Cap tulo
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 165

Capítulo PowerPoint PPT Presentation


  • 77 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Capítulo. 1. Conceitos iniciais, HP 12C e Excel. Três objetivos do capítulo. Entender o processo de avaliação de investimentos Conhecer o funcionamento da calculadora HP 12C Conhecer alguns recursos financeiros do Excel. Técnicas. Decisões financeiras e objetivo.

Download Presentation

Capítulo

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Cap tulo

Capítulo

1

Conceitos iniciais,HP 12C e Excel


Tr s objetivos do cap tulo

Três objetivos do capítulo

  • Entender o processo de avaliação de investimentos

  • Conhecer o funcionamento da calculadora HP 12C

  • Conhecer alguns recursos financeiros do Excel


Decis es financeiras e objetivo

Técnicas

Decisões financeiras e objetivo

Maximizar valor ou riqueza

Ativos

Investimentos

Passivos

Financiamentos

Capítulo 2

Capítulo 3

FCL

CMPC

Capítulos 4, 5, 6 e 7

FCL = Fluxo de Caixa Livre

CMPC = Custo Médio Ponderado de Capital


Entendendo a hp 12c

Entendendo a HP 12C

Modelo tradicional

Dourado .

Modelo novo,

prateado


Algumas caracter sticas

Algumas características …

  • RPN

  • Pilhas de registradores


Jan lukasiewicz

Jan Lukasiewicz

  • Lógico e matemático polonês

  • Uma idéia genial!

  • Simplificar a notação matemática para facilitar as contas em máquinas!


Uma l gica reversa

Uma lógica reversa …

R

eversa

P

olonesa

N

otação


Alguns exemplos

Alguns exemplos …

Álgebra convencional …

Soma de 235 e 121

356

235

+

121

=

Instrução

Operador

Operandos

Notação polonesa …

356

235

121

+

ENTER

Operador

Instrução

Operandos


Observa o importante

Observação importante

  • A HP 12C não tem a tecla

    =

A notação polonesadispensa seu uso


Resolva na hp12c

Resolva na HP12C …

  • 45 – 23

  • 36/4 + 3

  • 5 x (7-2)

  • 45 + (-21)

45 [Enter] 23 [-] Visor => 22

36 [Enter] 4 [/] 3 [+] Visor => 12

5 [Enter] 7 [Enter] 2 [-] [x] Visor => 25

45 [Enter] 21 [CHS] [+] Visor => 24


A pilha de registradores

A pilha de registradores

  • Registradores que processam as operações

Clear X

Limpa o

registrador X

Visor:

Registrador X


O funcionamento da pilha

O funcionamento da pilha

8

Enter

4

8

+

8

4

12


Opera es com a pilha

Operações com a pilha

Limpa o registrador X

Troca X por Y

Rola a pilha para baixo

CLEAR

Limpa a memória


Fun es especiais

Funções especiais

  • Azuis

  • Amarelas


Fun es especiais amarelas

Funções especiais amarelas

Apenas teclas amarelas


O primeiro passo de sempre

O primeiro passo de sempre

  • Limpa a memória da calculadora

CLEAR


Fun es especiais azuis

Funções especiais azuis

Apenas teclas azuis


Usando fun es alg bricas

Usando funções algébricas

  • Calcula o logaritmo neperiano


Fun es essenciais

Funções essenciais

Funções financeiras

Serão discutidas com maiorprofundidade a partir deJuros Compostos


Fun es financeiras da hp 12c

Funções financeiras da HP 12C

  • [n]: calcula o número de períodos

  • [i]: calcula a taxa de juros

  • [PV]: calcula o valor presente

  • [PMT]: calcula a prestação

  • [FV]: calcula o valor futuro

  • [CHS]: troca o sinal


Matem tica financeira no

Matemática financeira no …

Excel


Fun es variadas

Funções variadas

  • =VP()

  • =VF()

  • =NPER()

  • =TAXA()

  • =PGTO()


