doen as oportunistas e manifesta es neurol gicas associadas ao hiv l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Doenças Oportunistas e Manifestações Neurológicas Associadas ao HIV PowerPoint Presentation
Download Presentation
Doenças Oportunistas e Manifestações Neurológicas Associadas ao HIV

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 49

Doenças Oportunistas e Manifestações Neurológicas Associadas ao HIV - PowerPoint PPT Presentation


  • 127 Views
  • Uploaded on

Doenças Oportunistas e Manifestações Neurológicas Associadas ao HIV. Fábio Gaudenzi de Faria Médico Infectologista Serviço de Infectologia Hospital Nereu Ramos – SES/SC. Introdução. Manifestações Neurológicas Grau de Imunodepressão Coexistência de Agravos

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Doenças Oportunistas e Manifestações Neurológicas Associadas ao HIV' - landers


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
doen as oportunistas e manifesta es neurol gicas associadas ao hiv

Doenças Oportunistas e Manifestações Neurológicas Associadas ao HIV

Fábio Gaudenzi de Faria

Médico Infectologista

Serviço de Infectologia

Hospital Nereu Ramos – SES/SC

introdu o
Introdução
  • Manifestações Neurológicas
    • Grau de Imunodepressão
    • Coexistência de Agravos
      • Sistema Nervoso Central e Periférico
      • Doenças oportunistas associadas as lesões primárias pelo HIV
      • Medicamentos
epidemiologia
Epidemiologia
  • Manifestações Neurológicas em Portadores de HIV
    • Abertura do quadro em 10% dos pacientes
    • 30-50% durante o curso da doença
    • SN envolvido em 80% dos casos (autópsias)

Mandell GL, Bennett JE, Dolin R. Principles and Practice of Infectious Diseases. 6th Ed. Philadelphia: Elsevier, 2005

doen as neurol gicas associadas ao hiv
Doenças Neurológicas Associadas ao HIV
  • Síndrome Meníngea
    • Meningite Asséptica (SRA)
    • Neuro-Lues
    • Meningite Criptocóccica
    • Meningo-TB
    • Histoplasmose
    • Aspergilose
    • Chagas
    • Meningite Herpética
    • Meningite por Candida
doen as neurol gicas associadas ao hiv6
Doenças Neurológicas Associadas ao HIV
  • Desordens Cognitivo-Motoras
    • Desordem Cognitiva Associada ao HIV
      • Demência Associada ao HIV
    • Desordem Motora Associada ao HIV
doen as neurol gicas associadas ao hiv7
Doenças Neurológicas Associadas ao HIV
  • Lesões do SNC com Efeito de Massa
    • Encefalite por Toxoplasma
    • Linfoma Primário
    • Leucoencefalopatia Multifocal Progressiva (LEMP)
doen as neurol gicas associadas ao hiv8
Doenças Neurológicas Associadas ao HIV
  • Síndromes do Sistema Nervoso Periférico
    • Polineuropatia Inflamatória Desmielinizante
    • Polineuropatia Sensorial Distal
    • Neuropatia por Nucleosídeos
    • Mononeurite Multiplex
    • Polirradiculopatia Progressiva
    • Sindrome Esclerose Lateral Amiotrófica-Like
meningite criptoc ccica11
Meningite Criptocóccica
  • Introdução
    • Criptococcus neoformans
    • Meningite mais comum em AIDS
    • 10% dos pacientes pré-HAART
    • CD4 < 100
slide12

Mandell GL, Bennett JE, Dolin R. Principles and Practice of Infectious Diseases. 6th Ed. Philadelphia: Elsevier, 2005

meningite criptoc ccica13
Meningite Criptocóccica
  • Quadro Clínico
    • Meningite subaguda com febre e cefaléia (progressiva e incapacitante)
    • Meningismo em menos de 40% dos pacientes
    • Confusão mental, alteração visual, paralisia de nervos cranianos, perda de memória, letargia, coma
    • Aumento da pressão intracraniana (PIC)
    • Pior prognóstico: alteração do estado mental, ausência de pleocitose no LCR, Látex no LCR com título > 1:1024, hemocultura +, hiponatremia
meningite criptoc ccica14
Meningite Criptocóccica
  • Diagnóstico
    • Punção Lombar
      • Pressão de Abertura e Fechamento
      • Tinta da China / Pesquisa direta (Sensibilidade 60-80%)
      • Látex
      • Cultura
    • Neuro-Imagem
      • Normalmente sem alterações
      • Hidrocefalia
      • Abscessos (criptococcoma)  áreas hipodensas no espaço perivascular com realce variável (pseudocisto gelatinoso)
slide15

