2. ( UFG - GO.2008)Observe e compare as duas imagens. - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
2. ( UFG - GO.2008)Observe e compare as duas imagens. PowerPoint Presentation
Download Presentation
2. ( UFG - GO.2008)Observe e compare as duas imagens.

play fullscreen
1 / 95
2. ( UFG - GO.2008)Observe e compare as duas imagens.
281 Views
Download Presentation
Download Presentation

2. ( UFG - GO.2008)Observe e compare as duas imagens.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. 1. (Fuvest-SP) Com relação às artes e às letras de seu tempo, os humanistas dos séculos XV e XVI afirmavam: a) que a literatura e as artes plásticas passavam por um período de florescimento, dando continuidade ao período medieval; b) que a literatura e as artes plásticas, em profunda decadência no período anterior, renasciam com o esplendor da Antiguidade; c) que as letras continuavam as tradições medievais, enquanto a arquitetura, a pintura e a escultura rompiam com os velhos estilos; d) que as artes plásticas continuavam as tradições medievais, enquanto a literatura criava novos estilos; e) que o alto nível das artes e das letras do período nada tinha a ver com a Antiguidade nem com o período medieval.

  2. 2. (UFG- GO.2008)Observe e compare as duas imagens. VELÁZQUEZ, Diego. Las Meninas, 1656. Museu do Prado, Madri. PICASSO, Pablo. Las Meninas, 1957. Museu Picasso, Barcelona.

  3. Os quadros acima tratam do mesmo tema, embora pertençam a dois momentos distintos da história da arte. O confronto entre as imagens revela um traço fundamental da pintura moderna, que se caracteriza pela: • tentativa de compor o espaço pictórico com base nas figuras naturais. b) ruptura com o princípio de imitação característico das artes visuais no Ocidente. c) continuidade da preocupação com a nitidez das figuras representadas. d) secularização dos temas e dos objetos figurados com base na assimilação de técnicas do Oriente. e) busca em fundar a representação na evidência dos objetos.

  4. 3. (UFG.2008) Observe a imagem ao lado: Osíris. Disponível em: <www.akenatonjh.com.br>. Acesso em: 21 set. 2007. A pintura egípcia pode ser caracterizada como uma arte que: a) definiu os valores passageiros e transitórios como forma de representação privilegiada. b) concebeu as imagens como modelo de conduta, utilizando-as em rituais profanos. c) adornou os palácios como forma de representação pública do poder político. d) valorizou a originalidade na criação artística como possibilidade de experimentação de novos estilos. e) elegeu os valores eternos, presentes nos monumentos funerários, como objeto de representação.

  5. 4. (UFG/2009/1) Observe as figuras a seguir.

  6. A figura 1, obra pintada há 71 anos, retrata o horror do massacre de um povo bombardeado por aviões nazistas. O autor dessa obra, as características artísticas da pintura e a localização no mapa do continente europeu (figura 2), da cidade atingida, são, respectivamente, • Van Gogh, pós-impressionismo, localizada na área 5. b) Pablo Picasso, cubismo sintético, localizada na área 4. • Marc Chagall, surrealismo, localizada na área 3. • Pablo Picasso, cubismo sintético, localizada na área 2. e) Van Gogh, pós-impressionismo, localizada na área 1.

  7. 5. UFG-História 2009 ) Analise a imagem. MICHELÂNGELO. “A criação de Adão”, século XVI. Essa imagem é representativa do Renascimento que, entre os séculos XV e XVI, agregou elementos heterogêneos, criando uma forma particular de conceber o mundo. Com base na leitura da imagem, identifica-se como característica do período renascentista a: • utilização de recursos da cultura clássica na concepção estética, valorizando o homem. • dessacralização da representação artística, afastando os princípios do cristianismo romano. • separação entre arte e ciência, alcançando um conhecimento especializado sobre o homem. • elevação da figura humana à condição de divindade, combatendo o paganismo. • exaltação da natureza e da vida ascética, superando os prazeres mundanos.

  8. 6. (UFG – 2007)Compare as duas imagens. Iluminura do Saltério de Ingeborg (anterior a 1210) “Cenas da vida da Virgem” (1304-1306), de Giotto. (Detalhe)

  9. Um elemento de distinção entre elas, responsável pelo surgimento de uma arte tipicamente renascentista, expressa-se por meio da: • elaboração de imagens anti-realistas, com apelo ao sagrado. • produção da pintura considerando a figuração bidimensional. • introdução da perspectiva ou do efeito de profundidade na composição da pintura. • atribuição de destaque às figuras sagradas, conforme a hierarquia religiosa. • composição da pintura com base na representação de figuras sem volume.

