morfologia externa n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
MORFOLOGIA EXTERNA PowerPoint Presentation
Download Presentation
MORFOLOGIA EXTERNA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 112

MORFOLOGIA EXTERNA - PowerPoint PPT Presentation


  • 161 Views
  • Uploaded on

David Horta Lopes. MORFOLOGIA EXTERNA. © Direitos reservados. Não coloque esta PPT em nenhum sítio da Internet. FASES DO CICLO VEGETATIVO DE UMA PLANTA : - Germinação da semente e início do desenvolvimento da planta nova;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'MORFOLOGIA EXTERNA' - rea


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
morfologia externa

David Horta Lopes

MORFOLOGIA EXTERNA

©Direitos reservados. Não coloque esta PPT em nenhum sítio da Internet.

slide2

FASES DO CICLO VEGETATIVO DE UMA PLANTA:

    • - Germinação da semente e início do desenvolvimento da planta nova;
    • - Desenvolvimento da planta nova com o crescimento da raiz, caule e folhas;
    • - Período de floração: formação, abertura das flores e ântese;
    • - Produção e maturação dos frutos, contendo as sementes.
classifica o das plantas quanto dura o do seu ciclo vegetativo

CLASSIFICAÇÃO DAS PLANTAS QUANTO À DURAÇÃO DO SEU CICLO VEGETATIVO :

ANUAIS - Plantas com um único ciclo vegetativo durante pelo menos de um ano

BIENAIS OU BIANUAIS - Plantas cujo ciclo vegetativo se reparte por dois anos

VIVAZES - Plantas que repetem o seu ciclo vegetativo durante vários anos (inicia-se com a germinação mas pode não chegar à floração)

germina o

GERMINAÇÃO

EPÍGEA

HIPÓGEA

(hipocótilo traz para fora

da terra os cotilédones)

(cotilédones ficam abaixo

da superfície do solo)

slide5

a- semente

b- funículo

a-radícula

b-hipocótilo

c-tegumento

d-cotilédones

e-epicótilo

f-plúmula

g-folhas primordiais

FEIJOEIRO

COUVE

a-radícula

b-hipocótilo

c-tegumento

d-cotilédones

e-epicótilo

f-primeira folha

GERMINAÇÃO EPÍGEA

slide6

Semente do feijoeiro

testa

tegumento

SEMENTE

tegmen

amendoa

embrião:

- epicótilo

- plúmula ou gémula

- hipocótilo

- radícula

Outros elementos:

- funículo

- hilo

- micrópilo

- radícula

tecido de reserva:

- endosperma

- albúmen

- perisperma

cotilédones

slide7

germinação hipógea

a-albúmen

b-escutelo

c-coleóptilo

d-epiblasto

e-coleorriza

f-embrião

GRÃO DE TRIGO

a-radícula

b-hipocótilo

c-cotilédones

d-gémula terminal

PENISCO DO

PINHEIRO-

-BRAVO

germinação epígea

slide8

Semente do trigo vulgar

pericarpo

tegumento

GRÃO

(fruto;

cariopse)

SEMENTE

albúmen

embrião:

- epiblasto

- plúmula

- albúmen

- radícula primária

- 2 pares de radículas secundárias

escutelo

slide9

Semente do penisco

radícula

SEMENTE

hipocótilo

8 cotilédones

gémula terminal

folhas aciculares

slide10

RAIZ

http://web.educom.pt/escolovar/

slide11

RAIZ

IMPORTÂNCIA / FUNÇÃO:

- fixar a planta

- absorver a água e os minerais nela dissolvidos

ORIGEM:

- da radícula do embrião (raiz seminal)

- do caule ou gemas caulinares ou folheares

(raízes adventícias)

slide12

SITUAÇÃO:

- subterrâneas

- aquáticas (nenúfar; lentilha-de-água)

- aéreas (epífitas)

- outras: pneumatóforos; sugadoras(haustórios);

INSERÇÃO:

- colo da raiz (terminal)

- acima do colo da raiz (laterais)

RAMIFICAÇÃO:

- terminal ou dicótoma

- lateral (sucessão acrópeta)

primárias

secundárias

terciárias

slide13

TIPOS DE RADICAÇÃO:

- aprumada (existe uma raiz principal)

- fasciculada

DIRECÇÃO:

- profundantes

- pouco profundantes

- plagiotrópicas

- pastadeiras (ex: árvores de fruto)

FORMA:

- cónica de eixo muito grosso

- outros casos (fusiforme; turbinada; napiforme)

slide14

pelos radiculares

RAÍZES

coifa

tuberoso-aprumada

fasciculada

aprumada

raiz com bolsa radicular

tuberoso-fasciada

aéreas

aquáticas

tuberoso-fasciculada

raiz com nodosidaddes

(Rhizobiun - leguminosas)

pneumatóforo

raiz com micorrizas (coralóide)

slide15

DURAÇÃO:

- anuais (ex: grão; trigo; milho; tremoceiro)

- bienais (ex: nabo; cenoura)

- vivazes ou perenes (engrossam com a idade)

CONSISTÊNCIA:

- herbácea

- sub-herbácea

- carnuda

- carnosa

- sub-lenhosa

- lenhosa

- tuberculosa ou tuberosa

- fistulosas

slide16

ASPECTOS DA SUPERFÍCIE:

- lisa

- nodosidades (ex: leguminosas)

- coralóide (micorrizas)

ADAPTAÇÕES DA RAIZ:

- tuberização (fasciadas; tuberoso-aprumada e tuberoso-fasciculada)

- raízes aéreas (ex: Oliveira; Hera)

- raízes assimiladoras (ex: orquidáceas tropicais)

caule

CAULE

IMPORTÂNCIA / FUNÇÃO:

- dar às folhas a disposição favorável

- estabelecer comunicação entre a raiz e as folhas

- outras:

- acumulação de reservas (ex: cana -de açúcar)

- assimilação de clorofila

ORIGEM:

- caulículo do embrião

- gemas caulinares (ex: morangueiro; erva-azeda)

- gemas foliares (ex: begónias e crassuláceas)

slide19

CONSTITUIÇÃO:

- nós

- entrenós ou meritalos

- outros (articulados - Equisetum sp.)

