universidade castelo branco n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO PowerPoint Presentation
Download Presentation
UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 15

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO - PowerPoint PPT Presentation


  • 159 Views
  • Uploaded on

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO. PRÁTICAS INVESTIGATIVAS NO PACIENTE CRÍTICO. CONCEITUANDO O PACIENTE CRÍTICO. A UTI tem suas origens nas URPA(s) onde os pacientes submetidos à procedimentos anestésicos-cirúrgicos tinham monitorizados suas funções vitais.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO' - hart


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
universidade castelo branco

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

PRÁTICAS INVESTIGATIVAS NO PACIENTE CRÍTICO

conceituando o paciente cr tico
CONCEITUANDO O PACIENTE CRÍTICO
  • A UTI tem suas origens nas URPA(s) onde os pacientes submetidos à procedimentos anestésicos-cirúrgicos tinham monitorizados suas funções vitais.
  • A UTI é idealizada com uma unidade de monitoração do paciente grave através de Florence Nightingale.
  • As primeiras UTIs foram criadas a partir de 1950 e hoje estão amplamente difundidas em todo o mundo.No Brasil as primeiras UTIs foram criadas entre o final e o início da década de 70.
conceituando o paciente cr tico1
CONCEITUANDO O PACIENTE CRÍTICO
  • Os centros ou unidades de terapia intensiva(CTI ou UTI) são serviços existentes em hospitais de médio ou grande porte onde são internados pacientes graves ou potencialmente graves, que necessitam de recursos tecnológicos e humanos para a sua recuperação.
  • Em 10 de maio de 1995 na revista Veja: “UTI corredor da vida ou da morte”. Esta notícia teve grande impacto no meio da saúde, pois nesta o escritor João Ubaldo Ribeiro comparou as UTIs ao campo nazista de Auschwitz.
o paciente cr tico e seus direitos
O PACIENTE CRÍTICO E SEUS DIREITOS
  • Em 2001, a AMIB solicitou ao comitê de humanização para elaborar uma cartilha com os direitos do paciente na UTI:
  • O paciente precisa ser respeitado e atendido em suas necessidades e direitos, a exemplo de: controle da dor,privacidade, individualidade, direito a informação, ser ouvido nas suas queixas e angústias, ambiente adequado para o sono, atenção ao seu pudor, atenção as suas crenças e espiritualidade, presença de sua família e principalmente direito a cuidados paliativos, quando não houver mais possibilidade terapêutica e direito a compaixão.
enfermagem baseada em evid ncias
ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS
  • Como praticar Enfermagem baseada em evidências?

Formular questões relevantes e significativas de um problema a ser pesquisado que devem compreender as seguintes características.

- Factível/praticável.

- Interessante.

- Ético.

- Novo.

- Relevante

  • Levantar literatura adequada.
  • Avaliar criticamente os níveis de evidência.
  • Incorporar e aplicar os resultados na assistência de enfermagem
etapas para se manejar o arco de maguerez
ETAPAS PARA SE MANEJAR O ARCO DE MAGUEREZ

1.OBSERVAÇÃO:

- O método científico fundamenta-se na observação do mundo que nos rodeia.

  • A observação no seu sentido mais amplo não está restrita apenas ao que vemos, pois deve incluir todos os nossos sentidos.
  • Devemos aprender a observar da maneira mais aberta possível para que possamos questionar sobre o que, porque e como são os fenômenos.
observa o
OBSERVAÇÃO
  • As primeiras observações podem ser informações de nossa própria experiência ou dados obtidos por meio de literatura de algum texto. O mais importante é que essas observações devem ser sensíveis, mensuráveis e passíveis de repetição, para que possam ser observadas por outras pessoas.
2 formula o de um problema
2. FORMULAÇÃO DE UM PROBLEMA
  • O segundo passo do método científico é a formulação de um problema ou pergunta.
  • O pesquisador deve ser curioso. Faça perguntas.
  • A pergunta deve ser passível de resposta e esta deve ser baseada na observação de um fenômeno.
  • As melhores perguntas são formuladas utilizando expressões:como, que e quando. As perguntas que incluem a expressão porque não tem uma resposta desenvolvida pelo método científico.
3 informa es referenciais
3. INFORMAÇÕES REFERENCIAIS
  • A terceira etapa do método científico é a procura de informação sobre o fenômeno escolhido.
  • O pesquisador deve procurar tudo sobre o fenômeno: livros, revistas, internet, relatórios de pesquisa.
4 hip teses
4. HIPÓTESES
  • A quarta etapa do método científico é a formulação de uma hipótese.
  • Uma hipótese é uma resposta passível de ser testada e fundamentada para uma pergunta feita relativa ao fenômeno escolhido.
  • O pesquisador examina a literatura sobre o fenômeno, obtem a maior quantidade de conhecimento possível para se responder ao problema formulado.
  • Esta tentativa de resposta é a hipótese.
  • Existe a possibilidade da hipótese ser rejeitada.
5 experimenta o
5. EXPERIMENTAÇÃO
  • A quinta etapa do método científico é a manipulação e comparação dos resultados.
6 an lise
6.ANÁLISE
  • A última etapa do método científico consiste na aceitação ou rejeição da hipótese. Assim, utilizamos os resultados para construir, reforçar ou questionar determinada teoria.
declara o de problema
DECLARAÇÃO DE PROBLEMA
  • Uma declaração de problema é a expressão de uma situação pertubadora que necessita ser investigada.
exemplos
EXEMPLOS:
  • TEMA GERAL: ruído excessivo no trabalho.
  • PROBLEMA: baixo uso de proteção auditiva pelos trabalhadores.

O ruído excessivo é um problema importante de saúde ocupacional, pois leva a perda auditiva, o aumento de estresse e outros efeitos no trabalho. No entanto, observou-se um baixo uso de proteção auditiva pelos trabalhadores.

exemplo
EXEMPLO:
  • TEMA GERAL: depressão no período pós operatório de pacientes mastectomizadas.
  • PROBLEMA: Quais são os sentimentos expressos pelas mulheres mastectomizadas? Qual o significado destes sentimentos?

A literatura revela como também a experiência, que um grande número de mulheres mastectomizadas no período pós operatório iniciam um processo depressivo que dificulta o seu retorno as atividades normais de vida.