Tr s resultados do cap tulo

Três resultados do capítulo

  • Entendemos o processo de avaliação de investimentos

  • Conhecemos o funcionamento da calculadora HP 12C

  • Conhecemos alguns recursos financeiros do Excel


Cap tulo1

Capítulo

2

Fluxos de CaixaFuturos


Quatro objetivos

Quatro objetivos

  • Conceituar fluxo de caixa livre

  • Destacar a importância da análise dos conceitos: incrementos, livres de impostos e custo de oportunidade

  • Analisar a venda de imobilizado

  • Projetar fluxos de caixa livre


Relembrando decis es

Técnicas

Relembrando … decisões …

Maximizar valor ou riqueza

Ativos

Investimentos

Passivos

Financiamentos

Neste capítulo …

FCL

CMPC

FCL = Fluxo de Caixa Livre

CMPC = Custo Médio Ponderado de Capital


Para pensar

Para pensar …

"Algo como o mau tempo, na verdade, não existe. Existem, sim, vários tipos de bom tempo."

John Ruskin


O que decis o

O que é decisão …

  • No mundo corporativo, há algo vagamente conhecido como “processo decisório”, que são aqueles insondáveis critérios adotados pela alta direção da empresa para chegar a decisões que o funcionário não consegue entender. Tudo começa com a própria origem da palavra ‘decisão’, que se formou a partir do verbo latino caedere (cortar). Dependendo do prefixo que se utiliza, a palavra assume um significado diferente: ‘incisão’ é cortar para dentro, ‘rescisão’ é cortar de novo, ‘concisão’ é o que já foi cortado, e assim por diante. E dis caedere, de onde veio ‘decisão’, significa ‘cortar para fora’. Decidir é, portanto, extirpar de uma situação tudo o que está atrapalhando e ficar só com o que interessa.

Fonte : Gehringer, M. (2002). O que é decisão.Revista Você S.A., janeiro de 2002, p. 106.


Conceito de investimento

Conceito de investimento …

Sacrificiozinho hoje …

Para ter um dinheirão amanhã …


E a decis o financeira

E a decisão financeira?

Ganhos?


Ganhos em finan as

Fluxo de Caixa!

Ganhos em Finanças?

Lucros?


O que importa o caixa

O que importa é o caixa!

O lucro, dentro de critérios perfeitamente adequados, pode ser manipulado. Caixa não tem jeito. Como dizem em Wall Street, lucro é opinião; caixa é fato.

Fonte : Antônio Manfredini, professor da EAESP-FGV, jornal Gazeta Mercantil, 24/09/2001, relatório “As Empresas Dinâmicas”, p. 01.


A resposta

A resposta …

Analise o dinheiro no tempo!!!

Fluxos de caixafuturos


Fluxos de caixa futuros

Movimentações de $

Tempo

Fluxos de caixa futuros

ValorResidual

Quanto eu ganharei durante a operação?

Quanto eu ganharei ao encerrar a operação?

FluxosIncrementais

InvestimentoInicial

Quanto eu investireihoje na operação?


Aspectos importantes

Aspectos importantes …

  • Incrementos

  • Custo de oportunidade

  • Livres de impostos


Um exemplo did tico

Um exemplo didático

  • Com o objetivo de aumentar a sua renda, um pequeno fazendeiro resolve montar uma pequena fábrica de queijos e manteiga na sua propriedade, aproveitando o leite que produzia e vendia.


Custo do leite

Custo do leite

Qual o custo do leite empregado na produção de queijos e manteiga?

Sem documentação,não é possível registrar

Custo de oportunidade

Custo é igual àreceita perdida devendas


Um exemplo did tico1

Um exemplo didático

  • Em decorrência do sucesso do laticínio o fazendeiro resolve industrializar as goiabas da propriedade que eram sempre perdidas, já que sua comercialização in natura era impossível.

    Qual o custo das goiabas?


