slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CORRESPONSÁVEIS NA MISSÃO PowerPoint Presentation
Download Presentation
CORRESPONSÁVEIS NA MISSÃO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 17

CORRESPONSÁVEIS NA MISSÃO - PowerPoint PPT Presentation


  • 61 Views
  • Uploaded on

CORRESPONSÁVEIS NA MISSÃO. Projeto Apostólico Comum 2011-2020. Prioridade 6. Fortalecimento do corpo apostólico e Colaboração na missão. A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL PERMANENTE.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CORRESPONSÁVEIS NA MISSÃO' - mare


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

CORRESPONSÁVEIS NA MISSÃO

Projeto Apostólico

Comum 2011-2020

slide2

Prioridade 6

  • Fortalecimento do corpo apostólico e
  • Colaboração na missão
slide3

A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL PERMANENTE

"Especialmente em nosso tempo, o apostolado adaptado às exigências atuais requer de nós um processo de formação permanente ou contínua, por isso o processo de formação nunca termina, e a “primeira” formação deve ser ordenada a esta formação contínua." (NC. 240)

slide4

A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL PERMANENTE

"A formação permanente deve também desenvolver o sentido de universalidade da Companhia, proporcionando aos jesuítas a possibilidade de experimentar seu caráter internacional." (NC. 242 § 3)

slide5

É de se destacar a ênfase que se dá ao termo experiência no nosso PAC; quer dizer que nossas formas de formação permanente priorizem as experiências sobre o estudo de temas, e que ditas experiências favoreçam a união dos ânimos e o sentido de corpo.

slide6

Oremos

“Para viver o processo criador do Reino, sendo fiéis ao real, sem desintegrar-nos nem desvalorizar o sabor do sal, Tu, Senhor, nos ofereces a graça dos Exercícios Espirituais: Só teu abraço no amor e a esperança nos fará consistentes e inteiramente disponíveis para em tudo AMAR E SERVIR”

slide7

2. FORTALECIMENTO DA FORMAÇÃO INTERPROVINCIAL

“Além da comunicação entre jovens de distintas Províncias e Regiões, que conduza ao autêntico sentido da universalidade da Companhia, os que estão em formação devem exercitar-se prudentemente em estabelecer oportunas relações com outros de sua idade, com clérigos, religiosos e com seculares da própria nação e de outras. “

slide8

2. FORTALECIMENTO DA FORMAÇÃO INTERPROVINCIAL

e criam atitudes de espírito universalmente aberto a outras culturas, civilizações e formas de pensar, como o pede o espírito de nossa vocação apostólica.”

Contatos deste tipo ajudam a romper os fechados horizontes de nacionalismos ou particularismos

slide9

2. FORTALECIMENTO DA FORMAÇÃO INTERPROVINCIAL

"devemos aprofundar nosso espírito universalista e fortalecer estruturas tanto as mais formalmente constituídas como as de caráter mais flexível, que facilitarão uma cooperação global e regional.“

CG34 – decreto 21

Entre as várias recomendações que faz a CG enumeramos as siguintes: Candidatos à Companhia, Formação inicial, Formação permanente, Conhecimento de idiomas, Enviados a outra cultura, Qualidades do Governo…

slide10

2. FORTALECIMENTO DA FORMAÇÃO INTERPROVINCIAL

  • Como avaliamos em nossa Província ou Região a realização das recomendações da CG 34?
  • Que outras sugestões nós faríamos para promover o espírito universalista e fortalecer alguma estrutura ad hoc?
slide11

3. SIGNIFICADO E MODOS DE COLABORAÇÃO

CG 34 - decreto 13

Colaboração dos jesuítas na missão dos leigos.

Colaboração dos leigos na missão dos jesuítas.

slide12

CG35 - Decreto 6

O que faz que uma obra seja jesuíta?

Quais são os elementos necessários na formação para que os leigos e jesuítas cresçam na colaboração para a missão?

Que vínculos podem fazer mais frutífero nosso trabalho?

O Decreto 6, ao responder essas perguntas, faz uma série de Recomendações, que nós estamos convidados a repassar e concretizá-las para nossa Província ou Região

slide13

4. SEGUIR AS INICIATIVAS UNIVERSAIS DA COMPANHIA

A CG 35, em seu decreto 5, assinalou três princípios que deveriam orientar o Governo da Companhia no presente e no futuro:

Nossas estruturas de governo e nossos modos de proceder devem fluir de uma perspectiva de uma maior universalidade...

slide14

4. SEGUIR AS INICIATIVAS UNIVERSAIS DA COMPANHIA

2. As estruturas de governo devem ser agilizadas, modernizadas e flexibilizadas onde isso for possível... em função de sua missão.

slide15

4. SEGUIR AS INICIATIVAS UNIVERSAIS DA COMPANHIA

3. As circunstâncias mutáveis requerem uma melhor articulação dos valores inacianos e dos modos de proceder na nossa vida e no nosso trabalho contemporâneos... de maneira que as mudanças no governo não impeçam que o governo continue sendo genuinamente inaciano..

slide16

4. SEGUIR AS INICIATIVAS UNIVERSAIS DA COMPANHIA

Que sugestões fazemos, ao nível de nossa Província ou Região, para conseguir que nossas estruturas de governo e nossas formas de vida se modernizem sem perder seu espírito inaciano?

slide17

Oremos

“Concede-nos, Senhor, levar no coração a graça de nossas últimas Congregações Gerais: Tu no-las concedeste e nós as assumimos com gratidão e esperança.

Queremos…

* viver o processo criador do Reino

* sendo fiéis ao Evangelho, aos Exercícios de Inácio

* e à realidade de nosso mundo

DÁ-NOS TEU AMOR E TUA GRAÇA, QUE ISTO NOS BASTA.