Intera o de microrganismos do solo com animais
Download
1 / 23

INTERAÇÃO DE MICRORGANISMOS DO SOLO COM ANIMAIS - PowerPoint PPT Presentation


  • 197 Views
  • Uploaded on

INTERAÇÃO DE MICRORGANISMOS DO SOLO COM ANIMAIS. Campinas-SP, 04 de Junho de 2012. INTRODUÇÃO. O solo apresenta abundância em microrganismos. Um grama de solo contem de um milhão à um bilhão de células bacterianas, protozoários, algas e fungos.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'INTERAÇÃO DE MICRORGANISMOS DO SOLO COM ANIMAIS' - lew


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Intera o de microrganismos do solo com animais

INTERAÇÃO DE MICRORGANISMOS DO SOLO COM ANIMAIS

Campinas-SP, 04 de Junho de 2012


INTRODUÇÃO

O solo apresenta abundância em microrganismos. Um grama de solo contem de um milhão à um bilhão de células bacterianas, protozoários, algas e fungos.

Algumas podem ocasionar doenças em plantas, animais e homem, existe variações da forma de transmissão e os sintomas, dependendo do agente causador.


Microrganismos patog nicos
MICRORGANISMOS PATOGÊNICOS

Doenças que são transmitidas ao ser humano ou animais por microrganismos que provém do solo.

- Tétano

- Micetomas

- Blastomicose

- Aspergilose

- Contaminação por Bacillus sp


Clostridium sp
Clostridium sp

O Clostridium sp tem seu habitat natural no solo e no intestino.

Principais espécies:

- C. clostridioforme

- C. innocuum

- C. tetani

- C. botulinum


Clostridium tetani
Clostridium tetani

Principais características:

- Bacilo móvel com endosporo oval.

- Gram positivo.

- Temperatura ideal 37°C.

- Produção de proteínas:

* neurotoxina (TeNT)

* hemolisina


T tano
TÉTANO

Após a introdução dos esporos da C. tetani, em lesões.

As bactérias se multiplicam e após a sua lise, liberam neurotoxina.

As toxinas se ligam aos neurotransmissores, até chegarem ao sistema nervoso central.

Impede a liberação de neurotransmissores inibitórios como a GABA e glicina, provocando a inibição de reflexos motores.


TÉTANO

Características:

- Tétano Generalizado

Espasmos do masseter e do músculos bucais e faciais (riso sardônico).

- Tétano Localizado

Espasmos dolorosos nos músculos, podendo proceder ao tétano generalizado.

- Tétano Neonatal

Contaminação em mães não vacinadas.

Diminuição ou paralisação dos movimentos dos bebês.


Tratamento e preven o do t tano
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DO TÉTANO

Tratamento principalmente dos espasmos, neutralizando a toxina livre por sedação.

Doses de metronidazol, bloqueadores musculares antitoxina e antimicrobiano.

Prevenção se dá nos três primeiros meses de vida e com cinco anos.

Doses de toxóide tetânico, toxóide diftérico e antígenos de Bortella pertussis (vacina tríplice).

Vacinação das gestantes e acompanhamento pré-natal.


Micetomas
MICETOMAS

São infecções subcutâneas, raras de acontecer, produzidas por fungos ou bactérias filamentosas do solo.

Penetram nos tecidos através de lesões, caracterizada por inchaço e deformidade nas áreas afetadas, resultando na formação de fístulas que secretam pus com grãos.

Os locais mais atingidos são os membros superiores e inferiores.


MICETOMAS

São classificados em dois grupos:

- Eumicetomas – Fungos

Caracteristica dos Grãos: micélio grosso e septado com clamidosporos.

- Actinomicetoma - Bactérias Filamentosas

Caracteristica dos Grãos: micélio fino não septado com ramificações laterais .


MICETOMAS

Microscopia Madurella grisea

Eumicetomas (Fungos)

Principais espécies:

Madurella grisea *

Madurella mycetomatis

Pyrenochaeta romeroi

Petriellidium boydii

Phialophora verrucosa


DOENÇAS - EUMICETOMA (FUNGOS)

Agente: Madurella grisea

- Homem de 30 anos de idade.

- Lavrador.

Sintomas

- Há 6 anos apresentava fistulas com eliminação de pus e grãos pretos.

Tratamento

- O paciente foi tratado com itraconazol, e teve baixa melhora.


Micetomas1

MICETOMAS

Acnomicetomas (bactérias filamentosas)

Principais espécies:

Anaeróbias

Actinomyces israelli

Actinomyces bovis

Aeróbias

Actinomadura (A. madurae e A. pelletieri)

Nocardia (N. brasiliensis, N. asteroides e N. caviae) *

Streptomyces (S. somaliensis e S paraguayensis)

Microscopia Nocardia brasiliensis.


Doen as actinomicetomas
DOENÇAS - ACTINOMICETOMAS

Agente: Nocardia brasiliensis

Caso: Homem, 74 anos de idade.

Sintomas:

Presença de lesões cutâneas

elevadas em região cervical,

ombro e dorso esquerdo

Na coloração de Gram

identificaram filamentos

cocóides Gram positivos


Doen as actinomicetomas1
DOENÇAS - ACTINOMICETOMAS

Mastite

Agente- Nocardia spp

- Bactéria oportunista

- Infecta rebanhos leiteiros.