Outro exemplo

Outro exemplo

  • Comprei um carro por $5.000,00 ontem

  • Hoje percebi que carros similares ao meu são vendidos por $8.000,00

    Qual o valor do carro?


Valor do carro

Valor do carro

$5.000,00

$8.000,00


Incrementos

Incrementos

  • Um equipamento industrial apresenta um custo de manutenção periódica mensal fixa igual a $4 mil e uma ociosidade igual a 50%. A empresa pensa em usar uma parte da ociosidade em novos processos.

    Qual o custo a considerar?


Custo de oportunidade

Custo de oportunidade

  • Alternativa preterida

  • Um engenheiro resolve montar uma loja de artesanatos, sendo o próprio gerente. Qual o custo dessa mão-de-obra?

  • Uma faculdade resolve criar um curso de micro-informática usando a estrutura ociosa das suas instalações no período matutino e não poderia ser alugada. Qual o custo desse uso?


Livres de impostos

Livres de impostos

  • Um equipamento foi comprado há quatro anos por $50 mil, com vida útil de cinco anos.

  • A alíquota de IR da empresa é igual a 30%.

  • Se o equipamento for vendido hoje por $25 mil, qual o fluxo de caixa líquido recebido pela empresa?


Venda de imobilizado

Venda de imobilizado

Valor de venda

(-) Custo contábil

Resultado não operacional

(-) IR

Resultado líquido

Fluxo de Caixa

(+) Entrada (Venda)

(-) Saída (IR)

Líquido


Analisando a venda

Analisando a venda

  • Depreciação = valor / vida útil = 50/5 = $10 mil por ano

  • Registro do equipamento

Custo contábil

10


Exemplo de venda

Exemplo de venda

25

- 10

15

- 4,5

10,5

(+) 25

(-) 4,50

20,50

Valor de venda

(-) Custo contábil

Resultado não operacional

(-) IR

Resultado líquido

Fluxo de Caixa

(+) Entrada (Venda)

(-) Saída (IR)

Líquido


O primeiro par metro

O primeiro parâmetro …

Fluxo de CaixaLivre


Fluxo de caixa livre

Fluxo de caixa livre

(+) Receitas

(-) Custos e despesas variáveis

(-) Custos e desp fixos (sem deprec)

(-) Depreciação

= Lucro Operacional Tributável

(-) IR

= Lucro Líquido Operacional

(+) Depreciação

= FCO (Fluxo de Caixa Operacional)

(+/-) Invest líquidos em equipamentos

(+/-) Invest líquidos em capital de giro

= FCL (Fluxo de Caixa Livre)

?


Cap tulo2

Capítulo

3

Custo de Capital


Objetivos

Objetivos

  • Conceituar CMPC

  • Calcular o custo efetivo do capital de terceiros

  • Entender o custo de oportunidade do capital próprio e os prêmios pelo tempo e pelo risco


Relembrando decis es1

Técnicas

Relembrando … decisões …

Maximizar valor ou riqueza

Ativos

Investimentos

Passivos

Financiamentos

Neste capítulo …

FCL

CMPC

FCL = Fluxo de Caixa Livre

CMPC = Custo Médio Ponderado de Capital


Custos do financiamento

Mix

CustosIndividuais

Ponderaçãopor volume

Custos do financiamento

Custo Médio Ponderado de Capitalou Taxa Mínima de Atratividade


Aspectos que continuam sendo importantes

Aspectos que continuam sendo importantes …

  • Incrementos

  • Custo de oportunidade

  • Livres de impostos


As fontes de financiamento

As fontes de financiamento …

PC

ELP

INVESTIMENTOS

PL


Separando as fontes

Separando as fontes …

PC

CP

Terceiros

ELP

LP

Estrutura de Capital

PL

Próprio


Fontes externas

Fontes externas

Capital de terceiros

É preciso consideraro benefício fiscal!


