Sistema Faríngeo - PowerPoint PPT Presentation

sistema far ngeo n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Sistema Faríngeo PowerPoint Presentation
Download Presentation
Sistema Faríngeo

play fullscreen
1 / 27
Sistema Faríngeo
248 Views
Download Presentation
libby
Download Presentation

Sistema Faríngeo

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Sistema Faríngeo

  2. Sistema Faríngeo • Regiões da cabeça e pescoço de embrião humano de 4 semanas se parecem com regiões do embrião de peixe - isso explica o uso antigo do adjetivo branquial • Sistema faríngeo constituído por: • ARCOS BRANQUIAIS • BOLSAS BRANQUIAIS • SULCOS BRANQUIAIS • MEMBRANAS FARÍNGEAS

  3. ARCOS BRANQUIAIS • Começam desenvolver-se – início 4.ª semana - quando células da crista neural para futuras regiões da cabeça e do pescoço • Final da 4.ª semana: • 4 pares de arcos faríngeos bem definidos são visíveis; • 5º e 6º arcos são rudimentares e não visíveis; • arcos são separados por depressões – SULCOS FARÍNGEOS

  4. Arcos Faríngeos • 1º par de arcos faríngeos – desenvolvimento face • 2º par de arcos faríngeo (arco hióideo) – forma osso hióide

  5. 1º arco faríngeo ou arco mandibular origina 2 proeminências: • PROEMINÊNCIA MAXILAR – menor, dá origem ao maxilar, ao osso zigomático e uma porção do osso temporal • PROEMINÊNCIA MANDIBULAR – forma mandíbula

  6. ARCOS FARÍNGEOS – sustentam paredes laterais da faringe primitiva • BOCA PRIMITIVA OU ESTOMODEU – aparece como leve depressão no ectoderma e está separada da faringe primitiva pela membrana bucofaríngea – se forma 3ª semana

  7. DESTINO DOS ARCOS FARÍNGEOS • Contribuem formação da face, cavidades nasais, boca, laringe, faringe e pescoço. • Final 7ª semana desaparecem dando pescoço contorno liso. • UM ARCO FARÍNGEO TÍPICO CONTÉM: • Arco aórtico • Haste cartilaginosa • Componente muscular • Nervo

  8. DERIVADOS DOS ARCOS AÓRTICOS • Sangue dos arcos aórticos supre os arcos e depois vai para aorta dorsal • DERIVADOS DOS MUSCULOS • Formam músculos estriados da cabeça e pescoço • 1.º arco forma músculo da mastigação • DERIVADOS DOS NERVOS • 1.º arco – Nervo Trigêmeo • 2.º arco – Nervo Facial • 3.º arco – Nervo Glossofaríngeo • 4º e 6.º - ramo laríngeo superior e recorrente do Nervo Vago

  9. DERIVADOS DAS CARTILAGENS • Extremidade dorsal cartilagem 1.º arco • desenvolvimento do ouvido, se ossifica formando ossículos da orelha média – MARTELO e BIGORNA • Porção ventral cartilagem 1.º arco • Forma mandíbula  • Extremidade dorsal cartilagem 2.º arco • Se ossifica formando o ESTRIBO e PROCESSO ESTILÓIDE do osso temporal  • Cartilagem 3º arco – parte ventral • Se ossifica formando grande corno e parte osso hióde • Cartilagens do 4.º e 6.º arcos se fundem formando CARTILAGENS DA LARÍNGEAS

  10. BOLSAS FARÍNGEAS • Faringe primitiva deriva intestino anterior; • Alagar-se cefalicamente e une-se com boca primitiva ou estomodeu e estreita-se caudalmente onde continua com esôfago

  11. Endoderma da faringe reveste internamente os arcos faríngeos e penetra em divertículos semelhantes a balões – BOLSAS FARÍNGEAS • 1.º par de bolsas fica entre 1.º e 2º arcos faríngeos • endoderma das bolsas entra em contato com ectoderma dos sulcos faríngeos e juntos formam as MEMBRANAS FARÍNGEAS – que separam as bolsas dos sulco faríngeos 1ª bolsa faríngea 1ª sulco faríngea membrana faríngea