NÚMERO:

- unicaules

- multicaules

- cespitosa

SITUAÇÃO:

- aéreos - subterrâneo - aquáticos

- outros (subterrâneos+ aéreos - cana vulgar; batateira)

slide20

DIRECÇÃO:

  • PLANTA NOVA (cereais):
  • - erecto (vertical)
  • - sub-erecto (45 graus)
  • - sub-postrado (horizontal e menor que 45 graus)
  • - postrado (+- horizontal)
  • PLANTA ADULTA:
  • - postrado
  • - ascendente (geniculados - gramíneas)
  • - difuso
  • - decumbente
  • - trepador ou escandente

dextorso

sinistrorso

volúvel

gavinhoso

folhear

C/acúleos

C/ raízes laterais

slide21

meritalo

erecto

Caule videira

sub-erecto

sub-postrado

postrado

tubérculo

caule geniculado

Nó de afilhamento

tubérculo caulinar aéreo da couve rábano

slide22

TIPOS DE CAULE:

- rizoma (tuberoso ou tuberculoso)(ex: lírio)

- tubérculo (ex: tubérculo)

- estolho (epígeos ou hipógeos) (ex: morangueiro)

- prato ou disco: - sólidos (ex: gladíolos)

- escamosos (ex: Lilium)

- entunicados ou tunicados (ex: cebola; alho)

- escapo ou hástea (ex: caules floríferos)

- colmo (ex: cana)

- espique (ex: palmeira)

- tronco (ex: árvores)

- sarmento (ex: videira)

- turião (ex: silva)

PLANTAS ACAULES OU CAULESCENTES

slide23

caule volúvel

caule estolhoso

planta acaule

rizoma tuberoso

Prato ou disco de bolbos

sólido

tunicado

escamoso

cladódio

colmo

tronco

espique

slide24

FORMA DOS CAULES:

- cónicos

- cilíndricos

- achatados ou comprimidos

- piramidais ou prismáticos

- delgados

- filamentosos ou capilares

CONFORMAÇÃO LONGITUDINAL

- recto

- tortuoso (linha quebrada)

caule costado - saliências/ cordões longitudinais

caule alado - decorrência das folhas em forma de asa

slide25

FORMA DOS CAULES (Secção Transversal)

- roliços (secção circular arredondada)

- poligonal ou angulosa:

- poligonal

- tetragonal (ex: faveira)

- trigonal ou triangular (ex: junça)

- espalmados (ex: Opuntia sp.)

- esféricos (ex: alguns cactos)

slide26

SUPERFÍCIE DO CAULE

CAULES ANUAIS E NOVOS

- regularidade da superfície:

- lentículas

- destacam-se

- placas (ex: Plátano)

- fitas (ex:Eucalipto)

- anéis(ex: Cerejeira)

- tiras (ex: Videira)

- consistência da casca seca (Sequóia)

- coloração

CAULES PERENES E ADULTOS

- regularidade da superfície:

- liso

- rugoso

- estriado

- costado-estriado

- sulcado

- canelado

- indumento

- coloração

slide27

CONSISTÊNCIA DO CAULE

- herbáceo (tecido tenro e pouco espessos)

- lenhoso (maior quantidade de tecidos lenhosos)

- sub-herbáceo

- sub-lenhoso

- carnudo ou suculento (volumoso e com reservas)

- fistuloso (oco)

- meduloso

- maciço (espaço da medula muito reduzido)

- compressível (ex: juncos)

slide28

RAMIFICAÇÃO E PROLONGAMENTO

DO CAULE

OLHOS

(quando protegidos

por folhas)

ex: batateira; dália

GEMAS

(faz-se a partir de

meristemas ou

pontos vegetativos)

GOMOS

(quando protegidos por escamas)

ex: fruteiras em geral

slide29

GOMOS

quanto à situação:

- aéreos

- superficiais

- subterrâneos

- aquáticos

quanto à posição:

- terminais (extremidades)

- axilares (na axila)

- adventícios (ao acaso)

quanto à disposição:

- colaterais (ao lado) - sobrepostos (em cima)

slide30

Escapo

ou

hástea

Oposto-

- cruzados

GOMOS

colaterais

sobrepostos

espiralados

dísticos

espinhos

Ramificação de uma árvore

ramificação

dicótoma

a-tronco

b-pernadas

c-braça

d-ramos

e-raminhos

f-rebentos

ramificação

simpodial

Esporão

turtuoso

Esporão

recto

(pereira)

gavinhas

filocládios

(ameixeira)

slide31

GOMOS

quanto à natureza:

- folheares => folhas

- florais

- alabastros ou botões => flores

- mistos => folhas e flores

quanto à inserção:

