Pops monitoramento de efluentes gasosos
Download
1 / 42

POPs MONITORAMENTO DE EFLUENTES GASOSOS - PowerPoint PPT Presentation


  • 125 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

CETESB. POPs MONITORAMENTO DE EFLUENTES GASOSOS. Eng a Maria Cristina Poli Setor de Avaliação de Tecnologia do Ar, Ruído e Vibraçõe Diretoria de Engenharia, Tecnologia e Qualidade Ambiental. POPs TIPO DE FONTES. Incineradores de Resíduos Perigosos industriais

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha

Download Presentation

POPs MONITORAMENTO DE EFLUENTES GASOSOS

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


CETESB

POPsMONITORAMENTO DE EFLUENTES GASOSOS

Enga Maria Cristina Poli

Setor de Avaliação de Tecnologia do Ar, Ruído e Vibraçõe

Diretoria de Engenharia, Tecnologia e Qualidade Ambiental


POPsTIPO DE FONTES

  • Incineradores de Resíduos Perigosos industriais

  • Incineradores de Resíduos de Serviços de Saúde

  • Co-processamento de Resíduos em Fornos de Cimento

  • Caldeiras e fornos destinados a queima de resíduos industriais

  • Equipamentos de controle de poluição do ar instalados em áreas em processos de descontaminação

  • Sistema de Descontaminação de Carcaça de Transformadores

  • Fabricação de Negro de Fumo


TESTE DE QUEIMA

Queima experimental antes do incinerador entrar em operação normal ou antes de se incinerar um resíduo não especificado na licença e onde se verifica o atendimento aos padrões de desempenho estabelecido


Pontos de Avaliação de POPs durante um Teste de Queima

  • Efluentes gasosos

  • Cinzas e escórias - em função das características do resíduo e dos equipamentos de processo

  • Efluente líquidos e lodo dos equipamentos de controle de poluição do ar


Metodologia para amostragem de efluentes gasosos

  • Dioxinas e Furanos: USEPA 23

  • Compostos Orgânicos Semi-Voláteis: CETESB L9.232

  • Compostos Orgânicos Voláteis: USEPA 30

  • Hidrocarbonetos Totais: USEPA 18 e/ou 25A


Número de fontes com acompanhamento de amostragem de chaminé

Fonte: Cetesb - Relatório Anual do Setor de Avaliação de Tecnologia do Ar, Ruído e Vibrações


Fonte: Cetesb - Relatório Anual do Setor de Avaliação de Tecnologia do Ar, Ruído e Vibrações


Monitoramento das Emissões Gasosas por tipo de Fonte (2000 a 2004)

Fornos e Caldeira que queimam resíduos indústriais e descontaminação de áreas

Incineradores de Resíduos Perigosos Indústriais

Incineradores de Resíduos de Serviços de Saúde

Co-processamento em Fornos de Cimento


INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS

  • 04 unidades prestadoras de serviços à terceiros

  • 05 unidades para os resíduos gerados em processos industriais específicos (Incineradores Cativos)


INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS

  • 1985 - instalado o primeiro incinerador

  • 1987 - primeiro Teste de Queima

  • Década de 90 são instalados os demais incineradores no Estado de São Paulo

  • em 1996 - é realizado o primeiro teste para avaliação de dioxinas e furanos em virtude da solicitação de licenciamento de recebimento de PCBs em um dos quatro incineradores licenciados para queima de resíduo de terceiros


INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAISLegislação - Dioxinas e Furanos

  • Incineradores “cativos”instalados no Estado de São Paulo, estabelecido na Licença de Instalação o padrão de de 0,14 ng/Nm3, base seca a 7% oxigênio, expresso como 2,3,7,8 TCDD (tetraclorodibenzo-p-dioxinas)

  • Resolução CONAMA 316 de 29/10/02, estabelece um padrão de emissão de 0,50 ng/Nm3, base seca a 7% oxigênio, expresso como 2,3,7,8 TCDD (tetraclorodibenzo-p-dioxinas)


INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS

  • Os incineradores “cativos” passam a realizar testes para dioxinas e furanos em intervalos anuais ou bienais, em função da localidade e características do resíduo

  • A partir de 2005, em função da nova legislação todos deverão monitorar dioxinas e furanos no mínimo a cada 02 anos


