slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação PowerPoint Presentation
Download Presentation
Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 19

Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação - PowerPoint PPT Presentation


  • 211 Views
  • Uploaded on

Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia. Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação. Magno José Duarte Cândido magno@ufc.br Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura-NEEF/DZ/CCA/UFC (www.neef.ufc.br) Fortaleza – Ceará

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação' - keegan


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Universidade Federal do CearáCentro de Ciências AgráriasDepartamento de Zootecnia

Manejo de pastagensPressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação

Magno José Duarte Cândido

magno@ufc.br

Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura-NEEF/DZ/CCA/UFC (www.neef.ufc.br)

Fortaleza – Ceará

07 de novembro de 2011

slide4

PRESSÃO DE PASTEJO

PC individual (kg) 300 300 300 300 300

N° novilhos 1 1 1 2 3

PC total (kg) 300 300 300 600 900

MSFT (kg) 10 20 30 30 30

Pressão Pastejo

(kg PC/kg MSFT) 30 15 10 20 30

Oferta forragem

(kg MSFT/100 kg PC, %) 3,33 6,67 10,0 5,0 3,33

PC = peso corporal;

MSFT = massa seca de forragem total. Fonte: simulação do autor.

slide5

CONSUMO DE MATÉRIA SECA

Tabela – Estimativa de consumo médio diário de matéria seca para as principais categorias de ruminantes domésticos sob condições de pastagens cultivadas

CMS

%PC/dia

kg MS/100 kg PC x dia

NOVILHO DE CORTE 2,5

Ovin/caprin DE CORTE 3,5

VACA DE LEITE 3,5

CABRA DE LEITE 5,0

CMS = consumo de matéria seca

MS = matéria seca

PC = peso corporal

Fonte: sugestão do autor, a partir de diversas compilações.

slide6

Ajuste na taxa de lotação

Tabela - Capacidade de consumo diária e nível adequado de oferta de forragem para diversas espécies/categorias de ruminantes em pastejo (animais com potencial de produção médio a alto) considerando os limites de eficiência de uso dos pastos cultivados

CMS: consumo de matéria seca; EUF: eficiência de uso da forragem; OF: oferta de forragem;Fonte: adaptado de Ribeiro (1997)d, Euclides et al. (1999)a, NRC (2001)b,. Camurça et al. (2002)c, Rodrigues et al. (2003)c.

slide7

Estimativa da massa de forragem

MFFT = massa fresca de forragem total

MS = teor de matéria seca

MSFT = massa seca de forragem total

320 g = 320 g x 0,001 kg/g____ = 0,32 kg = 3200 kg

m2 1 m2 x 0,0001 ha/m2 0,0001 ha ha

slide8

Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação rotativa)

Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal médio de 26 kg ao longo de toda a engorda

Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado, período de descanso (PD) =21 d; período de pastejo (PP) = 3 d (ciclo de past, CP = 24 d)

MFFT = massa fresca de forragem total

MS = teor de matéria seca

MSFT = massa seca de forragem total

Per. = período de crescimento do pasto (ciclo de pastejo)

EUF = eficiência de uso da forragem

MSFC = massa seca de forragem colhível

PC = peso corporal

CMS = consumo de matéria seca

Tax. Lot. = taxa de lotação

slide9

Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação rotativa)

Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal de 26 kg ao longo de toda a engorda e suplementados c/ 300 g de concentrad/anim x d

Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado, período de descanso (PD) =21 d; período de pastejo (PP) = 3 d (ciclo de past, CP = 24 d)

MFFT = massa fresca de forragem total

MS = teor de matéria seca

MSFT = massa seca de forragem total

Per. = período de crescimento do pasto (ciclo de pastejo)

EUF = eficiência de uso da forragem

MSFC = massa seca de forragem colhível

PC = peso corporal

CMS = consumo de matéria seca

Tax. Lot. = taxa de lotação

slide11

Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação contínua)

Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal médio de 26 kg ao longo de toda a engorda

Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado

EUF = eficiência de uso da forragem

MSFC = massa seca de forragem colhível

PC = peso corporal

CMS = consumo de matéria seca

Tax. Lot. = taxa de lotação

MFFT = massa fresca de forragem total

MS = teor de matéria seca

MSFT = massa seca de forragem total

Per. = período de crescimento do pasto

slide12

Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação contínua)

Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal médio de 26 kg ao longo de toda a engorda e suplementados c/ 300 g de concentrad/anim x d

Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado

EUF = eficiência de uso da forragem

MSFC = massa seca de forragem colhível

PC = peso corporal

CMS = consumo de matéria seca

Tax. Lot. = taxa de lotação

MFFT = massa fresca de forragem total

MS = teor de matéria seca

MSFT = massa seca de forragem total

Per. = período de crescimento do pasto

slide13

x = Demanda energética (kcal/kg PV)

ou peso metabólico (kg0,75)

y = x1,0

150,42

97,70

y = x0,75

53,18

17,37

9,46

0

0

20

45

200

450

800

y = Peso vivo (kg)