- alternos (espiralados e dísticos)

- opostos (oposto-cruzados ou decussados)

- verticiliados

slide32

GOMOS

quanto à forma:

- ovóides

- cónicos

- arredondados

- elipsóides e oblongos

quanto à evolução:

- formação pronta (tudo num ciclo)

- hibernantes (de um ano ao outro)

- dormentes (abrolha ao fim de vários anos)

primaveris

estivais

outonais

slide33

TIPOS DE RAMIFICAÇÃO:

- falsa dicotomia (gema terminal substituída pelas duas laterais)

- terminal ou dicótoma:

- bifurcada

- simpodial

- lateral (de acordo com a inserção das gemas):

- alterna

- oposta

- verticilada (ex: pinheiros)

slide34

POSIÇÃO DOS RAMOS OU RAMIFICAÇÕES:

- fastigiadas(<45 graus)

- erecto-patentes (= 45 graus)

- patentes (90 graus)

- divaricados (> 90)

CONJUNTO DA RAMIFICAÇÃO DAS ÁRVORES:

- pernadas ou arrancas

- braças

- ramos

- raminhos

- rebentos, renovos, vergônteas ou pâmpanos

-ladrões ou epicórnios

- polas ou rebentos de touça

slide35

CLASSIFICAÇÃO QUANTO À DIMENSÃO

DAS PLANTAS (designações vulgares):

- ervas (caule pouco alongado, consistência herbácea ou

sub-herbácea, anuais ou vivazes)

- sub-arbustos (plantas pequenas(<1m), de caule só lenhoso e

perene na base e herbáceas na parte restante)

- arbustos (plantas lenhosas (<5m), vestidas de ramos desde a base)

- árvores (plantas lenhosas (>5m), tronco bem marcado e despido

de ramos na parte inferior)

- lianas (plantas trepadoras, sarmentosas com caule muito alongado)

slide36

CLASSIFICAÇÃO FISIONÓMICA

DE RAUNKJAER

- TERÓFITAS

- CRIPTÓFITAS (geófitas; hidrófitas; halófitas)

- HEMICRIPTÓFITAS

- FANERÓFITAS

- NANOFANERÓFITAS (25cm a 2m)

- MICROFANERÓFITAS (2 a 8 m)

- MESOFANERÓFITAS (8 a 30m)

- MEGAFANERÓFITAS (mais de 30m)

- CAMÉFITAS

slide37

- terófitas (ervas propagadas por sementes; geralmente anuais)

- criptófitas:

- geófitas (ervas vivazes com gemas de renovo abaixo da

superfície do solo)

- hidrófitas (...água)

- halófitas (...água ou solo) (ex: Alisma sp.)

- hemicriptófitas (vivazes bianuais com gemas de renovo à

superfície do solo)(ex: plantas arroseteadas e sub-arroseteadas)

- fanerófitas (perenes desprovidas de gemas de renovo a >25 cm

do solo)

- caméfitas (gemas de renovo a < 25cm do solo)

(ex: ervas decumbentes e pulvinadas)

slide38

CLASSIFICAÇÃO FISIONÓMICA DE RAUKJAER

Geófita de rizoma

(grama)

Geófita de raiz

tuberosa

(abrótea)

Terófita

(papoila)

Hemicriptófita

arroseteada

(rorela)

Geófita de bolbo

(açafrão)

slide39

ADAPTAÇÕES DO CAULE:

- estolho

- rizoma

- tubérculo caulinar

- prato ou disco de bolbos

- bolbilhos (Oxalis sp.)

- ramos ou gavinhas (ex: videira)

- espinhos

- cladódios

- ramos curtos ou braquiblastos

- esporões (rectos- ameixeira ou tortuosos- pereira)

- dardos (=> esporões)

- cones gemáricos (ex: alfarrobeira)

- eixo floral ou eixo caulinar

slide41

FUNÇÃO DA FOLHA:

- orgão de assimilação e transpiração da planta

ORIGEM DA FOLHA:

- caulículo do embrião e gemas caulinares

SITUAÇÃO DA FOLHA:

- aéreas (normalmente)

- aquáticas:

- flutuantes(ex: Rannunculus)

- submersas(ex: Elodea)

- subterrâneas (catáfilos subterrâneos)

slide42

FOLHEATURA OU FOLHEAÇÃO:

- conduplicada (ex: Carvalho; Cerejeira)

- convolutosa ou enrolada (ex: Ameixeira; Milho)

- involuta (ex: Choupo)

- revoluta (ex:Alecrim)

- imbricativa

- inflectida

- circinada (ex: Feto)

- plicada (ex: Palmeira)

- valvar

- mutuamente equitante

- equitante ou acavaleirada

slide43

revoluta

involuta

conduplicada

plicada

convolutosa

involuta

revoluta

involuta

convolutosa

Mutuamente

equitante

inflectida

equitante

circinada

alterna

verticilada

oposta

Folhas

Compostas

limbo

pecíolo

baínha

Filódio

Folha simples

imparipinulada

paripinulada

slide44

FILOTAXIA(disposição das folhas sobre o caule):

- inserção:

- alterna (uma folha em cada nó)

- oposta (2 folhas em cada nó)

- verticilidada (mais de 2 folhas no mesmo nó)

- arroseteadas (em roseta- plantas acaules)

- divergência:(ângulo do diedro que forma 2 planos que passando pelo eixo onde estão inseridas as folhas passam pelo seu ponto de inserção ou eixo folhear)

