slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
G. S. Dimech 1,3 , B. Kitagawa 1 , T. Lanzieri 1 , A.C.F. Santelli 1,3 PowerPoint Presentation
Download Presentation
G. S. Dimech 1,3 , B. Kitagawa 1 , T. Lanzieri 1 , A.C.F. Santelli 1,3

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 34

G. S. Dimech 1,3 , B. Kitagawa 1 , T. Lanzieri 1 , A.C.F. Santelli 1,3 - PowerPoint PPT Presentation


  • 80 Views
  • Uploaded on

MINISTÉRIO DA SAÚDE - BRASIL Secretaria de Vigilância em Saúde Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada ao SUS EPI_SUS. EPI_SUS. Surto de Malária Autóctone por Plasmodium vivax Distrito Federal – Brasil, Maio/2005.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'G. S. Dimech 1,3 , B. Kitagawa 1 , T. Lanzieri 1 , A.C.F. Santelli 1,3' - sondra


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

MINISTÉRIO DA SAÚDE - BRASIL

Secretaria de Vigilância em Saúde

Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada ao SUS

EPI_SUS

EPI_SUS

Surto de Malária Autóctone por Plasmodium vivax

Distrito Federal – Brasil, Maio/2005

G. S. Dimech1,3, B. Kitagawa1, T. Lanzieri1, A.C.F. Santelli1,3

M.A.B. de Almeida1, L.R. de Alencar Jr.1, R.M. Dusi2, L.M.P. Silva2, D.L.Hatch1,5

1EPISUS/SVS/MS 2SES/DF 3CGPNCM/SVS/MS4CGLAB/SVS/MS 5CDC

Outubro - 2005

slide2

Introdução

  • Características da Malária
  • Doença infecciosa aguda : febre,calafrios e sudorese padrão cíclico (parasitemia)
  • Agente etiológico: Plasmodium Brasil:P. vivax, P. falciparum, P. malariae
  • Incubação: 13-17 dias
  • Forma latente: 2 anos (recaídas – Hipnozoítos no Fígado)
  • Reservatório: homem (principal)
  • Transmissão:Vetor, transfusão de sangue, seringas

Fonte: Ministério da Saúde

slide3

Introdução

  • Características da Malária
  • Vetor (Brasil)
    • Família: Culicidae
    • Gênero: Anopheles
    • Espécies :
    • A.darlingi, A. aquasalis, A. albitarsis, A. cruzii A. bellator
  • Transmissão:
    • Fêmea hematófaga - repasto
    • Hábitos alimentares 18h às 6h
    • Capacidade de vôo: ~2km
    • Água limpa e parada / sombra

Larva de Anopheles sp. Fonte: UFGRS

Anopheles sp. - Fonte: London School of Hygiene and Tropical Medicine

Fonte: Ministério da Saúde / David Pereira Neves Parasitologia Humana

slide4

Introdução

Áreas de transmissão

Áreas de Transmissão de Málaria no Mundo, 1999

Cuba

Brazil

Fonte:

Mundo: Doentes: 300 Milhões/ano

Óbitos: 1 milhão/ano – 90% África

slide5

Introdução

Áreas de Transmissão de Málaria no Brasil, 2003 - 2005

500 mil casos/ano

DistritoFederal (DF)

03 mil casos/ano

Fonte: CGPNCM/SVS/MS

* Todas as UF tiveram casos notificados

slide6

Introdução

  • Histórico no Distrito Federal (DF)
  • 1992:
  • 04 casos de malária autóctone identificados
  • 2004:
      • 68 casos importados
      • 52 P.vivax (80%)
  • 2005:
    • 02/05: Notificação do 1°de caso de malária autóctone
    • 27/05: Notificação do 2°caso
    • 07/06: Inicio da investigação
slide8

Objetivos da Investigação

  • Descrever surto por pessoa, tempo e lugar
      • Avaliar autoctonia
      • Determinar magnitude do problema
      • Determinar áreas sob risco de transmissão
  • Propor medidas de prevenção e controle
slide9

ESTUDO

DESCRITIVO

slide10

Metodologia

  • Definição de Malária Autóctone
  • Indivíduo que, a partir de fevereiro de 2005, esteve na área de provável de transmissão (APT) de malária no DF e apresentou resultado confirmado de malária para P. vivaxsem deslocamento para área endêmica de malária (AE) até dois anos anteriores à data dos primeiros sintomas
slide11

Metodologia

  • Estudo: Descritivo
  • População Alvo: Casos notificados de malária autóctone no DF
  • Instrumento: Questionário padronizado
  • Dados: Demográficos, clínicos e epidemiológicos
slide12

