Mortalidade atribu vel ao tabagismo passivo na popula o urbana do brasil
Download
1 / 17

Tabagismo passivo - PowerPoint PPT Presentation


  • 208 Views
  • Uploaded on

Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo na população urbana do Brasil. Antonio José Leal Costa – IESC/UFRJ Valeska C. Figueiredo – INCA Tania Cavalcante – INCA Claudio Noronha – INCA Vera Colombo – INCA Liz de Almeida – INCA. Tabagismo passivo.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Tabagismo passivo' - elina


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Mortalidade atribu vel ao tabagismo passivo na popula o urbana do brasil

Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo na população urbana do Brasil

Antonio José Leal Costa – IESC/UFRJ

Valeska C. Figueiredo – INCA

Tania Cavalcante – INCA

Claudio Noronha – INCA

Vera Colombo – INCA

Liz de Almeida – INCA


Tabagismo passivo
Tabagismo passivo urbana do Brasil

É a exposição à fumaça ambiental do tabaco que consiste na mistura de:

  • Fumaça exalada pelo fumante (corrente primária)

  • Fumaça da queima do cigarro ou de outro produto (corrente secundária)

  • AR do ambiente


Fuma a ambiental do tabaco report of surgeon general u s a 2006
Fumaça ambiental do tabaco urbana do BrasilReport of Surgeon General, U.S.A., 2006

  • Mais intensa em ambientes fechados e alta correlação com número de fumantes e volume de ar

  • Não há níveis seguros de exposição

  • Envolve a inalação de carcinogênicos e outros componentes tóxicos


Fuma a ambiental do tabaco report of surgeon general u s a 20061
Fumaça ambiental do tabaco urbana do BrasilReport of Surgeon General, U.S.A., 2006

  • Domicílios e ambientes de trabalho são os principais locais de exposição

  • Exposição é elevada e contínua em bares, restaurantes, boates, e veículos

  • A extensão da exposição (percentual de fumantes passivos) varia entre países


Doen as que potencialmente apresentam risco aumentado de mortalidade devido ao tabagismo passivo
Doenças que potencialmente apresentam risco aumentado de mortalidade devido ao tabagismo passivo

Força da evidência da Comentários sobre estudos relação de causa e efeito

Condições

Numerosos estudos de boa qualidade

Câncer de pulmão

+++++

Peso das evidências sobre relação com

mortalidade elevada

Doença coronariana

+++++

Menor número de estudos de boa qualidade

Morte súbita na infância

++++

Peso das evidências sobre relação com

mortalidade elevada

Doenças cérebro-vasculares

+++

Asma

++

Muitos estudos mostram aumento da

Infecções respiratórias baixas

++

ocorrência da doença mas há poucas

Baixo peso ao nascer

++

evidências sobre relação com mortalidade

Doença meningocócica

+

Literatura limitada, baixa consistência dos

Câncer de mama

+

achados dos estudos

Outros cânceres do trato respiratório

+

Câncer do colo do útero

+


O que é a mortalidade atribuível mortalidade devido ao tabagismo passivo

Número de óbitos que seriam evitados por meio da eliminação da exposição ambiental à fumaça do tabaco (tabagismo passivo)

Fração de mortalidade por uma causa determinada atribuível ao tabagismo passivo na população

X

Total de mortes por uma causa determinada


Mortalidade atribu vel ao tabagismo passivo entre n o fumantes

Fração de mortalidade por uma causa determinada atribuível ao tabagismo passivo na população (Fração Atribuível Populacional)

FMA = p* (RR-1)/p*(RR-1) + 1

p = proporção de expostos ao tabagismo passivo entre não fumantes

RR = Risco relativo = risco entre expostos /risco entre não expostos

(RR > 1: a exposição é fator de risco para ocorrência da doença)

Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo entre não fumantes


Estimativa de mortes para: atribuível ao tabagismo passivo na população (Fração Atribuível Populacional)

câncer de pulmão

doenças isquêmicas do coração

doenças cérebro-vasculares

Residentes em aglomerados urbanos (70% do total)