  10. ARTE

  11. O que é ARTE? • A arte é uma criação humana com valores estéticos (beleza, equilíbrio, harmonia, revolta) que sintetizam as suas emoções, sua história, seus sentimentos e a sua cultura. É um conjunto de procedimentos utilizados para realizar obras, e no qual aplicamos nossos conhecimentos.

  12. A Arte Através dos Tempos.mpg

  13. PRÉ-HISTÓRIA Consideramos como arte pré-histórica todas as manifestações que se desenvolveram antes do surgimento das primeiras civilizações e portanto antes da escrita. No entanto isso pressupõe uma grande variedade de produção, por povos diferentes, em locais diferentes, mas com algumas características comuns.

  14. Características: • Pragmatismo (inclusive nos povos da antiguidade), • Pigmentos naturais, • Temas, • Funções: comunicação, registro, misticismo

  15. ARTE EGÍPCIA • Baseada da religião, • O faraó era o representante dos Deuses na Terra, • Voltada principalmente para a vida após a morte: pirâmides, mastabas, hipogeus, • Grandiosa.

  16. arquitetura • Solidez e durabilidade, • Sentimento de eternidade, • Grandiosidade, • Aspecto misterioso e impenetrável.

  17. pintura • Resultado bidimensional, • Ignorância da profundidade, • Cores lisas, sem claro-escuro, • LEI DA FRONTALIDADE: convenção de representação da figura humana, • Cores: marrom, amarelo e vermelho, • Artistas anônimos.

  18. escultura Os escultores egípcios representavam os faraós e os deuses em posição serena, quase sempre de frente, sem demonstrar nenhuma emoção. Pretendiam com isso traduzir, na pedra, uma ilusão de imortalidade. Com esse objetivo ainda, exageravam freqüentemente as proporções do corpo humano, dando às figuras representadas uma impressão de força e de majestade.

  19. ARTE EGÉIA A Arte Egéia ou Arte do Mar Egeu está associada às culturas que floresceram no mar Egeu antes do aparecimento dos Gregos por volta do 3000 A.C. e que foram principalmente três: • Civilização Cicládica • Civilização Minóica • Civilização Micênica

  20. As paredes dos palácios eram decoradas com magníficas pinturas afresco , incluindo figuras da fauna e flora marítimas, um traço marcante incluindo o vasto uso da cor azul; Figuras humanas em cenas como festas, casamentos e colheitas e ainda figuras geométricas, plenas de cores vivas e garridas; As pinturas apresentavam um certo grau de estilização egípcia que se evidencia no modo como se repetem esquematicamente as figuras humanas, mas a representação minóica destaca-se pelo naturalismo, realismo, elasticidade, paixão pelo ritmo, pelas ondas e pela flutuação, bastante ausentes na arte egípcia; figuras leves, espontâneas, delicadas e plenas de vitalidade. pintura

  21. ARTE GRÉCIA ANTIGA O povo grego foi um povo onde a criatividade se fez presente, tanto na arte quanto na literatura. Na arquitetura, as muitas construções públicas comprovam uma combinação de conhecimentos arquitetônicos e gosto artísticos raras vezes igualados (Parthenon), nas letras os poemas Ilíada e Odisséia, atribuídos a Homero, a poesia lírica de Píndaro, as tragédias de Ésquilo, Sófocles e Eurípedes, foram escritos com tanta perícia que serviram de modelo em épocas posteriores. Até hoje os temas das tragédias gregas (vida, amor, liberdade, morte, predestinação e religião) não perderam sua atualidade dramática nem seu valor poético

  22. arquitetura Na arquitetura grega prevalecia a linha reta, eles não empregavam nem arcos nem abóbodas como os egípcios e os povos mesopotâmicos. Utilizavam muitas colunas, dando aos templos um aspecto elegante e imponente. Destacam-se três estilos muito usados na construção grega:

  23. O dórico, estilo mais antigo e simples; O jônico, mais leve e flexível, representado por colunas finas e graciosas; O coríntio, o mais trabalhado e, sendo assim, o mais complexo.

  24. Parthenon

  25. escultura A estatuária grega representa os mais altos padrões já atingidos pelo homem. Na escultura, o antropomorfismo - esculturas de formas humanas - foi insuperável. As estátuas adquiriram, além do equilíbrio e perfeição das formas, o movimento. A BUSCA PELO IDEAL DE BELEZA HUMANA.

  26. ARTE ROMANA A arte romana sofreu duas fortes influências: a da arte etrusca popular e voltada para a expressão da realidade vivida, e a da greco-helenística, orientada para a expressão de um ideal de beleza. Um dos legados culturais mais importantes que os etruscos deixaram aos romanos foi o uso do arco e da abóbada nas construções.

  27. arquitetura * busca do útil imediato, senso de realismo;* grandeza material, realçando a idéia de força;* energia e sentimento;* predomínio do caráter sobre a beleza;* originais: urbanismo, vias de comunicação, anfiteatro, termas; * os arcos e abóbadas serviam como sustentação, eliminando o excesso de colunas e ampliando o espaço interno das construções.