S mbolo do custo externo

Símbolo do custo externo

Kd

Debtholder

Custo de Capital


Benef cio fiscal

Benefício fiscal

  • Juros representam despesas financeiras

  • Dedutíveis do IR

  • Parte dos juros pagos retorna sob a forma de IR não pago


Nada deve e algo deve

Nada Deve e Algo Deve

Desembolso efetivo = $28,00


Assim

Assim …

  • Do custo aparente da dívida, deve ser extraído o benefício fiscal

Kd = Ka (1 - IR)

Alíquotado IR

Custo aparenteda dívida

Custo efetivoda dívida


Kd de nada deve

Kd de Nada Deve

Kd = Ka (1 - IR)

Kd = 20 %(1 – 0,30)

Kd = 14% a.a.

ou

Kd = 28/200

Kd = 14% a.a.


Para n o esquecer

Para não esquecer …

  • A Cia do Mundo Mágico possui dívidas no valor de $500 mil, sobre as quais paga juros anuais iguais a $80 mil.

  • Sabendo que a alíquota de IR da empresa é igual a 34%, calcule:

    • Custo aparente da dívida

    • Custo efetivo da dívida

Números:

Dívidas = $500 mil

Juros = $80 mil

IR = 34%


Solu o do mundo m gico

Solução do Mundo Mágico

  • Custo aparente

    Ka = 80/500 = 16% a.a.

  • Custo efetivo

    Kd = Ka.(1-IR)

    Kd = 16%.(1-0,34)

    Kd = 10,56% a. a.

Números:

Dívidas = $500 mil

Juros = $80 mil

IR = 34%


Para fixar a aprendizagem

Para fixar a aprendizagem …

Calcule o custo do capital de terceiros


Saracoteando ltda

Saracoteando Ltda.


Fontes internas

Fontes internas

Capital Próprio


Lembre se

Lembre-se!!!!

  • É um custo de oportunidade!

  • A empresa não tem obrigação de remunerar os sócios!

  • Porém, os sócios tem uma expectativa de retorno

Um retorno esperado édesejado da operação!


S mbolo do custo pr prio

Símbolo do custo próprio

Ks

Shareholder

Custo de Capital


Assim as contas envolvem

Assim … as contas envolvem …

Dois procedimentosdistintos


Procedimentos poss veis

Procedimentos possíveis

  • Modelo de crescimento constante

  • Modelo com prêmios por tempo e risco


Primeiro modelo

Primeiro modelo

Modelo de crescimento constante


Crescimento constante

Crescimento constante

Assume que os dividendos ou fluxos de caixa para os acionistas crescem de forma uniforme


Analisando o fluxo de caixa

Tempo

Analisando o fluxo de caixa

Dividendos

Preço da ação

Ks=D1/P0 + g

Dividendo no

ano 1

Crescimento

dos dividendos

Preço da açãono ano 0


F brica das serpentinas coloridas s a

Fábrica das Serpentinas Coloridas S.A.

  • As ações pagarão dividendos iguais a $20,00 no próximo ano. Se o valor de mercado das ações é igual a $400,00 e a taxa de crescimento histórica tem sido igual a 8% a.a., pede-se obter o custo de capital próprio da empresa.


Solu o colorida

Solução Colorida

Ks=D1/P0 + g

20

400

8%

Ks=13%


Merendinha s a

Merendinha S.A.

  • Acaba de pagar um dividendo de $8,00 por ação. Espera-se que os dividendos da empresa cresçam a uma taxa constante de 5%, indefinidamente. Se suas ações estão sendo negociadas a $84,00, qual é o custo de capital próprio da empresa?


Solu o da merendinha

Solução da Merendinha

D1 = 8 x 1,05 = 8,40

Ks=D1/P0 + g

8,40

84

5%

Ks=15%


Segundo modelo

Segundo modelo

Modelo com prêmios por tempo e risco


Equil brio e retorno

Equilíbrio e retorno

RETORNO

TEMPO

RISCO


Desenvolvendo

Desenvolvendo …

  • Custo do capital próprio

RETORNO

=

PRÊMIO

PELO

TEMPO

PRÊMIO

PELO

RISCO

+

Rf = taxa livre de risco


Sapataria p de anjo

Sapataria Pé de Anjo

  • Para poder abrir uma pequena loja, um investidor aplicou $40 mil, que costumavam render na caderneta de poupança $6 mil anuais.