Incineradores CativosResultados de Dioxinas e Furanos (ng/Nm3, base seca a 7% de O2, expresso como 2,3,7,8 TCDD)

Unidade A

Unidade B

Unidade C

Unidade D

Unidade E

Padrão de emissão

Fonte: Cetesb Pt 031/03/EEAR, 490/03/ETQR/EEEL, 054/04/ETQR


INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAISLegislação - PCBs

  • NBR 11.175 (antiga NB 1265 de dez/99) estabelece uma eficiência de mínima de 99,999% de remoção e destruição

  • Resolução CONAMA 316 de 29/10/02, estabelece uma eficiência mínima de 99,99% de remoção e destruição.


Conc. PCBs na escória

Conc. PCBs no efluente gasoso

Conc. D&F expressa como 2,3,7,8 TCDD a 7% O2 no efluente gasoso

Conc. PCBs na torta do filtro prensa

Conc. PCBs no efluente líquido

Conc. D&F no efluente líquido

Eficiência de Remoção e Destruição (EDR)

1.309 g/kg

3,265 ng/Nm3

0,22 ng/Nm3

7,817,0 g

1,34 ng/L

5,30 ng/L

> 99, 9999 %

INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAISResultado dos Testes para PCBs - 1996Taxa de alimentação de 80 kg/h (60% ascarel e 40% diesel)

Fonte: Cetesb PT 027/96/EEEL


568 g/kg

7,9 ng/Nm3

0,98 ng/Nm3

< 33 g/kg

< 1,0 ng/L

> 99, 9999 %

Conc. PCBs na escória

Conc. PCBs no efluente gasoso

Conc. D&F expressa como 2,3,7,8 TCDD a 7% O2 no efluente gasoso

Conc. PCBs na torta do filtro prensa

Conc. PCBs no efluente líquido

Eficiência de Remoção e Destruição (EDR)

INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAISResultado dos Testes para PCBs - 2000Taxa de alimentação de 80 kg/h (50% ascarel e 50% diesel)

Fonte: Relatório de Resultados de Teste de Queima apresentado pela empresa


4.400 g/kg

-

17,3 ng/Nm3

82 g/kg

-

-

-

Conc. PCBs na escória

Conc. PCBs no efluente gasoso

Conc. D&F expressa como 2,3,7,8 TCDD a 7% O2 no efluente gasoso

Conc. PCBs na torta do filtro prensa

Conc. PCBs no efluente líquido

Conc. D&F no efluente líquido

Eficiência de Remoção e Destruição (EDR)

INCINERADORES DE RESÍDUOS INDUSTRIAISResultado dos Testes para PCBs - 2002Taxa de alimentação de 62 kg/h

Fonte: Relatório de Resultados do Teste de Queima apresentado pela empresa


INCINERADORES DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

  • 03 unidades prestadoras de serviços à terceiros com capacidade superior a 1.500 kg/dia de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS)

  • 1999 - 1° Teste para avaliação de Dioxinas e Furanos


INCINERADORES DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDELegislação - Dioxinas e Furanos

  • Incineradores com capacidade > 1500 kg/dia instalados no Estado de São Paulo, estabelecido na Norma CETESB E15.011 (fev/1997) o padrão de de 0,14 ng/Nm3, base seca a 7% oxigênio, expresso como 2,3,7,8 TCDD (tetraclorodibenzo p-dioxinas)

  • Resolução CONAMA 316 de 29/10/02, estabelece um padrão de emissão de 0,50 ng/Nm3, base seca a 7% oxigênio, expresso como 2,3,7,8 TCDD (tetraclorodibenzo p-dioxinas)


Incineradores de RSSResultados de Dioxinas e Furanos (ng/Nm3, base seca a 7% de O2, expresso como 2,3,7,8 TCDD)

Unidade A

Unidade B

Unidade C

Padrão de emissão

Fonte: Cetesb Pt 099/00/EEAR


Co-processamento de resíduos em fornos de cimento

  • 02 unidades licenciadas

  • 01 unidade licenciada somente para pneus

  • 02 unidades em processo de licenciamento


Co-processamento de Resíduos em Fornos de Cimento - Legislação

  • Resolução CONAMA 316 de 29/10/02, estabelece um padrão de emissão de 0,50 ng/Nm3, base seca a 7 % oxigênio, expresso como 2,3,7,8 TCDD (tetraclorodibenzo p-dioxinas)