  28. Coliseu

  29. Ergueram monumentos como os Arcos do Triunfo e Colunas Triunfais para homenagear os imperadores e generais vitoriosos e demonstrar o poder de Roma.

  30. escultura Os romanos eram grandes admiradores da arte grega, mas por temperamento, eram muito diferentes dos gregos. Por serem realistas e práticos, suas esculturas são uma representação fiel das pessoas e não a de um ideal de beleza humana, como fizeram os gregos. Retratavam os imperadores e os homens da sociedade. Mais realista que idealista, a estatuária romana teve seu maior êxito nos retratos. 

  31. ARTE BIZANTINA Primeiro estilo de arte cristã. A aceitação do cristianismo a partir do reinado de Constantino e sua oficialização por Teodósio procuraram fazer com que a religião tivesse um importante papel como difusor didático da fé ao mesmo tempo que serviria para demonstrar a grandeza do Imperador que mantinha seu caráter sagrado e governava em nome de Deus.

  32. pintura A arte bizantina está dirigida pela religião; ao clero cabia, além das suas funções, organizar também as artes, tornando os artistas meros executores, como no Egito – várias convenções para a expressão artística foram definidas: - Frontalidade: representação frontal das pessoas, levando o espectador a uma postura de respeito e veneração - Hieratismo: Desproporção entre as figuras, como critério de representação associado à importância religiosa. - Isodactilia: mãos representando sofrimento e perdão. - Isocefalia: Padrão artístico que alinha as cabeças na mesma altura.

  33. Características das imagens: • Pescoços longos e finos, • Técnicas: Têmpera (brilhante) método de pintura no qual os pigmentos de terra são misturados a um “colante”, uma emulsão de água e gemas de ovo ou ovos inteiros (às vezes cola ou leite) ou encáustica (fosca) é uma técnica de pintura que se caracteriza pelo uso da cera como aglutinante dos pigmentos e pela mistura densa e cremosa. A pintura é aplicada com pincel ou com uma espátula quente, • Imagens sagradas e personalidades oficiais em plena comunhão, • Peles descoloridas e expressões estilizadas demonstrando a fragilidade humana diante de Deus, • Utilização de pedras preciosas e jóias verdadeiras para ornamentar pinturas, esculturas e mosaicos, que era feitos pelos masaístas. • Simbolismo das cores: • Ouro e ocre- poder material • Azul – poder espiritual • Vermelho – martírio de Deus

  34. arquitetura A arquitetura teve um lugar de destaque, operando-se nela a importantes inovações. Foi herdeira do arco, da abóbada e da cúpula, mas também, do plano centrado, de forma quadrada ou em cruz grega, com cúpula central e absides laterais. A expressão artística do período influenciou também a arquitetura das igrejas. Elas eram planeadas sobre uma base circular, octogonal ou quadrada rematada por diversas cúpulas, criando-se edifícios de grandes dimensões, espaçosos e profusamente decorados.

  35. Catedral de Santa Sophia, Canstantinopla (atual Istambul, Turquia)

  36. ARTE ROMÂNICA Nome dado ao estilo artístico vigente na Europa entre os séculos XI e XIII. Visto principalmente nas igrejas católicas construídas após a expansão do cristianismo pela Europa e sendo o primeiro após a queda do império romano a apresentar características comuns em várias regiões. A igreja representa Deus na Terra, possuindo poderes ilimitados e determinando a produção cultural e artística desse período, cuja representação típica são as basílicas.

  37. arquitetura Arquitetura abobadada, de paredes sólidas e delicadas colunas terminadas em capitéis cúbicos; Abóbadas em substituição ao telhado das basílicas; Pilares maciços que sustentavam e das paredes espessas; Aberturas raras e  estreitas usadas como janelas; Torres, que aparecem no cruzamento das naves ou na fachada; e Arcos que são formados por 180 graus.

  38. Basílica de Santo Antônio de Pádua, Itália

  39. escultura Está diretamente associada à arquitetura, as estátuas-colunas, e que desenvolve-se nos relevos de pórticos e arcadas. A escultura desenvolveu-se com um caráter ornamental, onde o espaço em branco dos frisos, capitéis e pórticos é coberto por uma profusão de figuras apresentadas de frente e com as costas grudadas na parede. As imagens encontradas são as mais diversas, desde representações do demônio, até personagens do Velho Testamento.

  40. ARTE GÓTICA A arquitetura gótica não é um momento de ruptura drástica com os ideais anteriores, mas antes uma assimilação de alguns elementos independentes de diferentes fontes, metamorfoseada com o novo conceito de interpretação da arte religiosa.