custo de capital e or amento de capital an lise de investimentos
Download
Skip this Video
Download Presentation
CUSTO DE CAPITAL e ORÇAMENTO DE CAPITAL ANÁLISE DE INVESTIMENTOS

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 27

CUSTO DE CAPITAL e ORÇAMENTO DE CAPITAL ANÁLISE DE INVESTIMENTOS - PowerPoint PPT Presentation


  • 198 Views
  • Uploaded on

CUSTO DE CAPITAL e ORÇAMENTO DE CAPITAL ANÁLISE DE INVESTIMENTOS. O custo de capital é a taxa de juros que as empresas usam para calcular o valor do dinheiro no tempo.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CUSTO DE CAPITAL e ORÇAMENTO DE CAPITAL ANÁLISE DE INVESTIMENTOS' - valora


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
custo de capital e or amento de capital an lise de investimentos
CUSTO DE CAPITAL e ORÇAMENTO DE CAPITALANÁLISE DE INVESTIMENTOS

O custo de capital é a taxa de juros que as empresas usam para calcular o valor do dinheiro no tempo.

O custo do capital equivale ao retorno que a empresa tem que obter em seu investimento para satisfazer as exigências de retorno de seus investidores

A idéia mais importante do orçamento de capital é o conceito do valor do dinheiro no tempo, pois o dinheiro pode ter um retorno, e esse valor depende do tempo que levou para ser recebido.

slide2
AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOSConceito de Investimento

Aplicação de Capital ou Investimento é o fato de se empregar recursos visando obter benefícios futuros.

  • Abertura de umanova fábrica
  • Lançamento de umnovo produto
  • Compra de novosequipamentos
  • Abertura de umafilial
  • Projetos deredução de custos
  • Aquisiçãode uma empresa
custo de capital e or amento de capital
CUSTO DE CAPITAL e ORÇAMENTO DE CAPITAL

Valor do Dinheiro no Tempo

Fluxo de Caixa

Análise de Investimento

Taxa de Desconto

avalia o de investimentos
AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOS

Uma vez que o dinheiro tem um valor no tempo, a idéia primordial é lembrar que, no orçamento de capital, volumes de dinheiro recebidos em períodos diferentes devem ser convertidos, para uma data comum, a valores correspondentes e corrigidos, a fim de que sejam comparados.

Por definição, um ativo de longo prazo é adquirido e pago antes que gere resultados que durem dois ou mais anos. A idéia principal da avaliação é de que, em se tratando do ativo de longo prazo, é necessário avaliar se seus resultados futuros justificam seu custo inicial.

avalia o de investimentos1
AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOS
  • Refere-se a tomada de decisão de longo prazo – inversão de capital em aquisição de ativos reais;
  • Para minimizar os riscos envolvidos nas análises de projetos de LP recorre-se as técnicas de orçamento de capital;
  • Finalidade das técnicas de orçamento de capital: identificar alternativas onde o investidor além de recuperar o capital investido obtenha certas vantagens num certo período de tempo.
avalia o de investimentos2
AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOS
  • Principais etapas do processo de avaliação de um projeto de investimento:
  • Estimar os fluxos de caixa incrementais (livre) esperados para o projeto;
  • Avaliação do risco do projeto e determinação do custo do capital.

Tipos de Projetos

  • Independentes- projetos sem nenhuma relação entre si.
  • Dependentes - para se investir no projeto "B" há a necessidade de se investir primeiro no projeto "A”.
  • Mutuamente Excludentes - a opção pelo projeto "B" implica na rejeição automática do projeto "A”.
fluxo de caixa livre
Fluxo de Caixa Livre
  • O Fluxo de Caixa Livre é Obtido:
    • EBITDA
    • ( - ) Imposto de Renda (1)
    • = Fluxo de Caixa Operacional (FCO)
    • ( - ) Investimentos (2)
    • = Fluxo de Caixa Livre
  • (1) A base de cálculo do Imposto de Renda deve considerar as despesas de depreciação e amortização.
  • (2) Considera os investimentos feitos tanto em ativo permanente como capital de giro
fluxo de caixa livre1
Fluxo de Caixa Livre

EBITDA = EarningsBeforeInterest, Taxes, DepreciationandAmortization

( Lucro Antes dos Juros, Impostos sobre o Lucro, Depreciação e Amortização )

Permiti ao investidor medir a performance da empresa em termos de fluxo de caixa explorando basicamente a capacidade de geração de recursos dos ativos da empresa.

fluxo de caixa livre2
CMPC

VPL, TIR

PAYBACK

Fluxo de Caixa Livre

Vendas Líquidas

(-) CMV

(=) Lucro Bruto

(-) Despesas Operacionais

. Vendas

. Administrativas

. Outras

(=) EBITDA

(-) Depreciação e Amortização

(=) EBIT

(-) I.Renda/ C.Social

(=) Lucro Líquido

(+) Depreciação

(=) Fluxo de Caixa Operacional

(-) Investimentos

. Ativo Fixo

. Capital de Giro

(=)Fluxo de Caixa Livre

Ano 1

Ano 3 ....

Ano n

analisando um projeto na sua empresa
Analisando um Projeto na sua Empresa

Você está examinando a possibilidade de adquirir um novo equipamento no valor de R$ 150.000,00. Este equipamento propiciará uma economia de R$ 80.000,00 por ano com gastos de mão-de-obra e manutenção.

