Nutri o e actividade f sica
Download
1 / 53

- PowerPoint PPT Presentation


  • 52 Views
  • Uploaded on

Nutrição e Actividade Física. Aula Teórica 2012/ 2013. Margarida Espanha. Processos Fisiológicos da Nutrição. O conjunto de processos que ocorrem desde a ingestão dos alimentos até à sua utilização final pelas células. Processos Fisiológicos. Ingestão Digestão Condução Absorção

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '' - tanek-mejia


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Nutri o e actividade f sica
Nutrição e Actividade Física

Aula Teórica 2012/ 2013

Margarida Espanha


Processos fisiol gicos da nutri o
Processos Fisiológicos da Nutrição

O conjunto de processos que ocorrem desde a ingestão dos alimentos até à sua utilização final pelas células.


Processos fisiol gicos
Processos Fisiológicos

  • Ingestão

  • Digestão

  • Condução

  • Absorção

  • Armazenamento

  • Eliminação


Ingest o
Ingestão

  • Necessidade metabólica

  • Condicionamento social

  • Prazer


Ingest o1
Ingestão

  • Apetite

    • Desejo de alimentos específicos

  • Paladar

  • Aroma

    • Bulbo olfactivo

  • Cor e textura



Nutri o e actividade f sica

Uma das “Metas do Milênio“, anunciada pela ONU em 2000?

A primeira (entende-se como a mais importante) era "acabar com a fome e a miséria“ até 2015

A ONU define fome como o consumo de menos de 1.800 quilocalorias por dia, o mínimo necessário para viver uma vida saudável e produtiva.


Nutri o e actividade f sica

2009 – 1 bilião de pessoas estavam subnutridas

Índice Global da Fome (Global Hunger Index - GHI).

-FACTORES PARA CÁLCULO DO GHI

- Desnutrição infantil

- Mortalidade de crianças < 5 anos

- % pessoas subnutridas em relação à população geral

Metade das pessoas que passam fome no mundo

são as crianças


Nutri o e actividade f sica

Chade

República Democrática do Congo

Eritreia



Nutri o e actividade f sica

  • A fome 'alarmante' num país tecnologicamente avançado, como a Índia

  • A fome, ainda que 'baixa a moderada', em países ricos em petróleo como a Venezuela

  • A fome vivida na Coreia do Norte

  • A catástrofe humanitária em que se transformou o Continente Africano

  • Angola (rica em petróleo e em diamantes) com bons terrenos agrícolas  apresenta GHI ‘muito elevado’


Ingest o2

HIPOTÁLAMO como a

Centro da Fome

Centro da Saciedade

Ingestão


Ingest o3
Ingestão como a

  • Deve ser adequada de forma a satisfazer as necessidades metabólicas individuais

  • Os centros da fome e da saciedade intervêm em duas formas de regulação:

    • Regulação a longo prazo(nutricional)

      • manutenção quantidade normal de reservas energéticas no organismo

    • Regulação curto prazo (alimentar)

      • Relacionada com os efeitos imediatos da ingestão de alimentos no tubo digestivo


Ingest o regula o longo prazo

Concentração plasmática de nutrientes como a

Glícidos Teoria glicostática

Aminoácidos

Ácidos Gordos

Ingestão - Regulação longo prazo


Ingest o regula o curto prazo
Ingestão - como a Regulação curto prazo

Promove a saciedade

Colecistoquinina

Contracções de fome

Distensão gastrointestinal


Digest o
Digestão como a

  • Processos Físicos

    » Idênticos

    » Excepção  acção da bílis sobre os lípidos

  • Processos Químicos

    » Diferentes consoante o tipo de Nutriente


Digest o dos tr s principais nutrientes
DIGESTÃO DOS TRÊS como a PRINCIPAIS NUTRIENTES


Digest o dos gl cidos
Digestão dos GLÍCIDOS como a

Suco ?

Suco ?

Suco ?


