slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Doença Pneumocócica Prevenção PowerPoint Presentation
Download Presentation
Doença Pneumocócica Prevenção

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 47

Doença Pneumocócica Prevenção - PowerPoint PPT Presentation


  • 336 Views
  • Uploaded on

Doença Pneumocócica Prevenção. Drª Débora Pontes CRM-D.F.11023. Streptococcus pneumoniae. Streptococcus pneumoniae é um diplococo gram positivo; É encontrado no trato respiratório, como parte da flora habitual em indivíduos saudáveis, chamados portadores(60% crianças e 29%adultos);

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Doença Pneumocócica Prevenção' - ilar


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Doença Pneumocócica

Prevenção

Drª Débora Pontes

CRM-D.F.11023

streptococcus pneumoniae
Streptococcus pneumoniae
  • Streptococcus pneumoniae é um diplococo gram positivo;
  • É encontrado no trato respiratório, como parte da flora habitual em indivíduos saudáveis, chamados portadores(60% crianças e 29%adultos);
  • Os portadores são geralmente assintomáticos, embora a bactéria possa se disseminar e causar a doença;
  • A transmissão ocorre por contato direto, através das gotículas da secreção respiratória.
streptococcus pneumoniae1
Streptococcus pneumoniae
  • O S. pneumoniae apresenta uma cápsula polissacarídica na sua superfície que define
  • o sorogrupo/sorotipo;
  • Existem mais de 90 sorotipos no mundo, sendo 1,5,6,14,19 e 23F responsáveis por 75% das infecções invasivas no Brasil;
  • A incidência dos sorotipos varia geograficamente e por faixa etária;
  • A cápsula é o principal fator de virulência;
  • Os anticorpos dirigidos contra a cápsula polissacarídica de superfície são protetores e compõem a base das vacinas.

Barra = 100 nm

por que falar de pneumococo
Por que falar de Pneumococo?

Mortalidade Global por Doenças com Imunoprevenção

Rotavirus

16%

Sarampo

21%

Haemophilus

influenzae tipo b

15%

Pneumocócica

28%

Coqueluche

12%

Outras (poliomielite, difteria, dça meningocócica, febre amarela) 1%

Tétano

8%

Bilous J et al Lancet 2006;367:1464-5

MMWR 2006 vol 55 n8, pg 511-515

mortes que podem ser prevenidas com vacinas estimativas da oms 2003
Mortes que podem ser prevenidas com Vacinas Estimativas da OMS - 2003

* dados de 2003

WHO Global Immunization Vision and Strategy, April 2005 www.who.int/vaccines/GIVS/english/Global_imm._data_EN.pdf

infec es pneumococicas
Invasivas:

Bacteremia oculta, Septicemia, Meningite, Pneumonia bacterêmica

Não Invasivas:

Pneumonia comunitária, OMA,Sinusite,Conjuntivite

Ocasionais:

Endocardite, Pericardite,

Osteomielite,Artrite Septica,

Infecção de partes moles e Sepse neonatal.

Infecções Pneumococicas
as doen as pneumoc cicas

Gravidade da Doença

Invasiva

Incidência

Não invasiva

As Doenças Pneumocócicas

Para cada casode meningite

Meningite

X 10

Bacteremia/Sepse

X 100

Pneumonia

X 1000

Otite média

http://www.cdc.gov/nip/publications/pink/pneumo2.pdf

fatores de risco para a doen a pneumoc cica
Fatores de Risco para aDoença Pneumocócica

Idade

  • Crianças com menos de 2 anos de idade
  • Adultos com mais de 65 anos de idade

Etnia

  • Americanos de origem africana
  • Populações indígenas

Ambientais

  • Crianças em creches
  • Não amamentadas ao seio materno
  • Fumantes passivos
  • Baixo nível sócio-econômico
idade fator de risco para a doen a pneumoc cica
Idade: Fator de Risco para a Doença Pneumocócica

1

8

0

1

6

0

1

4

0

1

2

0

1

0

0

Casos por 100.000

8

0

6

0

4

0

2

0

0

<

2

2

t

o

4

5

t

o

1

7

1

8

t

o

3

4

3

5

t

o

4

9

5

0

t

o

6

4

6

5

t

o

7

9

>

8

0

Faixa Etária (Anos)

A

g

e

G

r

o

u

p

(

Y

e

a

r

s

)

Robinson et al. JAMA 2001;285:1729

risco cl nico
Risco Clínico
  • HIV e Imunossuprimidos;
  • Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias;
  • Asplenia anatômica ou funcional;
  • Pneumopatias crônicas;
  • Fibrose Cística;
  • Cardiopatias e nefropatias crônicas;
  • Dçs Neurológicas Crônicas Incapacitantes;
  • Diabetes Mellitus;
  • Trissomias;
  • Crianças <1 ano de idade, nascidas <35 semanas de gestação e submetidas a assistência respiratória

(CPAP ou ventilação mecânica).

