SISTEMA ENDÓCRINO - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
SISTEMA ENDÓCRINO PowerPoint Presentation
Download Presentation
SISTEMA ENDÓCRINO

play fullscreen
1 / 32
SISTEMA ENDÓCRINO
85 Views
Download Presentation
robyn
Download Presentation

SISTEMA ENDÓCRINO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Víctor Pessoa

  2. - Juntamente com o sistema nervoso, o sistema endócrino atua na integração das funções do organismo. Prof. Víctor Pessoa

  3. Principais glândulas e sua localização no corpo humano Prof. Víctor Pessoa

  4. Diferenças estruturais de glândulas endócrinas e exócrinas Prof. Víctor Pessoa

  5. CARACTERÍSTICAS DOS HORMÔNIOS E SEUS RECEPTORES • Os hormônios exercem efeitos potentes, mesmo estando em baixas concentrações; • A razão pela qual algumas células respondem a determinados hormônios, mas não a outros, está ligada aos receptores existentes nas chamadas células-alvo ; • Os receptores constituem moléculas de proteínas ou glicoproteínas, situadas na membrana plasmática ou no citoplasma da célula; • São continuamente sintetizados e degradados; • A quantidade de receptores existentes na(s) célula(s)-alvo é, muitas vezes, controlada pela quantidade do hormônio específico (receptors down-regulation – “regulação para baixo” / receptors up-regulation – “regulação para cima”). Hormônio / diminuição do número de receptores Hormônio / aumento do número de receptores Prof. Víctor Pessoa

  6. CLASSES QUÍMICAS DOS HORMÔNIOS - Sob o ponto de vista químico, os hormônios podem ser divididos em duas grandes classes: os que são solúveis em lipídios (SL) e os que são solúveis em água (SA). Hormônios SL Transportados por proteínas plasmáticas Hormônios esteroides, tireoidianos e óxido nítrico (neurormônio) Circulam livremente no plasma Hormônios SA Hormônios aminados, peptídicos e protéicos, eicosanoides Prostaglandinas e leucotrienos Hormônio estimulador da tireoide (TSH) Catecolaminas (epinefrina, norepinefrina e dopamina), histamina, serotonina e melatonina Prof. Víctor Pessoa

  7. MECANISMO DE AÇÃO DOS HORMÔNIOS SOLÚVEIS EM LIPÍDIOS Prof. Víctor Pessoa

  8. MECANISMO DE AÇÃO DOS HORMÔNIOS SOLÚVEIS EM ÁGUA Prof. Víctor Pessoa

  9. CONTROLE DA SECREÇÃO HORMONAL 1 – Sinais do sistema nervoso (impulsos nervosos para a medula adrenal estimulam a liberação de epinefrina); 2 – Alterações químicas do sangue (a concentração de cálcio no sangue regula a secreção do hormônio paratireoidiano); 3 – Ação de outros hormônios (um hormônio liberado pelo lobo anterior da hipófise, denominado adrenocorticotrópico – ACTH – estimula a liberação de cortisol pelo córtex da suprarrenal); 4 – Ação por feedback positivo e negativo. Prof. Víctor Pessoa

  10. Feedback positivo Intensifica a produção de Feedback negativo Hormônio A Hormônio A Resposta (órgão – alvo) Resposta (órgão – alvo) Diminui / bloqueia a produção de Prof. Víctor Pessoa

  11. HIPÓFISE ou PITUITÁRIA Haste que permite à hipófise fixar-se ao hipotálamo Depressão do osso esfenoide, onde se situa a hipófise Prof. Víctor Pessoa

  12. OBSERVAÇÃO! • O lobo anterior da hipófise (adeno-hipófise) apresenta células produtoras de hormônios; • O lobo posterior da hipófise (neuro-hipófise) não produz hormônios. Apenas armazena hormônios produzidos pelo hipotálamo (ocitocina e vasopressina); • O “comando” para a liberação dos hormônios hipofisários é dado por estímulos provenientes do hipotálamo, através do eixo hipotalâmico-hipofisário. Prof. Víctor Pessoa

  13. Prof. Víctor Pessoa

  14. Prof. Víctor Pessoa

  15. OBSERVAÇÃO! • Nanismo pituitário: deficiência da produção / secreção do hormônio do crescimento; • Gigantismo: síntese aumentada do hormônio do crescimento durante a infância. No adulto, a persistência dessa condição resulta em acromegalia; • O excesso de hormônio do crescimento pode desencadear um aumento da glicose no sangue (hiperglicemia) – efeito diabetogênico do hormônio do crescimento. Hormônio do crescimento Esgotamento das células beta / surgimento de diabetes Glicose no sangue (Hiperglicemia) Produção aumentada de insulina pelo pâncreas Prof. Víctor Pessoa

