Download
igreja comunidade de salva o n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
IGREJA COMUNIDADE DE SALVAÇÃO PowerPoint Presentation
Download Presentation
IGREJA COMUNIDADE DE SALVAÇÃO

IGREJA COMUNIDADE DE SALVAÇÃO

1218 Views Download Presentation
Download Presentation

IGREJA COMUNIDADE DE SALVAÇÃO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. IGREJACOMUNIDADE DE SALVAÇÃO

  2. Objetivos • Dar uma pincelada na compreensão de Igreja • Ampliar nosso olhar sobre a Igreja

  3. São pontos a serem refletidos • A Igreja que vemos • A Igreja que nasce da Trindade • As imagens da Igreja • Povo de Deus • Igreja comunidade salva • Igreja, comunidade salvante • Conclusão

  4. Introdução A Igreja, uma “realidade complexa”(LG 8). Transcendente e humana, é o espaço onde os batizados se congregam, convocados pelo Pai, incorporados a Cristo e movidos pelo Espírito Santo a se constituírem um povo sacerdotal, uma Qahal que celebra a aliança.

  5. Realidade complexa: amada e rejeitada • Lugar do encontro: descendente HUMANO PARA O DIVINO DIVINO PARA O HUMANO ascendente

  6. Lugar onde os batizados se congregam; • Chamado do Pai • Incorporação ao Filho • Deixar-se guiar pelo Espírito Ação Trinitária ALÔ, ALÔ POVO DE DEUS

  7. A IGREJA QUE VEMOS

  8. Gesto fundacional de Jesus COMUNIDADE DOS DOZE

  9. Mistério da Ressurreição: um momento importante da Igreja

  10. Mistério da Ressurreição: um momento importante da Igreja • “Todavia não existe Igreja no sentido pleno e teológico do termo senão depois da Páscoa, sob a forma de uma comunidade composta de judeus e pagãos no Espírito Santo (Rm 9,24)”.

  11. IDENTIFICAÇÃO SINAIS MISSÃO FUNDA A COMUNIDADE FRAQUEZAS/LIMITAÇÕES RESSURREIÇÃO

  12. Ressurreição como um ponto forte para a Igreja • Centro de sua fé = Mistério da Paixão, Morte, Ressurreição • Encontrar-se com o Ressuscitado • Anunciar que Ele ressuscitou • Aparece no meio deles Textos Pascais

  13. Dois momentos fortes para a Igreja • Diante do Mistério da Ressurreição e a efusão do Espírito Santo, temos dois momentos fortes para a Igreja organizar-se

  14. ORGANIZAÇÃO ECLESIAL São Pedro São Paulo

  15. PEDRO • Igreja Institucional • Organiza-se internamente em Jerusalém • Discurso de Pedro no pórtico de Salomão • “Pedro, tu me amas? Apascenta meu rebanho”

  16. PAULO • Encontro com o Ressuscitado = Mudança de Vida • Igreja Missionária • Desenvolve-se fora de Jerusalém • Viagens Missionárias de Paulo

  17. Será que esse Padre não vai parar de falar??????

  18. Concluindo o primeiro ponto • Realidade complexa • Gesto fundacional de Jesus • Comunidade do Ressucitado • Identificação – Missão • Organização - Desenvolvimento

  19. A IGREJA QUE NASCE DA TRINDADE

  20. Texto motivador • “Desde a origem do mundo a Igreja foi prefigurada. Foi admiravelmente preparada na história do povo de Israel e na antiga aliança. Foi fundada nos últimos tempos. Foi manifestadapela efusão do Espírito Santo. E no fim dos tempos será gloriosamente consumada”. (LG 2)

  21. Termos importantes Pelo Pai • Prefigurada • Preparada • Fundada • Manifestada • Consumada No AT Em JC No E. S. Na Glória

  22. Dinâmica do Nascimento da Igreja Realidade Divina Acolhe = Consumada Como humana e Divina Do Pai Do Pai Realidade Terrena ou Encarnada Pelo Filho Pelo Filho Resgata Santificada No Espírito Santo No Espírito Santo Incorpora Sinal sensível (Sacramentum) Universal de Salvação

  23. A origem da Igreja

  24. A Criação do Mundo em vista da Igreja • “O mundo foi criado em vista da Igreja, diziam os cristãos dos primeiros tempos. Deus criou o mundo em vista da comunhão com a sua vida divina, comunhão esta que se realiza pela convocação dos homens em Cristo, e esta convocação é a Igreja”. • CIC n. 760

  25. As imagens da Igreja

  26. Imagens clássicas • Igreja: Povo de Deus • Igreja: Corpo de Cristo • Igreja: Templo do Espírito • Igreja: Sacramento Universal de Salvação

  27. Outras imagens da Igreja • Igreja, como rebanho (Jo 10,1-10) • Igreja, como lavoura de Deus (1Cor 3,9) • Igreja como vinha (Mt 21,33-43) • Morada de Deus pelo Espírito • Tenda de Deus entre os homens • Templo Santo

  28. A IGREJA: DE CRISTO CORPO

  29. Igreja: Corpo de Cristo • “Pelo gesto salvífico de Cristo, temos a certeza de que somos chamados a viver em íntima comunhão com Ele. Nesta vivência somos configurados a Cristo pelo Batismo.”