Obs.: Nos casos de esplenectomia eletiva, a vacina deve ser aplicada pelo menos 2 semanas antes da cirurgia.Em casos de quimioterapia, a vacina deve ser aplicada preferencialmente 15 dias antes do início da quimioterapia (QT)

Manual de Novas recomendaçoes nos CRIES-2006

taxas da doen a pneumoc cica invasiva em crian as americanas com 5 anos 1998 2003

PCV7

Taxas da Doença Pneumocócica Invasiva em crianças americanas com <5 anos 1998-2003

Efeito na Faixa Etária Alvo

1 ano

<1 ano

2 anos

3 anos

4 anos

MMWR 2005;54:893-7

dpi em crian as 5 anos estados unidos 1998 2003
DPI em crianças <5 anos Estados Unidos, 1998-2003

Pré-registro*(1998-1999)

Pós-registro2003

Casos Estimados / 100.000

Média para1998 e 1999

* Prevenar foi registrada nos EUA em 2000.

mortalidade por doen a pneumoc cica invasiva dpi em crian as com 2 anos eua

PCV7

Índice de Mortalidade

Mortalidade Geral por DPIMortalidade por Meningite PneumocócicaMortalidade por Septicemia Pneumocócica

Ano

(n = 408)

Mortalidade por Doença Pneumocócica Invasiva (DPI) em crianças com <2 anos,EUA
  • >50% de redução em apenas um ano de vacinação
  • >75% de redução das mortes foram em crianças com
  • > 6 m de idade

Redelings M et al Arch Pediatr Adolesc Med. 2005 159(2):195-6.

efeito indireto dpi em adultos ap s o pni em crian as nos eua

PCV7

Efeito Indireto: DPI em Adultos após o PNI em Crianças nos EUA

PCV7

65+ anos

- 31%

Casos por 100.000

>85 anos

74-84 anos

- 20%

40-64 anos

- 41%

65-74 anos

20-39 anos

50-64 anos

Ano

Vacinação

MMWR 2005;54:893-97

estimativa de casos evitados efeito direto e indireto eua 2003

Número estimado de casos de doença pneumocócica invasiva do tipo da vacina (TV) evitados em conseqüência de efeitos diretos e indiretos da vacina conjugada pneumocócica (PCV7) – Active Bacterial Core Surveillance, Estados Unidos, 2003

Número

Direto Indireto

Estimativa de Casos Evitados Efeito Direto e Indireto - EUA 2003
vacina pneumoc cica conjugada
Vacina Pneumocócica Conjugada

Número estimado de casos de DPI evitados em crianças < de 5 anos

pela vacina PCV7 – EUA 2005

Efeitos diretos dos sorotipos da PCV7

Efeitos indiretos dos sorotipos da PCV7

Efeitos indiretos dos outros sorotipos

MMWR 2008;57:144-8

pneumonia efetividade p s introdu o eua
Pneumonia: Efetividade Pós-introdução - EUA

O declínio anual de 39% nas internações por pneumonia por todas as causas representa ~ 41.000 internações por pneumonia evitadas por ano no caso de crianças com < 2 anos de idade

Grijalva CG et al. Lancet 2007 369:1179-86.

efetividade nas pneumonias eua
Redução de Pneumonia por todas as causas,

entre o período pré e pós vacinal - 52,4%

(11,5 para 5,5/100.000);

Redução de 41,1% nas consultas ambulatoriais por pneumonias por todas as causas;

Redução de 57,6% da taxa de hospitalização de pneumonia pneumocócica.

Efetividade nas Pneumonias - EUA

Zhou Arch Pediatr Adolesc Med 2007; 161 (12):1162-68

slide20

Otite Média Aguda - Eficácia

Eskola J et al. NEJM 2001;344:403-9

Palmu AA et al PIDJ 2004;23:732-8

Black S. PIDJ 2000:19:187-95

Fireman B et al PIDJ 2003; 22:10-6

efetividade da vacina oma
Efetividade da Vacina - OMA
  • Taxa de atendimento ambulatorial por OMA: redução de 42,7%;
  • Taxa de prescrições de antibióticos por OMA: redução de 41.9%;
  • Custos médicos diretos por OMA - visitas ao ambulatório e antibióticos: redução 32,3%.

