;
  • São regenerativos;
  • Sua maioria está alojada no TCF;
  • Seu diâmetro varia de 1 a 25 mm, sendo os maiores os aórticos laterais (LN lombares);
linfonodos29
Linfonodos
  • Sua coloração é normalmente cinza-avermelhada. Se branco (gordura). Se pretos (ferrugem).
  • No hilo do fígado e do baço apresentam uma cor marrom-avermelhada.
  • No hilo:
  • Fibras nervosas vegetativas;
  • Entra uma artéria;
  • Sai uma veia.
subdivis o dos linfonodos microsc pio
Subdivisão dos Linfonodos - Microscópio
  • Sistema de seios ou de cavidades:
  • A linfa flui em sua passagem pelo linfonodo;
  • Estão presos os linfócitos e macrófagos aos seios marginal, intermediário e medular;
slide32
Sistema de cápsula-trabécula:
  • Tecido conjuntivo de sustentação e seus septos;
  • As trabéculas saem da cápsula (cél. muscular lisa) e do hilo;
  • Na borda do linfonodo temos os centros germinativos de linfócitos, os folículos linfáticos.
fol culos linf ticos
Folículos Linfáticos
  • Temos:
  • Linfócitos;
  • Linfoblastos;
  • Células plasmáticas;

Todos com funções imunológicas.

slide34
Parte externa do linfonodo: córtex;
  • Parte interna do linfonodo: medula;
sistema linf tico da cabe a e pesco o
Sistema Linfático da Cabeça e Pescoço
  • Cerca de 30 linfonodos ao longo do ECOM;
  • Linfadenectomia cervical
  • Linfonodo occipital: cerca de 3
  • Linfonodos parotídeos: cerca de 4
  • Linfonodos bucais: cerca de 3
  • Linfonodos submandibulares: cerca de 7
  • Linfonodos retrofaríngeos: cerca de 2