Digest o dos gl cidos1
Digestão dos GLÍCIDOS como a

Suco SALIVA

Suco PANCREÁTICO

Suco INTESTINAL


Digest o dos gl cidos2
Digestão dos Glícidos como a

Monossacáridos (1 ose)

Oligossacáridos (2 a 7 oses)

Polissacáridos > 7 oses)

Não sofrem

alterações

Digestão ± lenta

Celulose e outras formas de fibras  Não são digeríveis


Digest o dos gl cidos3
Digestão dos Glícidos como a

Saliva

  • Ptialina (amilase salivar) digere o amido

    • Boca < 5%

    • Estômago 30-40%

    • É bloqueada pelo HCl


Digest o dos gl cidos4
Digestão dos Glícidos como a

  • Intestino Delgado

    • Amilases do suco pancreático

    • Glucidases do suco intestinal

      • Dissacáridos e pequenos polímeros da glucose

        • Lactose >> galactose + glucose

        • Sacarose >> frutose + glucose

        • Maltose >> glucose + glucose


Digest o das prote nas
Digestão das PROTEÍNAS como a

Suco ?

Suco ?

Suco ?


Digest o das prote nas1
Digestão das Proteínas como a

  • Estômago

    • Pepsina (suco gástrico)

      Digestão do colagénio do tecido conjuntivo da carne

  • Intestino Delgado

    • Tripsina e quimiotripsina e carboxipeptidase

      (suco pancreático)

      • Grandes polipéptidos  tripéptidos e dipéptidos

    • Amino e Carboxipeptidases

      (suco intestinal)


Digest o dos l pidos

Suco ? como a

Suco ?

Digestão dosLÍPIDOS

Suco ?


Digest o dos l pidos1
Digestão dos Lípidos como a

  • Estômago (10 – 30%)

  • Intestino Delgado (70 – 90%)

    • Acção Física da Bílis

      • Emulsificação pelos sais biliares

        • aumenta área total dos lípidos 1000 x

    • Lipases pancreáticas (+ importantes; grande quantidades)

    • Lipases intestinais

      • Triglicéridos 3 ácidos gordos + glicerol


Processos fisiol gicos da nutri o1
Processos Fisiológicos da Nutrição como a

  • Ingestão

  • Digestão

  • Condução

  • Absorção

  • Eliminação


Condu o

Deglutição como a

Movimentos Peristálticos e em Massa

Reflexos

pH

Movimentos anti-peristálticos (e.g.: vómito)

Condução


Condu o movimentos de propuls o relaxamento dos esf ncteres
Condução como a MOVIMENTOS DE PROPULSÃORelaxamento dos esfíncteres

em Massa

0,08 cm / min

intervalos 4 a 6h

Peristálticos

1cm / min


Actividade f sica e desportiva

S.N. Simpático como a

Actividade Física e Desportiva

Intensa

Condução


Nutri o e actividade f sica

Condução como a

S.N. Parassimpático


Condu o1
Condução como a

Tipo de Macronutriente

Esvaziamento

Gástrico

Glícidos

Proteínas

Lípidos

Rápido Lento


Condu o2
Condução como a

Velocidade de Esvaziamento Gástrico

Fluidez (osmolalidade)

Sólidos  1 a 4 horas

Água  10 a 20 min


Condu o3
Condução como a

Velocidade de Esvaziamento Gástrico

Grau de distensão do duodeno

Rehidratação

200 / 300 ml água – 20 / 30 min


Condu o4

Gastroentérico como a

Gastrocólico

Enterocólico

Condução

REFLEXOS


Condu o5
Condução como a

pH

Boca 7

Estômago 2– 4

Atraso no esvaziamento gástrico  reflexo enterogástrico

Intestino Delgado 7.6


Absor o
Absorção como a

PRODUTOS FINAISCÉLULAS EPITELIAISSANGUE /LINFA


Absor o1
Absorção como a

  • Boca **

  • Estômago - Álcool

  • Intestino Delgado

    • Jejuno-ileon (90%)

  • Intestino Grosso

    • 1ª Metade

      • Água, electrólitos

  • 2ª Metade **


Nutri o e actividade f sica

Dieta 2L como a

Boca e

Saliva 1L

Esófago

S. Gástrico 2L

Estômago

Bílis 1L

S. Pancreático 1L

Intestino Delgado

S. Intestinal 2L

Carga de

fluído 9L

Absorção 8L

Cólon

Absorção 0.9L

Fezes

Volume 0.1L

Movimento de fluídos


Nutri o e actividade f sica

Células Epiteliais como a

Absorção

Vaso Quilífero

Capilar


Processos de transporte
Processos de Transporte como a

  • Difusão Simples (passiva)

