a metodologia da pesquisa cl nica n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A Metodologia da Pesquisa Clínica PowerPoint Presentation
Download Presentation
A Metodologia da Pesquisa Clínica

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 34

A Metodologia da Pesquisa Clínica - PowerPoint PPT Presentation


  • 154 Views
  • Uploaded on

A Metodologia da Pesquisa Clínica. Renato M.E. Sabbatini UNICAMP e Instituto Edumed. Objetivos da Pesquisa Clínica. Adicionar e integrar novos conhecimentos à ciência médica (doenças, suas manifestações, prevalência e diagnóstico, novas formas terapêuticas, etc.)

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

A Metodologia da Pesquisa Clínica


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript
    1. A Metodologia da Pesquisa Clínica Renato M.E. Sabbatini UNICAMP eInstituto Edumed

    2. Objetivos da Pesquisa Clínica • Adicionar e integrar novos conhecimentos à ciência médica (doenças, suas manifestações, prevalência e diagnóstico, novas formas terapêuticas, etc.) • Utilizar métodos científicos de controle e análise rigorosos e objetivos, para assegurar a validade dos resultados

    3. Papel da Pesquisa no Processo Médico

    4. Objetivos da Pesquisa Clínica • Derivar resultados que tenham aplicabilidade prática na prevenção, diagnóstico e terapia de doenças • Respeitar as limitações impostas pela ética da experimentação com seres humanos

    5. Tipos de Pesquisa Clínica • Pesquisa clínica básica • Pesquisa clínica com pacientes • Ensaios clínicos • Estudos epidemiológicos • Observações clínicas (descrição de casos)

    6. O Ciclo Experimental Gerar Hipótese Formular problema Avaliar resultados e disseminar Observar Experimentar Desenvolver modelo Testar hipótese

    7. Etapas da Investigação Científica • Escolha do tema • Planejamento da investigação • Desenvolvimento metodológico • Coleta e armazenamento de informações • Análise dos resultados, elaboração das conclusões • Divulgação dos resultados

    8. Planejamento Experimental • Materiais e métodos a serem utilizados • Objetivos finais e parciais da pesquisa • Cronograma de desenvolvimento • Pesquisadores, técnicos e suas atribuições no projeto • Como serão coletados, armazenados e analisados os dados • Delineamento experimental

    9. Desenvolvimento dos Métodos • Identificação e seleção de todos os métodos e técnicas a serem usadas na pesquisa • Desenvolvimento ou aperfeiçoamento de técnicas e métodos (pesquisa metodológica) • Treinamento e validação da metodologia através de projeto piloto • Não se deve iniciar a pesquisa principal sem estar terminada esta etapa

    10. Delineamento Experimental • Determinação das fontes dos dados • Determinação dos grupos de pacientes, como e em que ordem serão observados • Variáveis a serem colhidas • Critérios de inclusão e exclusão de pacientes • Critérios de censura e eliminação de dados e casos

    11. Categorias de Pesquisa Clínica • Estudos retrospectivosJá existem dados sobre pacientes atendidos e eles são incluídos ao estudo segundo critérios e definição de parâmetros, através da revisão e recodificação de prontuários

    12. Categorias de Pesquisa Clínica • Estudos prospectivosAs condições experimentais, tamanho da amostra, grupos, parâmetros, critérios, protocolos, testes, etc. são definidos antes de coletar os dados. Os pacientes são adicionados ao estudo segundo o protocolo e os critérios de exclusão e inclusão, à medida que chegam.

    13. Estudos Retrospectivos • Vantagens • Mais barato • Poucos problemas para fazer • Desvantagens • Dados foram coletados sem objetivos pré-definidos • A amostra estudada pode não ser representativa da população

    14. O Viés na Pesquisa • Viés (bias)É um erro sistemático introduzido por fatores diferentes do efeito experimental. Exemplos: viés de seleção, viés de amostragem, viés experimental.