- FRACÇÃO (oposto-cruzados=1/4)

- ESPIRAL (nº de voltas/ nº de folhas- ex: 2/5)

slide45

POSIÇÃO DAS FOLHAS:

- dorsi-ventral (maior parte)

- vertical:

- equifacial (ex: eucalipto) e unifacial (ex: lírio)

- abaxial, interna ou ventral (ex: gramíneas)

- adaxial, externa ou dorsal (ex: gramíneas)

- imbricadas (aplicadas de forma a haver uma

cobertura sucessiva)

slide46

DIFERENCIAÇÃO DA FOLHA:

(distinção das várias partes das folhas)

- baínha (envolve o entrenó acima do nó) (INVAGINANTE)

- pecíolo:

- peciolada (só com pecíolo)

- sub-séssil (sem baínha e pecíolo curto)

- séssil ou rente (sem baínha e pecíolo)

- limbo - ócreas (ex: poligonáceas)

- pulvino - filódio (folha reduzida ao pecíolo laminar)

- lígula (ex: grama)

- estípulas (apêndices na base das folhas de cada lado do pecíolo):

- herbáceas - adunadas (aderentes)

- escariosas - caducas (quanto à duração)

- epinancentes

- aurículas (alongamento da base do limbo)

slide47

LIMBO DA FOLHA

(quanto à divisão ou compartimentação)

- simples (um só limbo inteiro)

- compostas: (vários limbos)

- pinuladas (folíolos inseridos no eixo do prolongamento do pecíolo)

- parifoliadas

- imparifoliadas

- unifoliadas (ex: laranjeira)

- recompostas ou bipinuladas

- digitadas (folíolos inseridos num só ponto na extremidade do pecíolo) (DIGITO-TRIFOLIADAS)

slide48

FOLHA

(quanto à forma geral do limbo)

- arredondada ou orbicular (rácio comp/larg=1)(ex: alcaparra)

- elíptica (rácio comp/larg>1=3) (ex: azinheira)

- ovada (semelhante ao ovo)

- obovada

- lanceolada

- violina ou violada (ex: serralha; labaça)

- oblonga

- linguiforme

- espatulada

- linear (ex: centeio; gramíneas em geral)

- ensiforme (ex: lírio)

- falciforme (ex: eucalipto)

slide49

FOLHA

(quanto à forma geral do limbo) (continuação)

- cordiforme ou cordada (ex: videira)

- obcordiforme (ex: erva azeda)

- reniforme (ex: olaia)

- sagitada (ex: jarro)

- alabardina (ex: corriola)

- deltóide ou triangular (ex: choupo)

- romboidal (ex: Chenopodium)

- acicular ou acerosa (ex: pinheiro)

- escamiforme (ex: cedro)

- cilíndrica ou roliça (ex: cebola)

- hemi-cilíndrica ou semi-roliça (ex: narciso)

slide50

quanto à forma da base:

- acunheada (em forma de cunha)

- arredondada

- troncada

- auriculada:

- amplexicaules

- semiamplexicaules

- estipuliformes

quanto aspecto das aurículas da base do limbo:

- aveia (sem aurículas e lígula comprida)

- centeio (aurículas estreitas e reduzidas - semiamplexicaules)

- cevada (muito amplexicaules; largas e sem pelos)

- trigo (auriculo-amplexicaules, com pelos compridos)

slide51

unifoliada

pinulado trifoliada

digitada

digitada

recomposta paripinulada

espatulada

violina

arredondada

ensi-

forme

ovada

oblonga

elíptica

oblonga

lanceolada

linear

obcordi-

forme

deltóide

falciforme

cordiforme

reniforme

sagitada

romboidal

acunheada

arredondada

troncada

A.cordiforme

escamiforme

troncada

A.albardina

alabardina

trigo

hastada

aveia

cevada

A.estipuliforme

centeio

acuminada

agudo

assovelada

obtusa

arredondada

troncada

chanfrada

slide52

quanto aspecto da união das aurículas da base do limbo:

- peltada (com pecíolo)

- perfolhada (folha séssil com aurículas unidas)

- adunada (aurículas de 2 folhas opostas se unem)

- decorrente (aurículas prolongam-se abaixo da inserção da folha)

quanto à forma do vértice ou ápice:

- acuminada - aguda

- assovelada

- obtusa (ou romba)

- arredondada - troncada

- chanfrada ou emarginada

- mucronada

slide53

decorrente

peninérvea

adunada

União das

aurículas

peltada

perfolhada

nervura

marginal

Rectílineo

paralelinérvea

Nervação

trinérvea

Dupla.serrada

palminérvea

uninérvea

Curvilíneo

paralelinérvea

Recorte

serrilhada

secta

inteira

serrada

dentada

crenada

lobada

fendida

partida

acetinado

retrorso aculeado

híspido

celheado

viloso

hirsuto

lanoso

Indumento

Lirado-

roncinado

penatipar

tida

lanuginoso

setígero

puberelento

tearâneo

tomentoso

flocoloso

pubescente

aveludado

antrorso aculeado

slide54

Nervação da folha:

- sem nervuras reticuladas (monocotiledóneas)

- uninérveas

- paralelinérveas

- rectilíneo-paralélinérveas (ex: trigo, milho)

- curvilíneo-paralélinérveas (ex: salsaparrilha)

- com nervuras reticuladas (dicotiledóneas)

