slide1 n.
Download
Skip this Video
Download Presentation
Cooperação Intersetorial para o Desenvolvimento Local

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 21

Cooperação Intersetorial para o Desenvolvimento Local - PowerPoint PPT Presentation


  • 71 Views
  • Uploaded on

Painel Temático 8. Cooperação Intersetorial para o Desenvolvimento Local. Como as empresas podem cooperar com outros atores para a promoção do desenvolvimento local. Mecanismos para fortalecer a cooperação a partir de experiências bem sucedidas. Palestrante: Paulo Itacarambi (Instituto Ethos)

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Cooperação Intersetorial para o Desenvolvimento Local' - marlon


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide2

Painel Temático 8

Cooperação Intersetorial para o Desenvolvimento Local

Como as empresas podem cooperar com outros atores para a promoção do desenvolvimento local.

Mecanismos para fortalecer a cooperação a partir de experiências bem sucedidas.

Palestrante: Paulo Itacarambi (Instituto Ethos)

Debatedores: Jacques Pena (Fundação Banco do Brasil),

Gérard Zwetsloot (ICCO),

Nazem Nascimento (Unitrabalho),

Neylar Lins (Avina) e

Nilson tadashi Oda (ADS/CUT)

slide3

GT-Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

Origem:

2003 - Seminário “Responsabilidade Social e Pobreza”, promovido pelo Instituto Ethos, ICCO e Unitrabalho.

Necessidade de cooperação multisetorial e pró-ativa para o combate à pobreza e redução das desigualdades, a partir da geração de trabalho e renda e da promoção do desenvolvimento local sustentável.

slide4

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

– Motivação das entidades:

ADS/CUT- Agência de Desenvolvimento Solidário da Central Única dos trabalhadores

–promover ofortalecimento dos empreendimentos solidários

Fundação Banco do Brasil – promover geração de trabalho e renda

Unitrabalho- Fundação Interuniversitária de Estudos e Pesquisas sobre o Trabalho

– promover o desenvolvimento da economia solidária

ICCO- Organização Intereclesiástica para a Cooperação ao Desenvolvimento -

-promover o combate à pobreza nas regiões Norte e Nordeste do Brasil

Fundação Avina – promover parceria entre empreendedores sociais e empresas

Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social –

- promover a responsabilidade social das empresas

slide5

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

– Objetivos comuns

  • Articular ações para a diminuição da pobreza do Brasil através do apoio a iniciativas concretas já existentes
  • Entendimento de que as soluções para os problemas sociais são fruto de uma ação integrada da sociedade civil, empresas e governos
  • Somar esforços aos que já vêm sendo realizados por empresas, governos e sociedade civil para o desenvolvimento local, voltadas ao combate à fome e à pobreza
slide6

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

– Diretrizes

  • Oferecer alternativas e gerar idéia inovadoras, bem como acompanhar diretamente iniciativas e projetos concretos relacionados à responsabilidade social e combate à pobreza
  • Foco das ações no desenvolvimento econômico sustentável e justo
  • Todas as iniciativas direcionadas para a geração de trabalho e renda
  • Todas as iniciativas com abordagem multisetorial e envolvendo múltiplos atores
  • Todas as iniciativas apoiadas pelo GT funcionando como exemplos que possam ser multiplicados pelas instituições e por outros atores da sociedade
  • Iniciativas, modelo e aprendizado de lições amplamente divulgados
  • Estímulo à cooperação e à criação de vínculos internacionais (inclusive Sul-Sul)
slide7

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

– Agenda 2006/2007

1. Realização do Encontro Internacional do Nordeste do Brasil

2. Atuação conjunta em 3 cadeias produtivas: têxtil/confecção, mel e resíduos sólidos

3. Desenvolvimento e implantação do Fundo de Capital Solidário

4. Articulação dos trabalhos do grupo com ações da Rede de Tecnologia Social (RTS)

5. Articulação dos trabalhos do grupo com o programa Internethos

6. Apoio / estímulo à organização de grupos de trabalhos semelhantes na América Latina

slide9

Encontro Internacional do Nordeste do Brasil 2006

Site do Encontro:

www.ethos.org.br/encontrodonordeste

slide10

Encontro Internacional do Nordeste do Brasil 2006

  • Conceito:
  • Construção de acordos e modelos de parcerias e estabelecimento de diálogo entre atores que já estão praticando iniciativas, de maneira a estabelecerem formas de atuação conjunta.
  • Construção Coletiva:
  • GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza
  • Conselho Consultor: Articulação do Semi-Árido Brasileiro (ASA), Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE), Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Instituto Socioambiental (ISA), Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Petrobras, Philips, SEBRAE e Wal-Mart Brasil
slide11

Encontro Internacional do Nordeste do Brasil 2006

  • Objetivos
  • Apresentar o GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza e debater o seu modelo de atuação
  • Construir, ampliar e fortalecer parcerias para o combate à pobreza e à desigualdade
  • Contribuir para a construção, ampliação e fortalecimento de mecanismos de convergência nas cadeias produtivas do mel, caju, resíduos sólidos, mandioca e confecção
  • Estimular investimentos e ações de combate à desigualdade e promoção do desenvolvimento sustentável no Nordeste
slide14