Offiah CE,Turnbull IW. The imaging appearances of intracranial CNS infections in adult HIV and AIDS patients. Clinical Radiology (2006) 61, 393–401.

meningite criptoc ccica16
Meningite Criptocóccica
  • Tratamento (Controle da HIC)
meningoencefalite por tb18
Meningoencefalite por TB
  • Introdução
    • 30% dos doentes morrem mesmo com tuberculostáticos
    • Risco aumento no HIV + para formas extra-pulmonares
    • Pacientes com menos necrose e mais bacilos
meningoencefalite por tb19
Meningoencefalite por TB
  • Quadro Clínico
    • Sintomatologia por mais de 2 semanas
    • Paralisias de pares cranianos (VI Par)
    • Febre
    • Cefaléia
    • Irritação Meníngea
    • Diminuição do Nível de Consciência
    • Sinais de Localização (20%)
meningoencefalite por tb20
Meningoencefalite por TB
  • Diagnóstico
    • Punção Lombar
      • LCR com padrão Linfomonocitário (100-500 cels), aumento marcante de proteína e diminuição de glicose, neutrófilos nos primeiros 10 dias, presença de BAAR (10-22%), Cultura positiva em 38-88%
      • ADA
      • PCR
    • Neuro-Imagem
      • Meningite  quebra de barreira
      • Granulomas
      • Abscessos
      • Isquemia cerebral e infarto (vasculite)
      • Hidrocefalia
slide21

TC: Tuberculoma. Aspecto em “Alvo”: lesão com realce de contraste

RM: Imagem em T1 (corte sagital) evidenciando abscesso (multiloculado e solitário)

  • Offiah CE,Turnbull IW. The imaging appearances of intracranial CNS infections in adult HIV and AIDS patients. Clinical Radiology (2006) 61, 393–401.
meningoencefalite por tb22
Meningoencefalite por TB
  • Tratamento
    • Corticóide
      • Prednisona 1 a 2 mg/kg, na dose máxima da 30 mg/dia, por um período de 2 a 4 meses, a partir do início do tratamento específico
desordem cognitivo motora associada ao hiv24
Desordem Cognitivo-Motora Associada ao HIV
  • Introdução
    • 15% dos pacientes com AIDS
    • Fatores de risco: doença definidora ou anemia (reflexo de doença avançada)
    • Alterações cognitivas, comportamentais ou motoras
    • Início sutil, confunde com depressão
desordem cognitivo motora associada ao hiv25
Desordem Cognitivo-Motora Associada ao HIV
  • Quadro Clínico
    • Cognitivo
      • Esquecimento
      • Lentificação
      • Diminuição da concentração
    • Comportamental
      • Apatia
      • Isolamento social
      • Perda da espontaneidade
    • Motor
      • Instabilidade da marcha
      • Coordenação ruim
      • Fraqueza em membros
    • Usualmente não há afasia, apraxia ou outros sinais de disfunção cortical
desordem cognitivo motora associada ao hiv26
Desordem Cognitivo-Motora Associada ao HIV
  • Diagnóstico
    • Avaliação Neuropsicológica
    • EEG
      • Alterações sutis e não específicas
    • LCR
      • Inespecífico (aumento de linfócitos, ptn)
    • Neuro-Imagem
      • Atrofia subcortical
      • Sinal Hiper-intenso em T2 na RM, bilateralmente, na substância branca
desordem cognitivo motora associada ao hiv27
Desordem Cognitivo-Motora Associada ao HIV
  • Tratamento
    • TARV
      • AZT
    • Experimentais
      • Bloqueadores dos canais de cálcio
      • Antioxidantes
      • Antagonistas de TNF-Alfa
encefalite por toxoplasma29
Encefalite por Toxoplasma
  • Introdução
    • Reativação de infecção latente por Toxoplasma gondii
    • 70% da população com IgG positiva
    • 25-50% dos pacientes com AIDS na Europa e África (alta soroprevalência)
    • Após HAART, apenas 28% das lesões focais de SNC
encefalite por toxoplasma30
Encefalite por Toxoplasma
  • Quadro Clínico
    • 90% com CD4+ < 200
    • 75% com CD4+ <100
    • História subaguda, de alguns dias a um mês
    • Cefaléia
    • Confusão
    • Febre
    • Letargia
    • 30% com convulsões
    • 70% com sinais focais ao exame neurológico (hemiparesias, paralisia de pares cranianos, ataxia, déficits sensoriais)
encefalite por toxoplasma31
Encefalite por Toxoplasma
  • Diagnóstico
    • Sorologia
      • Apenas 7% perdem anticorpo
    • LCR
      • Aumento de celularidade (linfomono) e proteína
    • PCR
      • 44-65% sensibilidade e 100% especificidade
    • Neuro-Imagem
      • Lesões múltiplas (2/3 dos casos)
      • Realce anelar de contraste em 90%
      • Localização: junção córtico-medular, substância branca, núcleos da base
      • Edema com efeito de massa
slide32