Zhou et al PEDIATRICS Volume 121, Number 2, February 2008

slide22

Introdução da vacina

Incidência (casos por 100.000)

Doença não resistente penicilina

Doença

resistente

à penicilina

Suscetibilidade à Penicilina na DPIEUA <2 anos, 1996 a 2004

Kyaw MH et al. NEJM 2006;354:1455-63

doen a pneumoc cica no brasil
Incidência anual de 24,7/100.000 hab < 5 anos de idade;

Seqüelas neurológicas(40%), perdas auditivas(60%), resistência a antibióticos(30%), nas DPI;

72,4% meningites pneumocócicas < 1 ano de idade;

70% dos casos de DPI podem ser evitados com a PCV7;

Maior gravidade, maior tempo de hospitalização, maior morbi-mortalidade e maiores lesões neurológicas se devem ao aumento da resistência bacteriana à penicilina.

Doença Pneumocócica no Brasil

Bricks e Eithan, J Ped 2007; 82 (3) S67-74; Mantese et al J Ped 2003; 78 (6) 467-474

slide25

Cobertura Estimada da Vacina Conjugada Pneumocócica 7- valente em DPI – Brasil

70%

SOROTIPOS PREVALENTES

49%

Brandileone MCC. Increase in numbers of b-lactam-resistant invasive Streptococcus pneumoniae in Brazil and the impact of conjugate vaccine coverage. J Med Microbiol,55:567-74,2006.

dpi no brasil
DPI no Brasil

Brandileone,MC

slide28

Óbitos e Taxa de Letalidade das Meningites

Distrito Federal-2005

Dados digitados até 22 de maio de 2006.

*Este item engloba as meningites de agentes bacterianos diversos e os casos em que não foram identificadas as bactérias.

Fonte: SINANW/DIVEP/SES-DF

meningite pneumococica sp
Meningite Pneumococica-SP

Fonte: Sinanw/DDTR /CVE dados em 8/4/2005

pneumonias pneumoc cicas no brasil
Pneumonias Pneumocócicas no Brasil
  • O pneumococo é a principal causa de pneumonia,

com e sem complicação, em todas as faixas etárias;

  • É a causa de 11% das mortes em <1 ano e 13% nas crianças de 1 a 4 anos de idade;
  • Gastos com internações por pneumonias pneumocócicas chegam a U$ 90 milhões/ano.

Rodrigues-J pediatria-2002;

Pink Book-10 ed-2007;

pneumonia e renda goi nia brasil
Pneumonia e Renda Goiânia - Brasil

Andrade et al. Cad Saúde Publica, R. de Janeiro 2004;20(2):411-421

slide32

I - Intermediária

R - Plena

Aumento da Resistência a Antibióticos em DPI – Brasil

+46% (I:+54%; R: +15%)

30

25

20

15

10

5

0

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

Brandileone MCC. Increase in numbers of b-lactam-resistant invasive Streptococcus pneumoniae in Brazil and the impact of conjugate vaccine coverage. J Med Microbiol,55:567-74,2006.

cepas penicilina resistentes lcr distrito federal brasil
Cepas Penicilina Resistentes - LCR Distrito Federal - Brasil

Vieira et al. J Pediatr (RJ), 2007

pneumococo avalia o econ mica no brasil pae brasil doen as sus
Pneumococo - Avaliação Econômica no BrasilPAE/Brasil - Doenças/SUS
  • 512 mil novos casos/ano de pneumonia em crianças < de 5 anos;
  • Mais de70 mil hospitalizações/ano por pneumonia pneumocócica (20/1000 crianças);
  • Mais de 3 milhões novos casos/ano de OMA em crianças;
  • Mais de 1200 novos casos meningite/ano;
  • 339.370 visitas ao médico anualmente (média de 98/1000 crianças).
pae brasil custos
PAE/Brasil - custos
  • OMA crianças < de 5 anos com seqüela - o custo médico direto/ano R$ 33 milhões;
  • A pneumonia foi associada ao grande número de hospitalizações e teve um custo médico direto de quase R$36 milhões;
  • 20% de todos os gastos/ano do SUS com hospitalizações de crianças < de 5 anos são devidos a pneumonia por qualquer tipo, mas o pneumococo é mundialmente um dos principais agentes causadores de pneumonia.
import ncia da vacina o de rotina nos 1 ano de idade
Importância da vacinação de rotina nos <1 ano de idade
  • OMS recomenda iniciar o calendário vacinal o mais precoce possível;
  • 80% das Doenças Pneumocócicas Invasivas ocorrem em menores de 1 ano de idade (sepsis, bacteremia e meningite);
  • A faixa etária de maior risco para doença invasiva é entre 6 e 11 meses de vida.

