c s lewis n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
C. S. LEWIS PowerPoint Presentation
Download Presentation
C. S. LEWIS

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 29

C. S. LEWIS - PowerPoint PPT Presentation


  • 263 Views
  • Uploaded on

C. S. LEWIS. O mais relutante dos convertidos. Clive Staples Lewis nasceu em Belfast, Irlanda do Norte em 29 de Novembro de 1898 e faleceu em Oxford, Inglaterra em 22 de Novembro de 1963. Também era conhecido como como Clive Hamilton ou C. S. Lewis , mas gostava de ser chamado de Jack . .

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'C. S. LEWIS' - kiet


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
c s lewis

C. S. LEWIS

O mais relutante dos convertidos

slide2

Clive Staples Lewis nasceu em Belfast, Irlanda do Norte em 29 de Novembro de 1898 e faleceu em Oxford, Inglaterra em 22 de Novembro de 1963.

Também era conhecido como como Clive Hamilton ou C. S. Lewis, mas gostava de ser chamado de Jack.

slide3

Quando eram adolescentes, Lewis e seu irmão Warren (três anos mais velho que ele) passavam quase todo o seu tempo dentro de casa dedicando-se à leitura de livros clássicos.

Aos 10 anos, a morte prematura de sua mãe fez com que ele ainda mais se isolasse e buscasse refúgio no campo de histórias e fantasias infantis.

Na sua adolescência começou a se interessar pela mitologia nórdica.

slide4

Em 1916, aos 18 anos de idade, foi admitido no University College, em Oxford. Seus estudos foram interrompidos pelo serviço militar na Primeira Guerra Mundial.

Na Guerra conheceu Paddy Moore, cuja família ele cuidou (Paddy morreu na Guerra) ao retornar.

slide5

Nessa época Lewis havia abandonado o cristianismo.

Contudo, com o retorno à faculdade Lewis conheceu vários escritores famosos, como Tolkien (Senhor do Anéis, Silmarilion, O Hobbit), T. S. Eliot (poesias diversas) e G. K. Chesterton (poesia, contos, ficção e suas magnum opus de apologética Ortodoxia e O Homem Eterno), que o ajudaram a voltar à fé cristã.

slide6

Lewis foi professor universitário, teólogo anglicano, poeta e escritor.

Se destacou pelo seu trabalho acadêmico sobre literatura medieval e pela apologética cristã que desenvolveu através de várias obras e palestras.

slide7

O falecimento de sua mãe gerou posteriormente alguns dos livros mais importantes sobre a temática do sofrimento:

“Surpreendido Pela Alegria” e “Anatomia de uma Dor”

slide8

Apesar de As Crônicas de Nárnia serem conhecidas com sua Magnum Opus, suas obras mais relevantes dentro do cristianismo são possivelmente Cristianismo Puro e Simples e Anatomia de Uma Dor.

slide9

Algumas obras do C.S. Lewis:

Supreendido pela alegria

O Problema do Sofrimento

Anatomia de Uma Dor

Cartas À Malcom

Cartas de um Diabo a seu Aprendiz

Trilogia Espacial (Ficção Espacial)

Os 4 Amores

Cristianismo Puro e Simples

As Crônicas de Nárnia (Aventura de Terra Média)

as cr nicas de n rnia
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Além dos tradicionais temas cristãos, a série usa caracteres da mitologia grega e nórdica, bem como os tradicionais contos de fadas.

Em todos os livros (exceto em "O Cavalo e seu Menino") os personagens principais são crianças que são transportadas para Nárnia a fim de serem ajudadas e instruídas pelo Grande Leão conhecido como Aslam.

as cr nicas de n rnia2
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

ATENÇÃO, SE VOCÊ NÃO VIU O FILME/LIVRO, A PARTIR DE AGORA ESTAMOS ENTRANDO NA ZONA DE...

SPOOOOOOOOOOILER

as cr nicas de n rnia5
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Edmundo

É o egoísta (EdMUNDO), representa o ser humano, o secular, o homem no mundo. Edmundo esconde Nárnia dos irmãos, nega que ele existe assim como o mundano/secular nega a existência do mundo espiritual.

as cr nicas de n rnia6
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Pedro (O grande rei)

Pedro é o próprio apóstolo Pedro.

Em uma determinada situação Pedro luta contra o lobo (nossa luta contra o mal) enquanto Aslam fica em volta dele o encorajando.

as cr nicas de n rnia7
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Suzana (uma flor)

Suzana é a mais “indiferente”, é a voz da razão.

Ela não herda o novo reino de além mar (perde a salvação) por dar mais valor a “coisas de menina” como jóias e diversões (torna-se mundana).

[A última Batalha]

as cr nicas de n rnia8
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Lucia (Lucy)

É a Luz, é aquela que revela o guarda roupa, é aquela que retira o véu do guarda-roupa (apocalipse, significa revelação, retirar o véu). Quando a Lúcia descobre o mundo de Nárnia ele mostra para o outros, assim como a luz, Lúcia ilumina o caminho dos outros.

as cr nicas de n rnia9
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

OUTROS PERSONAGENS

as cr nicas de n rnia10
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Aslam – (Leão em árabe) é obviamente Jesus Cristo, o Leão da Tribo de Judá.

as cr nicas de n rnia11
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

Jade/Jadis (A feiticeira branca) - Bruxa em Persa, é simbolo do Diabo, ela conquista Edmundo pelos prazeres (Chocolate Quente e Manjar Turco) e pelo poder, prestígio e orgulho (oferece-lhe o reinado).

as cr nicas de n rnia12
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

O Tio Kirke é O SOBRINHO DO MAGO – que é o próprio C. S. Lewis, que abrigou 4 crianças durante a guerra.

as cr nicas de n rnia14
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

AS ESPADAS (Pedro e Edmundo) – representam a bíblia, nossa espada de dois gumes.

O ARCO E FLECHA (Suzana) – tem o significado de acertar o alvo na vida cristã. É dado a Suzana, mas ela acaba errando o alvo e perdendo a salvação.

as cr nicas de n rnia15
AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

O FRASCO (Lucia) – contém líquido vermelho que a tudo cura, representa o sangue de Cristo.

A CORNETA/SHOFAR (Suzana) – usava para chamar socorro em qualquer lugar e a qualquer momento, símbolo da oração.

slide29

"Olhe para você, e você vai encontrar em toda a longa jornada de sua vida apenas ódio, solidão, desespero, ruína e decadência.

Mas olhe para Cristo e você vai encontrá-Lo, e com Ele tudo o que mais você necessita."

C.S. Lewis