  • Sabendo que ele demanda um prêmio pelo risco adicional igual a 4% a. a., calcule o custo do capital próprio da operação.


Solu o do p de anjo

Solução do Pé de Anjo

Taxa livre de risco

Rf = 6/40 = 15% a.a.

Prêmio pelo risco

Prêmio = 4% a. a.

Custo do capital próprio

Ks = Rf + Prêmio

Ks = 15% + 4%

Ks= 19% a.a.


Um modelo famoso

Um modelo famoso

C

A

P

M

apital

sset

ricing

odel


Analisando os retornos

Analisando os retornos

  • CAPM

  • Modelo de precificação de ativos financeiros

  • Retorno esperado é função dos prêmios pelo tempo e pelo risco

    E(Ri) = Rf + Prêmio pelo risco

    E(Ri) = Rf + b[E(Rm)-Rf]

Pilar da Teoria de Finanças


Sintetizando os custos e

Sintetizando os custos e

Ponderando asfontes


Preciso calcular o

É preciso calcular o

Custo MédioPonderado

de Capital

Média

ponderada

das fontes


Uma m dia ponderada

Uma média ponderada

Volume da Fonte i

Custo da Fonte i


Um exemplo simples

Um exemplo simples …

ELP

$200

Kd = 20%a.a.

CMPC =

20%x200 + 25%x300

200 + 300

CMPC = 23% a.a.

PL

$300

Ks=25%


Pequena empresa

Pequena Empresa

  • José da Silva resolveu abrir uma pequena empresa. Os investimentos iniciais eram estimados em $80.000,00. Os recursos necessários para esse investimento viriam de uma aplicação financeira de $50.000,00 mantida no Banco Graphos e que costumava render 17% a.a. (livres de impostos). O valor restante seria obtido mediante empréstimo de longo prazo, com taxa de juros igual a 21% a.a. Sabe-se que o prêmio de risco requerido pelo investimento em relação à aplicação financeira é igual a 6% a.a. A alíquota de IR para a empresa é igual a 20%. Calcule o custo de capital deste novo empreendimento.


Pequena empresa1

Pequena Empresa

  • ELP ($30.000,00)

    Ka = 21%

    Kd = 21% (1-0,20)

    Kd = 16,8%

  • PL ($50.000,00)

    Ks = 17% + 6%

    Ks = 23%

  • CMPC

    (30 x 16,8% + 50 x 23%)/80=

    CPMC = 20,675% a.a.


Resultados

Resultados

  • Conceituamos CMPC

  • Calculamos o custo efetivo do capital de terceiros

  • Entendemos o custo de oportunidade do capital próprio e os prêmios pelo tempo e pelo risco


Cap tulo3

Capítulo

4

Análise dos prazosde recuperação docapital investido


Tr s objetivos

Três objetivos

  • Entender os princípios básicos de avaliação

  • Compreender as técnicas baseadas em prazos

  • Saber calcular payback simples e descontado


Relembrando decis es2

Técnicas

Relembrando … decisões …

Maximizar valor ou riqueza

Ativos

Investimentos

Passivos

Financiamentos

Neste capítulo …

FCL

CMPC

FCL = Fluxo de Caixa Livre

CMPC = Custo Médio Ponderado de Capital


O segundo passo

O segundo passo ...

Comparar os parâmetros das Decisões de Investimentos


Um breve resumo

Ativo Passivo

FINANCIAMENTOS

INVESTIMENTOS

Bens + Direitos

Obrigações

Patrimônio Líquido

Custo de Capital

Fluxo de Caixa

Um breve resumo ...