  • Difusão Facilitada

  • Transporte Activo


Absor o dos gl cidos
Absorção dos Glícidos como a

  • Velocidade de Absorção (Rápidos e Lentos)

    • RÁPIDA

      • Glucose e Galactose

        Transporte activo  Mecanismo de co-transporte do sódio

        Sódio combina-se com uma proteína transportadora que requer a glucose para se ligar simultaneamente

    • LENTA

      • Frutose

        Difusão facilitada

  • Tipo

    • Predominantemente como monossacáridos (glucose)

Uso de bebidas com sódio-glucose na rehidratação de atletas

e bébes com diarreia.


Absor o das prote nas
Absorção das Proteínas como a

  • Transporte activo

  • Aminoácidos livres

    • Proteínas transportadoras da membrana das células epiteliais

  • Dipéptidos e Tripéptidos

    • No interior das células epiteliais são decompostos em aminoácidos



  • Absor o dos l pidos1
    Absorção dos Lípidos como a

    Micelas

    Agregado esférico composto por

    ácidos gordos livres, monoglicéridos

    e sais biliares que permite a absorção

    dos lípidos para as células da mucosa

    intestinal


    Absor o dos l pidos2
    Absorção dos Lípidos como a

    QUILOMICRA

    Glóbulos constituídos pela agregação de triglicéridos, fosfolípidos e colesterol revestidos por proteínas


    Absor o2
    Absorção como a

    Água


    Absor o3
    Absorção como a

    • Vitaminas

      • Hidrossolúveis

        • Mecanismo de co-transporte com Na +

      • Lipossolúveis

        • Micelas

    • Electrólitos

    Vitaminas do

    Complexo B

    B1; B2; B3; B5;

    B6; B8; B9

    Vitamina C

    Ca 2+

    Transporte activo pela acção da PTH, na presença da Vitamina D.


    Nutri o e actividade f sica

    Veia Porta como a

    Hepática

    ?

    Vaso Quilífero

    Canal Torácico

    Vénula

    Vaso Linfático


    Elimina o

    Água como a

    ¾

    • Matéria

    • inorgânica

    • Substâncias

    • azotadas

    30% Células Epiteliais

    • Celulose, etc.

    ¼

    30% Bactérias

    30% de Resíduos

    • Lípidos

    Eliminação

    FEZES  60 – 180 g / dia

    Peso seco  25 – 40 g / dia

    • Fezes

      • Côr

        • Pigmentos derivados da bilirubina


    Elimina o1
    Eliminação como a

    • Reflexo da Defecacção

      • Frequência

        3x dia – 3 x /semana

    Estimulação receptores pressão

    Contracção musculatura e relaxamento dos esfíncteres

    Distensão da ampola rectal


    Elimina o2
    Eliminação como a

    • Diarreia

      • > 200 g / dia (normal60 – 180 g / dia)

      • Consequências

        • Perda perigosa de água, K+ e

          HCO 3- (acidose metabólica)


    Bibliografia
    Bibliografia como a

    • Katch, F.I. & McArdle, W.D. (1984). Nutrição, Controlo do Peso e Exercício (2ª ed.). Rio de Janeiro: Editora Médica e Científica Lda (cota CBM 638).

    • Despopoulos, A. (1991). Color Atlas ofPhysiology, New YorK: ThiemeVerlag.

    • Espanha, M., Correia, P., Pascoal, A., Silva, P., & Oliveira, R. (2007). Anatomofisiologia, Tomo III. Funções da Vida Orgânica Interna 2ª Ed. Lisboa: FMH. (Capítulo III).

    • Krause – Alimentos, Nutrição & Dietoterapia. (2002). L. M. Mahan & S. Escott-Stump. S. Paulo:Ed. Roca (cota CBM 1376)

    • Seeley, R. (2005). Anatomia e Fisiologia 6ª Ed. Lisboa: Edições Técnicas e Científicas(cota  CBM 1410).