RM: Imagem em T1 e T2 evidenciando lesão com realce de contraste

  • Mandell GL, Bennett JE, Dolin R. Principles and Practice of Infectious Diseases. 6th Ed. Philadelphia: Elsevier, 2005
slide33

Mandell GL, Bennett JE, Dolin R. Principles and Practice of Infectious Diseases. 6th Ed. Philadelphia: Elsevier, 2005

encefalite por toxoplasma34
Encefalite por Toxoplasma
  • Tratamento

Se efeito de massa: Dexametasona 4 Mg VO ou IV 6/6 H e/ou manitol

linfoma prim rio do snc36
Linfoma Primário do SNC
  • Introdução
    • 2% dos pacientes com AIDS
    • Após HAART - 12% das lesões cerebrais focais
    • CD4+ < 50 (contrário aos outros linfomas)
    • Associação com EBV
    • Tratamento insatisfatório com sobrevida mediana de 2-6 meses
linfoma prim rio do snc37
Linfoma Primário do SNC
  • Quadro Clínico
    • Inicio dos sintomas subagudo durante semanas a meses
    • Confusão, letargia e perda de memória são mais comuns
    • Hemiparesias, afasia, convulsões e paralisia de pares cranianos
    • Febre, cefaléia e sintomas constitucionais estão geralmente ausentes (TOXO)
linfoma prim rio do snc38
Linfoma Primário do SNC
  • Diagnóstico
    • LCR
      • Pleocitose
      • Elevação de Proteína
      • Pesquisa de células neoplásicas
      • EBV-DNA por PCR (sens 80-90% espec 87-98%)
    • Neuro-Imagem
      • Lesão única ou múltiplas, região periventricular, hipodensas e com acentuação com contraste
      • “TC com emissão única de fóton” (SPECT)  atividade metabólica
    • Biópsia
slide39

RM: Imagem em T1 e T2 evidenciando lesão com realce de contraste. Baixa intensidade em T2 sugere proliferação celular.

  • Mandell GL, Bennett JE, Dolin R. Principles and Practice of Infectious Diseases. 6th Ed. Philadelphia: Elsevier, 2005
linfoma prim rio do snc40
Linfoma Primário do SNC
  • Tratamento
    • Corticóides
    • Radioterapia
    • Quimioterapia
      • CHOP
      • m-BACOD
      • EPOCH
slide42
LEMP
  • Introdução
    • 5% dos paciente com AIDS
    • Não diminuiu após HAART
    • 28% das lesões expansivas do SNC
    • Caudado pelo vírus JC
      • Polyomavirus (DNA)
      • 90% população
      • Reativação
    • Desmielinização multifocal do SNC
slide43
LEMP
  • Quadro Clínico
    • CD4+ < 200
    • Fraqueza em MMII (hemiparesia ou monoparesia)
    • Alteração do estado mental
    • Ataxia
    • Alterações visuais: hemianopsia, diplopia, paralisia de III par
    • 80% com sintomas focais
slide44
LEMP
  • Diagnóstico
    • LCR
      • Normal ou discretamente alterado (pleocitose e aumento de proteína)
      • PCR para vírus JC (sens 74-92% espec 92-96%)
    • Neuro-Imagem
      • Múltiplas lesões hipotênues, não captantes de contraste, na substância branca subcortical (cerebelo), sem efeito de massa, com alta intensidade de sinal em T2 e margens mal definidas.
    • Biópsia
slide45

RM: Alteração em substância branca bifrontal

  • Offiah CE,Turnbull IW. The imaging appearances of intracranial CNS infections in adult HIV and AIDS patients. Clinical Radiology (2006) 61, 393–401.
slide46
LEMP
  • Tratamento
    • HAART
    • Miscelânea
      • Arabinosídeo-Citosina (Ara-C)
      • Interferon-alfa
      • Topotecan (inibidor de topoisomerase 1)
      • Cidofovir
slide48

Neuropatias

  • Bartlett JG, Gallant JE. Tratamento Clínico da Infecção pelo HIV – 2005-2006. Baltimore: Johns Hopkins University, 2005
obrigado
Obrigado!

Fábio Gaudenzi de Faria

fgaudenzi@uol.com.br