slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Composição do trabalho acadêmico PowerPoint Presentation
Download Presentation
Composição do trabalho acadêmico

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 25

Composição do trabalho acadêmico - PowerPoint PPT Presentation


  • 89 Views
  • Uploaded on

Composição do trabalho acadêmico. De forma geral, serve tanto para trabalhos entregues em disciplinas como para o TCC (monografia). Estrutura: Elementos pré-textuais Elementos textuais Elementos pós-textuais. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS OBRIGATÓRIOS. CAPA FOLHA DE ROSTO.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Composição do trabalho acadêmico' - warner


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Composição do trabalho acadêmico

De forma geral, serve tanto para trabalhos entregues em disciplinas como para o TCC (monografia).

Estrutura:

Elementos pré-textuais

Elementos textuais

Elementos pós-textuais

slide2

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS OBRIGATÓRIOS

CAPA

FOLHA DE ROSTO

Os demais elementos são opcionais ou condicionados à necessidade:

slide3

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS OPCIONAIS ou CONDICIONADOS À NECESSIDADE

  • Lombada: obrigatório para TCC (capa dura);
  • Errata: opcional;
  • Folha de aprovação: obrigatório para TCC;
  • Dedicatória, Agradecimentos e Epígrafe: opcional;
  • Sumário: condicionado à necessidade;
  • Listas de Ilustrações, Tabelas, Abreviaturas, Siglas e Símbolos: condicionados à necessidade;
  • Resumo em língua vernácula: obrigatório para TCC
  • Resumo em língua estrangeira: condicionado à necessidade
slide4

EDITORAÇÃO DO TRABALHO

Ante de iniciar a redação do trabalho deve-se:

1) CONFIGURAR A PÁGINA: Margem esquerda: 3 cm

Margem direita: 2 cm

Margem superior: 3 cm

Margem Inferior: 2 cm

Tamanho do Papel: A4

2) DEFINIR TIPO E TAMANHO DE LETRA:

Tipo: ARIAL

Tamanho: 12 (para parágrafos normais) e 10 (para parágrafos especiais)

slide5

EDITORAÇÃO DO TRABALHO

  • Ante de iniciar a redação do trabalho deve-se:
  • 3) DEFINIR ESPACEJAMENTO:
  • Entre linhas: 1,5 (para parágrafos normais) e Simples (para parágrafos especiais)
  • Recuo de Parágrafo: 1,25
  • Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede ou sucede por 2 espaços de 1,5
  • 4) DEFINIR ALINHAMENTO DE PARÁGRAFO:
  • - Justificado
slide6

EDITORAÇÃO REFERENTE AOS TÍTULOS E SUB-DIVISÕES

O SUMÁRIO, deve seguir a mesma ordem e padrão gráfico dos títulos e sub-títulos de trabalho.

- Ver modelo

slide7

PAGINAÇÃO

  • - Não se conta a Capa;
  • Os elementos pré-textuais, a partir da Folha de Rosto, são contados mas não numerados;
  • A indicação numérica aparece apenas na primeira página textual, o que geralmente corresponde à Introdução do trabalho.
  • - Ver modelo
slide8

CITAÇÕES

CITAÇÃO: é a menção no corpo do texto da fonte da informação que está sendo utilizada para ilustrar, argumentar, sustentar ou esclarecer o que está sendo apresentado.

As citações mais comuns são de livros, artigos e periódicos. Mas, obrigatoriamente, citam-se também materiais iconográficos, dados estatísticos e qualquer material retirado da Internet.

Todas as citações devem figurar em lista no final do trabalho sob o título REFERÊNCIAS, em que são indicadas os elementos completos dos documentos citados no texto.

slide9

FORMAS COMUNS DE CITAÇÃO:

Citação direta: é a cópia literal de trecho de texto;

Citação indireta: paráfrase ou condensação

Paráfrase: é a expressão da idéia do autor contida em um pequeno trecho (um parágrafo, por exemplo), sem corromper seu significado e lógica.

Condensação: é a expressão da idéia do autor que se refere a um texto longo (toda obra, ou um capítulo, por exemplo), sem corromper seu significado e lógica.

slide10

FORMAS COMUNS DE CITAÇÃO:

A apresentação gráfica entre as duas formas de citação (direta e indireta) difere pelo fato da citação direta ser transcrita entre aspase apresentar obrigatoriamente o número da página, enquanto a citação indireta não apresenta aspas, tornando opcional a apresentação do número da página.

slide11

Localização e sistema de chamada das citações

  • As citações podem aparecer de duas formas:
  • No texto (sistema de chamada autor e data)
  • Em nota de rodapé (sistema de chamada numérico)
slide12

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

Apresentação gráfica das formas mais comuns:

A entrada da citação é feita pelo sobrenome do autor, seguido pelo ano da publicação que está sendo utilizada e a página (p.) da qual foi retirada, separados por vírgulas.

Dependendo da construção do parágrafo, o sobrenome do autor pode aparecer na frase ou entre parênteses. Somente entre parênteses todas as letras devem ser maiúsculas.

slide13

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

  • Um autor:
  • De acordo com Weber (1954, p.102) a estética é a principal fonte de preocupação do século XX.
  • ou
  • Seguindo essa lógica, a estética é a principal fonte de preocupação do século XX (WEBER,1954, p.102).

Apresentação gráfica das formas mais comuns:

slide14

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

Apresentação gráfica das formas mais comuns:

b) Dois autores da mesma obra:

Segundo Kulaitis e Figueira (2002, p. 68) texto texto texto....

ou

... texto texto texto (KULAITIS; FIGUEIRA, 2002, p. 68).