- nervura marginal (ex: eucalipto)

- peninérvea (ex:castanheiro)

- palminérvea (ex: videira)

- trinérvea (ex: acer)

- apeada

slide55

Recorte da folha:

- inteira ou sem recorte

- duplos (duplamente)

- inciso

-bi-tri-multi (várias vezes)

- lirada

- roncinada (seg. laterais voltados para a base)

- recorte marginal:

- dentes:

- serradas

- dentadas

- crenos

- quando muito pequenos:

- serrilhadas

- denticuladas

- crenuladas

- recorte profundo

- lobadas (<1/2)

- fendidas(1/2)

- partidas (até quase nerv. central

- sectas(diversas porções)

ex: folha do nabo

lirado-roncinado-penatipartida

ex: funcho

multipenatisecta

slide56

Consistência da folha:

- coriácea

- sub-coriácea

- herbácea

- sub-herbácea

- carnudas

slide57

Aspecto da superfície do limbo:

- rugoso

- bolhoso

- empolado

- ondulado (ex: faia)

- glabro (sem indumento)

- glabrescente

- frisada ou crespa (ex: couve)

- maculada (ex: trevo)

- com indumento:

- pelos compridos

- pelos curtos

slide58

Com indumento:

- pêlos compridos:

- acetinado

- piloso

- viloso

- hirsuto

- lanoso

- celheado

- híspido

- setígero

- urticante

- tearâneo

- tomentoso

- floculoso

Com indumento:

- pêlos curtos:

- pubescente

- aveludado

- puberelento

- lanuginoso

MUITOS ASPECTOS

DE TRANSIÇÃO

Tipos de pêlos:

- simples

- bifurcados

- forquilhados

- estrelados

slide59

Outros aspectos de revestimento do limbo:

- escabroso, escabro ou áspero (= lixa)

- granuloso

- verrugoso

- papiloso

- escamuloso

- pulverelento

- farinhoso

- glanduloso

- polvilhoso

- com acúleos (acúleolos):

- retrorso-aculeoso

- antrorso-aculeoso

slide60

Adaptações da folha:

- escamas

- catáfilos

- espinhos

- filódios

- gavinhas

- antófilos

Duração da folha:

- caduca ou decíduas (ex: castanheiro)

- persistente (ex: citrinos)

- marscentes (ex:carvalho)

slide61

Polimorfismo ou Heterofilia:

- Eucalipto (folhas juvenis/ folhas adultas) - Plantas em roseta basilar

- Pinheiro bravo (Pinus pinaster Ait.)

Sete aspectos diferentes:

1- folhas cotiledonares de secção triangular

2- folhas primordiais solitárias e alternas

3- folhas fasciculadas duas a duas, que se inserem em

raminhos curtos

4- folhas isoladas, semelhantes às primordiais que se formaram

devido a acidente ou mutilação

5- folhas escamiformes que formam a baínha das folhas dos

raminhos curtos

6- folhas escamiformes dos gomos, caducas no desenvolvimento

destes

7- folhas aciculares reunidas aos pares

slide62

Polimorfismo ou Heterofilia

Adaptações

da folha

Anisofilia

ascídias

seaginela

ervilhaca

ascídias

gavinhas

Folhas epinescentes

divergência

espiral -divergência

(2/5)

parásticas

slide64

Inflorescência:

- solitária (1 só flôr na extremidade do pedúnculo)

- grupada: (várias flores num pedúnculo)

- multiflora

- pauciflora ou depaupurada

- axilares

- terminais

Quanto ao sexo:

- hermafroditas (com flores do mesmo sexo)

- unissexuais (um só sexo em inflorescências diferentes)

- androgínicas (dois sexos na mesma planta)

- heterogâmicas (com flores unissexuais e hermafroditas)

slide65

BRÁCTEAS-folhas especiais modificadas que

protegem a inflorescência ainda no estado de botão

Tipos de brácteas:

- espata (ex: jarro; milho)

- bráctea tectriz (ex: tília)

- bráctea involucral (ex: margaça)

- bráctea interfloral (ex: capítulo das Compostas)

- cúpula (ex: carvalho) - brácteolas

- ouriço (ex: castanheiro)

- coma (ex: rosmaninho)

- involucelo - glumas - glumélas

- epicálice - utrículo

slide66

- definidas ou cimeiras (centro => periferia):

- unípara (monocásio):

- helicóide

- escorpióide

- simpodial ou pseudo-cacho

- bípara (dicásio):

- equilibrada

- desequilibrada

- duas cimeiras uníparas

- multípara (pleocásio):

- antela (ex: junça)

- pseudo-umbela

- outros tipos de cimeira:

- glomérulos (ex: beterraba)

- verticilastro (ex: mentrasto)

- semiverticilastro (ex: labaça)

- ciato (ex: eufórbia)

Tipos

de

inflorescências:

slide67

- indefinidas:(base => cimo/ periferia => centro)

- cacho (com entrenós e pedicelos):

- panícula (ex: aveia)

- tirso (ex: alpista)

- corimbo

- espiga (flores sésseis):

- amentilho (ex: castanheiro; salgueiro)

- espádice (ex: jarro)

- espigueta (uni;multi; pauci) (ex: gramíneas)

- umbela (só com pedicelos):

- simples

- composto

- capítulo (sem entrenós e pedicelos):

- homogâmico

- heterogâmico (ex: malmequer; girassol)