Você, dono da empresa, quer saber se esse projeto do ponto de vista financeiro deve ser aprovado ou não. O custo de capital de sua empresa é de 18% ao ano.

compra de nova m quina
Compra de Nova Máquina
  • Preço de aquisição $ 150.000
  • Economias anuais com mão-de-obra $ 80.000
  • Depreciação da nova máquina 10 anos
  • Custo de Capital 18% a a

Com estes dados em mãos devemos calcular o Fluxo de Caixa Livre do projeto.

tecnicas de an lise de investimentos
TECNICAS DE ANÁLISE DE INVESTIMENTOS
  • Técnicas limitadas
  • Desconsideram o valor do dinheiro no tempo; usam o resultado contábil
  • ex. Payback e Payback descontado
  • Técnicas não limitadas
  • Consideram toda vida útil do projeto; utilizam fluxos de caixa e os descontam a uma taxa especifica.
  • ex. VPL; TIR, AUE; CUAE
tecnicas de an lise de investimentos1
TECNICAS DE ANÁLISE DE INVESTIMENTOS
    • PayBack
      • Período de tempo necessário para se recuperar o investimento inicial
      • Critério de decisão: determinar o período de payback máximo aceitável para servir de padrão de referência
      • Vantagens
  • facilidade de cálculo
  • mede em certa medida o risco do projeto
      • Desvantagens
  • não especifica o período apropriado pois não utiliza fluxos de caixa descontados
  • não considera integralmente o fator tempo no valor do dinheiro
  • não reconhece os fluxos de caixa após o período de pay-back
slide17
Cálculo do payback para fluxos de caixa irregulares

x = 3 + (3/8) anos = o payback é de 3,375 anos

slide18
Payback descontado
  • Busca eliminar uma das desvantagens do payback nominal , ou seja, a não consideração do valor do dinheiro no tempo
  • É calculado de forma similar ao payback nominal, mas calcula-se o tempo de retorno do capital investido a partir do valor presente ou atual dos fluxos de caixa (considerando o custo do capital).
tecnicas n o limitadas de or amento de capital
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL
  • São aquelas que atendem a um conjunto de três características:
  • Trabalham com fluxos de caixa;
  • Utilizam em seu cálculo toda a vida econômica do projeto;
  • Levam em consideração o valor do dinheiro no tempo.
  • Atendem as características do valor presente líquido (VPL) e da taxa interna de retorno (TIR).
  • MÉTODOS E CRITÉRIO ECONÔMICO PARA AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO DE CAPITAL
  • As alternativas de investimento só podem ser comparadas se os valores monetários forem medidos num ponto comum de tempo.
  • Os métodos de comparações de alternativas baseiam-se no princípio de equivalência de capitais, isto supõe o uso de uma taxa de desconto. Qual seria essa taxa?
tecnicas n o limitadas de or amento de capital1
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL

TAXA MÍNIMA DE ATRATIVIDADE

Uma nova proposta para ser atrativa deve render, no mínimo, a taxa de juros equivalente à rentabilidade das aplicações correntes e de pouco risco. Esta taxa também é chamada de taxa de desconto, custo de oportunidade ou custo do capital.

É a taxa de retorno que o investimento precisa obter para manter, pelo menos, o valor de mercado da empresa.

tecnicas n o limitadas de or amento de capital2
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL

VALOR PRESENTE LÍQUIDO (VPL)

A técnica do valor presente líquido (VPL) consiste na diferença entre o valor presente das entradas líquidas de caixa descontadas ao custo de capital da empresa e o valor da saída de caixa para investimento.

VPL = - Valor do Investimento Inicial + Valor Presente do Investimento

Um investimento vale a pena quando possui VPL positivo. Se o VPL for negativo, deverá ser rejeitado.

slide23
Considere-se a proposta de investimento que envolve investir R$ 10.000,00 hoje para receber R$ 2.000,00 anuais, nos próximos 10anos, conforme o diagrama de fluxo de caixa que se segue. A taxa mínima de atratividade é de 10% a.a.. É atrativo o investimento?
tecnicas n o limitadas de or amento de capital4
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL

Se, competindo com a proposta de investimento acima, houvesse uma alternativa B, de se investir R$ 14.000,00 para obter-se R$ 3.000,00 anuais durante 10 anos, qual seria a proposta escolhida?

.

tecnicas n o limitadas de or amento de capital5
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL

TAXA INTERNA DE RETORNO

A taxa interna de retorno - TIR - independe da taxa de juros do mercado financeiro.

É uma taxa intrínseca do projeto, dependendo apenas dos fluxos de caixa projetados. É a taxa que remunera o investimento e que torna nulo o valor presente líquido dos fluxos de caixa. Também denominada de taxa de retorno do fluxo de caixa atualizado.

tecnicas n o limitadas de or amento de capital6
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL

A TIR encontrada deverá ser comparada com a taxa de desconto no momento da decisão do investimento ou financiamento.

Para aceitar o investimento, a TIR deverá ser maior do que o custo de oportunidade.

VPL>0 TIR>i viável economicamente

VPL=0 TIR=i indiferente investir ou não

VPL<0 TIR

tecnicas n o limitadas de or amento de capital7
TECNICAS NÃO LIMITADAS DE ORÇAMENTO DE CAPITAL

É normal a confusão entre TIR e custo de oportunidade de capital

porque ambos aparecem como taxas de atualização na fórmula do VPL.

Observação: A utilização da TIR produz resultados equivalentes à do VPL na grande maioria dos casos. No entanto, o cálculo da TIR pode apresentar problemas algébricos e depende de hipóteses que nem sempre são verdadeiras. Por essa razão, a teoria considera o VPL como método superior à TIR

ad