Encontro Internacional do Nordeste do Brasil 2006

  • Resultados
  • Promovida a aproximação entre organizações distintas com experiências de cooperação em cadeias produtivas da economia solidária;
  • Identificadas as dificuldades e as propostas de ação para cada uma das cadeias produtivas selecionadas para o encontro;
  • Iniciada a construção de agenda comum para as organizações que atuam em cada uma das cadeias produtivas selecionadas para o encontro
  • Identificados os desafios comuns às cadeias produtivas do mel, reciclagem de resíduos, confecções, cajucultura e farinha de mandioca;
  • Ampliadas as possibilidades de cooperação entre o GT e outras organizações com atuação nas cadeias produtivas da economia solidária;
  • Estabelecimento de uma agenda do GT para cooperação com as cadeias produtivas selecionadas;
slide15

Encontro Internacional do Nordeste do Brasil 2006

  • Desafios comuns às cinco cadeias produtivas:
  • Comercialização
  • Capital de giro
  • Políticas públicas
  • Organização e infra-estrutura
  • Governança da cadeia produtiva
  • Capacitação
  • Assistência técnica
  • Pesquisa e desenvolvimento
  • Consumo dos produtos: ampliação do consumo consciente dos produtos dessas cadeias;
  • A comercialização dever ser tratada como desafio transversal que organiza a ação nos demais desafios.
  • A sustentabilidade deve ser um tema transversal a todos os desafios.
slide16

Encontro Internacional do Nordeste do Brasil 2006

Encaminhamentos do GT para alguns dos desafios

COMERCIALIZAÇÃO:

Mel: desenhar planos de negócios em parceria entre cooperativas do Nordeste e empresa com alta demanda do produto para posterior disseminação do modelo para outras cooperativas e empresas.

Reciclagem de Resíduos: desenhar planos de negócios em parceria entre central de comercialização de cooperativas de catadores e empresas geradoras e recicladoras de resíduos.

CAPITAL DE GIRO:

Constituição de um fundo de capital de giro para cooperativas e associações, com regras claras de concessão de crédito e análise de risco.

slide17

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

– Agenda 2006/2007

1. Realização do Encontro Internacional do Nordeste

2. Atuação conjunta em 3 cadeias produtivas: têxtil/confecção, mel e resíduos sólidos

3. Desenvolvimento e implantação do Fundo de Capital Solidário

4. Articulação dos trabalhos do grupo com ações da RTS-Rede de Tecnologia Social

5. Articulação dos trabalhos do grupo com o programa Internethos

6. Apoio / estímulo à organização de grupos de trabalhos semelhantes na América Latina

slide18

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

  • Rede de Tecnologia Social - RTS
  • Reúne, organiza, articula e integra um conjunto de instituições com o propósito de promover o desenvolvimento sustentável mediante a difusão e a reaplicação em escala de tecnologias sociais. Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias, reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que devem representar efetivas soluções de transformação social.
  • Na Conferência 2006:
  • Café da manhã de empresas com a RTS, em 20/06 (8h às 9h)
  • Reunião Comitê Coordenador RTS para encaminhamentos do café da manhã com empresas, em 20/06 (19h30 à 22h30)
  • 2. Fundo de Capital Solidário - FCS
  • Forma diferenciada de investir, apostando no desenvolvimento econômico-social dos empreendimentos econômicos solidários.
  • Na Conferência 2006:
  • Café da manhã de empresas com o FCS, em 22/06 (8h às 9h)
  • Lançamento do FCS – 22/06, às 11h30
slide19

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

– Agenda 2006/2007

1. Realização do Encontro Internacional do Nordeste

2. Atuação conjunta em 3 cadeias produtivas: têxtil/confecção, mel e resíduos sólidos

3. Desenvolvimento e implantação do Fundo de Capital Solidário

4. Articulação dos trabalhos do grupo com ações da RTS-Rede de Tecnologia Social

5. Articulação dos trabalhos do grupo com o programa Internethos

6. Apoio / estímulo à organização de grupos de trabalhos semelhantes na América Latina

slide20

GT Responsabilidade Social e Combate à Pobreza

3. Programa Internethos

Redes de diálogo, aprendizagem e disseminação do conceito e práticas de RSE nos estados e entre as comunidades Ethos.

Implementação de dinâmicas regionais e para a criação de um ambiente favorável à formação de parcerias.

Contribuição e apoio dos articuladores, das entidades empresariais parceiras e das empresas associadas nos diversos estados, envolvendo fornecedores, clientes e parceiros, constituindo uma rede nacional de ampliação e consolidação do movimento.

4. América Latina

Estímulo à constituição de redes e formação de parcerias de cooperação intersetorial para a implementação de empreendimentos sustentáveis, a partir da disseminação do movimento de RSE por toda a América Latina, na perspectiva da geração de trabalho e renda.