desrama das rvores de florestas cultivadas l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Desrama das árvores de florestas cultivadas PowerPoint Presentation
Download Presentation
Desrama das árvores de florestas cultivadas

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 16

Desrama das árvores de florestas cultivadas - PowerPoint PPT Presentation


  • 289 Views
  • Uploaded on

SILVICULTURA GERAL. Desrama das árvores de florestas cultivadas. Eduardo Pagel Floriano Santa Maria 2007. Desrama das árvores de florestas cultivadas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Desrama das árvores de florestas cultivadas' - marika


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
desrama das rvores de florestas cultivadas2
Desrama das árvoresde florestas cultivadas

É o corte dos galhos inferiores das copas das árvores cultivadas para produção de madeira, com o objetivo de obter madeira livre de nós, de melhor qualidade tecnológica, mais homogênea e de melhor aspecto.

tipos de n s da madeira
Tipos de nós da madeira
  • Nós vivos;
  • Nós secos, presos ao lenho;
  • Nós secos, soltos.
benef cios da desrama
Benefícios da desrama
  • Madeira limpa, sem nós;
  • Aumento da receita e lucro com a madeira; Facilitação da penetração e visualização;
  • Redução dos custos de desbaste
  • Redução do uso de produtos químicos na produção de celulose;
  • Melhoria na qualidade da massa de fibras e partículas na produção de chapas;
  • Redução dos resíduos no processamento da madeira e aumento da produtividade.
cuidados na desrama
Cuidados na desrama
  • Podar os galhos antes que estejam secos para que não se formem nós mortos ou secos e soltos;
  • Podar as árvores na estação de repouso vegetativo, quando o estresse causado pela poda é menor;
  • Cortar os galhos o mais rente possível ao tronco para que a ferida cicatrize o mais rápido possível;
  • Evitar ferir a casca do tronco para que a área exposta seja o menor possível;
  • Fazer um corte liso, livre de rebarbas e dobras, para facilitar a cicatrização;
  • Usar ferramentas apropriadas e bem afiadas;
  • Usar equipamentos de proteção individual.
conseq ncias da desrama
Conseqüências da desrama
  • Redução do crescimento;
  • Alteração da forma das árvores;
  • Aumento da manta florestal com maior intensidade de incêndios;
  • Aumento da população de determinadas pragas e doenças que usam a manta florestal para se alimentar e propagar.
slide8
Redução do crescimento de Pinus elliottii, aos 15 anos de idade, causado pela desrama iniciada aos 6 anos de idade, em Piratini, RS.
programa de desrama
Programa de Desrama
  • Variáveis determinantes:
    • Preço da madeira com e sem nós;
    • Núcleo nodoso e volume possível de se obter;
    • Custos e ganhos financeiros com as desramas.
  • Intensidade da desrama:
    • Grau - percentagem desramada, da altura total da árvore;
    • Periodicidade - no. e intervalo de tempo;
    • Incidência - percentagem e tamanho das árvores a desramar.
  • Planejamento:
    • Crescimento em diâmetro e altura;
    • Idade para atingir o diâmetro do núcleo nodoso na base da árvore;
    • No. de desramas para atingir a altura desejada;
    • Idades para realização das desramas em função do núcleo nodoso;
    • Diâmetro mínimo da árvore para ser desbastada em cada ocasião.
programa de desrama10
Programa de Desrama
  • A desrama não deve ultrapassar os 40% da altura total da árvore a partir do solo, para evitar redução significativa do crescimento;
  • O diâmetro máximo do núcleo enodado varia em função do uso futuro da madeira livre de nós, geralmente, entre 8 e 11cm.
  • 1ª desrama - deve ser realizada até cerca de 2,5 m de altura , sendo iniciada quando as árvores estão com cerca de 6 a 6,5 m de altura; o diâmetro, a cerca de 20 cm do solo, das árvores com DAP acima da média, não deve ultrapassar o diâmetro limite do núcleo enodado;
  • 2ª desrama - deve ser realizada até cerca de 4,5 m de altura, devendo ser iniciada quando o diâmetro a 2,5 m de altura, das árvores a desramar, estiver com o diâmetro limite para o núcleo enodado;
  • 3ª desrama - deve ser realizada até cerca de 6,5 m de altura, devendo ser iniciada quando o diâmetro a 4,5 m de altura, das árvores a desramar, estiver com o diâmetro limite para o núcleo enodado.
poca de desrama
Época de Desrama
  • A desrama deve ser realizada na estação mais fria, quando as plantas estão em repouso vegetativo e sofrem menor estresse;
  • A desrama somente deve ser realizada na estação mais quente quando for extremamente necessária em talhões com desrama atrasada, desde que não implique em retirada de galhos verdes;

• As idades próprias para a desrama variam com o sítio e a espécie; normalmente em Pinus, as idades de 1ª, 2ª e 3ª desramas são realizadas aos 4-6, 6-8 e 9-11 anos, respectivamente, variando de acordo com o crescimento das árvores.

di metro limite m ximo para o n cleo nodoso
Diâmetro limite máximo para o núcleo nodoso
  • Madeira para serraria - mínimo possível;
  • Laminação em torno - igual ao limite que a máquina (torno) consegue atingir (em geral de 8 a 11 cm);
  • Laminação paralela (faqueado) - mínimo possível.
  • Fibras e partículas - mínimo possível.
di metro limite m ximo para o n cleo nodoso e altura das rvores na desrama
Diâmetro limite máximo para o núcleo nodoso e altura das árvores na desrama

O diâmetro máximo para o núcleo nodoso deve ser respeitado para cada ocasião de desrama, tendo como resultado um núcleo com nós conforme a figura ao lado.

A espessura mínima de madeira livre de nós acumulada sobre o diâmetro do núcleo deve ser de 10 cm para compensar o custo da desrama; isso significa de 4 a 6 anos de crescimento.

Na 1ª desrama, as árvores deverão ter de 5 a 7,5m de altura; na 2ª: de 10,0 a 12,5m; e, na 3ª desrama: de 15 a 20m de altura total.

A altura da desrama deve ser de 40% da altura total.

escolha das rvores a desramar
Escolha das árvores a desramar
  • A primeira desrama geralmente é realizada para facilitar o acesso e as operações florestais como inventário e desbaste, além da produção de madeira limpa de nós, sendo efetuada geralmente sobre todas as árvores do povoamento;
  • Da segunda desrama em diante, escolhe-se somente as árvores que irão acumular suficiente madeira limpa de nós até seu corte, portanto, árvores que deverão ser cortadas antes de acumular pelo menos 10 a 16 cm ao DAP até que sejam colhidas, não devem ser desramadas.
  • Resumidamente: na primeira ocasião,+/- aos 5 anos de idade, todas as árvores são desramadas; nas demais ocasiões, somente as árvores que irão permanecer no povoamento por mais 5 a 8 anos.