Tipos

de

inflorescências:

slide68

Inflorescências

Definidas,

Uníparas

ou

Monocásio

helicóide

flabeliforme

falciforme

Pleiocásio

ou

multípara

verticilastro

dicásio

ciato

escorpióide

Inflores-

cências

Definidas

glomérulo

tirso

amentilho

panícula

corimbo

cacho

B.interflorais

B.involucrais

espiga

espigueta

espádice

bráctea/bractéola

capítulo

slide69

trigo

cevada

aveia

centeio

Inflores-

cências

indefenidas

Umbela simples

Umbela composta

capítulo

homogâmico

capítulo

heterogâmico

slide71

FLÔR

Constituição:

- eixo floral (adaptação do caule)

- antófilos (folhas florais):

- gineceu (carpelos)

- androceu (estames: filete + antera)

- perigónio/perianto

- simples (tépalas)

- composto ou duplo:

- cálice - sépalas (mais externas)

- corola - pétalas (mais internas)

slide72

Flor quanto à inserção:

- acíclicas (em espiral) (ex: Magnólia)

- hemicíclicas (parte verticilada e parte em espiral) (ex:Ranunculus)

- cíclicas (verticiladas ou opostas):

- heterocíclicas (número diferente de peças)

- eucíclicas (número igual de peças):

- dímeras

- trímeras

- tetrâmeras

- pentâmeras

slide73

Flor quanto ao eixo de simetria:

- regular ou actinomórficas

- irregular:

- zigomorfa (1 plano)

- assimétrica (sem plano ou eixo)

Flor / Perianto ou perigónio:

- aclamídeas ou nuas (sem perianto)

- haploclamídeas (1 verticilo)

- diploclamídeas (2 verticilos):

- homoclamídeas (= tépalas)

- heteroclamídeas (diferentes: cálice e corola)

slide74

Flor/Sexo:

- hermafroditas

- unissexuais:

- monóica (sexos diferentes na mesma planta)

- dióica ou diclina(sexos diferentes em plantas

diferentes)

Aspectos do perigónio:

- coerência ou concrescência:

- diatépalo (tépalas livres)

- simpétalo ou gamotepalo (tépalas unidas formando um tubo)

slide75

Aspectos do perigónio:

- duração:

- caduco (desprende-se com a maturação)

- persistente (acompanha frutificação)

- acrescente (cresce depois da fecundação)

- marcescente (mantêm-se seco)

Posição em relação ao ovário:

- hipogínico (ovário súpero)

- epigínico (ovário ínfero)

slide76

Cálice (sépalas):

- constituído pelas sépalas (mais exterior)

- frequent. pentâmero ou tetrâmero (ex: crucíferas)

- menos vezes duas sépalas (ex: papoila)

- cálice sinsépalo ou gamosépalo =>

sépalas concrescentes => tubo /dentes

- cálice dialissépalo => sépalas livres

(ex: crucíferas/couve)

- cálice em forma de papilho de pelos =>Compostas

slide77

Duração do cálice:

- caduco (ex: Papaver)

- parcialmente caduco (ex. figueira do inferno)

- marcescente

- persistente(ex: pereira)

- acrescente (ex: romanzeira)

Forma do cálice:

- tubuloso

- campanulado

- funilado

- irregular:

- unilabiado

- bilabiado (ex: giesta)

slide79

Posição do cálice em relação ao ovário:

- hipogínica (ovário é súpero)

- epigínica (ovário é ínfero)

Coloração do cálice:

Mais vulgar é verde

slide80

Corola (pétalas):

- invólucro mais interno dos orgãos sexuais da flor

- geralmente pentâmeras ou tetrâmeras

- cor geralmente branca

- dialipétala ou coripétala (livres)

- simpétala ou gamopétala (unidas) => “tubo da corola”

flores dobradas ou plenas => por metamorfose regressiva os

estames => pétalas (ex: rosas e cravos)

flores apétalas=> flores sem corola (ex: freixo)

pétalas em forma de capuz => pétalas unidas pelo cimo

(ex: videira)

slide81

Consistência da Corola:

- escariosa (ex: Plantago lanceolata L.)

- coriácea(em opérculo)(ex: Eucaplytus globulus Labill.)

Duração da Corola:

- caduca (normalmente)

- marcescente (ex: trevos- Trifolium sp.)

Préfloração na Corola:

- contorcida (ex: Oxalis sp.) - imbricativa

- enrugada ou quinconcial (ex:Papaver) - involutiva

- induplicativa

- valvar (ex:Hera)

slide82

Tipos de Corola:

- crucífera (ex: couve)

- cravinosa (ex: cravo)

- rosácea (ex: ameixeira)

- papilionácea (ex: ervilheira)

- pseudo-papilionácea (ex: olaia)

- rodada (ex: batateira)

- afunilada (ex: corriola)

- tubulosa (ex:girassol)

- campanulada

- gomilosa (ex: medronheiro)

- assalveada (ex: tabaco)

- labiada (ex: menta) - unilabiada

- personada (ex: bocas-de-lobo) - ligulada

slide83

Androceu (estames) (filete + antera):

Classificação:

- definidos (- 10)

- indefinidos (+10)

Tamanho relativo:

- tetradinâmicos (4> e 2<)

- didinâmicos (2> e 2<)

slide84

Concrescência ou coerência dos estames:

- livres

- monadelfos (estames unidos pelo filete e anteras livres

ex:malva)

- diadelfos (1 estame livre e outros 9 unidos - ex: ervilhaca)

