P A I R
Download
1 / 23

P A I R - PowerPoint PPT Presentation


  • 103 Views
  • Uploaded on

P A I R. Palestra: SIPAT – R P MANGUINHOS – 1998 Profa. Tânia Torraca, MD, M Sc. Otorrinolaringologista, Prof. F. Medicina - UFRJ Alberto José de Araújo, MD, M Sc. Médico do Trabalho & Saúde Pública – HUCFF/UFRJ Doutorando em Engenharia de Produção – Coppe/UFRJ.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'P A I R' - joshua-hebert


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
P a i r

P A I R

Palestra: SIPAT – R P MANGUINHOS – 1998

Profa. Tânia Torraca, MD, M Sc.

Otorrinolaringologista, Prof. F. Medicina - UFRJ

Alberto José de Araújo, MD, M Sc.

Médico do Trabalho & Saúde Pública – HUCFF/UFRJ

Doutorando em Engenharia de Produção – Coppe/UFRJ


Perda auditiva induzida por ru do conceitos
Perda Auditiva Induzida por Ruído:Conceitos

  • Perda auditiva por exposição a ruído do trabalho

  • Perda auditiva profissional

  • Surdez ocupacional

  • Perda auditiva induzida por ruído ocupacional

  • Perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevada

  • Perda auditiva ocupacional

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


P a i r

Perda Auditiva Ocupacional:Agentes Causais

  • Ruído Industrial

  • Produtos Químicos:

  • Solventes aromáticos: tolueno, xileno, benzeno,

    triclororoetileno, álcool etílico

  • Metais: chumbo, arsênico, mercúrio

  • Asfixiantes: monóxido de carbono, nitrato de butila.butila

  • Vibrações

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Hist ria
História

  • Sibaritas (720 aC) artesãos gregos, criaram “distrito Industrial “

  • Júlio César (50-44 aC) proibição de rodar a noite os veículos pesados

  • Caio Plínio Secundus (23 dC) autor da obra clássica ‘Naturalis historia”

  • Chineses (Idade Média séc XII) descoberta da pólvora, introdução em conflitos militares

  • Séc XVIIsurdez dos ferreiros, caldeireiros.

  • Revolução Industrial: surdez dos ferroviários, tecelões.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Caracter sticas
Características

  • Perda auditiva é irreversível, neurossensorial, predominância coclear

  • História prolongada de exposição a níveis de ruídos elevados (>85 dB 8 horas por dia)

  • Perda auditiva gradual num período de 6 a 10 anos de exposição

  • Inicia-se nas freqüências altas, ordem 6, 4, 8, 3, 2 KHz ou 4, 6, 8, 3, 2 KHz

  • Equivalentes nas duas orelhas

  • Deve estabilizar-se quando cessa a exposição a ruídos

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Tipos de altera es auditivas provocadas pelo ru do
Tipos de alterações auditivas provocadas pelo ruído

  • Trauma Acústico

  • Exposição aguda.

  • Causa: som explosivo instantâneo, com pico de pressão sonora muito elevado.

  • Natureza das lesões: mecânicas.

    Atividades de risco: exercícios com tiro (militares).

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Tipos de altera es auditivas provocadas pelo ru do1
Tipos de alterações auditivas provocadas pelo ruído

  • PAIR – Perda Auditiva Induzida pelo Ruído

  • Exposição crônica

  • Doença cumulativa e insidiosa

  • Cresce ao longo dos anos de exposição

  • Associada ao ambiente de trabalho

  • As lesões: mecânicas e metabólicas.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Tipos de altera es auditivas provocadas pelo ru do2
Tipos de alterações auditivas provocadas pelo ruído

  • TTS

  • Perda Auditiva Temporária

  • Desvio Temporário dos Limiares

  • PTS

  • Desvio permanente dos limiares.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Sinais e sintomas
Sinais e Sintomas

Auditivos

1- Perda Auditiva

2- Zumbidos

3- Dificuldade de discriminação

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Sinais e sintomas1
Sinais e Sintomas

Transtornos Não-Auditivos

1- Comunicação

2- Neurológicos

3- Vestibulares

4- Digestivos

5- Comportamentais

6- Cardiovasculares

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Avalia o diagn stica
Avaliação Diagnóstica

Anamnese

- Historia do Trabalho

- Historia Familiar

- Uso prévio de ototóxicos

- Queixas de zumbidos, hipoacusia etc.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Avalia o diagn stica1
Avaliação Diagnóstica

Exames

- Otoscopia

- Audiometria Tonal e Vocal

- Impedanciometria

- Potenciais Evocados: BERA e EOA.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Avalia o diagn stica2
Avaliação Diagnóstica

Preparo para Audiometria:

Repouso Acústico: antes da jornada de trabalho ou 14/16 horas após.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Classifica o das perdas auditivas
Classificação das Perdas Auditivas

Sua caracterização clínica e médico pericial é de complexa abordagem.

Utiliza-se a classificação de MERLUZZI (1979), de grande vantagem, não utiliza o critério de médias de freqüências e fácil aplicabilidade.

Ë considerado normal o indivíduo que apresenta um limiar auditivo bilateral igual ou inferior a 25 dB, conforme a ISO 1999.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Perda auditiva de 1 o grau
Perda Auditiva de 1o. Grau

Média Tritonal

O.E.: 10dB

O.D.: 10dB

Discriminação

O.E.: 100%

O.D.: 100%

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Perda auditiva de 2 o grau
Perda Auditiva de 2o. Grau

Média Tritonal

O.E.: 15 dB

O.D.: 18 dB

Discriminação

O.E.: 96%

O.D.: 96%

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Perda auditiva de 3 o grau
Perda Auditiva de 3o. Grau

Média Tritonal

O.E.: 25 dB

O.D.: 30 dB

Discriminação

O.E.: 100%

O.D.: 100%

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Perda auditiva de 4 o grau
Perda Auditiva de 4o. Grau

Média Tritonal

O.E.: 46 dB

O.D.: 48 dB

Discriminação

O.E.: 80%

O.D.: 48%

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Perda auditiva de 5 o grau
Perda Auditiva de 5o. Grau

Média Tritonal

O.E.: 61dB

O.D.: 40dB

Discriminação

O.E.: 80%

O.D.: 100%

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Tratamento
TRATAMENTO

A PAIR é uma lesão irreversível!

Não existe nenhum tipo de tratamento clínico

ou cirúrgico para a recuperação dos limiares

Auditivos.

A PREVENÇÃO é a principal medida a ser tomada antes de sua instalação.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Preven o
PREVENÇÃO

A Lei obriga as empresas e os profissionais da

área de saude e segurança a implementar e gerenciar programas de prevenção e de progressão da perda auditiva.

PREVENÇÃO COLETIVA: clausura de processos industriais.

PREVENÇÃO INDIVIDUAL: EPI (abafador e/ou protetor auricular).

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Programa de preven o de perdas auditivas
PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS

De acordo com a NR-9 da Portaria no. 3214 do Ministério de Trabalho, toda a empresa deve ter um Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e de Conservação Auditiva (PCA).

Em 1996, a NIOSH, publicou o guia prático para prevenção da perda auditiva ocupacional.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


Comunica o de acidente de trabalho
Comunicação de Acidente de Trabalho

Toda perda auditiva ocupacional – PAIR deve ser notificada ao INSS com a emissão de CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho.

Consultoria em Saúde Ocupacional ajaraujo@ig.com.br


ad