Compara o e t cnicas

Comparação e técnicas

Custo de Capital

Fluxo de Caixa

Técnicas


Grupos de t cnicas

Prazos

Payback

Valores

VPL, VFL, VUL

Taxas

TIR, TER, TIJ

Grupos de Técnicas


Primeiro grupo de t cnicas

Primeiro grupo de técnicas

Análises de Prazos

de recuperação docapital investido


Duas m tricas usuais

Duas métricas usuais

  • Payback simples

  • Payback descontado


Primeiro prazo

Primeiro prazo …

Payback simples


Payback simples

Payback simples

  • Análise do prazo de recuperação do capital investido, sem remuneração


Exemplo simples

400,00

250,00

200,00

Tempo

-500,00

Exemplo simples …

Cálculo do PBS

FCs no final do ano

PBS = 3 anos

FCs distribuído no ano

PBS = 2 + 50/400 = 2,125 anos


Para sempre lembrar

Para sempre lembrar !!!

Exercício de fixação


Calcule o pbs

Calcule o PBS


Solu o

Solução

150

= 2,375 anos

PBD = 2 +

400


Vantagens do pbs

Vantagens do PBS

  • Simples

  • Fácil de calcular

  • Fácil de entender


Perigos do payback simples

Perigos do payback simples

  • Não considera o valor do dinheiro no tempo

  • Miopia financeira

    • Visão curta

    • Analisa até a recuperação do capital investido

Payback Descontado

Outras técnicas devem

ser empregadas


Segundo prazo

Segundo prazo …

Payback descontado


Payback descontado

Payback descontado

  • Análise do prazo de recuperação do capital investido, com remuneração


Para considerar o no tempo

Para considerar o $ no tempo

É preciso trazer todo o fluxo de caixa a valor presente!


Do exemplo anterior

400,00

250,00

200,00

Tempo

-500,00

Do exemplo anterior …

Considerando CMPCigual a 10% a. a.


Para trazer a valor presente

Para trazer a valor presente

Fórmula dos juros compostos

VF=VP (1+ i)n

VP=VF÷(1+ i)n


Trazendo a valor presente

Trazendo a valor presente

Cálculo do PBD

FCs no final do ano

PBD = 3 anos

FCs distribuído no ano

PBD = 2 + 111,57/300,53 = 2,37 anos


Usando a hp12c

RPN

Outrascaracterísticas

Pilhas

Usando a HP12C

Funções financeiras


Aqui nos interessa

Aqui … nos interessa …

  • Funções financeiras

[n] – Calcula o número de períodos

[i] – Calcula a taxa

[PV] – Calcula o Valor Presente

[PMT] – Calcula a Prestação

[FV] – Calcula o Valor Futuro

[CHS] – Troca o sinal


Resolva na hp 12c

Movimentações de $

Tempo

Resolva na HP 12C

  • Pedro aplicou $400,00 por três meses a 5% a. m. (juros compostos). Qual o valor de resgate?

[f] [Reg]

400 [CHS] [PV]

3 [n]

VF?

5 [i]

[FV] 463,05

n=3

-400,00

i=5% a.m.


Outro exerc cio

Outro exercício …

  • Um amplificador tem preço a vista igual a $1.200,00. A loja cobra 4% a. m. Calcule o valor das prestações mensais nos seguintes casos:

    Prestação = [PMT]

  • 5 x sem entrada

  • 1 + 3

  • Entrada de $300,00 + 4 x


5 x sem entrada

5 x sem entrada

  • [f] Reg

  • 1200 [PV]

  • 4 [i]

  • 5 [n]

  • g [END] (sem entrada)

  • [PMT] – 269,55


Cap tulo

1 + 3

  • [f] Reg

  • 1200 [PV]

  • 4 [i]

  • 4 [n]

  • g [BEG] (com entrada)

  • [PMT] -317,87


Entrada de 300 00 4

Entrada de $300,00 + 4

  • [f] Reg

  • 900 [PV] (abatendo a entrada)

  • 4 [i]

  • 4 [n]

  • g [END] (sem entrada)

  • [PMT] -247,94


Trazendo a vp na hp 12c

Trazendo a VP na HP 12C

  • Qual o valor presente obtido para um valor futuro igual a $800,00 no ano 4 a uma taxa igual a 8% a. a.?