- poliadelfos (estames unidos pelos filetes -ex: hipericão)

- sinantéricos (estames unidos pelas anteras- ex: girassol)

- coniventes(estames livres e anteras encostadas - ex:batateira)

- sistémonos (estames unidos toda a extensão)

slide86

Inserção dos estames (em relação ao ovário):

- epigínicos (ex: pereira)

- perigínicos (ex: damasqueiro)

- hipogínicos (ex: laranjeira)

ANTERA= conectivo + sacos polínicos

ANTERA /Inserção ao filete:

- basifixa (ex: tulipa)

- dorsifixa (ex: cebola)

- decorrente (ex: verbasco)

slide87

Gineceu (folha floral feminina = pistilo):

- ovário:

- ínfero (incluso no cálice)

- semi-ínfero (aderente ao cálice)

- súpero (acima do cálice)

- estilete (pode não existir- gimnospérmicas)

- estigma

Ovário (constituição):

- apocárpico (gineceu multipistilado com diversos

ovários livres)

- simples (1 carpelo / 1 lóculo)

- monocárpico (1 carpelo fechado-ex: ervilheira)

- cenocárpico (vários carpelos- ex: silva):

sincárpico (carp. fechados) paracárpico (carp. abertos)

slide88

Ovário (nº de lóculos):

- unilocular ou paracárpico (ex: violeta)

- bilocular (com falo cepto)

- plurilocular

Ovário (nº de óvulos):

- uniovulados

- pluriovulados:

- triovulados (ex: eufórbia)

slide89

Ovário (placentação):

- axilar (óvulos sincárpicos / eixo)

- parietal (óvulos paracárpicos, um e outro do

lado da linha de sutura dos carpelos)

- basilar (óvulos na base do ovário)

- central livre (óvulos na coluna central)

Ovário (posição do óvulo):

- ortrópico/direito/atrópico

- anatrópico / invertido (ex: nogueira)

- hemitrópico (eixo recto paralelo à placenta-ex: nogueira)

- campilotrópico (longitudinal/ encurvado- ex: couve)

- anfitrópico(eixo direito e paralelo ao hilo-ex: feijão;ericáceas

slide90

Estilete (fixa o pólen segrega líquido viscoso):

- terminal (> parte)

- lateral (ex: Potentila)

- ginobásico ou basilar (ex: Labiada; Borangináceas)

Entrenós florais ( porções do eixo floral, um tanto

alongado entre os diversos verticilos da flôr):

- antóforo (entre o cálice e a corola)

- androginóforo (entre corola e androceu)

- ginóforo (entre o androceu e gineceu)

slide91

Nectários florais (orgãos produtores de néctar,

formando por vezes um disco nectarífero):

- hipogínico (abaixo do ovário)

- perigínico (à volta do ovário)

- epigínico (sobre o ovário)

Estilopódio (ovário persistente com os estiletes - Umbelíferas)

Diagramas florais (representação gráfica de cortes trans

versais das flores com a configuração das peças florais):

- papoila (2S; 2+2P; inf.E; (8-10C)

- alecrim K (2/3), C (273), A 2, G 2x2 (Escola Alemã)

slide92

Polinização:

- directa ou autogâmica (entre orgãos da mesma flor)

- indirecta ou alogâmica (entre orgãos de flores

diversas da mesma planta)

- cruzada ou indirecta (entre flores de plantas diferentes)

Flores cleistogâmicas - flores em que a corola não

chega a abrir

Polinização:

- anemófila

- entomófila

- outros animais (pássaros, morcegos, caracóis)

(ex: estrelícia)

slide93

Obstáculos à polinização:

- heterostilia (diferente comprimento de estames e estiletes)

- dicogamia (receptividade precoce do estigma):

- protogenia(estigmas antes da antera)

- protrandia (anteras maduras antes dos estigmas receptivos)

slide95

FRUTO:

- Plantas monocárpicas (uma só frutificação morrendo de

seguida)

- Plantas policárpicas (frutificam várias vezes)

Constituição do fruto:

- pericarpo (provém das paredes do ovário):

- epicarpo (+ externa)

- mesocarpo (geralmente espessa)

- endocarpo (parte em contacto com as sementes)

- semente (provém do óvulo):

- tegumento (testa e tégmen)

- amendoa

slide96

Classificação dos frutos:

- simples (vêm de um só ovário de flor simples)

- múltiplos (vêm de diversos ovários de uma flor

multipistilada)

- agregados; sinanto-cárpicos ou infrutescências (vêm

de ovários concrescentes duma inflorescência)

- esquizocárpicos (frutos divisivéis em mericarpos na

maturação)

Constituição dos frutos simples:

- apocárpicos (provêm de ovário unicarpelar)

- cenocárpicos (provêm de ovário multicarpelar):

- sincárpicos (carpelos fechados)

- paracárpicos (carpelos abertos)

slide97

Consistência dos frutos:

- carnudos (mesocarpo => sarcocarpo)

- semi-carnudos (com caroço => endocarpo)

- secos (> consistência)

Nº de sementes dos frutos:

- monoespérmicos:

- dispérmicos

- triespérmicos

- tetraespérmicos

- poliespérmicos

slide98

Frutos (quanto à deiscência):

- deiscentes (abrem para deixar cair as sementes)

- indeiscentes (conservam as sementes encerradas no

pericarpo)

slide99

Tipos de Frutos Simples:

