diretrizes curriculares estaduais n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Diretrizes Curriculares Estaduais PowerPoint Presentation
Download Presentation
Diretrizes Curriculares Estaduais

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 40

Diretrizes Curriculares Estaduais - PowerPoint PPT Presentation


  • 98 Views
  • Uploaded on

Diretrizes Curriculares Estaduais. O objeto de estudo é a Língua, entendida como prática que se efetiva nas diferentes instâncias sociais. Língua interação e não apenas comunicação. Práticas discursivas: aprendo fazendo e não por conceitos. AL perpassa as três práticas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Diretrizes Curriculares Estaduais' - ziven


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
diretrizes curriculares estaduais
Diretrizes Curriculares Estaduais

O objeto de estudo é a Língua, entendida como prática que se efetiva nas diferentes instâncias sociais.

Língua interação e não apenas comunicação.

Práticas discursivas: aprendo fazendo e não por conceitos. AL perpassa as três práticas.

slide2

A dimensão dialógica da linguagem se configura a partir de atividades que possibilitem experiências reais de uso da língua materna.

A língua é espaço de interação entre sujeitos que se constituem por meio da relação e inter-relação com ela.

slide3

Os princípios metodológicos dão ênfase às experiências de uso concreto da língua valorizando o ambiente escolar como ambiente discursivo.

Conteúdo Estruturante

O Discurso como prática social

slide4

Discurso: atividade comunicativa ligada a efeito de sentido, ao social, ao ideológico e não apenas na materialidade do texto. Não é individual. Gênese na atitude responsiva a outros textos.

Diferentes vozes que representam diferentes ideologias.

Os discursos não são neutros.

slide6

1º a 08/05/2000

A primeira manchete

CAMINHONEIROS EM GREVE

A segunda manchete –

GREVE COMEÇA COM EPISÓDIOS DE VIOLÊNCIA NO SUL 

Na terceira manchete

GREVE DE CAMINHONEIROS JÁ AMEAÇA O ABASTECIMENTO

slide9

Um menino era super viciado no orkut. A mãe dele um dia mandou o menino ir para a igreja... Chegando lá, o pastor perguntou pro menino:

- Menino, você aceita Jesus?

E o garoto respondeu :

- Só se ele me mandar “scrap”!

pr tica da escrita
PRÁTICA DA ESCRITA

A escrita entendida como:

- formadora de subjetividades;

- instrumento de intervenção no mundo;

- algo que precisa ser planejado, revisado, reestruturado.

pr tica da escrita1
Prática da escrita
  • O centro do trabalho é o gênero e não o tema. (Quero ensinar o gênero e não o tema).
  • Há gêneros próprios da leitura e outros da escrita.
  • Criar necessidade de escrita/interação. Escrita cumprindo um papel social. Aviso aos pais, cartaz de festa junina, carta ao prefeito, bilhete, convite.
sequ ncia did tica
Sequência Didática

1) Apresentação da situação: contexto de produção

a) Quem fala?

b) Para quem se fala?

c) Por que se fala (objetivo comunicativo) ?

d)A partir de quais posicionamentos ideológicos?

e) Em que situação (contexto)?

slide13

f) Em qual momento histórico?

g) A partir de qual lugar social?

h) Registrado em que suporte?

Seleção do gênero

Contexto de produção: gênero

slide14

2) Reconhecimento do gênero selecionado

- Função social

- Conteúdo temático

- Estrutura composicional

- Estilo: marcas enunciativas, recursos gramaticais empregados, seleção do léxico.

slide15

Pesquisa, leitura, interpretação do gênero.

3) Produção

- Rascunho, auto-correção, leitura em voz alta, um corrige o do outro, reescrita coletiva.

necessidade comunicativa convidar os pais para a festa junina
Necessidade comunicativa: convidar os pais para a festa junina

1) Apresentação da situação: contexto de produção

a) Quem fala? O aluno

b) Para quem se fala? Pais

c) Por que se fala? Para convidá-los a festa

d)A partir de quais posicionamentos ideológicos? Idéia de convencê-los.

slide17

e) Em que situação (contexto)? Escolar/familiar

f) Em qual momento histórico? Atualmente

g) A partir de qual lugar social? Aluno/filho

h) Registrado em que suporte? Papel

Seleção do gênero

Contexto de produção: gênero convite

slide18

2) Reconhecimento do gênero selecionado

- Função social: convidar

- Conteúdo temático: festa junina

- Estrutura composicional:

- Estilo: marcas enunciativas, recursos gramaticais empregados, seleção do léxico.

slide22

3) Produção

Rascunho, auto-correção, leitura em voz alta, um corrige o do outro, reescrita coletiva.

reescrita coletiva
Reescrita coletiva

- Projetar o texto (ou em cartaz) e discutir com os alunos. Escolher um texto “mediano” para mostrar qualidades e defeitos.

  • Substantivos próprios. Como são grafados?
  • Faltam sinais de pontuação, onde?
slide24

Há problemas ortográficos?

  • Podemos substituir “a gente” por qual expressão? Qual a diferença?
  • Marcas do gênero: quem esta convidando, local, data, horário, etc.
slide29

Para que eu escrevo?

Com qual objetivo comunicativo?

Onde será exposto?

Continuar a escrita por fila – história coletiva

slide31

1.Imaginem que um cãozinho quisesse escrever um texto falando de si, para colocar numa carta/bilhete que ficaria ao lado de sua cestinha na feira, para os visitantes lerem. O que ele escreveria?

Escrevam o texto para ele. Podem usar linguagem bem descontraída.

slide32

2. Você levou seu cão para doar e precisa elaborar uma ficha com os dados dele para entregar ao organizador da feira. Esse texto exige linguagem formal.

Proposta criada pela Angela Gusso

slide33

Importância de um enunciado bem escrito

  • Escreva uma ficha com informações sobre o cão.
  • Escreva um bilhete se colocando no lugar do cão.

Importância de deixar claro os critérios de avaliação para os alunos

slide37

Há outra maneira de escrever “te conhecer” que pode deixar o seu mais formal. Vamos fazer isso? Substitua o “te” por um pronome oblíquo.

  • Leia novamente com atenção e tente perceber onde há problema de ortografia.
  • Pesquise a forma padrão de grafar a abreviatura de professora.
exerc cios que devemos evitar
Exercícios que devemos evitar

Complete as palavras usando SS, Ç, SC, C

Pê...........ego / reflore........er / compa...........o / capa....ete / mo......a / feli........idade / bi.....icleta / ama.........ado / a.........opro/ Comunica ........ão / bú......ola/ simpli.......idade / profe........ora / ma........a / na...........imento / pre.........ão / pá........aro/ mo.......idade /

slide39

A mesma palavra está escrita de três maneiras diferentes. Duas delas estão erradas. Circule a grafia correta. Usar o dicionário para a conferência:

  • 1-sentensa sentenssa sentença
  • 2-sausicha salsicha salchicha
  • 3-travesseiro traveseiro traveceiro
  • 4-sanduíche sanduixe samduiche
atividade para os professores
Atividade para os professores

Construa um enunciado de atividade escrita e uma tabela de critério de avaliação a partir de um contexto de produção específico.

  • Quem escreve?
  • Para quem?
  • Com qual objetivo?
  • Em qual gênero?
  • Suporte?