um modelo din mico de fragilidade financeira para economia aberta ricardo de f summa ie ufrj l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
UM MODELO DINÂMICO DE FRAGILIDADE FINANCEIRA PARA ECONOMIA ABERTA Ricardo de F. Summa IE-UFRJ PowerPoint Presentation
Download Presentation
UM MODELO DINÂMICO DE FRAGILIDADE FINANCEIRA PARA ECONOMIA ABERTA Ricardo de F. Summa IE-UFRJ

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 28

UM MODELO DINÂMICO DE FRAGILIDADE FINANCEIRA PARA ECONOMIA ABERTA Ricardo de F. Summa IE-UFRJ - PowerPoint PPT Presentation


  • 133 Views
  • Uploaded on

UM MODELO DINÂMICO DE FRAGILIDADE FINANCEIRA PARA ECONOMIA ABERTA Ricardo de F. Summa IE-UFRJ. Trabalho para o Encontro Nacional de Economia, ANPEC-SUL, 23 de Setembro de 2005. Pontos Importantes. 1)Fragilidade Financeira 2)Economia Aberta 3) Modelo de Fragilidade Financeira.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'UM MODELO DINÂMICO DE FRAGILIDADE FINANCEIRA PARA ECONOMIA ABERTA Ricardo de F. Summa IE-UFRJ' - willow


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
um modelo din mico de fragilidade financeira para economia aberta ricardo de f summa ie ufrj

UM MODELO DINÂMICO DE FRAGILIDADE FINANCEIRA PARA ECONOMIA ABERTARicardo de F. SummaIE-UFRJ

Trabalho para o Encontro Nacional de Economia, ANPEC-SUL, 23 de Setembro de 2005.