Ajuste na taxa de lotação

slide15

Equivalência de unidade animal

Bovinos

EUA

Touro adulto

1,5

Touro jovem

1,15

Vaca + bezerro

1,35

Vaca adulta seca (450 kg) = unidade animal

1,0

Novilha prenha (18 meses)

1,0

Garrote (18 - 24 meses, 394 kg)

0,9

Garrote (15 - 18 meses, 338 kg)

0,8

Garrote (12 - 15 meses, 281 kg)

0,7

Bezerro (desmame aos 8 meses, 203 kg)

0,5

Ovinos e caprinos

0,3

Ovelha com dois cordeiros

0,24

Cabra com dois cabritos

0,2

Ovelha adulta, não lactante

0,17

Cabra adulta, não lactante

Cordeiro ou cabrito desmamado

0,14

Fonte: adaptado de Vallentine (2001)

slide16

Ajuste na taxa de lotação

  • Equivalência de peso metabólico:
  • Exemplo: trocar 40 vacas de 450 kg PV por novilhas de 225 kg
  • EPM = (225 kg/novilha)0,75 = 58,09 kg0,75/novilha = 0,59 vacas
  • (450 kg/vaca)0,75 97,70 kg0,75/vaca novilha
  •  1 novilha de 225 kg = 59% da demanda metabólica de 1 vaca de 450 kg
  •  onde se coloca 1 vaca de 450kg é possível colocar 100/59 = 1,69 novil. de 225kg
  • ao trocar todo o rebanho, é possível colocar 1,69 x 40  67,6 novilhas de 225 kg

Observação: se colocarmos pela equivalência de peso corporal:

  • 1 novilha de 225 kg = 50% do peso de 1 vaca de 450 kg

 onde se coloca 1 vaca de 450 kg, poderia se colocar 100/50 = 2 novilh. de 225 kg

  • ao trocar todo o rebanho, colocar-se-ía 2,0 x 40  80 novilhas de 225 kg
  • Ajuste = (lot epc–lot epm)x100 = (80 novilh - 67,6 novilh) x 100 = 18,34%

lot epm 67,6 novilh

slide17

Ajuste na taxa de lotação

  • Equivalência de peso metabólico:
  • Exemplo: trocar 40 vacas de 450 kg PV por ovelhas de 45 kg
  • EPM = (45 kg/ovelha)0,75 = 17,37 kg0,75/ovelha = 0,18 vacas
  • (450 kg/vaca)0,75 97,70 kg0,75/vaca ovelha
  •  1 ovelha de 45 kg = 18% da demanda metabólica de 1 vaca de 450 kg
  •  onde se coloca 1 vaca de 450 kg é possível colocar 100/18 = 5,56 ovelh. de 45 kg
  • ao trocar todo o rebanho, é possível colocar 5,56 x 40  222 ovelhas de 45 kg

Observação: se colocarmos pela equivalência de peso corporal:

  • 1 ovelha de 45 kg = 10% do peso de 1 vaca de 450 kg

 onde se coloca 1 vaca de 450 kg, poderia se colocar 100/10 = 10 ovelh. de 45 kg

  • ao trocar todo o rebanho, colocar-se-ía 10,0 x 40  400 ovelhas de 45 kg
  • Ajuste = (lot epc–lot epm)x100 = (400 ovelh - 222 ovelh) x 100 = 80,18%

lot epm 222 ovelh

slide18

Ajuste na taxa de lotação

  • Equivalência de peso metabólico:
  • Exemplo: trocar 40 vacas de 450 kg PV por borregos de 20 kg
  • EPM = (20 kg/borrego)0,75 = 9,46 kg0,75/borrego = 0,10 vacas
  • (450 kg/vaca)0,75 97,70 kg0,75/vaca borrego
  •  1 borrego de 20 kg = 10% da demanda metabólica de 1 vaca de 450 kg
  •  onde se coloca 1 vaca de 450 kg é possível colocar 100/10 = 10 borreg de 20 kg
  • ao trocar todo o rebanho, é possível colocar 10 x 40 = 400 borregos de 20 kg

Observação: se colocarmos pela equivalência de peso corporal:

  • 1 borrego de 20 kg = 4,4% do peso de 1 vaca de 450 kg

 onde se coloca 1 vaca de 450 kg, poderia se colocar 100/4,4 = 22,7 borr de 20 kg

  • ao trocar todo o rebanho, colocar-se-ía 22,7 x 40  908 borregos de 20 kg
  • Ajuste = (lot epc–lot epm)x100 = (908 borreg - 400 borreg) x 100 = 127%

lot epm 400 borreg

slide19

Muito Obrigado!

Visite o site do Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura: www.neef.ufc.br

Magno José Duarte Cândido

magno@ufc.br

TEL: (85) 3366-9711