estudo do trajeto bacia obst trica l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
PowerPoint Presentation
Download Presentation

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 27

- PowerPoint PPT Presentation


  • 1717 Views
  • Uploaded on

Estudo do Trajeto: Bacia Obstétrica. Juliana Mársico. Bacia Obstétrica. Estudo da pelve óssea e suas relações anatômicas é de grande importância. Avaliação dos diâmetros da Bacia: cálculo da proporcionalidade entre o trajeto e o feto, determinante na conduta a assistência ao parto.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about '' - oshin


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
bacia obst trica
Bacia Obstétrica

Estudo da pelve óssea e suas relações anatômicas é de grande importância.

Avaliação dos diâmetros da Bacia:

  • cálculo da proporcionalidade entre o trajeto e o feto, determinante na conduta a assistência ao parto.
bacia obst trica3
Bacia Obstétrica
  • Trajeto mole:

Útero a fenda vulvar, com 3 estreitamentos anulares: orifício cervical, diafragma pélvico, óstio vaginal.

  • Trajeto duro:

Bacia óssea

trajeto duro
Trajeto duro:

Bacia ou pelve: 2 ossos ilíacos, sacro, cóccix, pube e respectivas articulações: sínfise púbica, sacroilíacas, sacro coccígenas.

Obs: promontório: vértice da articulação entre a 5 vertebra lombar e o sacro.

Dividida: pequena (verdadeira) e grande.

bacia obst trica pequena
Bacia obstétrica- Pequena
  • PEQUENA:

Mais importante; tem que ser compatível com a biometria fetal.

Dividida: estreito superior, médio e inferior

bacia obst trica pequena9
Bacia obstétrica- Pequena
  • SUPERIOR: pube, linha terminal, promontório e asa do sacro.

1. Diâmetro ântero-posterior: Conjugata Vera Obstétrica:

C. Anatômica ou vera anatômica

C. Obstétrica ou vera obstétrica

C. Diagonal ou Diagonalis

bacia obst trica pequena superior
Bacia obstétrica- PequenaSuperior
  • CA ou VA: linha que une borda superior da sínfise púbica e o promontório: 11,5 cm.
  • CO ou VO: entre promontório e a face interna da sínfise púbica: 10,5 cm.

Real espaço do trajeto da cabeça fetal

  • CD ou D: promontório e borda inferior da sínfise: 12cm.
    • CO: CD – 1,5 cm
bacia obst trica pequena superior11
Bacia obstétrica- PequenaSuperior

2. Diâmetros oblíquos: eminências iliopectínicas até articulação sacroilíacas: 12,5 cm.

3. Diâmetro transverso: linha terminal de um lado para o outro, geralmente a 4 cm do promontório: 13 cm.

bacia obst trica pequena12
Bacia obstétrica- Pequena
  • ESTREITO MÉDIO:

Borda inferior do osso púbico e espinhas ciáticas

1. Diâmetro ântero-posterior: em nível das espinas ciáticas: 11,5 a 12 cm.

2. Diâmetro transverso ou biespinha ciática:menor da pelve, 10 cm.

Obs: espinhas ciáticas: plano “0” de De Lee.

bacia obst trica pequena13
Bacia obstétrica- Pequena
  • ESTREITO INFERIOR: borda inferior do osso púbico, tuberosidades isquiáticas e extremidade do cóccix.

1. Diâmetro ântero-posterior:(Conjugata Exitus) borda inferior da pube ao coccix: 9,5 cm. Pode alcançar 11 cm:movimeto da cabeça fetal.

2. Diâmetro transverso: tuberosidades isquiáticas: 11 cm

bacia obst trica grande
Bacia obstétrica- Grande
  • GRANDE ou falsa:

Separada da pequena pelo anel do estreito superior: do promontório a borda superior da sínfise púbica.

planos da bacia
Planos da Bacia:
  • PLANOS de DE LEE: altura da apresentação.

“0”: diâmetro biespinha isquiática ou 3 plano de Hodge.

  • PLANOS de HODGE:

I. Polo cefálico na borda superior do pube

II. Borda inferior do pube

III. Ao nível das espinhas ciática.

IV. Ao nível da ponta do cóccix e confundindo-se com o assoalho pélvico.

pelvimetria interna
Pelvimetria: interna
  • E. Superior:

C Diagonalis: toque bidigital: entre o promontório e a borda inferior da sínfise púbica – distancia entre a extremidade dos dedos e o ponto da mão que toca a sínfise.

Promontório inatingível ou >11,5: passa um feto de tamanho normal.

pelvimetria interna21
Pelvimetria: interna
  • E. Médio:

Avaliação direta não é possível.

-espinhas ciáticas proeminentes e paredes pélvicas convergentes: estreitamento.

-estreitameto do diâmetro interespinhoso se <10cm.

pelvimetria interna22
Pelvimetria: interna
  • E. Inferior:

Avaliação do diâmetro entre as tuberosidades ciáticas.

Normal: = ou >8cm, colocação do punho cerrado contra o períneo, entre as tuberosidades.

outros aspectos
Outros aspectos:
  • Ângulo Subpúbico: arcada púbica = ou > 90 graus: facilita
  • Curvatura Sacra:

+ concavo: estreito sup e inf.: prejudica

Espinhas proeminentes: facilita

Sacro reto: estreito médio

  • INSINUAÇÃO: passagem do > diâmetro transverso do feto pelo estr. superior da bacia.
exames complementares
Exames Complementares

Dispensados devido avaliação clínica e evolução do trabalho de parto.

  • Radiopelvimetria: não avalia
  • TC e RM: excepcionalmente
  • US: pouco adequado para avaliação óssea.