[f] [Reg]

800 [FV]

4 [n]

8 [i]

[PV]


Voltando

400,00

250,00

200,00

Tempo

-500,00

Voltando …

Para o exemplo anterior …

CMPC = 10% a.a.


Vp fc na hp 12c

VP (FC) na HP 12C

3 anos

FC no final do ano:

FC distribuído no ano:

111,57

= 2,37 anos

PBD = 2 +

300,53


Para sempre lembrar1

Para sempre lembrar !!!

Exercício de fixação


Calcule o pbd

Calcule o PBD

Considere CMPCigual a 14% a.a.


Solu o na hp 12c

Solução na HP 12C

267,53

= 2,99 anos

PBD = 2 +

269,99


Pontos fortes e fracos

Pontos fortes e fracos

  • Vantagens

    • Considera o valor do dinheiro no tempo

    • Fácil de entender

  • Desvantagens

    • Maior complexidade algébrica

    • É preciso conhecer o CMPC

    • Miopia permanece


Uso do payback

Uso do payback

  • Calibre passa não passa

Aceito!!!

<

Prazomáximotolerável

Payback

>

Rejeito!!!


Tr s resultados

Três resultados

  • Entendemos os princípios básicos de avaliação

  • Compreendemos as técnicas baseadas em prazos

  • Saber calculamos payback simples e descontado


Cap tulo4

Capítulo

5

Análise de valores


Tr s objetivos1

Três objetivos

  • Entender as técnicas baseadas em valores

  • Saber usar e avaliar investimentos com base no Valor Presente Líquido

  • Compreender e saber utilizar os métodos do Valor Futuro Líquido e do Valor Uniforme Líquido


Segundo grupo de t cnicas

Segundo grupo de técnicas

Análises de Valores

Em diferentesmomentos


Diferentes momentos

Diferentes momentos

  • Presente

  • Futuro

  • Distribuído


An lise a

Análise a …

Valor Presente


Descri o

Descrição

Considera a soma de TODOS os fluxos de caixa na DATA ZERO


Trazendo a valor presente1

Tempo

Trazendo a valor presente

Considerando CMPCigual a 10% a. a.

400,00

250,00

200,00

-500,00

181,82

688,96

206,61

300,53

Valor Presente Líquido

188,96


Vpl e hp 12c

VPL e HP 12C

  • Funções financeiras

NPV = Net Present Value

[g] [CF0] – Abastece o Fluxo de Caixa do ano 0

[g] [CFj] – Abastece o Fluxo de Caixa do ano j

Cuidado!! j <= 20 !!!

[g] [Nj] – Abastece o número de repetições

[i] – Abastece o custo de capital

[f] [NPV] – Calcula o VPL


Calculando vpl na hp12c

Calculando VPL na HP12C

[f] [Reg]

500 [CHS] [g] [CF0]

200 [g] [CFj]

250 [g] [CFj]

400 [g] [CFj]

10 [i] [f] [NPV]

188,96


Uso do vpl

Uso do VPL

Aceito!!!

>

VPL

Zero

<

Rejeito!!!


Tr s resultados1

Três resultados

  • Entendemos as técnicas baseadas em valores

  • Sabemos usar e avaliar investimentos com base no Valor Presente Líquido

  • Compreendemos e sabemos utilizar os métodos do Valor Futuro Líquido e do Valor Uniforme Líquido


Cap tulo5

Capítulo

6

Análise de taxas


Tr s objetivos2

Três objetivos

  • Entender as técnicas baseadas em taxas

  • Saber usar e avaliar investimentos com base na Taxa Interna de Retorno

  • Compreender e saber utilizar os métodos da Taxa Externa de Retorno e da Taxa Interna de Juros


