Download
vigotsky o precursor das intelig ncias emocionais n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Vigotsky O PRECURSOR DAS INTELIGÊNCIAS EMOCIONAIS PowerPoint Presentation
Download Presentation
Vigotsky O PRECURSOR DAS INTELIGÊNCIAS EMOCIONAIS

Vigotsky O PRECURSOR DAS INTELIGÊNCIAS EMOCIONAIS

165 Views Download Presentation
Download Presentation

Vigotsky O PRECURSOR DAS INTELIGÊNCIAS EMOCIONAIS

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. VigotskyO PRECURSOR DAS INTELIGÊNCIAS EMOCIONAIS Laerte Cardoso Professora Adriana Lemes

  2. Biografia • Vygotsky • Biografia: • Lev Semenovich Vygotsky, nasceu em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, (114 anos) • em uma prospera família judaica. • Em 1917 formou-se em Direito pela Universidade de Moscou. Dois anos mais tarde, • contraiu de se irmão mais novo, tuberculose. • No ano de 1924, foi convidado por Kornilov (Investigações) para trabalhar no Instituto de Psicologia • de Moscou. Neste mesmo ano, casou com Rosa Smekhova, com quem teve duas filhas.

  3. Biografia • Um ano mais tarde, em 1925, escreveu Psicologia da Arte, que só será publicado apenas em 65. Organiza o Laboratório de Psicologia para crianças deficientes – que em 1929 seria transformado no Instituto de Estudos de Deficientes e, após sua morte, no Instituto Cientifico de Pesquisas sobre Deficientes da Academia de Ciências Pedagógicas. • No dia 11 de junho de 1934, com 37 anos, morreu de tuberculose.

  4. Principais Idéias • Sua obra busca um modelo explicativo do funcionamento psicológico e a constituição do • sujeito no processo histórico – cultural. • • • Por ter vivido no momento histórico que eclodiu a revolução marxista, Vygotsky é um marxista no sentido forte do termo: para ele, a consciência é um simples reflexo da historia – pois a própria materialidade histórica é constantemente plasmada pela ação de consciências envolvidas em processos de interação social.

  5. Linguagem como ferramenta • Destaca a linguagem como ferramenta (capacidade de simbolização). • Linguagem = intercâmbio dos indivíduos durante o trabalho, atividade especificamente • humana. • • • Para ele, a Psicologia não pode lidar apenas com o que é aparente, tem que penetrar em • mecanismos mais complexos do humano.

  6. Vygotsky afirma que a criança “pensa lembrando”, enquanto o adulto “lembra pensando”. • Enfatiza a importância dos chamados meios artificiais para o controle de processos • psicológicos. Estes são produto do desenvolvimento histórico. • Vygotsky teve papel fundamental na introdução da cultura na constituição da psique.

  7. As idéias passam por muitas transformações à medida em que se transformam em linguagem. Elas não apenas encontram expressão na fala, mas nela tornam-se reais e adquirem forma.

  8. Constituição Septenária • (1.) O Corpo, ou Rupa. • (2.) Vitalidade, ou Prana-Jiva. • (3.) Corpo Astral, ou Linga-Sharira. • (4.) Alma Animal, ou Kama-Rupa. • (5.) Alma Humana, ou Manas. • (6.) Alma Espiritual, ou Buddhi. • (7.) Espírito, ou Atma.

  9. Máxima de Marco Aurélio • " Se não suporta os homens: educa-os" • "Se não és reto endireita-te“ • “Se não queres punir o adulto, eduque a criança”.

  10. O professor, na perspectiva de Vygotsky, é aquele que, detendo mais experiência, funciona intervindo e mediando a relação do aluno com o conhecimento. Ele está sempre, em seu esforço pedagógico, procurando criar zonas de Desenvolvimento Proximal, isto é, atuando como elemento de intervenção, de ajuda

  11. Assim, na Zona de Desenvolvimento Proximal, o professor atua de forma explícita, interferindo no desenvolvimento proximal dos alunos, provocando avanços que não ocorreriam espontaneamente . Vygotsky, resgata a importância da escola e do papel do professor como agente indispensável do processo de ensino- aprendizagem. É nesse sentido que a teoria educacional de Vygotsky é uma teoria da transmissão cultural, tanto quanto do desenvolvimento.

  12. Referências • FREITAS, M. T. A. As apropriações do pensamento de Vygotsky no Brasil: um tema em • debate. Revista Psicologia da Educação, São Paulo, v. 10/11, n. 1, p. 9-28, dez. 1995. • Vários autores. Coleção memória da pedagogia: Liev Seminovich. Revista viver: mente e • cérebro, Rio de Janeiro: Ediouro; São Paulo: Segmento-Duetto, v. 2, 2005. • ZACHARIAS, V. L. C. F. Vygotsky e a Educação.

  13. Alguma Obras A percepção e seu desenvolvimento na infância A memória e seu desenvolvimento na infância O pensamento e seu desenvolvimento na infância As emoções e seu desenvolvimento na infância A imaginação e seu desenvolvimento na infância O problema da vontade e seu desenvolvimento na infância A construção do pensamento e da linguagem • VYGOTSKY, L.S. Psicologia da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1998. • VYGOTSKY, L.S. Educational psychology. Boca Raton, Florida: St. Lucie Press, 1997. • VYGOTSKY, L.S. El arte e la imaginación en la infancia. Madrid: Akal, 1982.

  14. Texto de vigotski • "No teatro da convenção o espectador não esquece em nenhum momento que diante dele está um ator que representa, e o ator não esquece que diante dele está a platéia; sob seus pés, o palco e ao redor, a cenografia. É a mesma coisa com um quadro: ao olhá-lo não se pode esquecer por um segundo que se trata de tintas, tela, pincel (...)"