sistemas estruturais ii n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Sistemas Estruturais II PowerPoint Presentation
Download Presentation
Sistemas Estruturais II

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 16

Sistemas Estruturais II - PowerPoint PPT Presentation


  • 71 Views
  • Uploaded on

Sistemas Estruturais II. Outros tipos de proteção de talude (concreto projetado; uso de solo / cimento) . Ana Paula Inácio Ana Vitória Garcia Letícia Souza Fernanda Rodrigues Gabriela Cambraia Sophia Coelho. Cuidados necessários. Proteção superficial: evita a erosão do terreno

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Sistemas Estruturais II' - yair


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
sistemas estruturais ii

Sistemas Estruturais II

Outros tipos de proteção de talude

(concreto projetado; uso de solo / cimento)

Ana Paula Inácio

Ana VitóriaGarcia

Letícia Souza

Fernanda Rodrigues

Gabriela Cambraia

Sophia Coelho

cuidados necess rios
Cuidados necessários
  • Proteção superficial: evita a erosão do terreno
  • Drenagem: Destina corretamente a água
tipos de prote o superficial
Tipos de proteção superficial
  • Materiais naturais:
    • Reduzem a infiltração das águas;
    • Protegem a parte superficial do solo da erosão;
    • Contribuem para amenizar a temperatura local e criar um ambiente visualmente agradável.

Resvestimento com gramíneas

tipos de prote o superficial1
Tipos de proteção superficial
    • Materiais artificiais:
  • Melhor rendimento e vida útil quando executados juntamente com retaludamento e microdrenagem,

tratando o talude de modo completo.

  • A escolha do tipo de revestimento depende da natureza do material

(rocha, solo ou sedimento) e da declividade do talude: solos mais

argilosos respondem melhor à fixação

das telas que os arenosos;

  • Lajotas em taludes verticalizados

podem provocar acidentes, quando

ocorre o seu descolamento.

Resvestimento com tela argamassada

concreto projetado
Concreto Projetado
  • Trata-se de uma mistura de cimento, areia pedrisco, água e aditivos, que é impulsionada por ar comprimido desde o equipamento de projeção até o local de aplicação, através de mangote.
  • Na extremidade do mangote existe um bico de projeção, onde é acrescentada a água.
  • Esta mistura é lançada pelo ar comprimido, a grande velocidade, na superfície a ser moldada. Na mistura podem ser adicionadas ao traço microssílica, fibras ou outros componentes.
  • As peças podem receber ferragens convencionais, telas eletrossoldadas ou fibras, conforme a especificação do projeto.
concreto projetado1
Concreto Projetado
  • Existem duas maneiras de se obter o concreto projetado:
    • Via seca: A adição de água é feita junto ao bico de projeção, instantes antes da aplicação;
    • Via úmida: Preparado com água e desta forma conduzido até o local da aplicação.
concreto projetado2
Concreto Projetado
    • Armação:
  • A instalação de telas eletrosoldadas é feita em uma ou duas camadas,

conforme especifica o projeto. Aplica-se a primeira camada com a primeira

tela, a segunda camada do projetado, a segunda tela e o concreto final.

  • Também são utilizadas fibras metálicas de aço, adicionadas diretamente na betoneira, obtendo uma mistura perfeitamente homogênea. Isto promove redução da equipe de trabalho, visto que não há necessidade de mão-de-obra para preparo e instalação das telas.
solo cimento
Solo / Cimento
  • Características:
    • O solo-cimento é um material alternativo de baixo custo, obtido pela mistura de solo, cimento e um pouco de água.
    • No início, essa mistura parece uma "farofa" úmida. Após ser compactada, ela endurece e com o tempo ganha consistência e durabilidade suficientes para diversas aplicações no meio rural.
    • Garante a economia de tempo e material, bem como facilidade de execução atendendo a segmentos da população na faixa de pobreza, como é o caso dos “sem-terra”, permitindo o uso de mutirões.
solo cimento1
Solo / Cimento
  • Vantagens:
    • O processo construtivo do solo-cimento é muito simples, podendo ser rapidamente assimilado por mão-de-obra não qualificada.
    • É um material de boa resistência e perfeita impermeabilidade, resistindo ao desgaste do tempo e à umidade, facilitando a sua conservação.
    • O solo-cimento vem se consagrando como tecnologia alternativa por oferecer o principal componente da mistura - o solo – em abundância na natureza e geralmente disponível no local da obra ou próxima a ela.
solo cimento2
Solo / Cimento
  • Execução:
    • Inicialmente é necessário o preparo do talude, devendo ser superfícies planas, sem ressaltos ou cavidades.
    • Em seguida a mistura deve ser preparada. Com proporções definidas em laboratório.
slide13

Solo / Cimento

  • Execução:
    • Depois de pronta, a massa deve ser aplicada, do pé para o topo do talude. Não é permitido que a aplicação seja feita mais de 3 horas depois do preparo.
    • A compactação é parte indispensável. Deve ser feita na mesma direção da aplicação com soquetes manuais ou mecânicos.
    • Após realizadas as etapas de execução é necessário cobrir durante 7 dias o revestimento com uma camada de 5 cm de terra ou capim cortado, para evitar a perda de umidade no período de cura. Manter o revestimento úmido através de irrigação neste período.