Terceiro grupo de t cnicas

Terceiro grupo de técnicas

Análises de Taxas

TIR, TIJ, TER


Conceito da tir

Conceito da TIR

Valor do CMPC que faz com que o VPL seja igual a zero


Uma das taxas

Uma das taxas …

Taxa Interna de Retorno


Perfil do vpl

400,00

250,00

200,00

Tempo

-500,00

Perfil do VPL

Taxa Interna de Retorno

TIR = 27,95%

Relação inversa entre CMPC e VPL


C lculo matem tico da tir

Cálculo matemático da TIR

  • Solução polinomial …

  • VPL = 0, K = TIR

  • TIR é raiz do polinômio …


Na pr tica

Na prática …

  • HP 12C:[f] [IRR]

  • Excel:=TIR(Fluxos)


Tir e hp 12c

TIR e HP 12C

  • Funções financeiras

IRR = Internal Rate of Return

[g] [CF0] – Abastece o Fluxo de Caixa do ano 0

[g] [CFj] – Abastece o Fluxo de Caixa do ano j

Cuidado!! j <= 20 !!!

[g] [Nj] – Abastece o número de repetições

[f] [IRR] – Calcula a TIR


Calculando tir na hp12c

Calculando TIR na HP12C

[f] [Reg]

500 [CHS] [g] [CF0]

200 [g] [CFj]

250 [g] [CFj]

400 [g] [CFj]

[f] [IRR]

27,95


Uso da tir

Uso da TIR

Aceito!!!

>

TIR

CMPC

<

Rejeito!!!


Tr s resultados2

Três resultados

  • Entendemos as técnicas baseadas em taxas

  • Sabemos usar e avaliar investimentos com base na Taxa Interna de Retorno

  • Compreendemos e sabemos utilizar os métodos da Taxa Externa de Retorno e da Taxa Interna de Juros


Cap tulo6

Capítulo

7

Seleção de alternativas


Dois objetivos

Dois objetivos

  • Saber diferenciar projetos mutuamente excludentes

  • Saber comparar e selecionar projetos com base nos diferentes métodos


T pico novo

Tópico Novo

Seleção deAlternativas


S ntese das t cnicas

Síntese das técnicas

  • Payback < Prazo

  • TIR > CMPC

  • Valor > zero


Por m

Porém ….

  • Alternativas mutuamente excludentes

  • Aceitação de uma implica na rejeição das outras


Uma d vida cruel

Uma dúvida cruel …

Valor

ou

Taxa


Para pensar com cuidado

Para pensar com cuidado

  • Um professor ofereceu a seus alunos, duas alternativas:

  • a) Emprestar ao professor $1 agora e receber $1,50 ao final da aula

  • b) Emprestar ao professor $10 agora e receber $11 ao final da aula

    Qual a melhor decisão?


Escolhendo a melhor alternativa

Escolhendo a melhor alternativa

  • Selecione apenas uma

    Alternativa A B

    Agora-1-10

    Depois+1,50+11

  • Taxa50%10%

  • Valor+0,50+1,00


An lise da diferen a

Análise da diferença

Analisando o incremento

A B

-1 -10

+1,50 +11

50% 10%

+$0,50+$1,00

B – A

-9

+9,50

5,56%

+$0,50

TIR>CMPC

Aceito!

VPL>0

Aceito!

CMPC = 0%


Ao comparar alternativas

Ao comparar alternativas

Escolha com base no maior valor!


Cap tulo7

Capítulo

!

Referências dosslides.


Fonte das figuras utilizadas

Fonte das figuras utilizadas

  • Quase todas as figuras utilizadas neste conjunto de slides foram obtidas das seguintes fontes:

    • 100.000 MultImídia Pack. Revista Expert Premium, São Paulo: CD Expert Editora e Distribuidora Ltda, 2000.

    • 30.000 Multimídia Pack. Revista Expert Premium, São Paulo: CD Expert Editora e Distribuidora Ltda, 2000.


  • Login