Faculdade da Cidade do Salvador
Download
1 / 15

Faculdade da Cidade do Salvador Disciplina: Políticas Públicas e Avaliação Institucional - PowerPoint PPT Presentation


  • 58 Views
  • Uploaded on

Faculdade da Cidade do Salvador Disciplina: Políticas Públicas e Avaliação Institucional Profª Silvana Ferreira Grupo 1 Erick Farias Kely Santos Rafaela Fontes Rejane Paz.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Faculdade da Cidade do Salvador Disciplina: Políticas Públicas e Avaliação Institucional' - karah


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Faculdade da Cidade do Salvador

Disciplina: Políticas Públicas e Avaliação Institucional

Profª Silvana Ferreira

Grupo 1

Erick Farias

Kely Santos

Rafaela Fontes

Rejane Paz


Quando a nota e os exames desaparecem a avaliação pode ser compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

Concordo ( ) Discordo ( )

Momento 1 – Apresente dois argumentos consensuados no Grupo.

Momento 2 – Após ler o texto, retire três argumentos que confirmem ou retifiquem as ideias prévias do Grupo.


MOMENTO 1 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

Concordamos porque a aprendizagem tende a ser um processo prazeroso quanto este é desvinvulado da realização de exames para obtenção de notas.

Discordamos, pois a elaboração e aplicação de exames favorecem o desenvolvimento de um caráter mais objetivo no processo de avaliação que, em essência, é subjetivo.


Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

A avaliação da aprendizagem

Pedro Ferreira de Andrade


Origem da Avaliação compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

Avaliar origina-se do latim a + valere, que significa atribuir valor e mérito ao objeto emestudo. Portanto, avaliar é atribuir umjuízo de valor sobre a propriedade de umprocesso para a aferição da qualidade do seu resultado, porém, a compreensão do processo de avaliação do processoensino/aprendizagemtem sido pautada pela lógica da mensuração, isto é, associa-se o ato de avaliar ao de “medir” os conhecimentos adquiridos pelos alunos.


Argumentos referente ao item 1 do Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

“A avaliação dos alunos pelo professor designa o levantamento cuidadoso e a classificação sistemática, bem como a interpretação apreciativa dos modos de conduta e das propriedades dos alunos.(...) a necessidade de observação prolongada do comportamento do aluno durante o ensino, no levantamento sistemático de dados por meio de testes e trabalhos escritos...”


Argumentos referente ao item 1 do Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

“(...) penso que a avaliação que cabe ao processo educativo deve ser abrangente, consistente, contínua, sistemática, dinâmica, coerente e polissêmica, de modo que todos os fatores e agentes intervenientes também sejam considerados e analisados nos resultados obtidos pelos alunos.”


Argumentos referente ao item 1 do Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

  • PCN e Avaliação

  • “A função da avaliação é favorecer o percurso dos aprendizes e regular as ações de sua formação (...) Não deve ser punitiva quando os aprendizes não alcançarem resultados satisfatórios nas verificações, mas ajudar os aprendizes a identificar melhor suas necessidades de formação...”


Argumentos referente ao item 1 do Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

A prática avaliativa do professor deve visar à formação de um discente consciente, construtor de seu próprio conhecimento, que seja capaz de relacionar os conhecimentos adquiridos nos variados espaços em que convive como sugere Edgar Morin: um discente com a cabeça bem feita e não apenas com a cabeça bem cheia. Para tanto, as verificações devem valorizar tanto o caráter técnico e quantitativo quanto o qualitativo.


Argumentos referente ao item 2 do Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

  • PCN e Avaliação

  • “a avaliação exige critérios claros que ajudem a analisar os aspectos a serem avaliados. É preciso estabelecer expectativas de aprendizagem dos alunos em consequência do ensino, expressados nos próprios objetivos dos critérios de avaliação propostos e na definição do que será considerado como testemunho da aprendizagem – trabalhos ou testes ou atividades etc.”


Argumentos referente ao item 2 do Momento 2 compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

“A avaliação educacional é parte fundamental do processo educativo que se não estivesse inserida nele seria incompleto ou sem sentido.”


Conclusão compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

A definição de normas para a avaliação promove a organização necessária ao sucesso do processo avaliativo, visto que sistematiza os mecanismos que favorecem a verificação das competências a serem adquiridas pelos aprendizes. Assim, cabe ao educador estabelecer os mecanismos avaliativos mais adequados aos objetivos pedagógicos que pretende alcançar.


REFERÊNCIAS compreendida como uma forma de promoção da aprendizagem do aluno.

  • BRASIL Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: estabelece

  • as diretrizes e bases da educação nacional, 1996.

  • BRASIL. Ministério da Educação. Proposta de diretrizes para a

  • formação inicial de professores da educação básica, em

  • cursos de nível superior. Brasília: MEC, 2000. Disponível

  • também na http://www.mec.gov.br/sesu/

  • _____. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros

  • curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares

  • nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

  • ESTEBAN, M. T. (org.) Avaliação: uma prática em busca de

  • novos sentidos. Rio de Janeiro: DP & A, 2001.

  • FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à

  • prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.


ad