Cor ia do norte
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 14

Coréia Do Norte PowerPoint PPT Presentation


  • 44 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Coréia Do Norte. Um Povo Em Conflitos. Coréia do Norte desafia o mundo.

Download Presentation

Coréia Do Norte

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Cor ia do norte

Coréia Do Norte

Um Povo Em Conflitos.


Cor ia do norte desafia o mundo

Coréia do Norte desafia o mundo

  • Os recentes testes com lançamentos de mísseis nucleares pela Coréia do Norte fazem parte de uma perigosa estratégia que, no cenário pós-Guerra fria, transformou o uso de arsenais nu-clearesem instrumentos de chantagem inter-nacional.Um dos objetivos do governo de Pyongyang, capital norte-coreana, é forçar a abertura de um canal de negociação com o presidente dos Esta- dos Unidos, BarackObama, para por fim às sanções econômicas que pesam sobre o regime comunista por conta de seu programa nuclear.


Cor ia do norte

  • A tensão entre os dois países se arrasta desde 2002, quando o ex-presidente George W. Bushincluiu o país asiático no que ele

  • chamou de "eixo do mal", junto com Irãe Iraque.

    Outro motivo da provocação seria a política interna: Além de ser um dos países mais pobres da Ásia, a Coréia do Norte sofre com o isolamento político, em razão de sustentar uma ditadura nos moldes soviéticos, centralizadora e militarizada. A amea-çanuclear fortaleceria o governo do chefe do Esta-do, Kim Jong-il, cuja família controla o poder há meio século.


Cor ia do norte

  • Essa não foi a primeira vez que os norte-coreanos desafiaram o mundo. No dia 5 de abril, a Coréia do Norte disparou um míssil de longo alcance, alegando que se tratava do lançamento de um satélite de comunicação. No entanto, o mesmo artefato poderia ser usado para carregar uma ogiva nuclear, o que provocou o endurecimento das sanções ao país.


Guerra fria

Guerra Fria

  • Tanto o perigo nuclear quanto a Coréia do Norte são produtos do fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Com a derrota do Eixo, o Japãodesocupou a Coréia, que foi dividia em dois países, um sob o controle dos Estados Unidos (Coréia do Sul) e outro ocupado pela antiga União Soviética (Coréia do Norte).O processo foi semelhante ao que dividiu a Alemanha por 41 anos até a queda do Muro de Berlim.


Cor ia do norte

  • As duas Coréias travaram uma guerra entre 1950 e 1953, no auge da Guerra Fria, que terminou com um frágil cessar fogo que dura até os dias atuais. Desde o período, marcado pelo perigo iminente de um conflito nuclear, Pyongyang alimenta a ambição de desenvol-ver armas atômicas.

  • Com o fim da União Soviética e a derrocada dos regimes comunistas no Leste Europeu, o país sofreu abalos econômicos, do mesmo modo que Cuba.


Cor ia do norte

  • Sem os antigos parceiros comerciais, mergulhou num período de escassez de alimentos que, aliado aos desastres na- turais, teria causado a morte de cerca de dois milhões de norte-coreanos nos anos de 1990. A Coréia do Norte possui estimados 23,5 milhões de habitantes.


Tens o na fronteira

Tensão Na Fronteira

  • Desde o final dos anos de 1960, nações assinam acordos para controlarem arsenais nucleares do planeta.Atualmente, Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, China, França, Israel, Índia e Paquistão são considerados potências nucleares. Completam a lista: Coréia do Norte e Irã, que sofrem pressões e embargos para que abando-nemseus programas.


Cor ia do norte

  • Diferente da época da corrida armamentista, as bombas nucleares atuais são mais"inteligentes". Elas visam alvos estratégicos, com precisão e impacto localizado. Os testes de armamentos também são mais restritos, para evitar danos ambientais.Os riscos, mais do que uma guerra nuclear, são de acidentes em usinas sucateadas e, principal-mente, que países como Irã e Coréia do Norte repassem a tecnologia para grupos extremistas e redes terroristas, como a Al-Qaeda.


Cor ia do norte

  • Para os vizinhos e inimigos do líder Kim Jong-il, Coréia do Sul e Japão, as intimidações são reais, pois o país tem capacidade de lançar mísseis de submarinos ou aviões. As ameaças também po-demlevar os governos japoneses e sul-coreanos desenvolverem armamento nuclear, contrarian- do as leis internacionais que impedem a produ- çãode mais bombas atômicas.Até agora, tudo indica que a Coréia do Norte não seja capaz de miniaturizar uma ogiva nu-clear, permitindo que seja disparada por um míssil de longo alcance que possa atingir, por exemplo, os Estados Unidos.


Sa da diplom tica

Saída Diplomática

  • O Conselho de Segurança da ONU estuda novas sanções à Coréia do Norte como retaliação aos últimos lançamentos de foguetes em seu terri-tório. Porém, medidas similares não surtiram efeitos anteriormente.Apesar do país ter sérios problemas sociais, de abastecimento de energia e econômicos, agrava-doscom os embargos da ONU, nada disso im-pediu que o governo norte-coreano levasse adiante seu programa nuclear.


Cor ia do norte

  • Kim Jong-il alega que os testes teriam fins de defesa militar. Porém, a Coréia do Norte pos-suio quarto maior exército do mundo, com estimados 1, 2 milhão de soldados, munido de poderoso arsenal bélico.Há ainda um delicado equilíbrio financeiro na Ásia, em meio a uma crise econômica mundial, que precisa ser preservado. A China, que faz fronteira e é aliada comercial e política da Coréia do Norte, é uma importante peça no tabuleiro da geopolítica internacional.


Cor ia do norte

  • Por todos estes motivos, tanto Kim Jong-il quanto Obama tendem mais para uma conciliação e uma saída pacífica para o impasse, com o intermédio da ONU. A solução diplomática parece ser, portanto, a mais viável para a desnuclearização da Coréia do Norte e, futuramente, do Irã.


Cor ia do norte

  • Alunos : Cristian Barros; Fillipe Jairo; Karen Duana.

  • Turma : 302

  • Disciplina : História

  • Professora : Rosa G.

  • Bibliografia : Wikipédia.com

    Esteio, 15 de Outubro de 2009


  • Login