Weekly Epidemiolo Rec 2007: March 23, 2007

Black PIDJ 2000; 19:187-95

Baron Pediatrics 1980; 66:171-75

calend rio de vacina o
Calendário de Vacinação

http://www.sbp.com.br-acesso2008

prioridade da preven o oms
Prioridade da Prevenção-OMS

Weekly Epidemiolo Rec 2008: Jan 18, 2008

OMS-Organização Mundial Saúde

vacina polissacar dica 23 valente
Vacina polissacarídica 23 valente

Pn23 – Inclui polissacarídeos capsulares, não conjugados, de 23 sorotipos de pneumococo.

  • Induz resposta imune T independente, de curta duração;
  • Não induz soroproteção < 2 anos de idade;
  • Não gera memória imunológica;
  • Não há resposta anamnéstica com a revacinação.

Pediatria Moderna-Vol.XLIII-Nº5-2007

vacina pneumoc cica 7 valente
Vacina Pneumocócica 7 valente

Inclui 7 sorotipos conjugados com proteína diftérica.

  • 4,6B,9V,14,18C,19F e 23F, conjugados a proteína diftérica CRM 197;
  • Resposta imune T dependente;
  • Pode ser usada a partir de 2 meses de idade;
  • Alta imunogenicidade;
  • Induz memória imunológica;
  • Induz resposta anamnéstica;
  • Segura, bem tolerada e custo efetiva.

Pediatria Moderna-Vol.XLIII-Nº5-2007

novas perspectivas
Novas Perspectivas
  • Vacina 10 valente PHiD-CV (GSK)

Pneumococcal

Haemophilus protein D

Conjugated Vaccine

Contém sorotipos da heptavalente mais7F, 5 e 1;

  • Vacina 13 valente Prevenar 13 (Wyeth)

Contém sorotipos da heptavalente mais 19A,7F,6A,5,3,1.

slide44

OMS 2007

  • A OMS estima que 1,6 milhões de pessoas morrem a cada ano por Doença Pneumococica (700 mil a 1 milhão são crianças < de 5 anos) Entrevistas recentes com “tomadores de decisão” – Gestores de Saúde, ao redor do mundo, indicam que a conscientização sobre esta questão ainda é pequena.
  • A Meningite pneumocócica no Brasil, de 1983 a 2003, ocasionou 29.600 casos e 8.554 óbitos.
  • OMS. Pneumococcal conjugate vaccine for childhood immunization – WHO position paper. 82:93–104, 2007. http://www.who.int/wer. 2. Garcia S. Pneumococcal disease and vaccination in the americas: an agenda for accelerated vaccine introduction. Rev Panam Salud Pub, 2006. 3. http://www.preventpneumo.org/pdf, acesso 01.03.07.4. Bricks LF. Impact of pneumococcal conjugate vaccine on the prevention of invasive pneumococcal disease. J Pediar, 82:S67-74.
por que vacinar
Por que vacinar?
  • Doença pneumocócica é um problema de saúde pública;
  • Alta morbi-mortalidade, sequelas, custos médicos e sociais elevados, embora exista prevenção;
  • 1,6milhão mortes/ano, sendo 800.000 em <5 anos de idade;
  • Principal causa de morte entre <5 anos de idade;
  • A vacinação reduz Pneumonia, OMA e Meningite;
  • A vacinação promove benefícios para o vacinado, para sua família e comunidade (efeito indireto ou coletivo);
  • A vacina tem cobertura de até 74% dos sorotipos brasileiros e 95% das cepas resistentes a penicilina;
  • A vacinação pode se traduzir em saúde para a criança, diminuição de custos financeiros e emocionais com tratamento e diminuição de necessidade de consultas médicas;

Weekly Epidemiolo Rec 2007: Jan 12, 2007

o pediatra juridicamente respons vel pela orienta o aos pais e ou cuidadores

O pediatra é juridicamente responsável pela orientação aos pais e/ou cuidadores.

É função do médico oferecer orientação adequada e completa sobre a prevenção de doenças. Omitir ou negligenciar a informação

é privar o paciente ou responsável do seu direito de escolha.

slide47

“Uma vacina não administrada é 100% ineficaz!”

Dale W. Bratzler

Fundação Oklahoma de Qualidade Médica

Obrigada!