  • Norma CETESB P4.263 de dezembro de 2003, estabelece um padrão de emissão de 0,1 ng/Nm3, base seca a 11 % oxigênio, expresso como 2,3,7,8 TCDD (tetraclorodibenzo p-dioxinas)

  • Resolução CONAMA 264 de 1999, proíbe o co-processamento de resíduos com PCBs


Co-processamento em Fornos de CimentoUnidade 1Resultados de Dioxinas e Furanos (ng/Nm3, base seca,, expresso como 2,3,7,8 TCDD)

  • Alimentação de farinha – 100 t/h

  • Alimentação de combustível – 5 t/h

  • Alimentação de resíduo – 3,7 t/h

Fonte:Cetesb PT 137/04/ETQR


Co-processamento em Fornos de CimentoUnidade 2Resultados de Dioxinas e Furanos (ng/Nm3, base seca,, expresso como 2,3,7,8 TCDD)

  • Alimentação de farinha – 97 t/h

  • Alimentação de combustível – 4 t/h

  • Alimentação de resíduo – 3 t/h

fonte:Cetesb PT 128/04/ETQR


Caldeiras e fornos destinados a queima de resíduos industriais perigosos

  • São utilizados os mesmos critérios e legislação utilizados nos incineradores de resíduos industriais, considerando a localização da fonte e as características do resíduo utilizado.


Equipamentos de controle de poluição do ar instalados em áreas em processos de descontaminação

  • São utilizados os mesmos critérios e legislação utilizados nos incineradores de resíduos industriais, considerando a localização da fonte e as características dos equipamento utilizado na descontaminação da área.


Tratamento Térmico – Extração do SoloResultados de Dioxinas e Furanos (ng/Nm3, base seca a 7% de O2, expresso como 2,3,7,8 TCDD)

Fonte:Cetesb PT 020/02/EEAR, 077/03/EEAR e 231/04/ETQR


Sistema de Descontaminação de Transformadores por processo de lavagem com solventes

  • 01 unidade no Estado de São Paulo (desativada em 2003/2004)

  • Temperatura de vaporização entre 130 a 110 C

  • Equipamento de Controle de Poluição do Ar: filtro com carvão ativado

  • amostragens dos efluentes gasosos a cada 06 meses para os parâmetros PCBs, Dioxinas e Furanos, Triclorobenzeno e Percloroetileno.


PCBs

(bifenila policlorada)

TCBs (triclorobenzeno)

PCE

(percloroetileno)

Dioxinas e Furanos

45,6 g/Nm3, base seca

670 g/Nm3, base seca

17.838,0 g/Nm3, base seca

< 0,073 ng/Nm3, base seca, expressos como 2,3,7,8 TCDD

Sistema de Descontaminação de Transformadores por processo de lavagem com solventesResultados de Amostragem em Chaminé


Fabricação de Negro de Fumo

  • Estabelecimento de obrigatoriedade na renovação da Licença de Operação e Instalações novas de quantificação de benzo-a-pireno no efluente gasoso das unidades


Resultado de Benzo-a-pireno fabricação de Negro de Fumo

  • Concentração(ng/Nm3, base seca) para uma produção de 4027 kg/h de negro de fumo

  • Concentração(ng/Nm3, base seca) para uma produção de 3407 kg/h de negro de fumo

  • Taxa de emissão (g/h) para a produção de 4027 kg/h de negro de fumo

  • Taxa de emissão (g/h) para a produção de 3407 kg/h de negro de fumo

Fonte: Cetesb - Pt 187/04/ETQR


Microondas

  • Unicamente para tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde Monitoramento microbiológico no efluente líquido

  • Avaliação da inativação microbiológica no resíduo Monitoramento de Hidrocarbonetos Totais, expressos como n-hexano, no efluente gasoso

  • Resultados na faixa de 140 a 40 ppm

  • Padrão de emissão de 100 ppm (Canadá)


Autoclave

  • Exclusivo para tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde

  • Monitoramento microbiológico no efluente líquido

  • Avaliação da inativação microbiológica durante a operação (eficiência do processo)