pontos importantes
Pontos Importantes
  • 1)Fragilidade Financeira
  • 2)Economia Aberta
  • 3)Modelo de Fragilidade Financeira
a teoria da instabilidade financeira
A Teoria da Instabilidade Financeira
  • A Teoria da Instabilidade Financeira de Minsky depende da relação entre o investimento e o endividamento.
  • O investimento depende de diversos fatores financeiros, monetários e reais. Está sujeito a variações súbitas e repentinas decorrente de variações nas expectativas e na avaliação de riscos.
a teoria da instabilidade financeira4
A Teoria da Instabilidade Financeira
  • A fragilidade financeira das unidades depende da relação entre os fluxos de caixa esperado de seus ativos e dos compromissos de pagamentos referentes ao endividamento (juros, dividendos, serviços da dívida, etc).
  • A fragilidade financeira da economia como um todo depende da proporção de unidades frágeis(Ponzi e Especulativa).
a teoria da instabilidade financeira5
A Teoria da Instabilidade Financeira
  • Em tempos de boom econômico, as expectativas tendem a se inflar e avaliações de risco (tomador e emprestador) tendem a se reduzir (convenção, passado recente, opinião média), e a economia é dirigida por situações de crescente fragilidade financeira.
a teoria da instabilidade financeira6
A Teoria da Instabilidade Financeira
  • Uma vez que a economia se encontra em situação de elevada fragilidade financeira, um choque é capaz de desencadear uma situação de instabilidade financeira.
  • Em geral, a instabilidade financeira aparece como um processo de debt deflation, com queda nos gastos em investimento e no nível de preço dos ativos de capital, defaults de dívidas e falências em cadeia, e recessão.
a teoria da instabilidade financeira7
A Teoria da Instabilidade Financeira
  • Em um contexto de economia aberta, as possibilidades de fragilidade e instabilidade financeira se ampliam.
a teoria da instabilidade financeira8
A Teoria da Instabilidade Financeira
  • Os fluxos de caixa decorrente dos ativos bom como os compromissos decorrente do endividamento podem ser denominados em moeda estrangeira. Dessa forma, valorizãções e desvalorizações na taxa de câmbio nacional podem alterar a situação de fragilidade financeira das diversas unidades, e até levar a instabilidade financeira.(Kregel,1998; Arestis et alli, 1999)
modelo de fragilidade financeira com taxa de c mbio
Modelo de Fragilidade Financeira com taxa de câmbio
  • Modelo macroeconômico de instabilidade dinâmica com explicitação das regiões de fragilidade financeira.
  • Busca captar a idéia de que, a situação de fragilidade financeira de uma economia aberta – a relação entre o fluxo de caixa gerado pelos ativos e do compromisso de pagamento do endividamento – pode mudar com variações na taxa de câmbio.
endividamento e ff
Endividamento e FF
  • Endividamento da economia:
  • Uma vez estabelecido o fluxo de caixa (taxa de lucro) e o endividamento e o serviço que recai sobe o endividamento, é possível estabelecer as situações de FF de acordo com as variáveis do modelo.
condi es de fragilidade financeira
Condições de Fragilidade Financeira
  • Pela Taxonomia Minskyana:
  • Endividamento Hedge:
  • Endividamento Especulativo:
  • Endividamento Ponzi:
slide16
Uma desvalorização cambial pode aumentar ou diminuir as regiões de endividamento especulativo e Ponzi, dependendo dos parâmetros de importação, exportação e do estoque da dívida.
  • desvalorização cambial aumenta tanto o valor do pagamento das dívidas quanto o vazamento de demanda agregada para o exterior via importações. Em contrapartida, aumenta o valor das exportação e assim a taxa de lucro.
din mica do modelo
Dinâmica do Modelo
  • Atribuindo leis de movimento para as variáveis de estado:
  • 1)
  • O endividamento depende positivamente da taxa de juros.
din mica do modelo18
Dinâmica do Modelo
  • condição de paridade de juros. A taxa interna equivale a taxa internacional de juros mais um prêmio de risco denominado por .
  • O prêmio de risco varia de acordo com o estoque de endividamento em relação ao estoque de capital. A taxa de juros varia quando a relação dívida-capital está acima ou abaixo de um nível “aceitável”, fixado exógenamente.
an lise da estabilidade
Análise da Estabilidade
  • Ao contrário do modelo anterior, o traço da matriz não depende apenas dos valores dos parâmetros, mas da relação entre as variáveis:
  • Dessa forma, é possível traçar uma linha de instabilidade, g=i, no gráfico.
slide21
Equilíbrio dinâmico em região instável.
  • Choque é capaz de levar a um processo cumulativo de aumento de da relação dívida-capital, e conseqüente aumento no prêmio de risco, e assim na taxa de juros. O aumento na taxa de juros e na relação dívida capital tendem, no modelo teórico, a se reforçarem indefinidamente.
  • Processo ocorre dentro de região de endividamento Ponzi. Em algum momento, espera-se que a economia entre em processo de debt-deflation.
rela o entre ff e instabilidade
Relação entre FF e Instabilidade
  • A relação entre a fronteira de estabilidade e as fronteiras de FF dependem da taxa de câmbio, além da relação divida-capital e taxa de juros.
  • Isso equivale a dizer que é possível estar em um equilíbrio Ponzi à esquerda da região de estabilidade.
slide24
Desvalorização da taxa de câmbio deteriora o balanço da economia.
  • Equilíbrio Hedge pode se transformar em Ponzi.
  • Equilíbrio em região Ponzi: divída deve ser constantemente refinanciada, uma vez que os compromissos de pagamento são maiores que o fluxo de caixa. O não refinanciamento pode levar a uma crise financeira.
mecanismos estabilizadores
Mecanismos Estabilizadores
  • Aumento das exportações depois de desvalorização cambial. Também pode alterar o parâmetro de importação.
  • Existência de um sistema financeiro nacional, de tal forma que desvalorização cambial não atinja todas as formas de endividamento da economia.
pesquisas futuras
Pesquisas Futuras
  • Introdução do Governo e avaliação do efeito “Big Government” sustentando a Demanda Agregada e a Taxa de Lucro em períodos de recessão.
  • Efeito de desvalorização nos preços.
  • Tornar relação dívida-capital “de equilíbrio” endógena. Prêmio de risco poderia depender também da própria taxa de juros.
conclus o
Conclusão
  • Corrobora aspectos da Teoria Minskyana pra Economia Aberta (Kregel(1999),Arestis et alli(1999))
  • Desvalorizações cambiais podem agravar a situação de fragilidade financeira ao aumentar o serviço do endividamento e diminuir o fluxo de caixa da economia.
conclus o28
Conclusão
  • Também existe possibilidade de instabilidade dinâmica quando a taxa de juros segue uma paridade com a taxa de juros internacional e o prêmio de risco depende positivamente da relação dívida-capital. Existe a possibilidade de um processo cumulativo entre taxa de juros e endividamento, que pode terminar em uma crise financeira.