(resultantes de um único pistilo)

- aquénio(monocárpico, apocárpico, indeiscente, seco,

monoespérmico):

- sâmara (pericarpo alongado e com asa -ex: ulmeiro)

- cariopse (pericarpo aderente ao tegumento-ex: gramíneas)

- cipsela (ovário ínfero coroado papilho de pelos -

ex: alcachofra/serralha)

- glande (cenocárpico, indeiscente, seco, monoespérmico):

- cúpula (ex: aveleira)

- taça (ex: carvalho)

- ouriço (ex:castanheiro)

slide100

Tipos de Frutos Simples (Continuação):

- folículo (apocárpico, seco, deiscente por uma fenda,

poliespérmico):

sub-tipo - vagem (ex: leguminosas - serradela, luzerna, grão,

trevo)

- silíqua(paracárpico, deiscente por 4 fendas, seco,

poliespérmico):

silíqua lomentácea (ex: saramago, couve rábano)

- silicula (comprimento pouco maior que a largura=3,5x)

(ex: bolsa-de-pastor)

- cápsula(cenocárpico, seco, apocárpico, deiscente,

poliespérmico) (clasificação de acordo com tipo de deiscência)

ex: papolia = cápsula poricida ou porífera

slide101

Tipos de Frutos Simples (Continuação):

- esquizocarpo (seco,divisível em mericarpos ou cocas

monosespérmicas):

- cápsula di-tri- coca das eufórbias)

- regma das geraniáceas

- fruto das malváceas

- diaquénio das umbelíferas (ex: cenoura)

- samarídeos do Acer

slide102

Tipos e Sub-tipos de Frutos Simples Carnudos e

Semi-carnudos:

- Baga (sincárpico, poliespérmico, indeiscente, mesocarpo

carnudo, endocarpo ténue):

- pomo (ovário ínfero):

- drupáceos (endocarpo ósseo) (ex: nespera)

- baciformes (endocarpo membranáceo) (ex:maçã, pera)

- pepónio (ovário ínfero; endocarpo liquefeito na maturação)

(ex: Curcubitáceas = melão; melancia)

- hesperídeo (ovário súpero; epicarpo com câmaras secretórias;

endocarpo revestido por pelos sucosos) (ex: Citrinos)

slide103

Tipos e Sub-tipos de Frutos Simples Carnudos e

Semi-carnudos (Continuação):

- Balaústia (pericarpo coriáceo, acrescente, vários lóculos

poliespérmicos com testas sucosas comestíveis) (ex: Romã)

- Drupa (semicarnudo, monocárpico, apocárpico,

monoespérmico, com caroço):

(família das rosáceas / sub-família prunóideas: pessegueiro,

ginjeira, ameixeira)

- noz (mesocarpo pouco carnudo /irregularmente deiscente)

(ex: nogueira; amendoeira, palmeiras)

slide104

Frutos Múltiplos:

(resultantes de dois ou mais pistilos)

- Aquénio => múltiplo de aquénios (ex: morango)

- Sâmaras => múltiplo de sâmaras (ex: alianto)

- Folículo => múltiplo de folículos (ex: magnólia)

- Drupa => múltiplo de drupas (ex:amora)

slide107

Frutos Múltiplos:

Quando consiste dum constante e pequeno número de

frutos simples:

- diaquénio (ex: umbelíferas (salsa);amor-de-hortelão)

- dissâmara (ex: Acer)

- difolículo (ex: sevadilha)

- trifolículo (ex: paparraz)

- tetraquénio (ex: labiadas e boragináceas)

slide108

Principais Frutos das Coníferas (Frutos agregados ou

infrutescências ou Múltiplos):

(resultantes de uma única flor feminina, constituída por

folhas carpelares escamiformes, dispostas sobre um eixo

ou ráquis)

- Pinha ou cone => fruto de ráquis lenhoso com

escamas espiraladas; com 2 sementes aladas:

ex: - pinheiro; - abeto; - cedro;

- Estróbilo => fruto de eixo lenhoso ou fibroso, escamas

protectoras e carpelares unidas; 1 a 9 sementes com várias

formas de eixo lenhoso:

ex: - criptómeria; - sequóia;

slide109

- Gálbula => fruto de eixo rudimentar no ápice, com inserção

de várias escamas oposto-cruzadas; 1 a 20 sementes aladas:

ex: - ciprestes;

- Pseudo/Falsa gálbula =>coluna central proveniente de

escamas estéreis:

ex: -Platycladus orientalis (L.) Franco

- Gálbula-baciforme =>escamas carnudas, soldadas,

indeiscente:

ex: - Juniperus comunisL.(zimbro);

- Pseudo-aquénio ou sâmara =>com sementes inclusas nas

folhas carpelaresex: -Araucárias

slide110

Frutos Agregados, Sinantocárpicos ou Infrutescências:

- Sorose => infrutescências com todas as peças florais

(brácteas, eixo e paredes de ovário) se tornam carnudas e

concrescentes:

ex: ananás; framboesa

- Sícone => infrutescência em que o conjunto resulta de um

capítulo de glomérulos inclusos num receptáculo carnudo :

ex: figo => caprificação

- Glomérulo-frutífero => resultado da frutificação de

glomérulos muito contraídos :

ex: beterraba

slide111

Frutos Agregados, Sinantocárpicos ou Infrutescências

(Continuação):

- Agregado de cápsulas => infrutescência da Syncarpia

lamifolia (Mirtácea)