  30. “Neste corpo difunde-se a vida de Cristo nos crentes que, pelos sacramentos, de modo misterioso e real, são unidos a Cristo morto e glorificado”.

  31. EUCARISTIA BATISMO

  32. O Corpo de Cristo torna-se sinal de unidade. “Assim, como Israel era uno por meio do templo e de suas reuniões de culto divino, as comunidades de cristãos geograficamente dispersas se tornam unas a partir do novo templo, do corpo do Senhor”. • Theodor Schneider (org), Manual de Dogmática, volume 2, Petrópolis, 2000, p. 90

  33. Neste corpo aparece • UNIDADE • Cristo é a Cabeça • Diversidade dos dons e ministérios • Configurar-se ao Cristo • Princípio de Coesão

  34. Corpo = relação esponsal • A Igreja é a esposa de Cristo • FILIPENSES 5, 25-28

  35. IGREJA, POVO DE DEUS

  36. A expressão visível desta comunhão se dá pela Igreja, o povo eleito, com o qual Deus estabeleceu uma Aliança e deu-lhe a conhecer seu nome (cf. Êx 3,13-15). A origem histórica da Igreja está no povo de Israel.

  37. Escolha – eleição – constituição de um povo • Assembleia de Javé (Qahal) • Povo Messiânico = sinal de comunhão com Deus para todas as nações

  38. É importante lembrar • Povo constituído por iniciativa do Pai, em vista da Salvação Universal

  39. Porém mais importante ainda é o fato de que também a estrutura religiosa mais profunda da Igreja cristã foi basicamente pré-formada na experiência social religiosa do povo de Israel. Há portanto, uma unidade fundamental entre o povo de Deus do Antigo e do Novo Testamento. Sem ela não se compreenderia o surgimento da Igreja cristã”. • Theodor Schneider (org). Manual de Dogmática, volume 2, Petrópolis, 2000, p. 59

  40. Este povo, agora chamado e congregado em vista da libertação, peregrina no deserto, tornando-se uma prefiguração da Igreja peregrina neste mundo, rumo a pátria celeste, tendo o Cristo como cabeça

  41. Pequeno e simples comparativo • Abraão • Moises • Profetas • Povo Peregrino • 12 tribos de Israel • Aliança • Conquista da Terra • Jesus Cristo • Apóstolos • Povo que peregrina para anunciar • Nova e Eterna Aliança • Acesso a Salvação • (Terra Prometida – glória de Deus)

  42. Igreja, comunidade salva e salvante “sacramento universal de salvação”

  43. A Igreja possui uma dimensão escatológica, ou seja, é peregrina na realidade terrestre em busca da realidade celeste

  44. Realidade Celeste • Constituído, Povo de Deus, Peregrinamos com o Cristo cabeça, na força da unidade do Espírito Santo, para chegarmos à plenitude. Este peregrinar é ainda sustentado pelos sacramentos I GREJ A Realidade terrena

  45. Missão da Igreja • Ela tem a tarefa de levar adiante o projeto restaurador iniciado em Cristo e movido pelo Espírito Santo (cf. LG 48). • Ser “sacramentum” = sinal sensível da graça de Deus • Ide e fazei discípulos meus! • Ide e anunciai o evangelho da salvação

  46. Esta tarefa de “ser sinal de salvação” passa por cada um de nós • Recebemos uma tarefa e uma missão • Ser Pároquia, Comunidade

  47. Enquanto peregrinamos, nós ainda não aparecemos com Cristo na glória, gememos em nós mesmos e somos impelidos pelo Espírito Santo a vivermos mais para Aquele que por nós morreu e ressuscitou. Não temos com que desanimarmos e perdermos a esperança diante dos desafios que surgem neste peregrinar, pois temos a garantia, dada pelo próprio Cristo, que a recompensa será grande, onde “os sofrimentos do tempo presente não tem proporção com a glória que deve ser revelada em nós” (Rm 8,18).

  48. É preciso estar ligada a uma comunidade eclesial para sentir-se identificado com o povo de Deus, sendo corpo de Cristo, templo do Espírito e sinal de salvação • Fora da comunidade, Tomé não conseguiu reconhecer o Ressuscitado

  49. Somos, Paróquia, mas não podemos viver como “pessoas flutuantes”. • Não podemos afirma: “Sou apenas do Católico”. • É preciso identificar-se com a comunidade eclesial, para entender o sentido do peregrinar, do ser povo de Deus, etc...