Sintomas

- Inflamações mamárias, edema, grumus de pus, leite anormal.

Importância

- Apresenta um risco a saúde humana, podendo ser transmitido pelo leite cru ou pasteurizado



BLASTOMICOSE

A paracoccidioidomicose ou blastomicose sul-americana, também conhecida por Doença de Lutz-Splendore-Almeida é uma doença pulmonar causada pelo fungo Paracoccidioides brasiliensis.

É uma micose sistêmica. É considerada a infecção fúngica mais importante da América Latina, ocorrendo em regiões tropicais e subtropicais.

***

Via primária de infecção é pulmonar. Doença diagnosticada a partir de manifestações orais. A infecção geralmente ocorre na infância ou na adolescência e sua evolução depende da virulência do fungo, da quantidade de conídeos inalados (esporos) e da integridade do hospedeiro.

  • FUNGOS

  • Aspergillus sp.

  • Maduromicose sp.

  • Actinomicetomas sp.

  • Paracoccidioides brasiliensis


Paracoccidioides brasiliensis

É um fungo assexuado, termodinâmico, que cresce a 37ºC na forma de levedura, medindo de 5 a 25 µm de diâmetro e exibe parede dupla e múltiplos brotamentos. À temperatura ambiente, mostra-se na forma de finos filamentos septados que originam o micélio e parece crescer no solo como sapróbio permanente.

Os mecanismos relacionados à resistência ou à suscetibilidade do homem ao Paracoccidioidesbrasiliensis ainda são desconhecido.


Aspergilose
ASPERGILOSE

As aspergiloses são:

Doenças oportunistas considerada uma micose visceral, doença que se instala no organismo. Elenca-se ainda a aspergilose alérgica e as micotoxicoses em animais. Através do fungo a doença ocupa cavidades decorrentes de abscessos, cistos ou tuberculose originando uma “bola fúngica” que podem se estender aos vasos sanguíneos provocando angeítes e tromboses.

A dispersão dos fungos ocorre das mais diversas formas tendo como principal via o meio aéreo.

Epidemiologia:

são encontrados em animais, e também em trabalhadores diretamente ligados ao cultivo de hortas, jardins e criadores de aves, bovinos e caprinos.

Aspergillus sp.


Arachis hypogaea

Contaminação do fruto por “Aspergilllus flavus”, e A. parasiticus.

Os fungos do grupo aspergilus sintetizam a toxina aflatoxina contendo variações (B1, B2, G1 e G2) as quais funcionam com efeito carcinogênico, teratogênico, mutagênico e imunossupressor.

Variações associadas a doenças causadas por fungos sendo: Alérgicas, tóxicas e infecciosas.

Inoculo aéreo não relevante. Infecção grave ocorre subterraneamente devendo levar em consideração a infecção pela flor por correr também pelo ovário da planta. Temperatura dos solos que estando mais elevada favorecem a germinação dos esporos por exigir maior irrigação ocorrendo o inverso no caso de solos com temperatura mais baixa.


Refer ncias
REFERÊNCIAS

http://reocities.com/Athens/Academy/2966/disciplinas/micologia/micetoma.htm

Scielo - Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - Actinomycetoma caused by Nocardia brasiliensis. Acesso em 28/05/2012 Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822004000300018 >

http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://piel-l.org/libreria/wp-content/uploads/2010/10/13-figura-1.jpg&imgrefurl=http://piel-l.org/libreria/item/243&usg=__izSPdt7DrErapWsYDHlZvHzCaUU=&h=231&w=434&sz=27&hl=pt-BR&start=35&zoom=1&tbnid=K1IfaZhaKdSEtM:&tbnh=67&tbnw=126&ei=u8TGT8_zJon00gHGitWOCw&prev=/search%3Fq%3Dactinomicetoma%26start%3D21%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN%26gbv%3D2%26tbm%3Disch&um=1&itbs=1

http://silveiraneto.net/wpcontent/uploads/2007/09/bonsai_areia_solo_adubo_fertilizante.jpg

http://www.mycology.adelaide.edu.au/Fungal_Descriptions/Hyphomycetes_(hyaline)/Madurella/mycetomatis.html


Refer ncias1
REFERÊNCIAS

PALMEIRO, M.; CHERUBINI,K.; YURGEL, L.S. Paracoccidioidomicose – Revisão da Literatura. Scientia Medica, Porto Alegre – PUCRS Out./2005.

MALUF, M.L.F.; PEREIRA, S.R.C.; TAKAHACHI, G.; SVIDZINSKI, T. I.E. Prevalência de paracoccidioidomicose-infecção determinada através de teste sorológico em doadores de sangue na região Noroeste do Paraná, Brasil. 2001.

http://www.google.com.br/imagens Acessado em 29 de maio de 2012.


PERGUNTAS

  • Quais são as variações associadas a doenças causadas por fungos?

  • Qual é a etimologia do fungo Paracoccidioides brasiliensis ? Comente.

  • Quais são as principais características do Clostridium tetani ?

  • Como acontece a infecção da doença Micetomas?

  • Os Micetomas são divididos em dois grupos. Classifique e comente.


ad