html5-img
1 / 23

O Mercado de Bens em uma Economia Aberta

O Mercado de Bens em uma Economia Aberta. A Relação IS na Economia Aberta. 19-1. Demanda por Bens Internos Em uma economia aberta, a demanda por bens internos é dada por:. Ξ. Em uma economia aberta, a demanda interna por bens e a demanda por bens internos são diferentes .

irisa
Download Presentation

O Mercado de Bens em uma Economia Aberta

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


  1. O Mercado de Bens em uma Economia Aberta

  2. A Relação IS na Economia Aberta 19-1 Demanda por Bens Internos • Em uma economia aberta, a demanda por bens internos é dada por: Ξ • Em uma economia aberta, a demanda interna por bens e a demanda por bens internos são diferentes.

  3. Demanda por Bens Internos Os Determinantes de C, I e G: • A taxa real de câmbio afeta a composição dos gastos de consumo e investimento, mas não o nível geral desses agregados.

  4. Demanda por Bens Internos Os Determinantes das Importações • Uma taxa real de câmbio mais alta torna os bens externos relativamente mais caros levando a uma queda nas importações.

  5. Demanda por Bens Internos Os Determinantes das Exportações • Um aumento em Y*, ou do produto externo, aumenta as exportações dos EUA. Um aumento em e, o preço relativo dos bens externos em relação aos bens internos, também leva a um aumento das exportações.

  6. Demanda por Bens Internos Demanda por bens internos e exportações líquidas A demanda interna por bens, DD, é uma função crescente da renda. Para obter a demanda por bens internos, AA, devemos subtrair o valor das importações da demanda interna.

  7. Demanda por Bens Internos Demanda por bens internos e exportações líquidas Somando as exportações à demanda interna por bens internos, AA, obtemos a demanda por bens internos, ZZ. O balanço comercial é uma função decrescente do produto. YTB é o valor do produto que corresponde ao balanço comercial.

  8. Produto de Equilíbrio e Balanço Comercial Produto de equilíbrio e exportações líquidas O mercado de bens está em equilíbrio quando o produto é igual à demanda por bens internos. No nível de equilíbrio do produto, o balanço comercial pode registrar déficit ou superávit.

  9. Aumentos da Demanda Interna ou Externa 19-2 Efeitos de um aumento dos gastos do governo Um aumento nos gastos do governo leva a um aumento do produto e a um déficit comercial. O efeito dos gastos do governo na economia aberta é menor — o multiplicador é menor — do que seria em uma economia fechada, pois parte da demanda recairá sobre importações.

  10. Aumentos da Demanda Externa Efeitos de um aumento da demanda externa O aumento do demanda externa leva ao aumento do produto e a um superávit comercial. O balanço comercial melhora porque o aumento nas importações não anula o crescimento das exportações.

  11. O Jogo de que os Países Participam • Aumentos tanto na demanda interna quanto na externa conduzem ao aumento do produto, entretanto, produzem efeitos opostos sobre a situação comercial de um país. • Um aumento na demanda externa é preferível ao aumento na demanda interna porque melhora o balanço comercial.

  12. O Jogo de que os Países Participam • Em tempos de recessão, países com alto déficit comercial podem esperar que a demanda externa estimule a economia. • A coordenação entre países, tais como entre as sete maiores potências econômicas do mundo, ou G7, é uma tentativa de adotar políticas macroeconômicas compatíveis.

  13. Depreciação, Balanço Comercial e Produto 19-3 • A condiçãoMarshall-Lerner é a condição sob a qual uma depreciação (um aumento em e) leva a um aumento das exportações líquidas. Ξ Ξ

  14. Os Efeitos da Depreciação Os efeitos da depreciação A depreciação real leva a um aumento do produto e a uma melhora do balanço comercial. A depreciação funciona tornando os bens externos relativamente mais caros.

  15. Combinando as Políticas Cambial e Fiscal Reduzindo o déficit comercial sem alterar o produto Para reduzir o déficit comercial sem alterar o produto, o governo deve promover uma depreciação e diminuir seus gastos. A depreciação aumentará o produto, enquanto a redução dos gastos governamentais diminuirá o produto.

  16. Tabela 19-1 Combinações de políticas cambial e fiscal Condições iniciais Superávit comercial Déficit comercial Produto baixo e?G­ e­G? Produto elevado e¯G? e?G¯ Combinando as Políticas Cambial e Fiscal

  17. Tabela 19-3 Déficit comercial e em conta corrente dos EUA, taxa real de câmbio dos EUA e taxa de crescimento dos EUA, da União Européia e do Japão 1990-1995 (média) 1996 1997 1998 1999 2000 Déficit comercial (% do PIB) - 0,9 - 1,1 - 1,1 - 1,7 - 2,7 - 3,6 Déficit em conta corrente (% do PIB) - 1,0 - 1,6 - 1,7 - 2,5 - 3,6 - 4,5 Taxa de câmbio real (1996:1=1) 0,97 1,00 0,92 0,86 0,85 0,80 Taxa de crescimento, EUA (%) 2,3 3,6 4,4 4,4 4,2 4,1 Taxa de crescimento, UE (%) 1,8 1,6 2,6 2,8 2,6 3,3 Taxa de crescimento, Japão (%) 2,0 3,5 1,8 - 1,1 0,8 1,5 Déficit Comercial dos EUA: Origens e Implicações

  18. Examinando a Dinâmica: a Curva J 19-4 • A depreciação pode levar a uma deterioração inicial do balanço comercial; e aumenta, mas nem X nem M se ajustam muito a princípio. , • Com o tempo, as exportações e as importações respondem e a depreciação leva a uma melhora do balanço comercial.

  19. Examinando a Dinâmica: a Curva J A curva J A depreciação real leva inicialmente a uma deterioração do balanço comercial, mas, em seguida, a uma melhora.

  20. Examinando a Dinâmica: a Curva J A taxa real de câmbio e a participação das exportações líquidas no PIB: Estados Unidos, 1980-1990 A apreciação e a depreciação reais do dólar na década de 1980 refletiram-se em um aumento seguido de uma queda do déficit comercial. Mas houve grande defasagem nos efeitos da taxa real de câmbio sobre o balanço comercial.

  21. Poupança, Investimento e a Balança Comercial 19-5 • A forma alternativa de ver o equilíbrio sob a condição de que o investimento é igual à poupança tem um significado importante: Ξ

  22. Poupança, Investimento e a Balança Comercial • Pela equação acima, concluímos que o superávit comercial corresponde ao excesso de poupança em relação ao investimento e vice-versa. • Se a poupança permanecer constante, um aumento no investimento resulta na deterioração do balanço comercial. • Um aumento no déficit orçamentário leva à deterioração do balanço comercial.

  23. Termos-Chave • demanda por bens internos • demanda interna por bens • coordenação, G-7 • condição Marshall-Lerner • curva J

More Related