MEDICINA DO TRABALHO - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
MEDICINA DO TRABALHO PowerPoint Presentation
Download Presentation
MEDICINA DO TRABALHO

play fullscreen
1 / 66
MEDICINA DO TRABALHO
409 Views
Download Presentation
issac
Download Presentation

MEDICINA DO TRABALHO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. http://www.administracaovirtual.com/ HIGIENE SEGURANÇA & MEDICINA DO TRABALHO

  2. Adriano Rezende Anderson de Matos Carlos Gustavo Juliana Moraes Marcelo Teixeira Thiago Lobato Wanderson Pereira

  3. O que é higiene e medicina do trabalho? Higiene do trabalho é um conjunto de normas e procedimentos que visa à proteção da integridade física e mental do trabalhador, preservando-o dos riscos de saúde inerentes às tarefas do cargo e ao ambiente físico onde são executadas. (Chiavenato, 1999).

  4. A higiene do trabalho tem caráter eminentemente preventivo, pois objetiva a saúde e o conforto do trabalhador, evitando que adoeça e se ausente provisória ou definitivamente do trabalho. Os principais objetivos são: 1 - Eliminação das causas das doenças profissionais 2 - Redução dos efeitos prejudiciais provocados pelo trabalho em pessoas doentes ou portadoras de defeitos físicos. 3 - Prevenção de agravamento de doenças e de lesões 4 - Manutenção da saúde dos trabalhadores e aumento da produtividade por meio de controle do ambiente de trabalho

  5. O programa de higiene no trabalho envolve: 1-Ambiente físico de trabalho: Todo o ambiente que circunda as atividades diárias. 2-Ambiente psicológico: os relacionamentos humanos agradáveis, tipos de atividade agradável e motivadora, estilo de gerência democrático e participativo e eliminação de possíveis fontes de estresse 3-Aplicação de princípios de ergonomia: máquinas e equipamentos adequados às características humanas, mesas e instalações ajustadas ao tamanho das pessoas e ferramentas que reduzam a necessidade de esforço físico humano 4-Saúde ocupacional: ausência de doenças por meio da assistência médica preventiva.

  6. É necessário a empresa ter um programa de saúde ocupacional? A Lei Nº 24/94 instituiu o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO. Através do PCMSO é exigido o exame médico pré admissional e os exames médico periódicos. Estes exames também são exigidos quando houver retorno ao trabalho, no caso de afastamento superior a 30 dias, e quando ocorrer a mudança efetiva de função (deve ser feito antes de ocorrer a transferência). No caso de afastamento definitivo da empresa, deve-se exigir o exame médico demissional, nos 15 dias que antecedem o desligamento do funcionário.

  7. PCMSO – Programa de Controle de Medicina e Saúde Ocupacional - Lei nº 24/94. • 1)Ambiente físico de trabalho • Iluminação – suficiente, constante e uniformemente distribuída • Ventilação- circulação de ar, ausência de gases, • Temperatura – umidade, altas e baixas • Ruídos – contínuos, intermitentes ou variáveis. Limite 85 decibéis

  8. PCMSO • 2) Ambiente psicológico de trabalho • Relacionamentos agradáveis; • Atividade laboral motivadora; • Gerência participativa e democrática; • Eliminação de stress.

  9. PCMSO • 3) Aplicação do princípios de ergonomia • Máquinas e equipamentos adequados; • Mesas e instalações ajustadas; • Ferramentas que reduzam o esforço físico.

  10. PCMSO • 4)Saúde ocupacional • Sua ausência causa: • aumento nas indenizações; • afastamentos por doenças; • aumento dos custos de seguro; • elevação do absenteísmo e rotatividade de pessoal; • baixa produtividade e qualidade; • pressões sindicais.

  11. Condições que influenciam a higiene do trabalho • Tempo (Horas extras, tipo de jornada,etc...); • Ambiente de trabalho (físico e psicológico); • Sociais (status).

  12. Plano de Higiene do trabalho 1- Plano organizado Plantão de médicos, enfermeiros e auxiliares. (Para as empresa que se enquadram no padrão obrigatório)

  13. 2- Serviços Adequados • Exames admissionais; • Primeiros socorros; • Registros médicos; • Controle de áreas insalubres; • Exames periódicos; • Atenção às doenças ocupacionais.

  14. 3-Prevenção de riscos à saúde • Químicos (intoxicações, dermatoses, alergias,etc...); • Físicos (ruídos, temperaturas extremas, esforços excessivos; • Biológicos (microorganismos, contaminações, contágios,etc...)

  15. 4- Serviços adicionais • Palestras de higiene e saúde; • Convênio com entidades locais; • Benefícios médicos para aposentados; • Cobertura financeira por doença ou acidente; • Comunicações de mudanças de trabalho, de setor ou horário.

  16. Segurança do trabalho Conjunto de normas técnicas, educacionais, médicas e psicológicas usadas para prevenir acidentes, seja instruindo/convencendo pessoas da implementação de práticas preventivas (Chiavenato,1999). • Líder responde pela segurança de sua área. • Setor de segurança assessora os líderes e aponta soluções.