Indivíduos de 35 anos ou mais

Exposição no domicílio

Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo no domicílio, na população de 35 anos ou mais residente em aglomerados urbanos, Brasil, 2003


Mortalidade atribuível ao tabagismo passivo no domicílio, na população de 35 anos ou mais residente em aglomerados urbanos, Brasil, 2003

  • Fontes de dados:


Medidas usadas para o c lculo da mortalidade atribu vel ao tabagismo passivo no domic lio
Medidas usadas para o cálculo da mortalidade atribuível ao tabagismo passivo no domicílio

Proporção de expostos ao tabagismo passivo (TP) no domicílio e riscos relativos associados ao TP, por sexo, faixa etária e doença selecionada

Risco Relativo

Sexo/faixa etária

Proporção TP

Câncer de

Doença isquêmica

Doença cérebro

pulmão

do coração

vascular

Masculino

35-64 anos

11,0

1,34

1,22

1,25

65 anos ou mais

12,4

Feminino

35-64 anos

16,5

1,24

1,24

1,25

65 anos ou mais

17,2


Fração de mortalidade atribuível (FMA) e número de óbitos atribuíveis ao tabagismo passivo, na população de 35 anos ou mais residente em aglomerados urbanos, por gênero e causa de óbito, Brasil, 2003

Total

Masculino

Feminino

Agravos

FMA (%)

Óbitos

FMA (%)

Óbitos

Câncer de pulmão

0,4

29

1,3

43

72

Doença isquêmica do

1,9

510

3,4

714

1224

coração (DIC)

Doença cérebro- vascular

2,3

515

3,5

844

1359

Total

1054

1601

2655

-

-


Fração de mortalidade atribuível (FMA) e número de óbitos atribuíveis ao tabagismo passivo, na população de 35 anos ou mais residente em aglomerados urbanos, por faixa etária e causa de óbito, Brasil, 2003

Total

35-64 anos

65 anos ou mais

Agravos

FMA (%)

Óbitos

FMA (%)

Óbitos

Câncer de pulmão

0,9

37

0,6

35

72

Doença isquêmica do

484

coração (DIC)

2,7

2,4

740

1224

Doença cérebro- vascular

3,0

457

2,8

902

1359

Total

978

1677

2655

-

-


Discuss o

Estimativa conservadora: óbitos atribuíveis ao tabagismo passivo, na população de 35 anos ou mais residente em aglomerados urbanos, por faixa etária e causa de óbito, Brasil, 2003

Somente para população urbana (70% dos óbitos totais)

Não foram incluídos na estimativa os óbitos:

por outras causas possivelmente associadas ao tabagismo passivo

entre ex-fumantes

associados ao tabagismo passivo no trabalho

Discussão


Discuss o1

Comparação com outros países: óbitos atribuíveis ao tabagismo passivo, na população de 35 anos ou mais residente em aglomerados urbanos, por faixa etária e causa de óbito, Brasil, 2003

Percentual semelhante ao apresentado em países da Europa (como Espanha e Inglaterra) e Nova Zelândia. Países, em geral, com população menor, número de óbitos por estas causas semelhante e percentuais de expostos mais elevados.

Estimativa consideravelmente menor do que a observada nos Estados Unidos e conjunto de países da Europa

Diferenças no número total de óbitos

Diferenças na proporção de fumantes passivos

Diferenças nos riscos relativos

Discussão


Conclus es

No Brasil, a cada ano, em cada 1.000 mortes ocorridas em áreas urbanas, 25 são devido ao tabagismo passivo em domicílio

Cerca de 2.655 mortes por câncer de pulmão, doenças isquêmicas do coração e doenças cérebro-vasculares ocorridas somente na população urbana do Brasil poderiam ser evitadas a cada ano, pela prevenção do tabagismo passivo

Conclusões


Conclus es1

A áreas urbanas, 25 são devido ao tabagismo passivo em domicíliomortalidade causada pelo tabagismo passivo é mais elevada entre mulheres e pessoas de 65 anos ou mais

Políticas de criação de ambientes livres do tabaco em casa e no trabalho podem reduzir consideravelmente a mortalidade no Brasil

Conclusões


ad