  16. TIREOIDE (TIROIDE) Compõe a parte produtora dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tetraiodotironina ou tiroxina). Entre os folículos existem as células parafoliculares(células C), produtoras do hormônio calcitonina. Em forma de borboleta, situa-se logo abaixo da laringe; possui dois lobos, um de cada lado da traqueia; lobos unidos pelo istmo tireoideo, situado a frente da traqueia. Prof. Víctor Pessoa

  17. Os hormônios da tireoide REGULAM A UTILIZAÇÃO DO OXIGÊNIO E O METABOLISMO BASAL, O METABOLISMO CELULAR E O CRESCIMENTO E O DESENVOLVIMENTO; • A síntese dos hormônios tireoidianos está na dependência do iodo. • A deficiência dos hormônios tireoidianos (HIPOTIREOIDISMO) durante o desenvolvimento fetal ou na infância causa o cretinismo, caracterizado por estatura baixa e retardo mental; no adulto, observa-se um aumento do tamanho da glândula, denominada bócio. Prof. Víctor Pessoa

  18. PARATIREOIDES Cartilagem cricoide Tireoide Paratireoides Prof. Víctor Pessoa

  19. Calcitriol: forma ativa da vitamina D (aumenta a absorção de Ca2+, Mg2+ e HPO42-.) Prof. Víctor Pessoa

  20. PÂNCREAS * Ácinos pancreáticos: Produção das enzimas do suco pancreático; * Células beta das ilhotas pancreáticas: Produção de insulina; * Células alfa das ilhotas pancreáticas: Produção de glucagon; * Células delta das ilhotas pancreáticas: Produção de somatostatina (inibe a secreção de insulina e glucagon); Prof. Víctor Pessoa

  21. Prof. Víctor Pessoa

  22. SUPRARRENAIS OU ADRENAIS - Córtex: produção de mineralocorticoides (aldosterona) e glicocorticoides (cortisol); - Medula: produção de epinefrina e norepinefrina. Prof. Víctor Pessoa

  23. Prof. Víctor Pessoa

  24. GÔNADAS (TESTÍCULOS E OVÁRIOS) • São alvos dos hormônios hipofisários FSH (folículo-estimulante) e LH (luteinizante), denominados, em conjunto, de gonadotrofinas. • FSH: estimula a espermatogênese (homens) e o amadurecimento dos folículos ovarianos (mulheres); • LH: estimula as células intersticiais de Leydig a produzirem testosterona (homens) e induzem a ovulação (mulheres). Prof. Víctor Pessoa

  25. Prof. Víctor Pessoa

  26. Variações morfológicas das células germinativas durante as fases da espermatogênese Prof. Víctor Pessoa

  27. Prof. Víctor Pessoa

  28. Amadurecimento dos folículos ovarianos Prof. Víctor Pessoa

  29. Prof. Víctor Pessoa

  30. HIPÓFISE X OVÁRIOS (REGULAÇÃO DO CICLO MENSTRUAL) LH Ovários (folículos maduros Hipófise Ovulação 4 5 5 FSH 1 Feedback negativo sobre a hipófise / liberação de LH X Formação do corpo lúteo (produção de estrogênio progesterona) Ovários 3 Amadurecimento dos folículos ovarianos (produção de estrogênio) 2 Aumento da concentração de estrogênio no sangue 6 2 Útero Preparação do útero para uma possível gravidez Prof. Víctor Pessoa

  31. A – Não havendo fecundação 1 – As concentrações elevadas de estrogênio e progesterona no sangue acabam exercendo efeito inibidor (feedback negativo) sobre a hipófise; 2 – Com isso, a hipófise deixa de liberar LH; 3 – O corpo lúteo deixa de ser estimulado; 4 – É bloqueada a produção de estrogênio e progesterona pelo corpo lúteo; 5 – A parede (mucosa) uterina começa a descamar = MENSTRUAÇÃO. B – Havendo fecundação (ocorrência de gravidez) 1 – As concentrações elevadas de estrogênio e progesterona no sangue acabam exercendo efeito inibidor (feedback negativo) sobre a hipófise; 2 – Com isso, a hipófise deixa de liberar LH; 3 – O corpo lúteo deixa de ser estimulado; 4 – As células do trofoblasto (embrião) passam a produzir o hormônio gonadotrofina coriônica, o qual passa a estimular o corpo lúteo; 5 – Regressão do corpo lúteo / formação da placenta (produz progesterona). Prof. Víctor Pessoa

  32. Prof. Víctor Pessoa