  17. Qual a relação entre higiene e segurança no trabalho? A saúde e segurança dos empregados constituem uma das principais bases para a preservação da força de trabalho adequada. De modo genérico, higiene e segurança do trabalho constituem duas atividades intimamente relacionadas, no sentido de garantir condições pessoais e materiais de trabalho capazes de manter certo nível de saúde dos empregados.

  18. Prevenção de acidentes • Acidente – fato súbito, inesperado, sem intenção, que produz morte, lesão corporal ou dano material (Chiavenato,1999). • Acidente de trajeto = acidente de trabalho

  19. Áreas da Segurança do trabalho • Tipos de acidentes • a)Sem afastamento – analisado/ausente das estatísticas. • b)Com afastamento • Incapacidade temporária (- de 1 ano); • Incapacidade permanente parcial (-3/4 da capacidade); • Incapacidade total permanente (-3/4 ou + da capacidade)

  20. Segurança do Trabalho e Preservação do Meio Ambiente CLASSIFICAÇÃO DE ACIDENTES • INCAPACITANTE • SÉRIO • RELATÁVEL • TRAJETO • INCIDENTE • DANOS MATERIAIS • LAR / LAZER

  21. ACIDENTE INCAPACITANTE – AI • Acidente do trabalho que resulta em incapacidade permanente total ou parcial, em incapacidade total por tempo limitado ou ainda em morte. ACIDENTE SÉRIO – AS • Acidente do trabalho que resulta no impedimentodo funcionário de exercer, pelo menos, uma das atividade da sua função (restrição da função).

  22. ACIDENTE RELATÁVEL – AR Acidente do trabalho em que a lesão sofrida pelo acidentado não impede que o mesmo exerça todas as atividades de sua função. ACIDENTE DE TRAJETO – AT Acidente do trabalho que ocorre no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção utilizado, inclusive veículo de propriedade do acidentado.

  23. ACIDENTE COM DANOS MATERIAIS • Evento que resulta em perdas materiais para a empresa. INCIDENTE • Evento que embora não ocasione lesões ou danos materiais, tenha apresentado potencial para tal.

  24. ACIDENTE NO LAR/ LAZER • Acidente que ocorre com o funcionário em sua residência ou durante uma atividade de lazer, que implique no seu afastamento de trabalho.

  25. Causas dos acidentes de trabalho • Condição insegura; • Ato inseguro;

  26. ATOS INSEGUROS São atitudes que você adota, muitas vezes, sem perceber, que podem causar um acidente. São responsáveis por 90% dos acidentes

  27. CONDIÇÕES INSEGURAS São equipamentos, máquinas ou ferramentas que apresentam defeitos ou estão com falta de algum acessório que proporcionam uma CONDIÇÃO DE INSEGURANÇA. São responsáveis por 10% dos acidentes.

  28. Acidente do trabalho GRUPO 2 R. QUÍMICOS Poeiras Fumos Gases Vapores Névoas Prod. Químicos em Geral GRUPO 3 R. BIOLÓGICOS Vírus Bactérias Fungos Parasitas Bacilos GRUPO 4 R. ERGONÔMICO Esforço F. Intenso Levantamento e Transporte manual de peso Monotonia e Repetitividade Trabalho em Turno/Noturno GRUPO 5 R. DE ACIDENTE Máq. e Equip. sem Proteção Ferramentas Inadequadas Eletricidade Armazenamento Inadequado Arranjo Físico Inadequado GRUPO 1 RISCOS FÍSICOS Ruído Calor Frio Umidade R.Ionizantes Pressões Anormais R.não Ionizantes

  29. RISCOS AMBIENTAIS AGENTES FÍSICOS RUIDO • O Ruído é uma mistura de sons , de diversas freqüências e amplitudes que escapam a capacidade de discriminação do ouvido humano.

  30. Meios de proteção • Individual • EPI = Abafadores ou protetores auriculares • Inserção: plug • Externo: concha • Coletivo • Atenuação ou eliminação do ruído na fonte geradora • Programa de Conservação Auditiva (PCA)

  31. Efeitos, no trabalhador, da exposição a níveis elevados de pressão sonora • Zumbido • Tonturas • Náuseas • Taquicardia • Hipertensão arterial • Fadiga • Ansiedade • Irritação • Estresse • Impotência Sexual

  32. Agentes químicos O corpo humano é comparável a uma indústria química completa, tantas são as transformações que nele se processam. A energia química armazenada nos alimentos é transformada, após uma longa cadeia de reações, em energia cinética e energia térmica.