  • Proibida a emissão de substâncias odoríferas para a atmosfera


MONITORAMENTO DE POPsLABORATÓRIO DE QUÍMICA ORGÂNICA

  • Programa de Monitoramento Global de POPs da UNEP

  • Área: 470 m2 Análises: 40.000 / ano

  • Equipamentos: CG com detectores: FID, ECD, HECD, NPD, PID, FPD, MS; HPLC detector fluorescência, UV, DAD; espectrometro infravermelho e UV visível, analisadores de TOC, TOX e EOX

  • Corpo Técnico: 07 Químicos; 01 Eng. Químico, 01 Farm. Bioq.; 09 Técnicos; 02 Admiministrativo


Pesticidas Organoclorados

Organofosforados

Herbicidas fenoxi acido clorados

Bifenilas policloradas

No parâmetros/ano

13.318 compostos

576 compostos

48 compostos

1. 414 congêneres

MONITORAMENTO GLOBAL DE POPsÁGUA:Subterrânea, superficial, residuária e potável


Trihalometanos

Fenóis clorados

Orgânicos aromáticos

voláteis (VOCs)

Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos

No parâmetros/ano

**

285 compostos

25.338 compostos**

5.785 compostos

MONITORAMENTO GLOBAL DE POPsÁGUA:Subterrânea, superficial, residuária e potável


MONITORAMENTO GLOBAL DE POPs

SOLO, SEDIMENTO E RESÍDUO SÓLIDO

  • Pesticidas Organoclorados(2.288 compostos)

  • Bifenilas Policloradas(504 congêneres)

  • Hidrocarbonetos PolicíclicosAromáticos (708 compostos)

  • Fenóis (286 compostos)

  • Orgânicos Aromáticos Voláteis (VOC’s)(1.368 compostos)

    Test Methods for Evaluating Solid Waste, Physical/Chemical Methods SW 846, última edição


MONITORAMENTO GLOBAL DE POPs

  • Pesticidas Organoclorados

    HCH (, , );Lindano; Clordano;DDE;DDT;DDD; Dieldrin; Aldrin; Endosulfan; Endrin; Heptacloro; Heptacloro epoxi; Metoxicloro; Mirex; Toxafeno; Hexaclorobenzeno

  •  Bifenilas Policloradas

    Arocloro: 1016;1221; 1232; 1242;1248;1254;1260;

    2,4,4´- Tricloro Bifenila; 2,2`,5,5`-Tetraclorobifenila;

    2,2´,4,5,5´-Pentaclorobifenila; 2,3´,4,4´,5 – Pentacloro Bifenila; 2,2,3,4,4,5-Hexaclorobifenila; 2,2,4,4,5,5´- Hexaclorobifenila; 2,2`3,4,4`,5,5`-Heptaclorobifenila

  • Dioxinas e Furanos

    Laboratório em implantação


CONTROLE DE QUALIDADE ANALÍTICA

  • Performance do método, calibração do equipamento, amostras de controle do laboratório, branco, spike de matriz, duplicata, surrogate.

  • Ensaios de proficiência

  • Preparo para acreditação pelo INMETRO na Norma ISO/IEC 17025


Aldrin/dieldrin

Endrin

PCBs

clordano (cis e trans)

DDT (p,p´-DDT, DDE, DDD)

endosulfan

mirex

heptacloro/heptacloro epóxido

hexaclorobenzeno

toxafeno

Padrões variam de acordo com a classe

RESOLUÇÃO CONAMA 20 - ÁGUAS1986 e 2004

  • Recomenda-se análise

  • de sedimento e biota

  • Necessário aperfeiçoar as metodologias para essas matrizes

  • Proibido lançamento de POPsem efluentes


RESOLUÇÃO CONAMA 20 - ÁGUAS1986 e 2004

DIOXINAS E FURANOS

  • Não foi estabelecido padrões

  • Lançamento de efluentes: usar a melhor metodologia disponível para tratamento com vistas à sua eliminação


Maria Cristina Poli

Setor de Avaliação de Tecnologia do Ar, Ruído e Vibrações

CETESB - Brasil

mcristinap@cetesb.sp,gpv.br

Obrigada !Gracias !Thank you !


ad
  • Login