Dentro dos parênteses, os sobrenomes dos autores são separados por ponto-e-vírgula.

(Até 3 autores segue-se a mesma regra.)

slide15

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

Apresentação gráfica das formas mais comuns:

c) Mais de 3 autores:

Deve-se entrar com o sobrenome do primeiro autor, seguido da expressão et al. (que significa e outros).

Alves et al. (1996, p. 321) demonstram que...

ou

...texto texto texto (ALVES et al., 1996, p. 321).

slide16

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

Apresentação gráfica das formas mais comuns:

d) Autor entidade:

A entrada é feita pelo nome da entidade, por extenso, ou pela sigla, se esta for consagrada.

De acordo com os dados da Associação Brasileira de Odontologia (2004, p. 52)texto texto texto...

ou

...texto texto texto (ABO, 2004, p. 52).

slide17

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

Apresentação gráfica das formas mais comuns:

e) Obra sem identificação de autoria:

A entrada é feita pela primeira palavra do título seguida de reticências. Deve-se escolher uma construção de parágrafo que permita a entrada entre parênteses.

“As IES implementarão mecanismos democráticos, legítimos e transparentes de avaliação sistemática das suas atividades [...]”.(ANTEPROJETO..., 1987, p.55).

slide18

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

APRESENTAÇÃO GRÁFICA QUANTO AO TAMANHO DAS CITAÇÕES DIRETAS

a) Citação direta de até 3 linhas:

Permanece no próprio corpo do parágrafo

b) Citação direta com mais de 3 linhas:

Destacar do texto, em parágrafo distinto, com recuo de 4 cm da margem esquerda, com fonte Arial 10,espaço entre linhas simples e sem aspas.

slide19

SISTEMA DE CHAMADA AUTOR-DATA

APRESENTAÇÃO GRÁFICA QUANTO AO TAMANHO DAS CITAÇÕES DIRETAS

De acordo com Cervo e Bervian (2005, p.89):

A indução e a dedução são antes de tudo formas de raciocínio, de argumentação e, como tais, são forma de reflexão e não simples pensamento. O pensamento alimenta-se da realidade externa e é produto exclusivo da experiência. O ato de pensar caracteriza-se por ser dispersivo, natural e espontâneo.

Pode-se pensar os processos básicos do raciocínio científico verificando que

A indução e a dedução são antes de tudo formas de raciocínio, de argumentação e, como tais, são forma de reflexão e não simples pensamento. O pensamento alimenta-se da realidade externa e é produto exclusivo da experiência. O ato de pensar caracteriza-se por ser dispersivo, natural e espontâneo. (CERVO; BERVIAN, 2005, p. 89)

slide20

SISTEMA DE CHAMADA NUMÉRICO

  • A primeira citação de uma obra ou documento deve ter sua referência completa (VER “Orientações para Referências”).
  • Base simples para referência completa
  • SOBRENOME, Nome abreviado. Título em negrito: subtítulo se houver, não negritado. Edição. Local: Editora, ano. p.
slide21

Se as citações seguintes, na ordem e na mesma página, forem do mesmo autor e mesma obra, utilize as abreviaturas correspondentes:

a) Id. (idem: do mesmo autor): mesmo autor, obra diferente; escreve-se apenas Id., ano da obra e a indicação da página.

b) Ibid (ibidem: na mesma obra): do mesmo autor, mesmo documento, porém as páginas são diferentes; escreve-se o termo Ibid. e as páginas.

c) op. cit. (opus citatum, opere citato: na obra citada): é usado quando o autor vai se reportar a um documento já citado, mas há outro intercalado.

d) apud (citado por, conforme, segundo) : citação de segunda mão.

slide22

Se as citações seguintes, na ordem e na mesma página, forem do mesmo autor e mesma obra, utilize as abreviaturas correspondentes:

Como afirma Lôbo, “as massas são[...].”1 Ainda de acordo com o autor, pode-se verificar que...2

1 LÔBO, P. L.N. Condições gerais dos contratos e cláusulas abusivas. São Paulo: Saraiva, 1991. p. 12.

2 Ibid., p. 190.

slide23

Quando muda a página, e deseja-se citar autor já citado em páginas anteriores, deve-se entrar com o sobrenome do autor, o ano, a data e a página, separados por vírgula.

3 LÔBO, 1991, p. 134.

4 FILOMENO, J. G. B. Manual de direito do consumidor. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2001. p. 108.

5 LÔBO, op. cit., p. 40.

slide24

Exemplo de uma página com diversas citações:

1 BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia. 6.ed. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1988. p.82

2 JAMESON, Frederic. Pós-Modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. 2.ed. São Paulo: Ática, 2000. p.45.

3 Ibid., p.50.

4 BOBBIO, op.cit., p.36

5 BOBBIO, Norberto. Política e cultura. São Paulo: Cultrix, 1975. p.97.

6 Id., 1988, p.15.

slide25

Uma próxima página...:

7 BOBBIO, 1975, p. 37-38.

8 SILVA, Ovídio A. Baptista da. A ação cautelar inonimada no direito brasileiro. Rio de Janeiro: Forense, 1991.

9 SELLTIZ, Claire et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. 2.ed. São Paulo: Ed Pedagógica e Universitária, 2001 apud THOMPSON, Augusto. Manual de orientação para preparo de monografia. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. p.30.

10 Cf. JAMESON, 2000.

11 SELLTIZ, 2001 apud THOMPSON, 2005, p.47.