  33. AGENTES AGRESSIVOS Aerossóis Gases e vapores Poeira Gases Névoa Vapores Fumos

  34. AGENTES AGRESSIVOS Pó Névoa Fumo Gás Vapor

  35. Exemplos de Doenças Silicose: É causada pelas partículas da sílica, muito comum nas industrias cerâmicas, minerações, pedreiras e metalúrgicas, provocando uma redução na capacidade respiratória. Asbestos: É causada pelas fibras do asbestos( amianto), provocando redução na capacidade de transferência de oxigênio para o sangue, alem de câncer. Antracose : Também conhecida como “ doença do pulmão preto” ou “doença dos mineiros”. E causada pela inalação de partículas de carvão mineral. Bissinose: É causada principalmente pela poeira de algodão, comum nas industrias têxteis. Provocam redução na capacidade respiratória, febre e tosses freqüentes. Pulmão dos fazendeiros: É provocada pela inalação de partículas de cereais(sementes), madeiras ou fenos. Causam um tipo de cicatrização nos pulmões, febre, calafrios, tosse, dores musculares e redução na capacidade de respiração

  36. Noções de Ergonomia Ergonomia • Conjunto de ciências e tecnologias que procura a adaptação, confortável e produtiva, das condições de trabalho às características do ser humano, através do desenvolvimento de métodos e técnicas, instrumentos, máquinas, ferramentas, dispositivos, etc.

  37. Situações que geram riscos ergonômicos • Força física com as mãos; • Permanência fora do eixo vertical do corpo; • Trabalhos de pé, imóvel; • Trabalhos com braços acima dos ombros; • Trabalhos com braços abertos (“asa aberta”); • Força estática de pequena intensidade e longa duração (chave de fenda, etc.); • Desvios do punho fora do eixo horizontal (digitação);

  38. Situações que geram riscos ergonômicos • Peso excessivo na coluna vertebral; • Transporte de cargas longe do corpo; • Flexão e torção da coluna; • Movimentos de grande freqüência sem tempo de recuperação;

  39. Situações que geram riscos ergonômicos Trabalho nas posições: sentado, de pé, parado, de cócoras (bom para a coluna, ruim para os joelhos). Na posição sentada a pressão nos discos intervertebrais é maior que na posição de pé; há menor dispêndio energético; Maior possibilidade de distúrbios musculares dos ombros e membros superiores.

  40. Posturas ideais • Aquela que permite a flexibilidade postural; • Andando e alternando as posições sentado e de pé; • Com pausas para recuperação. ERGONOMIA - QUALIDADE DE VIDA EM SEU DIA-A-DIA PROCURE CONHECER MELHOR SOBRE ESSE ASSUNTO!!!

  41. Acidente do trabalho • Custos • Danos matérias • Lesão • Perda de tempo

  42. Perfil das pessoas que comprometem a segurança delas e das outras. O NERVOSINHO O DESATENTO O BRIGÃO O EXIBICIONISTA O TEIMOSO O CURIOSO O ADIVINHÃO

  43. PPRA – Programa de prevenção de riscos ambientais –Portaria nº 25/2004 Mapa de riscos –sinalização do grau de risco dos ambientes e dos EPIs exigidos para acesso. EPI-Equipamento de proteção individual: Equipamento de Proteção Individual é todo dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. Alguns tipos de EPI são: capacete, capuz, óculos, protetor facial (creme água resistente, creme óleo resistente e cremes especiais), luvas de proteção, dedeiras, proteção de mãos, calçados de segurança, botas e botinas, cintos de segurança, trava quedas, cadeiras suspensas, etc.

  44. Equipamento de Proteção Individual (EPI) Funçõesdo EPI O EPI não evita o acidente, mas pode evitar suas conseqüências: • diminuindo sua gravidade; • impedindo lesões; • protegendo contra as doenças ocupacionais. Utilização do EPI • Em exposição direta a riscos não controláveis por outros meios. • Em exposição a riscos apenas parcialmente controlados por outros recursos técnicos. • Provisoriamente, enquanto não se instala ou não se dispõe de outros equipamentos que impeçam o contato com o fator de risco. • Em casos de emergências.

  45. Indicação correta para o EPI • Identificação do risco • Avaliação do risco constatado • Indicação do EPI apropriado • Certificado de Aprovação (CA) • Eficiência • Conforto • Durabilidade • Custo/benefício

  46. EPI Proteção da cabeça (crânio, rosto, nariz, olhos e ouvidos)

  47. EPI Proteção contra quedas Proteção dos membros superiores (mãos e braços) Proteção do tronco Proteção dos membros inferiores (pernas e pés)

  48. Penalidades Empresa • Multas • Autuações • Interdição Empregado • Advertência por indisciplina • Demissão por justa causa

  49. Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) EPC: São dispositivos ou equipamentos destinados à proteção de mais de uma pessoa ou de pessoas e instalações Exemplos: aterramentos pára-raios disjuntor proteção de partes móveis chave de corda de correia transportadora

  50. POR QUE USAR EPI'S • EPI’s são ferramentas de trabalho, dispositivo ou produto de uso individual que visam a proteção do trabalhador quando exposto aos agentes ambientais: Físicos, Químicos, Biológicos. Protegendo assim, a sua saúde.