  12. DERIVADOS DAS BOLSAS FARÍNGEAS • 1ª. BOLSA FARÍNGEA • formação da membrana do tímpano, cavidade do tímpano e ao antro mastóideo • forma a tuba faringotimpânica – trompa auditiva, trompa de Eustáquio • 2ª BOLSA FARÍNGEA • grande parte da bolsa é obliterada a medida que a amígdala palatina se desenvolve parte da cavidade pemanece como a fossa, tonsilar • 20.ª semana – mesênquima se diferencia em tecido linfóide que se organiza em nódulos linfáticos da tonsila palatina • 3ª BOLSA FARÍNGEA • diferencia-se glândula paratireóide inferior, forma o timo, glândula paratireóide superior

  13. SULCOS FARÍNGEOS • sulcos (fendas) separam os arcos faríngeos externamente • 1º par persiste como meato auditivo externo • Outros são obliterados para desenvolvimento do pescoço  • MEMBRANAS FARÍNGEAS • aparecem nos soalhos dos sulcos faríngeos – 4.ª semana • se formam entre o epitélio de um sulco e de uma bolsa • apenas 1 par de membranas contribui para formação da MEMBRANA DO TÍMPANO

  14. DESENVOLVIMENTO DA TIREÓIDE • 1ª glândula endócrina se desenvolver – 24 dias após fertilização – a partir espessamento endodérmico no assoalho da faringe primitiva • à medida que embrião e a língua crescem desce para o pescoço.

  15. DESENVOLVIMENTO DA LÍNGUA • final 4ª semana uma elevação triangular mediana aparece do assoalho da faringe primitiva • elevação – broto lingual mediano – 1ª indicação crescimento da língua • 2 brotos linguais distais se desenvolvem de cada lado do broto mediano – os 3 brotos resultam da proliferação do mesenquima do 1.º arco faríngeo • brotos linguais distais crescem e fundem-se com mediano • papilas linguais aparecem final 8.ª semana • corpúsculos gustativos entre 11.ª e 13.ª semana

  16. DESENVOLVIMENTO DAS GLÂNDULAS SALIVARES • 6.ª e 7ª semana começam se desenvolver como brotos epiteliais a partir da cavidade oral primitiva; • tecido conjuntivo deriva das células da crista neural; • Parótidas – as 1ª a aparecer – início da 6ª semana • Submandibulares – final 6ª semana • Sublinguais – 8ª semana

  17. DESENVOLVIMENTO DA FACE • Proeminência frontonasal forma – TESTA E A PONTA DO NARIZ • Proeminências nasais laterais formam os lados do nariz • Proeminências nasais mediais forma o septo nasal • Proeminências maxilares formam as regiões superiores das bochechas e maior parte do lábio superior • Proeminência mandibulares – origem ao queixo, lábio inferior e regiões inferiores da bochecha

  18. Vários ossos derivam do mesênquima das proeminências faciais; • Final 6ª semana mandíbula e maxila são compostas por massas de tecido mesenquimal; • Lábios e gengivas começam a desenvolver; • Forma sulco labiogengival entre os lábios e gengiva e frênulo do lábio superior – prende o lábio à gengiva; • Durante desenvolvimento fetal nariz é achatado e mandíbula subdesenvolvida – adquirem forma quando desenvolvimento facial é completado; • Aumento do encéfalo cria uma testa proeminente e desloca os olhos; • Crescimento da mandíbula e da cabeça eleva as aurículas do ouvido externo.

  19. Formação lábio e gengiva

  20. DESENVOLVIMENTO DAS CAVIDADES NASAIS • À medida que a face se desenvolve os PLACÓIDES NASAIS se tornam deprimidos formando FOSSETAS NASAIS. • Proliferação do mesênquima forma as PROEMINÊNCIAS NASAIS resultado do aprodundamento das fossetas nasais e da formação dos SACOS NASAIS primitivos • Sacos nasais estão separados da cavidade oral pela MEMBRANA ORONASAL. Essa membrana se rompe levando a comunicação entre cavidades nasal e oral. • Regiões de continuidade entre as cavidades nasal e oral são as COANAS PRIMITIVAS. • Desenvolvimento dos CORNETOS – pela elevação das paredes laterais das cavidades nasais

  21. DESENVOLVIMENTO DO PALATO • Começa final 5ª semana e não se completa antes da 12ª semana • Período crítico entre final 6ª até início da 9ª semana • Palato se desenvolve a partir de 2 primórdios: • PALATO PRIMITIVO • Começa se desenvolver a partir da parte profunda do segmento intermaxilar da maxila • Forma a parte pré-maxilar da maxila • Representa uma parte pequena do palato duro adulto

  22. PALATO SECUNDÁRIO • É primórdio das partes dura e mole do palato estende-se a fossa incisiva • Formação septo nasal • Formação porção pré-maxilar onde se aloja os dentes incisivos