Resultados

Dados Demográficos, Clínicos e Epidemiológicos - Autóctones

*Lamina de verificação de cura

slide13

Resultados

Caso 02

10km

Caso 01

Fonte: Google Earth

Escala: 1:50.000

slide14

Resultados

Local de residência do caso 02. Itapoã-DF

Vista aérea do Itapoã - Fonte: Google Earth

slide15

Resultados

PONTO COMUM RELATADO

Local de Residência do Caso 01

Zona Rural – Paranoá / DF

Sítio “A”

Rio S. Bartolomeu

slide16

Resultados

Local de Residência do Caso 01

Zona Rural – Paranoá / DF

Ponto comum de contato:

(Pescaria: 17- 21h)

Sítio “A”

Rio S. Bartolomeu

slide18

Metodologia

  • Definições de Caso de Malária
  • Suspeito: indivíduo que, a partir de fevereiro de 2005, esteve na área provável de transmissão (APT) de malária da região administrativa do Paranoá-DF e apresentou febre
  • Confirmado :indivíduo suspeito, que teve diagnóstico laboratorial de malária confirmado por gota espessa
slide19

Metodologia

  • Estudo: Corte Transversal
  • População Alvo: pessoas que tiveram contato com a área de provável risco de transmissão (APT)
  • Definição de APT: Raio de 2km a partir do local provável de infecção (LPI) - Georreferenciamento
  • Instrumento: Questionário padronizado
  • Software: Epi_info versão 6.04d
slide20

Sobradinho dos Melos

Rio Paranoá

Capão da Onça

Taboquinha

Metodologia

Descrição da APT

Rio São Bartolomeu

2 km

Escala: 1:25.000

slide21

Metodologia

  • Variáveis analisadas:
    • Sexo
    • Idade
    • Tempo de moradia na APT
    • Contato com coleções hídricas
    • História de malária*
    • Contato com região endêmica*
    • Febre**

* Desde fevereiro de 2003

** Desde fevereiro de 2005

slide22

Metodologia

Esquizonte - P. vivax

  • Investigação Laboratorial
  • Relato de febre a partir de fevereiro de 2005
    • Gota espessa: visualização do parasita por microscopia ótica - Coloração: método de Giemsa
    • Esfregaço: identificação das espécies de plasmódios
  • Coloração: método de Giemsa
slide23

Metodologia

  • Levantamento Entomológico – APT
  • Secretaria de Estado da Saúde do DF:
    • Departamento de Vigilância Ambiental
  • Ministério da Saúde:
    • Programa Nacional de Controle da Malária
    • Vigilância Ambiental
    • Coordenação Geral de Vetores e Antropozoonozes
slide24

Resultados

  • 102 propriedades:
      • 92 (90%) visitadas
      • Media de 5 moradores por propriedade
  • Perfil dos moradores da APT:

(n=424)

Característica

Idade, mediana 25 anos

(Intervalo) (01 mês – 84 anos)

Tempo de moradia, mediana 04 anos

(Intervalo) (07 dias – 36 anos)

slide25

Resultados

Perfil dos Moradores da APT

slide26

Resultados

Resultado Busca Ativa APT – Investigação Laboratorial

  • Levantamento Entomológico – APT:
      • Larvas de anofelinos
slide28

Metodologia

Busca Ativa - Dados Secundários: SINAN / LACEN

  • Casos confirmados de malária por P. vivax notificados em 2005:
      • Sistema Nacional de Agravos de Notificação - SINAN
      • Laboratório Central de Saúde Publica – LACEN-DF
  • Contato domiciliar ou telefônico: 04 tentativas
slide29

Resultados

Resultado Busca Ativa Dados Secundários 2005

SINAN / LACEN

n=23

Característica SINAN LACEN

P. vivax 17 6

Contato com APT 0 0

slide31

Conclusões

  • Ocorreram dois casos autóctones de malária por P. vivax no DF
  • O local provável de infecção foi identificado (Sitío “A”)
  • Não foram observados outros casos na APT
  • Transmissão provavelmente foi restrita aos casos confirmados
  • O diagnóstico, tratamento e notificação dos casos não foram oportunos
slide32

Limitações

  • Viés de informação: memória e proxi
  • Visitantes anônimos na APT
  • Migração intra-regional
  • Ausência de condições ideais de para realização de levantamento entomológico (baixas temperatura – média 16°)
  • Não disponibilidade método diagnóstico para indivíduos infectados mas sem parasitemia (parasitemia transitória – hipnozoítos)
slide33

Recomendações

  • Atualizar profissionais de saúde: diagnóstico, tratamento e notificação de Malária
  • Realizar levantamento entomológico anual (Carta Anofélica do DF) para identificar de áreas com risco de transmissão
  • Intensificar ações de vigilância da malária
  • Promover ações de educação em saúde nas áreas de risco do DF (uso de roupa protetora, repelente e evitar horário de maior infestação)
slide34

OBRIGADO!!!

george.dimech@saude.gov.br