    15. Qual é o Perigo do Viés? • Gera influências inconscientes ou conscientes por parte dos sujeitos ou pesquisadores sobre o resultado da pesquisa • Os resultados ficam menos confiáveis, e podem até serem totalmente enganosos

    16. Redução do Viés • Atribuição aleatória dos sujeitos aos grupos • Sujeitos ignoram a que grupo pertencem (estudo cego) • Pesquisadores também ignoram (estudo duplo-cego)

    17. Procedimentos da Pesquisa Clínica • Ensaio clínico aleatorizado (RCT)Um tipo de experimento prospectivo, em que os pacientes são alocados aleatoriamente a grupos alternados e tratados de acordo com um protocolo de estudo

    18. Procedimentos da Pesquisa Clínica • Estudos cegos e duplo-cegosNem o paciente (estudo cego) e nem o paciente e o pesquisador (estudo duplo-cego) sabem quais são os grupos a que foram alocados

    19. Estudos Cegos: Vantagens • Diminuem os riscos de diferenças sutis e não reconhecidas na qualidade e estilo de tratamento, na resposta dos pacientes ou na avaliação do pesquisador • São importantes quando o resultado do experimento requer avaliações subjetivas

    20. Estudos Cegos: Desvantagens • São inviáveis quando a intervenção não pode ser escondida do paciente e/ou médico (tipos de tratamento diferentes, efeitos colaterais • Considerações éticas: um tratamento é superior a outro, ou quando o efeito deletério já é conhecido

    21. Aleatorização: Vantagens • Elimina o viés de seleção • Diminuem a probabilidade de que os grupos difiram significativamente entre si com respeito a alguma variável não controlada, ou alguma característica que possa influir no resultado

    22. Delineamento Experimental • Estudo de efetividade simples (one arm pilot study) – mudança de linha de base de uma variável contínua • Estudos caso-controle (two-arm controlled study, non-inferiority study) • Estudos longitudinais (coortes) • Estratificação

    23. Amostras Estratos Estratificação População

    24. Fases de Ensaios Clínicos • Fase I: avalia a tolerância de uma nova droga, sua farmacodinâmica e farmacocinética (1 em 10.000) • Fase II: avalia a dosagem ótima e eficácia preliminar da droga • Fase III: avalia a eficácia da droga em população maior, usando RCT • Fase IV: avalia efeitos a longo prazo

    25. Tipos de Variáveis • Variáveis independentes: são as manipuladas pelo pesquisador • Variáveis dependentes: são as observadas ou mensuradas pelo pesquisador • Variáveis de controle: são as que devem permanecer fixas ou controladas.

    26. Pesquisa Experimental • Os sujeitos ou objetos a serem estudados no experimento são divididos em grupos controles e experimentais • Os grupos controle não recebem a influência da variável independente • Os grupos experimentais recebem a variável independente • A relação causa-efeito é determinada pela comparação estatística entre os grupos

    27. Descrição de Eventos Clínicos • Variáveis de identificaçãoPaciente, visita, parâmetro, tempo. • Variáveis primáriasDescritoras da intervenção, dos resultados (variáveis independentes e dependentes).

    28. Descrição de Eventos Clínicos • Variáveis confundentesRegistro dos fatores que podem influenciar os resultados experimentais, e que podem servir para estratificar o estudo.

    29. Desenho Experimental: Exemplo • Objetivo: determinar se a sobrevida de pacientes com MM aumenta com acido dodecadrônico • Grupo controle: pacientes recebem uma droga tradicional • Grupos experimentais 1 e 2: pacientes recebem duas dosagens diferentes da droga

    30. Pesquisa Experimental: Exemplo • Desenho: ensaio clínico prospectivo sucessivo aleatorizao duplo cego • Análise estatística: comparação entre os grupos usando análise de variância e curvas de sobrevivência

    31. Pesquisa Experimental: Exemplo • Variável independente: dosagem do quimioterápico • Variável dependente: tempo de sobrevida do paciente desde o início do tratamento • Variáveis de controle: sexo, idade, tempo de duração e gravidade da doença, nível socioeconômico, etc.

    32. Pesquisas Multicêntricas • Importantes para: aumentar número de casos, englobar maior variabilidade, generalizar experiência • Protocolo definido em comum (campos, parâmetros critérios de inclusão/exclusão, etc.) • Ferramentas de captura descentralizadas • Banco de dados centralizado

    33. Pesquisas Multicêntricas • Redistribuição dos resultados, publicação comum • Uso da Internet para intercomunicação • Uso do computador para gerenciamento do projeto

    34. Aprendizado de Metodologia de Pesquisa Clínica • Conhecer intimamente as técnicas de rotina da área • Conhecimento de estatística e planejamento experimental • Conhecimento de métodos de assegurar a qualidade de uma pesquisa • Metodologia de coleta e análise de dados, ferramentas computacionais • Como escrever e relatar resultados • Conhecimentos de ética médica